Log In

Spoilers

Spoiler: o crossover de CSI e Without a Trace

Pin it

Who & What - Crossover de CSI e Without a Trace

Depois de cinco anos, a rede americana CBS resolveu investir em mais um crossover de CSI. Desta vez Grissom e sua equipe dividiram a cena com Jack Malone e os agentes de Without a Trace.

O primeiro crossover da série ocorreu no final da segunda temporada em 2002, quando Warrick e Catherine foram a Miami auxiliar Horatio Cane a resolver o assassinato do ex-chefe de polícia de Las Vegas, encontrado morto em sua residência. A partir deste episódio teve inicio CSI: Miami, primeiro spin-off da franquia.

A nova investida da CBS e Jerry Bruckheimer (produtor executivo de ambas as séries) no crossover de CSI e Without a Trace funcionou muito bem, garantindo a liderança da emissora na noite do dia oito de novembro.

A trama tem inicio em CSI, quando um garoto e uma mulher são assassinados no apartamento onde estavam. As únicas evidências são a impressão parcial da palma da mão do possível assassino e os golpes desferidos na cabeça das vítimas.

O FBI manda que os CSIs interrompam as investigações, pois há uma possível compatibilidade entre este caso e o seqüestro do garoto Jason Taylor de quatro anos, ocorrido em Nova York seis anos antes e ainda não solucionado. Então Jack Malone vai a Las Vegas para identificá-lo.

Inicialmente Malone acredita que a vítima seja Taylor, mas após averiguações, Tom Michael reconhece o garoto como seu filho Evan, descartando esta possibilidade.

O seqüestrador volta a matar em Vegas e passa a ser considerado um serial killer. No último ataque, Grissom descobre um padrão nos crimes. O assassino escolhe as vítimas que moram próximas aos trilhos do trem e depois de matá-las foge pela ferrovia. A partir disto são relacionados mais de uma dúzia de casos não solucionados ao seu perfil.

Nick consegue a impressão digital na ficha preenchida por um suspeito identificado pelas imagens de segurança de um cassino. Os CSIs chegam a Terry Lee Wicker e descobrem que ele está em Vegas atrás de seu filho Kobe e que matou a mãe do garoto.

Terry foge de ônibus para Nova York com Kobe. No meio do trajeto ele descobre que está sendo procurado e deixa o veículo carregando o filho dopado. Este é o arco para o início do episódio de Without a Trace que é focado em encontrá-los e prender Wicker.

Em Nova York, Wicker continua a matar e o Kobe corre sério risco de vida, pois pode ser a próxima vítima caso seu pai perceba que ele o teme e não o aceita.

Grissom vai até o escritório do FBI na cidade para ajudar nas buscas e analise das evidências, tendo papel conclusivo para a solução do caso e auxiliando o FBI a descobrir que Terry Lee havia seqüestrado e matado Jason Taylor após sair da cadeia pensando que fosse seu filho. Kobe poderia ser a próxima vítima, mas o garoto consegue fugir e é resgatado por Malone e entregue a sua tia, irmã de Wicker.

Os dois episódios mantêm as características das séries. Em Las Vegas, a equipe de CSI conduz as investigações da forma tradicional, ou seja, seguindo as evidencias para chegar ao assassino. Seus personagens têm todo o espaço, apenas com o comando geral de Jack Malone, pois o caso é de jurisdição federal.

Já em Nova York a situação se inverte e somente Grissom marca presença na Big Apple para analisar as evidências dos crimes. Os detetives do FBI tomam conta das investigações e como de costume concentram suas buscas em encontrar pessoas desaparecidas, no caso Wicker e Kobe.

O crossover traz um ponto interessante, o entrosamento de Grissom e Malone, que se desentendem em alguns momentos da primeira parte da história, mas na conclusão mostram boa interação, principalmente devido ao fato de ambos se identificarem com o peso da função que na maioria das vezes tem de cumprir, ou seja, dar más notícias as famílias das vítimas, como a morte de Jason Taylor.

O episódio de CSI (que deu inicio a story-line) teve 21,9 milhões de telespectadores e, logo em seguida, Without a Trace manteve praticamente toda a audiência para a conclusão da história, chegando a 21,4 milhões. Foi o melhor desempenho do show desde março de 2006.

Séries citadas:

32 Comments

  1. Achei o máximo esse crossover, podia ocorrer com amis frequencia.

    E principlamente com as duas séries policiais que mais amo! Perfeito! Tomara que as duas emissoras no Brasil passem esse crossover.

  2. Rafaelly

    Provavelmente…ainda mais com esse negócio de CSI passar para o AXN!!!Droga!!!
    Esse crossover é pra arrasar mesmo!Jack e Grissom Juntos é demais pro meu pobre coração seriemaníaco!!!

  3. Rodolfo Milet

    Exatamente Cristiano, eu falei isso quando saiu a nova grade de programação da Sony, com a ida de CSI para o canal AXN, do mesmo grupo e que estréia somente a oitava temporada em fevereiro. Como Without a trace já estreou na Warner; esta semana é o quarto episódio – Baggage, o crossover aconteceu no sexto episódio de CSI, deve ser o mesmo de Without a trace.
    Se não houver alguma reprise antes, no episódio do crossover vai passar a segunda parte antes, e depois lá para março, a primeira parte, em CSI, no AXN.
    Só no Brasil mesmo para acontecer isso.
    Aproveito para fazer uma sugestão ao site: colocar o número do episódio/temporada da série nos destaques do dia; sei que isso é colocado nos reviews, mas uma informação a mais é sempre importante para quem confere os destaques do dia, assim já fica sabendo não só o nome mas o número do episódio e sua temporada.

