Log In

Reviews

Review: Torchwood – Cyberwoman

Pin it

Cena de Cyberwoman
Série: Torchwood
Episódio: Mulher Cibernética (Cyberwoman)
Temporada:
Número do episódio: 4
Data de exibição na Inglaterra: 5/11/2006
Data de exibição no Brasil: 25/9/2007
Emissora no Brasil: People+Arts

Lembro que acordei 2h55min e me perguntei por que estava segurando o celular e olhando para ele. Demorei alguns segundos até lembrar de Torchwood e que eu havia colocado o bendito para despertar. Que dificuldade! Mas valeu a pena. Eu vim esperando por esse episódio há semanas. Não porque eu o ache particularmente magnífico, mas porque eu tenho um carinho especial por ele. E dois são os motivos:

1) A referência óbvia a um dos episódios mais belos e tristes de Doctor Who;

2) A atenção que eles finalmente deram ao normalmente esquecido Ianto Jones.

Cyberwoman inicia com o grupo jogando basquete na base e Ianto, como sempre, à parte dos demais. Quando todos saem para um happy hour, Ianto recebe clandestinamente na base o especialista em cibernética, Dr. Tanizaki. Ele leva o japonês até uma das salas nos andares inferiores, onde vem mantendo escondida a sua namorada, Lisa Hallet, vítima do desastre que arruinou Torchwood 1, em Londres.

Lisa estava sendo convertida – contra sua vontade, como todos os outros – em um dos cybermen, quando houve queda em massa da energia de Torchwood 1 e sua conversão ficou incompleta. Ianto retirou-a dos aparelhos e conseguiu fugir com a namorada e a trouxe escondida para Torchwood 3, onde vinha tentando reverter a garota à condição humana.
Mal o Dr. Tanizaki conseguiu faze-la respirar sozinha, sem a ajuda dos aparelhos, o restante do grupo voltou à base, e Ianto deixou Lisa e o japonês sozinhos enquanto ‘mantinha as aparências’ com os outros membros. Quando uma queda brusca de energia chamou a atenção de todos, Ianto se dispôs a verificar, sabendo que na verdade era algo relacionado à Lisa.

Para surpresa de Ianto, ao chegar à sala onde estava a namorada, encontrou o Dr. Tanizaki morto no chão. A moça havia tentado convertê-lo em um cybermen e falhou. Enquanto Ianto tentava esconder o corpo do especialista, outra queda de energia – Lisa tentou fazer um upgrade no próprio corpo – fez com que o Owen e Gwen fossem investigar também.

Tosh e Jack verificaram que havia dois sinais vitais no subsolo. Sendo um de Ianto, o outro deveria ser de um invasor. Checando as câmeras eles descobrem que Ianto havia deixado alguém entrar voluntariamente na base e Jack vai atrás dele em busca de explicações.

Owen e Gwen se encontram com Lisa, que ataca Owen, deixando-o inconsciente, e aprisiona Gwen à máquina para submetê-la à conversão. Nesse momento, Jack aparece e só não atinge Lisa, porque é impedido por Ianto, que tenta explicar o motivo de ter levado Lisa até ali e tê-la mantido por tanto tempo escondida.

Para salvarem Gwen, Tosh precisa desligar a força de toda a base, selando-a com o grupo e Lisa ainda dentro. A prioridade, segundo Jack, é impedir que Lisa saia, pois é assim que os cybermen começam a executar seus planos de dominação, convertendo as pessoas em seres iguais a eles.

O grupo sente-se traído por Ianto, mas ele insiste que Lisa ainda é humana e que a conversão nunca se completou. Entretanto, por mais que Ianto tente convencer Lisa de que ela ainda é humana, a moça parece ter assumido completamente a personalidade cibernética.

Selados na base, cada um procura encontrar um meio de sobreviver. Ianto mais uma vez tenta argumentar com Lisa, mas a moça o ataca e joga-o longe. Owen e Gwen se escondem na sala de autópsia, enquanto Tosh tenta abrir manualmente uma das travas para possibilitar uma rota de fuga. Jack por sua vez, busca distrair Lisa e é atacado com descargas elétricas por duas vezes, caindo desacordado.

Originalmente neste ponto Owen e Gwen, prensados em uma das câmaras frias da sala de autópsia onde se escondiam, acabam se beijando, enquanto Jack acorda e beija Ianto, despertando-o também. Mas é claro que o People & Arts, amigo e companheiro de sempre, fez o favor de cortar desnecessariamente as duas cenas, o que é um absurdo, pois mantiveram a conversa posterior de Owen e Gwen sobre o beijo que nunca apareceu nas nossas telinhas.

