Log In

Opinião

Eu não suporto Lost

Pin it

Cena de Lost

Eu sou fã de boas histórias, sempre fui. Na verdade meu gosto vai além de boas histórias, pois algumas vezes elas são piegas ou repetidas. O que eu sempre gostei foi a viagem que uma história bem contada pode lhe levar a fazer. Comecei com os livros, vieram os filmes e, finalmente, os seriados de televisão.

Quando Lost estreou no Brasil, há distantes cinco anos atrás, eu estava mais que ansiosa para acompanhar. Não era fã de JJ Abrams, na verdade não havia gostado de nenhum dos dois seriados anteriores dele (Felicity eu ainda suportava), mas o burburinho era enorme sobre o quanto ela havia mudado a maneira de se contar uma história.

E isso se confirmou ao longo da primeira temporada, em que eu me sentava religiosamente na frente da televisão para acompanhar o seriado. Fiz isso na segunda temporada também, mas, dessa vez, ao final de alguns episódios eu me sentia imensamente incomodada.

Veio a terceira temporada e a decepção foi completa. Eu ficava me perguntando o que havia acontecido, por que tantas reviravoltas, idas e vindas. Chata como sou, ficava reassistindo alguns episódios, para descobrir que o que mostravam agora não cabia de maneira alguma no que já havia sido mostrado antes.

As poucas respostas entregues normalmente eram absurdas, e em meio a um ou outro episódio realmente bom, o restante era fraco e sem sentido. Lia os comentários na Internet de pessoas deslumbradas com coisas que eu considerava apenas estranhas.

A libertação veio com um vídeo indicado por um amigo (que você vê abaixo), em que é feita uma paródia com o trabalho dos roteiristas do programa. Depois de vê-lo eu ligava a televisão e ficava imaginando a Tartaruga Mágica aparecendo a qualquer instante. Pior: a idéia dela aparecendo não parecia absurda perto de todo o resto que eu via.

Abandonei o seriado ao final da terceira temporada, sem arrependimentos, a despeito de um monte de gente me falar que nunca ela foi tão sensacional. A impressão que eu tenho é que todo mundo dedicou tanto de sua atenção e crença nesse negócio que eles precisam desesperadamente que ele seja realmente bom, que as respostas sejam boas.

Posso até não odiar Lost, mas não tenho dúvidas do quanto é super-estimado e acredito que o conceito, a idéia, acabou sendo muito melhor que sua execução. Quem sabe deslumbrados por sua fama, os próprios roteiristas ficaram confusos ou não souberam lidar com as expectativas para as questões colocadas.

* * *

A quinta temporada de Lost estreia nesta segunda-feira, dia 9 de março, às 21h no AXN.

Leia também o artigo Eu adoro Lost.

Séries citadas:

74 Comments

  1. Jon

    E, sim, Anderson. Antes que tu diga qualquer coisa, sim, eu assisto Lost. Acho que isso me dá o direito de falar mal, não?

  2. anderson

    sim jon, falam por mim só, eu inventei os post q colei acima no comentario 49. aff

    desisto, serio mesmo, falam q fa de lost é fanatico louco sei la oq, mas anti-lost é um pe no saco ainda pior.

  3. Mauro

    Parabéns Simone pela coragem e pela classe com que você expôs a sua idéia.
    E Eduardo Moreira concordo completamente com você. É ridículo algém dizer que a Simone teria que estar acompanhando até hoje uma série que ela não gosta só para poder criticá-la, caso contrário, ela não tem o direito de fazêlo.

    E para quem escreveu esse comentário:

    ”Isso é mais uma prova de que a imensa maioria dos criticos de LOST nao a ve, e na real se incomodam e sentem ate inveja pq LOST é um fenomeno cultural, em tv, blogs conferencias e tudo mais.”

    Faz-me rir!!!!!!!!!!!!!!!!KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

  4. hageimaster

    Tenho uma proposta ao “dono” do site entao.
    Coloque alguem q não ve a serie para falar bem dela. ai tudo se resolve.

  5. Claire

    Concordo com tudo que hageimaster escreveu aqui,vc é o cara!…e tá vendo o que a senhora conseguiu dona Simone?sente o clima!hahaha,beijos…

  6. Weberton Pessoa

    Eu NUNCA consegui assistir UM episódio inteiro de Lost…sempre achei muito viajante, muito fraco na verdade.

