Log In

Opinião

Vou sentir saudades

Pin it
Cena de Sons &  Daughters

A minha primeira impressão de Sons & Daughters não foi lá muito boa. No domingo anterior a estréia da série assisti a um episódio de O Rei do Pedaço onde Bobby Hill entrava em uma escola de palhaços. E o professor, um acadêmico sério, ensinava que uma piada começa despertando uma certa curiosidade no ouvinte, um “rá”, para logo depois desencadear o riso, o “rarará”. (Viu, The King of the Hill também é cultura).

Pois a primeira impressão de Sons & Daughters é de que ela ficava na metade do caminho. Só arrancava alguns “rás” e nenhum “rarará”.

Mas para minha surpresa as risadas vieram em outros episódios e dessa vez não ficaram na metade.

As risadas vieram ainda acompanhadas ainda de um bem-estar provocado por um certo sentimento de aconchego familiar muito bonito. Porque Sons & Daughters parte de uma idéia extremamente óbvia, mas que estranhamente nunca havia sido abordada desta forma na TV: a de que estas nossas famílias modernas, com pais separados, padrastos, filhos de segundo casamento, pencas de primos, não são menos famílias que as outras famílias.

O charme de Sons & Daughters estava ainda nesta tentativa de se colocar como um elo de ligação entre o formato clássico de sitcom familiar (almost RIP, com According to Jim e King of the Queens na mid-season, Everybody Loves Raymond desprezado pela Sony, e tantas séries canceladas nesta temporada) e este novo humor com uma única câmera (irônico, sarcástico, às vezes excessivamente agressivo).

Sons & Daughters, infelizmente, cometia ousadias demais para se dar bem numa emissora de TV aberta americana. O tom teatral, o roteiro solto, a busca pelo improviso e a principal delas: apostar num elenco fantástico, incrível mesmo, mas repleto de rostos desconhecidos (minha atriz favorita é Alison Quinn, que fazia o o papel da irmã de Cameron, Sharon).

Só tem uma coisa que me incomodava em Sons & Daughters – aquela vinheta no início dos episódios anunciando que os diálogos são parcialmente improvisados. Fico me sentindo meio otário lendo aquilo. É realmente necessário explicar? Quem não percebe o improviso é geralmente aquele telespectador que não se interessa muito em como funcionam as coisas por trás da televisão, apenas a assiste.

Já temos tão poucas sitcoms e Sons & Daughters é mais uma que parte. Vou sentir saudades.

É jornalista, pós-graduado em Jornalismo Digital pela Pucrs e trabalha com produção de conteúdo para Internet desde 1995. É editor de internet do Jornal do Comércio, de Porto Alegre. Fundou o TeleSéries em agosto de 2002. Na época, era fã de The West Wing, The Shield, Família Soprano e Ed. Atualmente é viciado em The Good Wife, NCIS, Game of Thrones e Parks and Recreation.

17 Comments

  1. Junior

    Também sentirei saudades de Sons & Daughters. Achei uma série original e moderna. Afinal, comédias famíliares como According to Jim ninguem merece.

  2. Victor Pacheco

    Apesar de ferrenho opositor da política de se trazer pra cá séries já canceladas, assisti Sons & Daughters e não em arrependi. Não fazia rir sem controle como Seinfeld, mas era muitíssimo interessante e certamente um bom programa pra se dar boas risadas.

  3. Ale Rocha

    Ah, eu gosto de “According To Jim”. Também adoro “Everybody Loves Raymond”. E concordo que “Sons & Daughters” é interessante. É uma espécie de “Arrested Development” um pouco mais realista. Convenhamos, “Arrested Development” é anárquica demais, um pouco fora da realidade (apesar de divertida).

    Ale Rocha
    Poltrona.TV | o blog sobre televisão
    http://www.poltrona.tv

  4. Eduardo Gibson

    Esperei o momento certo para desabafar.