Censura à parte, Tosh consegue acessar os comandos necessários ao acionamento do elevador invisível e o grupo foge por ali, deixando Lisa para ser alimento de Myfawny – o pterodátilo de estimação de Torchwood 3.

Quando Ianto, já do lado de fora, descobre que Tosh religou a energia, corre de volta para a base, mas é impedido por Jack. A conversa entre eles é bastante áspera, um culpando o outro pelos acontecimentos terem chegado a esse nível. Mas Jack decide a questão ao apontar a arma na cabeça de Ianto e obrigar o funcionário a matar a namorada, caso contrário ele mesmo iria entrar e matar os dois.

Ao entrar, Ianto depara-se com o corpo destruído de Lisa no chão, ao lado da máquina conversora e chora ao seu lado, mas para sua surpresa descobre que a namorada transferiu seu cérebro para o corpo da jovem entregadora de pizza que convenientemente havia aparecido logo depois da energia ter sido restaurada.

Ianto tenta matar Lisa, mas a moça diz que fez tudo isso por eles e o rapaz chora desesperado, sem saber o que fazer. Jack chega nesse momento e atira em Lisa, matando-a finalmente.

No dia seguinte Ianto chega à base e é recepcionado em silêncio. Sem qualquer comentário de sua parte, ele resume seus afazeres diários, tentando colocar ordem na base, mas o peso dos acontecimentos está ali, presente nas palavras não ditas.

*************

Esse é um dos episódios mais violentos de Torchwood. Lisa sendo bicada por MyFawny não é uma experiência que eu gostaria de compartilhar. E quem disser que a conversão de um humano para um ser cibernético é muito tosca e impossível de ser tão rápida leva tiro!!!

Mas ameaças – e brincadeiras – à parte, eu gosto desse episódio. A meu ver Ianto é o personagem cujas características devem dar mais trabalho para os roteiristas. Eu tenho cá minhas suspeitas de que eles próprios não chegaram a alguma conclusão sobre a personalidade dele. Ora é fechado e misterioso, ora sorridente, ora levemente apavorado…. Seja como for, é bom conhecermos um pouco do seu passado para podermos trabalhar com mais propriedade.

Ianto é membro do Instituto Torchwood há algum tempo. Fazia parte do quadro de funcionários de Torchwood 1 – Londres, e depois foi transferido para a base de Jack. Se a transferência foi a seu próprio requerimento ou se foi ordem de alguém eu não tenho a menor idéia, mas imagino que tenha sido idéia sua mesmo, já que seu interesse maior era a solução do problema da namorada.

Cena de CyberwomanUma coisa que eu achei legal é que o próprio site oficial do Instituto Torchwood não trazia qualquer informação acerca de Ianto até este episódio ser exibido, embora todos os outros estivessem completos desde o início. Com a exibição do episódio, eles passaram a mostrar fotos de Ianto e Lisa antes da batalha em Canary Warf (um Ianto sorridente e de astral leve), inclusive a foto de um produto de limpeza que ela deu a ele de presente “porque fazia lembrar-se dele”. Também tem o transcript de uma sessão de aconselhamento com um psicólogo logo após o desastre em Londres, e mais três mensagens instantâneas. Uma delas entre Ianto e Suzie, falando sobre a necessidade dele de socializar e a dela de aprender a usar a luva, a outra entre Toshiko e Owen pouco tempo depois do incidente com Lisa, e a última com Gwen, mas sem um conteúdo significativo.

Quanto aos cybermen, eles são inimigos recorrentes no universo de Doctor Who. Se a princípio eram uma raça criada no nosso próprio universo, com o advento dos novos episódios de Doctor Who, os cybermen enfrentados são originários em um universo paralelo. Agora, se o conhecimento que o Jack demonstra ter do modus operandi deles foi obtido com os registros dos cybermen do nosso próprio universo ou se os amiguinhos cibernéticos do universo paralelo ainda darão muito trabalho no futuro, eu não sei.

Por enquanto, o que se sabe é que os cybermen paralelos foram usados em dois arcos de Doctor Who. O primeiro arco se passa no próprio universo alternativo, mas é o segundo que interessa para Torchwood. A invasão dos cybermen ao nosso universo é mostrada nos episódios finais da segunda temporada de Doctor Who (Army of Ghosts e Doomsday), e os responsáveis pela abertura entre os universos que possibilitou o ingresso do exército cibernético foram justamente os membros de Torchwood 1.