    Lost está para os seriados, assim como Matrix está para os filmes para mim: nunca tive saco para terminar de assistir e sempre desisti nos 15 primeiros minutos.

  7. Heloisa

    Até que enfim alguém colocou “Lost” no lugar que a série merece. Assim como a Simone acompanhei a série religiosamente nas 2 primeiras temporadas. A 3ª acompanhei por um blog, lendo a sinopse dos capítulos, além, é claro, de assistir a alguns episódios. Mas cansei dessa coisa cheia de perguntas e com poucas respostas, além do lance de ter de ficar lembrando que o que aconteceu no 3º episódio tem ligação com o 55º. Fora lances como o da fumaça, que alguém precisa pegar e ampliar na internet pra vc. saber o que é.
    Outra coisa que não suporto são os fãs cegos que dizem que os autores sabem exatamente o que estão fazendo, que não estão desviando o foco. Mas todo mundo sabe que o Ben só ficou porque agradou ao público, coisa digna de novela das 8 da Glória Perez.

  8. ELAINE DAS GRAÇAS TONACIO

    Simone, Parabéns pelo texto e coragem.
    Acho que gosto não se discute. Se não só teríamos Lost e comédias por aí e ninguém mais assistiria a seriados. Cada um encontra algo por que se apaixona e passa a virar fã do seriado. Lost também não me conquistou.
    Parabéns também ao Teleseries que sempre tem comentários inteligentes e que nos fazem pensar.

  9. Leo

    O que sempre me chamou a atenção em Lost foram os dramas pessoais e as personalidades complexas, que se perderam em meio a rodas do tempo e espíritos errantes.

    Jon falou tudo sobre Lost, e sim continuo assistindo a série e o unico episódio que achei bom foi esse LaFleur que, adivinha!, não teve viagem no tempo

  10. Mica

    Bom, como boa fã de sci-fi o que eu mais gosto em LOST são justamente as viagens na realidade. O que mais me irritou em LOST foi o mau desenvolvimento de alguns personagens durante um grande tempo, como por exemplo, Mr. Eko, que era um excelente personagem e que avacalharam com ele em seus flashbacks o que acabou por influenciar o seu presente. Ou então a chatice e hipocrisia sem tamanho de Jack ou a falta de profundidade de Kate que fica só na promessa como personagem.
    Mas como as coisas que eu gosto em LOST são muito maiores do que as que as que eu não gosto, o saldo sempre fica positivo.
    Agora, é claro que os roteiristas mexem no desenrolar da série de acordo com a audiência e com a extensão das temporadas (alguém aí disse que o ideal seriam temporadas de 13 episódios e eu não poderia concordar mais), mas acredito que o básico da história, o que é a ilha e seus segredos já está criado na base do roteiro, não creio que isso foi sendo alterado no decorrer das temporadas.

  11. Katia

    Devo confessar que desisti de LOST no 1º episódio da 1ª temporada. Não tenho tempo para acompanhar seriados que se perder um episódio, vc fica mais perdida que os personagens. Nem critico porque não assisto mas respeito os fãs da série assim como respeito também quem não vê a menor graça nisso. Gosto é gosto…Belo texto. Parabéns!

  12. Edson R. Okudi

    A série Lost não me incomoda. O que me incomoda e é insuportável é a “soberba” que alguns lostmaníacos exercem nesses espaços de discussão. Eles não aceitam qualquer tipo de crítica e querem a rendição incondicional dos “não iniciados”. Pra eles, não gostar de Lost é um pecado mortal, um sinal inequívoco de “burrice”, de “inferioridade”. Julgam eles que “os outros” não devem exercer o direito da crítica, do contraditório, porque não estão “capacitados” pra isso. Pra falar de Lost, só um lostmaníaco, um ser iluminado. Ou seja, colocam-se numa posição de superioridade, de arrogância intelectual , de senhores únicos da “verdade”que, francamente, é disparatada quando se discute uma série de Tv. Esse tipo de comportamento irracional, de Seita Religiosa, de Torcida Organizada, pra mim, é absurdo.

  13. Eduardo Moreira

    Começo a me convencer que Lost, realmente, é uma série de nicho, e não este mega blockbuster que tanto falam. Tem muito mais gente delcarando abertamente que não gosta da série do que pessoas se manifestando que gostam dela.