  4. Luiz Marcelo

    CSI: Miami e CSI: NY tb fizeram um crossover, muito bom por sinal

  5. Gabriel Bonis

    Os dois episódios do crossover são os de números seis. Em Without a Trace é o sexto da sexta temporada e em CSI o sexto da oitava temporada.

  6. Cristiano (Highlander_Master)

    Bem lembrado Luiz, esse crossover de Miami com NY foi excelente.

    Sobre Without a Trace, eu só assisti alguns episódios por falta de tempo mesmo, mas acho uma boa série, vou assistir o dia do crossover sem problemas nenhum. O que pode acontecer é um acordo entre a Warner e a AXN pra Warner guardar esse episódio pra ser exibido só lá na frente. Não se esqueçam que rolou uma certa parceria entre a AXN e a Universal Channel, com uma fazendo propaganda no canal da outra, com o crossover Las Vegas e Crossing Jordan.

  7. Giselle Bauer

    Ai gente! Jack Malone e Grisson juntos vai ser super demais só que infelizmente vai passar primeiro a segunda parte porque CSI só em fevereiro.Ninguém merece!

  8. fernando dos santos

    É impressionante a quantidade de boas séries policiais em produção atualmente.Acho que a década atual vai entrar para a história da tevê como a melhor do genero.Só os anos 70 se comparam ao panorama atual nos dramas investigativos.
    Alguém sabe porque o crossover de CSI:NY e Cold Case a temporada passada foi unilateral?O Scott foi até a big apple ,mas ninguém da equipe do Mac foi até a Filadélfia.
    Quanto a Without a Trace , acho que melhorou muito com a inclusão de uma trama contínua.

  9. Rodrigo Eduardo

    Eu encaro a participação do Scotty mais como uma participação especial do que um crossover entre as duas séries.

    Estou louco para ver esse crossover CSI com Without a Trace, é uma pena que a segunda parte passe antes.

    Só no Brasil? Não concordo com essa idéia mas deixa pra lá!

    O pior até agora foi o crossover entre Third Watch e Medical Investigation, onde a segunda parte passou milênios depois da primeira.

    Abraços.

  10. Luiz Alexandre

    Só vi o episódio do CSI, mas o mais interesseante foi o conflito de egos entre Grissom e Malone, e a mijada do Jim no Malone.

  11. Pingback: O que anda acontecendo nos blogs da Sociedade « Sociedade dos Blogs de Séries

  12. Gabriel Bonis

    Luis vc está falando a respeito do que quando diz “mijada”?

  13. Felipe

    Esse crossover foi demais!
    Grissom e Jack juntos não poderia ter sido menos do que fantástico.

  14. Rubens

    Esse suposto crossover de CSI:Miami e CSI:NY não é, na verdade, como o do CSI com CSI Miami, ou seja, é apenas o episodio que daria origem a uma nova serie??? Ou seja, isso nao é crossover, é apenas o episodio de spinoff (episodio de uma serie que dá origem a uma nova serie derivada…).

  15. Gabriel Bonis

    Rubens…. não deixa de ser crossover só pq uma série só se originou depois do episódio…

  16. fernando dos santos

    O que eu realmente tenho curiosidade em saber , é por que a CBS não optou por fazer o crossover completo entre Cold Case e CSI:NY?Por que limitá-lo a uma participação do Scott na série do Mac?

  17. Rubens

    Gabriel Bonis escreveu:
    | Rubens… não deixa de ser crossover só
    pq uma
    | série só se originou depois do episódio…

    Sei lá… Como é que se faz crossover com um seriado que ainda nao existe? :-)

  18. Gabriel Bonis

    Rubens, o q importa é que apesar da série ainda naum tinha sido criada houve a introdução de novos personagens e um ambienite fora da série original, ou seja, um crossover. Se vc preferir um Cross-Jurisdictions …

    Fernando, acho q um crossover completo entre CSI NY e Cold Case não ia ficar bom, pq apesar de ambas serem investigativas policiais elas não têm nada a ver uma com a outra, não se completam em nada.

  19. fernando dos santos

    CSI e Without a Trace também são bem diferentes e mesmo assim o crossover funcionou bem.

  20. Gabriel Bonis

    Cold Case investiga casos do passado é meio difícil alguém de outra série precisar de uma investigação antiga.

  21. Gabriel Bonis

    Ele não deu nem tomou mijada, aliás o q significa essa “mijada” que o Luiz Alexandre disse afinal?
    Não vi nada no episódio…

  22. Pingback: Crossover « Pensamentos de Uma Batata Transgênica

  23. Célia Lemos

    Gostei muito de episódio, mas está faltando algo para entender porque Grissom foi ao FBI, deve estar a explicação na 8 temporada,que a AXN não faz nenhuma chamada apesar de estar perto do dia de estreiar no canal.

  24. Angela

    Alguém pode me indicar onde eu posso encontrar os episódios das séries para baixar??

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account