Graças ao Doutor as coisas foram solucionadas, mas os custos para os londrinos foram bastante altos. Não apenas a destruição da unidade principal de Torchwood, muito mais bem equipada que as demais, mas principalmente a conversão em massa de quase todos os seus funcionários ou a morte após muita, muita dor. Não foi a toa a quela reação de Owen ao ver a máquina de conversão ou a fúria de Jack ao saber quem era o invasor.

Mas Cyberwoman nos mostrou uma cena particularmente interessante, que é a de Ianto tentando salvar Lisa das chamas que eram Torchwood 1. Até agora ninguém (do público) havia vivenciado os horrores da conversão dos humanos em cybermen, já que o foco estava sempre sobre o Doutor e a luta com os Daleks e os cybermen já plenamente convertidos. Mas ver Ianto gritando desesperado tentando tirar a namorada de lá, nos dá uma pequena idéia de como foi a destruição daquela unidade.

O que me deixa indignada é que em meio a tanta violência, eles cortaram dois beijos inocentes! O que se passa na cabeça desse povo da TV?

Mais três cenas chamaram a minha atenção:
– A hora que Ianto dá um soco em Jack por ter deixado Lisa para morrer nas garras de Myfawny, e diz que um dia terá a chance de salvar Jack, mas ao invés disso irá vê-lo sofrer e morrer.
– Jack colocando uma arma na cabeça de Ianto e forçando-o a matar Lisa, pois se ele não o fizesse, o próprio Jack mataria os dois. E a resposta de Ianto de que Jack podia se ver como um herói, mas era o maior monstro dentre todos. Entretanto devo dizer que gostei do discurso de Jack para Ianto. Duro, frio, quase cruel, mas não poderia estar mais correto.
– Ianto ajoelhado chorando entre o corpo de Lisa e da garota da pizzaria. Tão triste…

E bem no final, a terceira referência à imortalidade de Jack, quando Gwen diz que chegou a acreditar que ele morreria com a descarga elétrica dada por Lisa. Jack, por sua vez, responde que por um segundo pensou o mesmo, e nunca se sentiu tão vivo quanto naquele momento.

Bastante claro que a imortalidade não é exatamente uma benção para Jack, não?

E lá se foi o quarto episódio. Faltam apenas oito. O que mais será cortado no decorrer dessas oito semanas?

Séries citadas:

Michele Reis Martins, a Mica, é advogada e mantém o blog Esperando o Esperado. Fã de Arquivo X, Highlander, Buffy, Doctor Who e sci fi em geral.

19 Comments

  1. Augusto

    Bom review, abordou praticamente tudo que tinha para ser abordado.
    Como estavamos falando no review anterior, esse episódio é superior ao 3º em minha opinião.
    Vou começar falando sobre a censura, vi o original e o do P&A e acho que o P&A ta meio doido, não cortou violencia nem nada, nem os palavrões, acho que apenas a cena do beijo gay e da gwen/owen. Outra coisa foi eles terem traduzido tudo com cyber. Cyberman poderia continuar cyberman na legenda, mas algumas vezes eles traduziram para seres cibernéticos.(obs: estou vendo os originais, desisti do p&a)

    Outra coisa interessante é que quem não viu os precendentes para esse episódio fica meio perdido
    Comentando o episódio, não vi muitas referencias como vemos em vários episódios, porém mais frases “filosóficas” e de efeito, assim como situações, que levam você a uma reflexão.

    Já a atuação de jack e ianto foram muito boas[apesar de ianto demonstrar apenas dor/choro o episódio todo, mas ele o fez de ótima forma], os outros não se destacaram tanto. O médico do começo fez um papel sem emoção, mas entrou perfeitamente no pergonagem. Já a lisa entrou no papel até convincentemente mas não demonstrou a emoção, a da pizza então nem comento.

