Log In

Colunas e Seções Séries & Eu

Séries & Eu – Garota eu vou pra Califórnia… encontrar Stana Katic

Minha experiência com Castle começou em dezembro de 2010, nas férias coletivas do trabalho entre natal e ano novo. Na época eu era bem assídua no Tumblr (era? hahaha. Ok! Eu ainda sou) e sempre via gifs de Castle e pensava “nossa, eu preciso conferir essa série”. Aproveitando o hiato das séries que eu acompanhava, baixei todos os episódios da série, que estava no início da 3ª temporada. Resultado? Levei mais ou menos uns quatro dias para alcançar o calendário de exibição (i have no life). Resumindo, eu me apaixonei pela série instantaneamente. E, principalmente, pela atriz que interpreta a detetive Beckett, Stana Katic.

Castle grava em Los Angeles, na Califórnia (como grande parte das séries americanas), e algumas cenas são gravadas em lugares públicos da cidade. Ou seja, você pode ir ao local sem precisar de autorização ou de aviso prévio, como é necessário quando eles gravam dentro do estúdio. Com isso em mente, resolvi que iria realizar meu sonho de ir a uma gravação da série e tentar conhecer meus ídolos. E de bônus, a Califórnia.

Com todas essas informações em mente, e com a meta traçada, descobri que em novembro 2012 aconteceria a 2º CastleCon em LA. Pronto: data da viagem escolhida, amiga e bagagem preparadas. E lá fomos nós: mochilas e ingressos da Convenção de Castle em mãos, e na cabeça (e no coração) o sonho de encontrar uma gravação de Castle “para chamar de nossa”.

*Interrupção do relato para um Serviço de Utilidade Pública. Dica, de fã pra fã: faça o controle de expectativas, para o caso de seus planos não sairem bem como você espera. Assim, caso nem tudo dê certo, a frustação não será gigantesca a ponto de acabar com o resto da viagem. Eu fiz, por cerca de um mês.*

Quando chegamos em LA, depois de alguns dias em San Diego, descobrimos que o nosso hostel ficava a uma quadra da Hollywood Boulevard, onde fica a famosa – e interminável – Calçada da Fama. E vocês podem estar pensando “caramba, que sortudas”, mas só porque ainda não sabem o que vêm a seguir: após alguns passeios pela cidade, descobrimos uma gravação externa de Castle A 5 QUADRAS DO NOSSO HOSTEL. Pronto, podem nos chamar de sortudas agora.

E pensem no meu surto com a descoberta. Naquela noite nem consegui dormir, tamanha era a expectativa de encontrar Stana Katic, Nathan Fillion, Jon Huertas, o restante dos atores e o crew (equipe técnica), ao vivo, em cores e se mexendo. E, claro, de ter experiência de ver como é a gravação da minha série favorita.

No famigerado dia levantamos bem cedo e fomos caminhando até o endereço indicado. Quando chegamos no local da gravação já estavam todos os equipamentos do pessoal que cuida das luzes dispostos, na calçada mesmo. A gravação aconteceria dentro de um restaurante/bar (Hemingway’s Lounge). Meu coração já estava a mil, e ainda eramos as únicas fãs no local (motivo? Eram 7 da matina).

unnamed

Em razão da “exclusividade”, fizemos amizades com todos os seguranças e com algumas pessoas da produção, e conseguimos (RÁ!) saber agenda do dia e horários das gravações. E, principalmente, quando Stana Katic, Nathan Fillion (Castle), Jon Huertas (Esposito) e Seamus Dever (Ryan) chegariam para gravar.

Nessa altura eu já estava toda trabalhada no nervosismo e morrendo de ansiedade com a espera (can you blame me?). Então é apropriado dizer que eu quase morri quando uma van branca parou e dela saiu Jon Huertas. Ele chegou mais cedo, para acertar a luz da cena, e depois que terminou o trabalho, antes de voltar ao acampamento base do elenco, parou para tirar fotos e trocar algumas palavras com a gente, ainda únicas fãs no local. Ele se despediu com um “Obrigado”, assim mesmo em Português. Um amor!

unnamed

Uma hora depois a tal van branca (que eu amo!) voltou e trouxe nada mais, nada menos, que Stana linda Katic. Seamus e Jon estavam com ela. E caso vocês estejam se perguntando o que aconteceu comigo nesse instante, eu respondo: o tempo parou, eu vi tudo em câmera lenta na minha mente. E enquanto eu tentava lembrar de como respirar, Stana passou e nos deu um “tchauzinho”, entrando em seguida no restaurante, onde eles gravariam o dia inteiro. Naquele momento caiu a ficha de que eu estava perto de realizar meu sonho. Ou quase isso, por que demorou umas 6 horas para Stana finalmente sair de dentro do restaurante.

Ela saiu e veio – como se fosse a coisa mais normal do mundo – na direção dos fãs, sorrindo e emanando simpatia. Como tinha uma convenção de Castle naquela semana, LA estava cheia de fãs, e quando ela veio conversar conosco já eramos vários. Ainda assim ela dedicou um tempinho pra cada um.

