Log In

Reviews

White Collar – Honor Among Thieves

Pin it
Série: White Collar
Episódio: Honor Among Thieves
Número do episódio: 4×05
Exibição nos EUA: 14/08/2012
100
5
1

O episódio Honor Among Thieves foi o primeiro da quarta temporada de White Collar em que Peter e Neal estão novamente trabalhando juntos no departamento de crimes do colarinho branco. Não foi para menos que os dois protagonizaram o melhor episódio da temporada até agora. O caso da vez também foi exótico e a série contou com a boa participação da atriz Rebecca Mader como a ladra Abigail Kincaid. Além do bom desenvolvimento entre os dois personagens principais no caso, Diana termina seu namoro que já estava virando casamento e acaba se envolvendo com Abigail.

Visualmente White Collar tem cada vez mais apostado nos enquadramentos contra-plongeé (de baixo para cima). Outra técnica muito utilizada no seriado são as transições em movimento de uma cena para outra, alternativa foi muito usada na série já cancelada Cold Case. Também adorei a edição da imagem final do episódio, de Neal no computador, o ritmo da edição acompanha o ritmo da trilha sonora.

Honor Among Thieves começa com Neal luto, Ellen não resistiu aos ferimentos do ataque que sofreu na própria casa. Agora Neal precisa descobrir quem é Sam, o policial amigo de Ellen que trabalha infiltrado e tem informações sobre os pais de Caffrey. Sam também pode ser a chave para desvendar quem foi o responsável pela morte de Ellen. Alguém mais imaginou que Ellen pode estar viva e o velório ter sido forjado para ela seguir vivendo mais tranquilamente no programa de proteção às testemunhas?

Se Ellen está viva nem Neal ficou sabendo, pois o grande objetivo dele agora é descobrir informações que a sua amiga não pôde fornecer antes de ser atacada. Peter promete ajudá-lo, mas Caffrey acaba conseguindo uma forma mais fácil de ter as informações. Durante o caso do episódio ele faz um trato com a ladra Abigail, mas o trato vira chantagem e Neal é obrigado a roubar a peça de arte que deveria estar tentando proteger junto com a equipe de Peter.

O trato era que Abigail roubasse o arquivo de Ellen do FBI e trocasse pela peça de arte “Mobile Melancolia”, de Pascal. Neal desiste do trato e tenta se manter na linha com Peter, mas acaba chantageado por Abigail e forçado a cometer o roubo. Peter não demora muito para descobrir que Caffrey roubou o Pascal. Neal entrega a obra roubada para Abigail sob vigilância do FBI, mas liga para Peter logo após a troca entregando a localização da ladra, da obra de arte e do pen drive.

Obviamente quem ajudou Neal no roubo é Mozzie, que inventou um chapéu que não identifica a pessoa que o usa. Mozzie chamou de “o vigarista sem cabeça”. Ele ainda aparece com uma arma olfativa, a “bomba de fedor”, que depois Neal usa para disfarçar o Pascal na lata de lixo e, devido ao forte odor, forçar que o lixo seja levado para rua logo após o roubo.

Neal acaba sendo absolvido do incidente, mesmo tendo roubado a obra de arte. Caffrey acaba virando o herói do dia, algo muito rotineiro na vida de Neal. Peter fica feliz de ver que o amigo não sucumbiu para o lado negro da força, mas como ocorre normalmente o agente do FBI acaba com uma baita pulga atrás da orelha. Abigail foi presa com o Pascal e o pen drive com as informações de Ellen que Neal se recusou a receber. Dessa forma as evidências são levadas para sala de provas e Peter poderia ter acesso às informações.

Difícil acreditar que Neal não planejou todo esse golpe, porque ele é inteligente o suficiente, e até demais, para saber o que aconteceria se Abigail fosse pega com o pen drive. Por outro lado Neal segue andando relativamente na linha e o remorso dele depois que rouba a obra de arte nas costas de Peter é de dar dó. No entanto, achei Neal muito pouco surpreso de estar sendo vigiado pelo FBI na hora da entrega do Pascal. A conversa que ele tem com a Abigail também serviu totalmente para limpar o nome dele. Fiquei curiosa, como a conversa foi grampeada?

Peter continua com a sua eterna dor de cabeça com Caffrey. Apesar de Neal estar se mostrando mais confiável acaba sempre se metendo em um possível problema que balança a confiança de Peter. Mas é isso que dá gás ao seriado e não deixa a história dos dois murchar. Além disso, é algo que está no DNA de Caffrey, ele não acha necessário sempre seguir as regras, atualmente as segue muito mais para manter sua vida em New York, corresponder à confiança de Peter e porque está cansado de fugir. Apesar de serem amigos, Peter sempre será o certinho, Neal o malandro e Mozzie o diabinho no ouvido de Neal. A confiança entre os dois segue uma eterna corda bamba, mas de uma coisa Peter tem certeza: Neal sempre acha uma maneira de conseguir o que quer.

PS1: Peter para Jones: “Quem pararia no meio de um roubo a um museu para marcar um encontro? Não responda”. Ri muito.

PS2: Adorei a “cara de más notícias” de Peter.

Séries citadas:

é Jornalista, Publicitária, Gaúcha, Capricorniana de 84. Além de escrever no TeleSéries, trabalha como coordenadora de imprensa na Prefeitura de Taquari e assessora de imprensa no Campeonato Gaúcho de Rally 4x4. Fã de cinema, esportes, literatura, música e séries de televisão. Começou a assistir seriados com E.R. e Arquivo. X. Gostaria de ter estudado em Hogwarts, jogado quadribol e tomado cerveja amanteigada, mas se contenta com um gol do Grêmio e uma Heineken. Nunca ganhou um prêmio importante, mas já levou pra casa um Kikito de chocolate de Gramado/RS.

Website: http://www.alineben.blogspot.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account