    Vamos agora analisar o episodio por partes:

    Roteiro:Bom
    StoryLine: Muito boa
    Elementos ‘trash’/cliches: Alguns
    Citações memoráveis : Algumas
    Efeitos especiais: Médios, fracos só nos aparelhos da unidade de conversão
    Atuação dos atores: Boa
    Elementos drámaticos: Muitos
    Elementos de comédia: Pouquissimos
    Frases ou situações filosóficas(para refletir) : Várias
    Conexões com outros eventos: Sim
    Observações especiais: O episódio foi feito só com 9 personagens(6+3 convidados), muito impressionante e feito apenas no torchwood institute, exceto pela conversa com reese e a cena da cyber/ianto flashback, além de duas caminhadas ao ar livre. Um dos melhores episódios ‘in house’ de todas as séries ( com isso, quero dizer episódio no cenário da série e praticamente só os atores da série, com poucos convidados)

  2. Mica

    As unidades de conversão em cybermen sempre foram um calo no meu sapato. Nunca consegui engolir a rapidez com quem os cybermen convertem os humanos (nem aqueles instrumentos cirúrgicos). Mas depois de muito penar, cheguei a conclusão de que isso é o de menos. Entre os absurdos, posso dar alguma liberdade ‘televisiva’ aos produtores ^_^. Inclusive foi esse o motivo de eu dizer que quem ousar falar da tosqueira leva tiro!! hehehe

    Uma coisa que eu acho particularmente interessante, é que esse episódio mostra sem mostrar realmente, que todos sofreram com a invasão dos cybermen à Torchwood 1. Ianto perdeu o emprego e a namorada. Owen, pela relação, provavelmente conhecia alguma das vítimas. E Jack…bom, Jack acredita que Rose Tyler (a acompanhante do Doutor na 1ª e 2ª temporada) morreu, já que o nome dela está na lista das vítimas fatais.
    E falando na Rose, o episódio de Doctor Who que trata da destruição de Torchwood 1, Doomsday, passará no People & Arts neste sábado às 18h. Se alguém nunca assistiu e quiser conferir…

    Sobre a tradução de cybermen para seres cibernéticos, eu até gostei. Quero dizer, já que traduziram (não havia necessidade, mas…), pelo menos usaram palavras adequadas. Pior foi em Doctor Who que traduziram para Cyborg. Ninguém merece!

    Agora…interessante que, depois de tudo, Jack aceitou Ianto de volta à base, não? E não apenas ele, mas todos os outros também.

  3. Olga Nogueira

    Eu fico me perguntando que importãncia teriam esses beijos que foram cortados, para o episódio como um todo. Eu não os vi, já que só assisto pelo People mas vi os outros que já passaram e sinceramente, não vi qualquer relevância neles. Acho ruim saber que a People mutila os episódios mas quanto aos beijos em si, os acho irrelevantes para a trama que estamos seguindo e mesmo para a caracterização psicológica dos personagens, já que são jogados ao acaso, aqui e ali e não tem muito significado nem para os envolvidos.

  4. João da Silva

    Achei esse episódio fraquinho. O episódio flui de maneira muito artificial (como no momento em que a entregadora de pizza chega). O melhor dele são as menções feitas a Doctor Who.

    De resto, so cybermen continuam parecendo “Borgs de pobre”, e não possuem um milésimo do carisma dos daleks.

  5. costa

    Eu tentei, mas está difícil assistir a essa baboseira. A “análise do episódio por partes” do Augusto foi demais para minha “cabecinha”. Parece que todo mundo ficou doido, maluco. E que diabos é “daleks”? Essa linguagem definitivamente não é para mim. Esta será a última vez que darei as caras por aqui. E Olga, o beijo pode não ter tanta relevância para o episódio, mas só o fato de ter sido censurado já é algo muito desagradável e desnecessário.

  6. Rogerio Kivitz

    Como de costume um review muito bem elaborado e completo.
    Gostaria apenas de esclarecer sobre a “rapidêz” do processo de conversão.
    Na Realidade Alternativa o processo consistia em implantar cérebros humanos em corpos completamente cibernéticos, daí a rapidêz e eficiência do processo.
    Quando vieram à “nossa” Realidade, os Cyberman se viram forçados a criar um híbrido humano-cibernático, daí o processo ser mais lento e “dramático”.
    Achei que foi uma grande ousadia “recriar” os Cyberman na “nova” série do Doutor, mas confesso que fiquei muito satisfeito com o resultado. Infelizmente não me foi dado conhecer sobre os Cyberman “originais” e assim não posso opinar sobre o “carisma” dos novos mas achei competente a recriação.