Quando chegou a minha vez de falar com ela eu já estava como um pinto no lixo  (desculpa, não encontrei expressão mais apropriada) com a beleza e a graciosidade da moça. Ela se apresentou, estendeu a mão e me disse: “Oi, eu sou Stana (oh, no way! Really?), muito prazer. Da onde você é?”. Eu automaticamente passei batida pela mão dela e parti para um abraço, só depois me apresentei como brasileira. Ela provavelmente não esperava o cumprimento efusivo, e admito que, naquele momento, frente a frente com meu ídolo, eu esqueci da etiqueta americana para cumprimentos. Mas espero que minha nacionalidade tenha explicado o meu comportamento.

unnamed

Logo depois eu entreguei para ela uma revista e pedi um autógrafo. Stana, preocupada em escrever meu nome corretamente, me pediu para soletrá-lo. O problema é que eu travei, esqueci do inglês – do meu nome, da minha identidade, das minhas origens e do porquê de 42 ser a resposta para o maior questionamento de todos – e simplesmente não saiu nada. Sorte é que eu estava com a minha amiga Luciana, que me salvou e me ajudou a soletrar O MEU NOME e a interagir com ela (Serviço de Utilidade Pública n° 2: é sempre bom ter um amigo pra te ajudar a lembrar qual seu nome e quem é você nesses momentos de blecaute). Trocando por miúdos: fiquei starstruck com esse encontro.

unnamed

Um ano e meio antes desse encontro eu mandei de presente para Stana uma borboleta eletrônica (uma borboleta dentro de um vidro, que quando detecta movimento voa, é bem real) e quando eu finalmente recobrei a consciência, aproveitei para perguntar se ela ainda tinha (não sou tão delusional assim, caso vocês estejam se perguntando. Eu sabia que ela tinha recebido por que ela me enviou uma foto autografada, pelo correio, com um agradecimento desse presente. COMO NÃO AMAR ESSE SER?) e, para minha surpresa, ela lembrava da borboleta, e me contou que ela se encontrava no peitoril de umas janelas da casa dela e que adorava tocar o vidro e ver a borboleta, que isso a fazia feliz. FAZIA-ELA-FELIZ. Surtei FORTE, mas dessa vez internamente, para não assustar a moça (e não ser presa e acabar extraditada, também, claro).

unnamed

Depois de alguns minutos eu já estava mais relaxada, e então pedi para tirar uma foto com ela. Aproveitei também para entregar o presente que eu levei para ela, que novamente foi SUPER FOFA e fez uma pose pra eu tirar uma foto dela segurando a caixinha.

unnamed

No outro dia, fomos novamente acompanhar as gravações, dessa vez em outra localidade de LA. E além de poder conferir a gravação propriamente dita, já que dessa vez eles filmaram na calçada, eu também já aproveitei pra pedir um autógrafo para Stana em uma das nossas fotos do dia anterior.

unnamed

Eu fui à CastleCon, e ainda voltei à Los Angeles em 2013, e fui novamente conferir mais duas gravações. Eu dei a sorte de encontrar Stana Katic nas duas ocasiões. Vi também o Jon Huertas, a Tamala Jones, o Seamus Dever, a Juliana Dever e encontrei, embora bem rapidinho, com o criador da série Andrew W. Marlowe. Nathan Fillion? Vi de pertinho, mas nem conversar com ele consegui. Essa fica para a próxima.

unnamedunnamed1

O resumo do resumo dessa longa história que contei? A minha vida “na Califórnia é diferente, é muito mais que um sonho”.

*A coluna dessa semana é baseada em um relato da Karin Klinczak (@karinzoca). Se você tem uma história bacana envolvendo seriados e quer compartilhar com a gente, escreva para teleseries@teleseries.com.br.

E em 14 dias, tem mais história de fã para fã aqui no TeleSéries. Dessa vez, vamos viver a experiência de uma Comic Con junto com uma fãzaça de seriados policiais. Até lá.

Séries citadas:

Os textos assinados pela Redaçao TeleSéries são textos de autoria coletiva ou notícias escritas por um redator anônimo, mas sempre revisadas com a máxima precisão jornalística.

4 Comments

  1. Bianca

    Ain cara não sabia q era possível poder amar mais a Stana.. MAS É !!!! <3 <3

  2. Marcia

    gosto muito do seriado Castle é um dos melhores que já vi , os artistas são ótimos,gostaria de conhece-los um dia quem sabe.

  3. Denise Reis

    Amei ler seu relato. Emocionante! Adoraria viver esta experiência. Parabéns por ter conseguido realizar seu sonho (por duas vezes). Fantástico! E gostei que você não escondeu os imprevistos nem equívocos, tampouco os acertos, que foram muitos, pois servem de dica para quem estiver pensando em fazer este mesmo roteiro e conhecer este elenco maravilhoso, desta série, CASTLE, que eu tanto amo e conhecer, tocar e falar com a musa, a mais linda, simpatica, educada, sensivel e talentosa estrela Stana Katic.

  4. Pâmera Rodrigues

    Carambaaaaaa que d+ !! Fico feliz por você ter realizado o sonho de conhecer a Stana Katic,que aliás é o sonho de muita de nós !!
    Também queria enviar um presente para ela. Você pode me ajudar ? Pra onde mando ? Pfv me ajuda colega !!?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account