Log In

Reviews

White Collar – In the Wind

Pin it
Série: White Collar
Episódio: In the Wind
Número do episódio: 4×16 (Season Finale)
Exibição nos EUA: 05/03/2013
95.25
4.7
4

In the Wind passou longe das grandes season finales que já acompanhamos em White Collar. No entanto, depois de uma temporada muito abaixo do alto nível da série, o episódio conseguiu fazer o que era mais importante: deixar um cliffhanger medonho para os fãs do seriado. Peter acaba preso, James foge e Neal fica decepcionado e encurralado. Impossível não esperar ansiosamente pela quinta temporada de White Collar. Depois de um quarto ano devagar a produção acertou o pulo. Vai ser difícil os fãs abandonarem a série e não voltarem religiosamente a assistir a saga de Peter e Neal no outono americano. White Collar tomou fôlego para mais uma temporada pela USA.

Enquanto os fãs ganharam uma esperança de que a série volte aos seus bons tempos, Neal Caffrey viu toda a sua figura paterna desmoronar novamente na frente de seus olhos, assim como aconteceu quando ele era apenas uma criança. A edição da cena final em que James foge, ficou ótima com inserts do passado, mostrando que essa era a segunda vez que Neal estava sendo abandonado pelo pai.

Por outro lado, Caffrey mostrou ainda mais fortemente, nos dois últimos episódios, como é apegado a Peter e o considera parte da sua família. Na próxima temporada Neal terá mais um desafio, limpar o nome de Burke, que foi incriminado por James. Para Neal pode ter sido uma surpresa ver o pai abandoná-lo novamente. No entanto, o sempre desconfiado Mozzie já estava com uma pulga atrás da orelha há muito tempo.

Além da participação ativa de Mozzie, do retorno de Reese Hughes e da presença de Sara Ellis no plano do Empire State Building, a season finale da quarta temporada de White Collar premiou os fãs com três participações mais que especiais. Emily Procter continuou interpretando a ambiciosa Amanda Callaway, Treat Williams teve destaque como James Bennet e Titus Welliver encerrou sua participação na série como o senador Terrence Pratt.

Entre as participações, Sara sempre é um destaque. A cena do pedido de casamento de Neal foi linda, mas a dupla não agradou na cena do clonador de chave eletrônica. A brincadeira não surtiu o efeito esperado para explicar o funcionamento do aparelho de Mozzie, não foi engraçada, se estendeu demais e não foi nem bonitinha. No entanto, um dos momentos mais engraçados do episódio foi quando James confunde Sara com Kate e Alex antes de acertar seu nome, e logo na sequência Peter, Mozzie e James não entendem por que Sara foi “chamada” na reunião. Este sim um momento daqueles que merecem umas risadas e que White Collar sabe fazer tão bem, mesmo tendo esquecido um pouco disso nesta temporada.

Já ficou cansativo falar da diferença de nível entre esta temporada e as anteriores da série, e novamente é necessário apontar que a season finale da quarta temporada de White Collar não passou de um bom episódio. Por mais que o plano tenha sido bem esquematizado, me incomodou muito a facilidade com que James entregou a pasta ao segurança de Pratt. Depois James perde as estribeiras e “tranquilamente” atira no senador. Peter acredita que ele não tinha intenção de ter atirado, mas James em momento algum pareceu titubear. Já Emily Procter interpretando a estranha Amanda Callaway parecia um robô sem rumo. Peter escapou da custória da chinesinha puxa-saca de Callaway com uma facilidade assustadora, que chega a irritar quem assiste o episódio.

Pequenos detalhes em White Collar têm incomodado nesta temporada, mas lá no fundo a série mostra que ainda possui a mesma alma de seus três primeiros anos. O seriado continua bom, mas perdeu seu clima fantástico. Resta torcer para que seu criador, Jeff Eastin, retorne na quinta temporada com a sua série de volta aos bons tempos em que 40 minutos de White Collar passavam voando.

Séries citadas:

é Jornalista, Publicitária, Gaúcha, Capricorniana de 84. Além de escrever no TeleSéries, trabalha como coordenadora de imprensa na Prefeitura de Taquari e assessora de imprensa no Campeonato Gaúcho de Rally 4x4. Fã de cinema, esportes, literatura, música e séries de televisão. Começou a assistir seriados com E.R. e Arquivo. X. Gostaria de ter estudado em Hogwarts, jogado quadribol e tomado cerveja amanteigada, mas se contenta com um gol do Grêmio e uma Heineken. Nunca ganhou um prêmio importante, mas já levou pra casa um Kikito de chocolate de Gramado/RS.