  7. Luis Trigo

    Oi Mica

    Ótimo review como sempre.
    Um bom episódio, mas não um dos meus favoritos.
    Cheio de “furos”:
    – O aparelho que Jack passa a Tosh é o mesmo que ela usa no 1º episódio.E ela age como se nunca tivesse visto ele.
    – A cena do aparelho de conversão parece ter sido “retirada” do episódio de Dr Who.Será que para economizar?
    – No 1º episódio Jack não dá uma bronca por terem pedido entrega de comida para Torchwood? Por que voltar a fazer pedidos? Se não me engano no 3º episódio o própio Jack sai para trazer comida. Que fim levou a pobre entregadora? Será que Torchwood terá direito a sua comida chinesa, pizza e demais coisas?

    Daleks são uma raça de aliens que buscando a perfeição desenvolveram um processo de integração à uma armadura impenetrável.
    Já os Cybermen são humanos (Ou humanóides) que tiveram aperfeiçoamentos cibernéticos.Ou a mente transplantada para um corpo cibernético, ou implantes cibernéticos adptados ao seu corpo.

    Só ilustrando com um diálogo do episódio “Doomsday” do Dr Who:

    Ciber-Líder:Nós temos 5 milhões de

  8. Luis Trigo

    Opa, escapou o botão, voltando ao assunto:

    Só ilustrando com um diálogo do episódio “Doomsday” do Dr Who:

    Ciber-Líder:Nós temos 5 milhões de Cibermen, quantos vocês são?
    Dalek-Sec: Quatro.
    Ciber-Líder: Você irá destruir os Cibermen com quatro Daleks?
    Dalek-Sec: Nós destruiríamos os Cibermen com um Dalek.

    Ou seja, Um Ciberman não tem um quarto de milionéssimo do carisma de um Dalek.
    Mas os Cibermen não são “Borgs de pobre”, já que foram criados 30 anos antes aparecessem em Star Trek. No máximo são antepassados ou modelos bem antigos.

    Só por curiosidade para mostrar como o Dr Who é “cool”(para não dizer a palavra com F), do mesmo episódio:

    Dalek-Sec: Identifique-o.
    Rose: Tudo bem. Se você quiser saber. este é o Doutor.(Daleks se agitam)Cinco milhões de Cibermen fácil. Um Doutor? Agora vocês estão assustados.

  9. João da Silva

    Quando eu chamei os cybermen de “Borgs de pobre” estava querendo dizer que são muito menos ameaçadores que a raça de Star Trek (ao contrário dos daleks, que são bem poderosos e são uma das mais criativas e inovadoras raças inventadas em séries sci-fi).

    E esses diálogos de “Doomsday” de Doctor Who são ótimos.

  10. Luis Trigo

    João

    Imagine só que os Daleks foram inventados a 44 anos. E concordo com você, os Borgs são mais ameaçadores visualmente mas o objetivo das duas eu considero o mesmo.

    Mica

    Menina esqueci de falar, não precisa acordar de madrugada, os videocassetes e dvds tem a capacidade de serem programados. Basta buscar o manual de instruções :P

  11. Rubens

    Mica, quer dizer entao que voce nao tem videocassette em casa, nem gravador de dvd, nem internet banda larga?… Sequer possui um amigo ou parente que possua uma dessas coisas? Precisa acordar no meio da madrugada só para assistir a um seriado?…

  12. Augusto

    Pra que banda larga? Com banda estreita um episódio de torchwood leva aproximadamente 12 horas.
    Luis,os furos falados são simples:
    1º: Toshiko usou no primeiro episodio um aparelho de leitura/memória rapida, esse como diz jack, é um descoberto pela lisa que abre fechaduras, não vejo conexão…a menos que eu esteja muito enganado
    2º As unidades são padrões, os efeitos tambem serão
    3º Não vejo problema em pedirem pizza, o jack xingou eles usarem o nome torchwood, o ianto podia estar pedindo para ele, além como vemos na recepção, torchwood tem uma fachada falsa, quem chega ali nunca imaginaria algo errado. E quanto a entregadora, não entendi, mas aquela morreu obviamente.

  13. Luis Trigo

    Oi Augusto

    1ª Estou me referindo ao “objeto de cena” que era o mesmo. Podiam ter usado outro com uma forma diferente.

    2ª Eles “cortaram” a cena do episódio do Dr Who e colocaram aqui. Reutilizaram uma cena já gravada, possivelmente para economizar.