    Edson, assino embaixo em tudo o que você falou. Os “Lost Xiitas” acabam conseguindo estragar ainda mais algo que, se não houvesse uma doutrinação para te convencer que a série é “de explodir cabeças”, até poderia trazer mais telespectadores. Fora que é de uma pobreza de espírito sem tamanho os fanáticos que são altamente preconceituosos, de qualifciando como raça infeior por não assistir Lost.

    Ainda mantenho a opinião pra dizer que o direito à crítica está aberto a todos. Caso contrário, vira censura, e toda censura é burra. Fico muito contente em saber que, graças à Deus, tenho o senso crítico para, na minha opinião, dizer se isso é bom ou ruim sem ter que passar na íntegra por ela.

    E, para arrematar, espero que após estes comentários, os fãs xiitas, fanáticos de Lost começem a pensar de forma um pouco mais racional. Sempre vou dizer que, para mim, Lost não serve e que está longe pra ser a série espetacular que vocês falam. E, graças a Deus, sou bem inteligente pra pensar assim. Todo e qualquer fanatismo é extremamente prejudicial. E são justamente os doentes fanáticos que me tiram o interesse em acompanhar esta história, que já acho bem fraca.

    Aliás, já pararam pra pensar que qualquer bobagem que aparece na tela o pessoal acha que é uma virada sensacional?

    Pensem Nisso.

  14. Du Ferreira

    A pergunta é: pra que ficar discutindo aqui se Lost vale ou não vale a pena? Quem gosta, gosta. Quem não gosta, não gosta. E pronto. Ninguém vai mudar de opinião por causa de um fórum de discussão. E vamos combinar, Lost é do tipo de série que se ama ou se odeia.

    É certo que a autora do tópico só o fez pra criar burburinho e discussão. E, o pior, o objetivo dela tá sendo alcançado. Pra mim, ela tá sendo uma ótima manipuladora. Pra quem parou de assistir Lost, tá sendo uma ótima “outra”, hehe.

  15. Ivonete

    Muitas vezes já deixei comentários, aqui mesmo no Teleséries, no qual declarava não gostar de “Lost” e não entender essa fanatismo em torno dessa série. Em todos os blogs é só Lost, Lost e mais Lost.
    Como acompanho os comentários da Simone há tempos, já falamos sobre isso, séries boas deixadas de lado e espaço demais para Lost.
    Me surpreendeu ver tanta gente concordando com a Simone, então consigo entender menos ainda, porque tanto espaço para uma série que não é uma unanimidade como parecia ser.

  16. Michele

    Nossa, parabéns! Eu também não suporto Lost, mas adorava Alias e Felicity e estou completamente vidrada em Fringe… Vamos ver como fica né?

    Mas, mais uma vez, parabéns pela sua coragem de assumir isso!

  17. Clóvis Tayllon

    Apesar de ser muito fã de Lost, respeito a opinião da Simone, pelo menos ela tentou assistir Lost e se decepcionou, acontece, eu mesmo quase parei de assitir, as viajens no tempo do Desmond demorou para me agradar porque eu não via relação daquilo com a série. Aí assisti a quarta temporada e vi que estava tudo relacionado e me viciei de novo em Lost.

    Pior são pessoas que assistem séries que não gostam só pra se posicinar contra e criticar, se não gosta de Lost vá assistir uma série que goste e para de encher os sacos de nós, Fãs.

    Adimiro sua coragem de falar mal de Lost.

  18. joelson

    Dexter e House.O resto joga no lixo.Enrolação por enrolação, Galactica foi muito melhor.

  19. Ronilson Araújo

    Saudações para todos,

    Também sou fã de boas histórias e Lost, certamente, me cativou desde o começo e continua me cativando sem problemas. As manifestações que vejo pela Web contrárias a Lost tem uma explicação bem simples.

    O público em geral pode ser classificado em termos de interesses culturais por o que eu chamaria de apreciadores de drama e apreciadores de fantasia.

    Os apreciadores de drama (incluo aí a comédia, suspense, etc, numa leitura mais ampla de drama) despertam interesse em histórias calcadas na realidade, “com pé no chão”, “certas”, “a vida como ela é”. Embora tolerem desvios do contexto real, em maior ou menor grau, mas defendem um bom drama. Não estou discutindo aqui fatores como qualidade ou grau de complexidade. Podem apreciar novelas, Big Brother, séries dramáticas como Plantão Médico, Lei e Ordem, CSI, Damages, Roma, Band of Brothers, Friends, Glee, Senfield, 24 Horas, House, Numb3rs, 90210, entre tantas. Muitas das quais também gosto e muito, outras nem tanto.