    É lamentável que séries excelentes como Sons & Daughters e Arrested Development sejam canceladas por falta de audiência e esse Showzinho de calouros de quinta categoria da Fox Americana(como eu odeio esse programa) tenha 20, 30 milhões de expectadores, fora outras séries medíocres que eu prefiro não citar para não criar polêmica, que ficam no ar 4, 5 temporadas.

  5. Cristiano(Highlander_Master)

    Eu tenho uma politica de simplismente não assistir séries já canceladas. Só faço excessão as vezes, como no caso de Blade, que eu vou assistir pq me amarrava nos filmes.

    Detesto Rei do pedaço.

    Acho According to Jim maneirinha.

    Agora eu tenho uma tese sobre as sitcoms, acho que a grande maioria não sairia do episódio piloto, se não tivesse as risadas de fundo, as vezes elas me incomodam. Por exemplo, as vezes tem uma piada que eu acho graça e simplismente não tem a risada de fundo, e outra que não teve a minima graça tem uma enorme gargalhada!! A prova que uma série pode ser engraçada sem as risadas de fundo, são duas séries em suas respectivas temporada de estréia: Ally Mcbeal e Desperate Housewives. Enfim, mas isso é só uma opinião…

  6. Lourdes

    Concordo com vc Paulo. Não esperava muito da série, o primeiro episódio não me impressionou mas eu insisti. Adoro humor ácido, irônico, e fui cativada pela série. Uma pena ser breve, mas já estou me acostumando este ano, de ver séries de uma ou meia temporada.

  7. Pedro Schmitt

    Galera do download..por favor quais site+software mais rápidos e amigáveis para baixar o último ep. de the office que eu perdi

    desde já, obrigado

  8. Flávio

    eu tbm vou ficar muito triste
    eu comecia a assistir porque nao tinha nada pra assistir e acabei gostando ;)

  9. Priscila

    Vc disse td, no primeiro episodio nao prometia muito, mas fui surpreendida com esta otima serie.

    Uma pena o publico norte-americano nao ter apreciado, realmente Sons & Daughters é melhor que muita coisa que foi renovada e continua sendo exibido (vide ate According to Jim, que vc msm mencionou) :/

  10. Kravis

    Talvez tivesse tido mais sorte se fosse de um canal de TV a cabo… Até pq tinha mais essa cara “alternativa” mesmo…
    E até poderia ousar, mais, não que já não fosse ousada o suficiente…

  11. Miguel

    Concordo sobre o que foi dito aqui, Sons & Daughters realmente é um seriado que “cresceu” depois do primeiro episódio. Como o Ale disse, é uma espécie de Arrested Development, sem ser tão exagerado. E é realmente uma pena que algo diferente do padrão sem graça tipo o According to Jim, Old Christine, etc, não tenha sobrevivido mais do que dez episódios. Quem ainda agüenta as risadas pré-gravadas?? Excluindo Friends, Seinfeld e Mad About You, não suporto mais. Não preciso de ajuda, sei rir sozinho. E essa nova safra americana parece pior ainda, já viram The Class? Nossa, é triste. E ainda queriam que fosse o novo Friends…hahaha.

  12. Eric Fernandes

    Eu não assisto série cancelada, portato mão posso opinar.

    Pedro Schmitt,

    Procura o U Torrent! é bem bom! Se quiser que eu te passo o endereço do torrent, é so mandar um email.

  13. Victor Regis

    P/ mim The Class chega bem perto de ser o novo Friends.Sério.

  14. Victor Pacheco

    Se for o novo Friends já é mais uma que não assisto nem por um decreto. Prefiro comédias inteligentes.

  15. Junior

    Ontem assisti ao último episódio de Sons & Daughters e pensei essa série tem pontencial para varias temporadas a fórmula não se desgastaria fácil. Mas, para mim, a melhor comédia da temporada 2005/2006 não conseguiu audiencia necessária e foi abortada.

  16. Cristiano

    Também concordo sobre não assistir séries canceladas mas assim como alguns me apaixonei por Sons & Daughters por ser diferente !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account