Website: http://www.alineben.blogspot.com

4 Comments

  1. Hugo Bruno

    Que a temporada foi bem fraca comparada às anteriores nós já sabemos, dissemos, reclamamos, xingamos e tudo mais, mas esse episódio foi bem acima da média, média essa bem medíocre. Qualquer personagem extra ou plano mais louco já deixa o episódio mais divertido, e nesse, mesmo com Hughes voltando, a Sara que roubou a cena (pra mim u.u). XD

    Desde o episódio 14 eu torci pra que a Sara não fosse embora. Mesmo sendo inevitável, mesmo eles não querendo, mesmo eles planejando como seria a vida se ficassem juntos, vivendo em uma outra cidade, criando Connie e Conrad, dois projetos de golpistas, mesmo com todas as fantasias e mesmo com aquele pedido de casamento que eu realmente esperava que tivesse sido pra valer, ela vai embora. Pelo menos a despedida deles foi bacana. Eles no topo do Empire State Building, sozinhos, como se todo o resto do plano que estava sendo executado nos andares abaixo não os atingisse, foi bom ter acontecido assim. Só nos resta esperar que esse não seja o final. :/

    E sobre o resto do episódio, apesar de todas as falhas (que eu até fiz questão de fingir que não aconteceram pra aproveitar o episódio), o plano todo foi um presente pra gente. Tudo que eles planejaram no começo do episódio logo foi por água abaixo. Eles tiveram que bolar um outro plano, um que se adequasse as condições que agora eram bem desfavoráveis pra eles. Gostei bastante de como desenvolveram; era problema de todos os lados, e é bom assim porque vemos os personagens tomarem decisões criativas, até mesmo quebrando a lei (no caso de Peter e a tornozeleira).

    James atirou em Pratt e fugiu, mas o que ninguém esperava (e que eu surtei quando percebi) é que a arma que James usou era a mesma que Peter pegou pra tentar pará-lo. Quando ele se abaixou pra verificar o Pratt e a Callaway apareceu, o pior aconteceu. O que eu realmente jamais tinha pensado que fosse acontecer, aconteceu. Eu sabia que ia acontecer alguma coisa quando Peter disse que levaria El pra jantar logo que prendesse Pratt, mas não esperava que fosse isso.

    Se nós queríamos emoção, tá aí. Agora é morrer de ansiedade pro retorno da série e ver como tudo vai se desenrolar. Callaway provavelmente vai continuar na chefia da divisão, agora o que vai acontecer com o Neal não se sabe. Será que ele vai continuar sendo um colaborador? Eu sinceramente não sei…

  2. Aline Ben

    Concordo contigo Hugo, espero que James não volte nunca mais! E acredito que Sara possa voltar, em algum momento quem sabe, mas ela sempre pode voltar. White Collar gosta de terminar as temporadas com um problemão e esse foi um dos maiores até agora, mas acho que Neal com a ajuda do Mozzie, sempre ele, vai dar um jeito na situação. Também espero que isso seja um ótimo gatilho para que a quinta temporada da série volte com aquele ritmo fascinante que White Collar nos acostumou.

  3. Mari

    Realmente essa temporada foi muito fraquinha… e acabei demorando mais tempo pra assisti-la do que fazia com as outras que eu ficava desesperada e ansiando pra que a semana passasse rápido. Hoje assisti de novo e fiquei procurando as reviews pra ver o que as pessoas falaram.

    Não gosto da Sara, sei lá a personagem não me agrada. Desde One Tree Hill que não engulo essa atriz hahaha, odiava quando ela interpretava a Peyton e também não me agrada como Sara. Gosto quando o Neal flerta com todas, claro que o personagem teria que amadurecer mais cedo ou mais tarde e encontrar alguém, e em minha humilde opinião gostaria que fosse a Alex (sinto saudades dela, diga-se de passagem até do Keller eu sinto falta. Um personagem eu eu amava odiar.) ou uma nova personagem. Não posso negar que os momentos finais do último episódio foram ao mesmo tempo surpreendentes como esperados e previsíveis… Peter pegar a arma que o James (bandido, lazarento dos infernos) atirou no senador (que erro, Peter!!!). Fiquei com dó e queria avisá-lo hahahaha. Agora espero que a 5ª temporada volte a ter aquela mesma dinâmica e brilho das primeiras (sinto falta de como era na 1ª temporada #fato) para que uma possível sexta e sétima temporada venham por ai. Não gostaria que terminasse na quinta temporada devido a falha que foi essa quarta temporada.
    Só eu percebi que Peter é o que sempre se ferra no trabalho e acaba tendo que prestar contas para os superiores? Tadinho.

    Bom esse foi meu desabafo/opinião…

  4. Pingback: Destaques na TV – sábado, 30/11

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account