    Nesse aspecto, Lost surge como uma série de grande destaque porque constroi um mistério em torno da ilha, com muito drama, suspense, romance e humor, personagens bem construidos, roteiros complexos, enriquecidos com os flashbacks que ajudam a tornar os personagens ainda mais fascinantes, a idéia da ligação entre os personagens por causa do destino, um tema recorrente na maior parte das obras de JJ Abrams. Tudo isso se mantém na primeira e segunda temporada.

    Entretanto, existe também outro tipo de público, de “mente aberta”, que valoriza a criatividade e a originalidade acima de tudo, aceitando e apreciando portanto quando um produto cultural saia da esfera da realidade e mergulha mais ainda na fantasia e seus gêneros por excelência, terror, ficção científica, etc. O filme Senhor dos Anéis é um grande exemplo. Em séries podemos considerar Twin Peaks, Arquivo X, Jornada nas Estrelas, Alias e Fringe, também de JJ Abrams, Babylon 5, Battlestar Galactica, Heroes, Smallville, Supernatural, entre outras. Aqui eu me incluo como um “mente aberta” que, embora aprecie obras realistas, meu gênero favorito é a Ficção Científica e encontro em Lost, não apenas um dos melhores seriados, como considero o melhor de todos os tempos.

    Tal como uma ilha, a série Lost mostra, em sua primeira e segunda temporada, uma superfície de realismo para, nas temporadas seguintes mergulhar num oceano de Ficção Científica, especificamente a partir do episódio 08 da Terceira Temporada quando Desmond começa a experimentar os efeitos da Ilha em sua vida, a série deixa ali seu recado: Lost é Ficção Científica. Antes dava dicas sutis de ser do gênero, mas tudo ficou bastante claro nesse episódio por entrar na temática das viagens no tempo.

    Naturalmente, aqueles fãs de Lost do time dos realistas começou a ver como perda de tempo, se sentiu incomodado, decepção completa, viajou legal, insuportavelmente irritante, série super-estimada, bobagem, apenas citando expressões do próprio texto da Simone e de alguns comentários contrários a série.

    Defendo Lost, embora não seja um fã xiita da série. Reconheço a enrolação do começo da terceira temporada, o excesso de esticada para revelar certos mistérios, algumas incongruências quanto a característica de personagens importantes, coadjuvantes descartaveis, principalmente nas últimas temporadas.

    Por outro lado, Lost é um exercício de criatividade porque sempre surpreende, demonstra que os autores sabiam para onde iam com a trama desde o início, as peças se encaixam, mesmo com indas e vindas pelo tempo e com realidades alternativas. A série demonstra um sentido lógico e coeso, embora fantasioso. O mais divertido em Lost é realmente juntar as peças do quebra cabeças e quando surge uma nova revelação, tudo o q se viu até esse ponto, volta a fazer sentido. Claro q na ânsia de surpreender o público, algumas escolhas não foram muito felizes. Ainda assim, sou a favor da série.

    No geral, considero q Lost é um grande triunfo de seus realizadores e até recomendo aos revoltados com Lost, abram um pouco mais a sua mente para novas idéias, para as reviravoltas, para as peças do quebra cabeças se encaixando num sentido sempre inesperado. Lost é um sopro de criatividade no mar da mesmice televisiva. Por isso, é uma série revolucionária, em todos os sentidos. Continou fã de Lost como na primeira vez q vi o primeiro episódio da primeira temporada e aguardo ansiosamente sua conclusão com a certeza de ter acompanhado uma rica experiência que mostrou ousadia e criatividade o tempo inteiro. Adoro ficar Lost.

    Vejo vocês nessa vida ou na próxima, brothers.

  20. cas

    Sem sentido algum… final não explica nada… deixa milhares de questões abertas. Questões que, com um pouco de criatividade, teriam salvo o que restou do seriado.
    Duas temporadas era demais para LOST. Pouco conteúdo. Muito mistério, sem explicação. Completamente superestimado. E, ao contrário do que foi dito, a fantasia de Lost, que durou por uns tempos, foi totalmente apagada e esquecida nas últimas temporadas.. Nada sobra de sensato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account