    3º Achei estranho, após a cena da bronca e a cena onde Jack vai buscar comida fora, não tem sentido continuar a pedir comida fora. E o Ianto não pediu a pizza pra ele por que ele agendou a entrega para um horário que seus colegas estariam lá. O que eu quis dizer quanto a entregadora é que, ela morreu e ninguém faz nenhuma pergunta? O que fazer com o corpo? O que dizer na pizzaria (Não, não vimos ela, a propósito cade minhas pizzas?)?

  14. Augusto

    Não comparei direito, mas se for igual é uma leve mancada, porém nada impede de por exemplo, ser de uma raça alienigena que faz tudo com mesmo desing.
    Já a segunda, sendo igual ou não, não fará diferença, afinal, é tudo padronizado.
    E para torchwood o 3º ponto não é trabalho…já foi mostrado anteriormente como se resolve isso, portanto não tem que ficar batendo na mesma tecla.

  15. Pingback: O que anda acontecendo nos blogs da Sociedade « Sociedade dos Blogs de Séries

  16. Mica

    Gente, fiquei fora o final de semana e por isso não pude responder aos comentários antes. Desculpem-me.
    Aos que zoaram com a minha sofrível condição (meus pais estavam lendo e rindo da minha cara bem na hora…aff!), sou obrigada a concordar: eu não apenas não tenho videocassete, dvd que grava ou banda larga, como nem computador eu tenho. Socorro!!! E como vim para Floripa nesse ano, nem sequer amigos fãs de seriados eu tenho (e quem dirá parente! hehehe).

    Mas aos que não sabem, eu já assisti todos os episódios de Torchwood 03 vezes (tenho em DVD) e esta é a minha 4ª vez. Eu acordo de madrugada para ter o gostinho de assistir pela TV…e também para saber o que cortaram ou não :D. E, também, para não correr o risco de fazer o review do episódio errado, hohoho.

    E falando sobre o episódio, sobre o caso da pizza, o Jack deu o sermão no início pelo fato do tapado do Owen fazer os pedidos em nome de Torchwood. Eles continuam pedindo comida fora, só que provavelmente sem usar o nome da Instituição.
    Já o aparelho idêntico ao super scanner, provavelmente é reaproveitamento de cenário, hohoho. É claro que podemos dar mil e uma explicações (mesmo aparelho, mais de uma função (vide a chave sônica do Doutor ou mesmo o relógio temporadal do Jack); mesma raça alienígena, mas pequenas modificações não visíveis na tela, etc, etc, etc), mas a mais plausível delas é reaproveitamento de material.

    Quanto à cena do Ianto, ela não foi tirada de qualquer cena de Doctor Who. Mesmo pq o Ianto não aparece no episódio da destruição de Torchwood 1. Mas eu gostei da cena, justamente pq é a única que temos que mostra um pouco o sofrimento dos envolvidos. O Doutor, na ocasião da invasão, estava tão enrolado com o Vazio (tudo estava sendo sugado para o Vazio) e com os Daleks, e com a perda da Rose, que não tiveram tempo para mostrar os funcionários de Torchwood 1 literalmente se ferrando.

    Luiz Trigo, eu também adoro esse diálogo que você transcreveu ^_^.

    Sobre a relevância dos beijos, a censura por si só já acaba com a minha boa-fé. Mas ambos os beijos tem relevância para os futuros episódios. O beijo Owen/Gwen é mencionado pelo menos duas vezes, uma no próprio episódio e outra no próximo (ou seguinte, sei lá). E sem beijo na tela, que menção mais sem vergonha é essa!? Sem falar de todo o resto que ainda virá.
    Já o beijo Jack/Ianto, serve a dois propósitos:
    1) Demonstrar que foi a força vital do Jack que trouxe Ianto de volta (ele não estava morto, mas bem prá lá de Bagdá).
    2) Demonstrar que as coisas entre eles não surgirão do nada.
    Nada em Torchwood é jogado ao acaso. Tudo tem um motivo…só que muitas vezes o motivo é explicado bem lá na frente. As pessoas só precisam ter um pochitino de paciência.

    Esqueci de alguma coisa?

    A propósito, alguém ai assistiu Doomsday nesse último sábado!? Não acredito que eu perdi! Ainda bem que tinha baixado e assisti inúmeras vezes, senão teria um treco. Mas queria tanto ter visto na TV…por alguma razão eu sempre perco os episódios mais interessantes quando passam na TV.

    Alguém mencionou que a 3ª temporada de Doctor who passará a partir dessa quarta na TV. Alguém pode confirmar?

  17. Marco

    Uma pergunta é cortado também a serie Dr.who, também, em que partes. obrigado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account