Log In

Opinião

Tributo a John Hughes, o rei da Sessão da Tarde

Pin it

John HughesSe me perguntarem qual é o cineasta que mais admiro em vou dar uma resposta intelectual, tipo Woody Allen. Mas, pensando melhor, é pura mentira. Ontem ao ler a notícia do falecimento de John Hughes, aos 59 anos, vítima de um ataque cardíaco, me dei por conta que a obra dele talvez tenha influenciado a minha vida mais do que a de qualquer outro diretor e roteirista de Hollywood.

Os quatro primeiros filmes que dirigiu e escreveu, Gatinhas & Gatões (Sixteen Candles), O Clube dos Cinco (The Breakfast Club), Mulher Nota 1000 (Weird Science) e Curtindo a Vida Adoidado (Ferris Bueller’s Day Off), somado a A Garota de Rosa Shocking (Pretty in Pink, que apenas escreveu, a direção foi de Howard Deutch), estão marcados como ferro em brasa no meu cérebro, de tantas e tantas vezes que os assisti, primeiro em fitas VHS locadas, depois nas incontáveis reprises da Sessão da Tarde – afinal, nestes filmes sempre tinha uma galera muito pirada aprontando altas confusões.

Curtindo a Vida Adoidado e A Garota de Rosa Shocking, em especial, tem o mesmo efeito pra mim que Chaves e Chapolin tem pra esta massa de pessoas que assistem suas constantes reprises no SBT. Se estou zapeando e estes filmes estão passando, eu preciso parar para assistir, não tem jeito – “Oh, Yeah”.

Confesso que não sei dizer exatamente qual o tamanho da influência destes filmes na minha vida, até porque acredito que sejam muito mais profundas que eu posso imaginar e moldaram a minha adolescência – talvez por isto eu tenha sido um jovem meio loser, tipo o Duckie, de A Garota de Rosa Shocking. Sei que até hoje eu me arrepio ouvindo “If You Leave”, do OMD. E que o roteiro de O Clube dos Cinco me empolga até hoje, com a forma inteligente como ele desconstrói os papéis sociais do universo escolar (sejamos sinceros, aqui no Brasil não existe futebol americano, nem cheerleaders, mas os papéis são exatamente os mesmos).

Os jovens atores dos fiilmes de John Hughes também se tornaram meus ídolos e seguidamente eu me pego perseguindo eles, assistindo um filme ou uma série, mesmo quando são ruins, apenas porque eles estão lá. E pra não dizer que esta postagem ficou totalmente off-topic, afinal este é um site especializado em seriados de TV, decidi listar alguns dos jovens atores com quem Hughes trabalhou e os seriados que eles andaram fazendo. Confira a seguir.

E obrigado Hughes!

Jon Cryer

Jon Cryer era o grande personagem cômico de A Garota de Rosa Shocking e este talento, felizmente, não se perdeu na história. Depois de estrelar algumas séries fracassadas e alguns filmes ruins (quem acha que Smallville detonou com a lenda do Super-Homem precisa rever Superman IV, onde ele faz o papel de Lenny Luthor, o sobrinho de Lex), a grande chance surgiu em Two and a Half Men. A sitcom mais assistida dos Estados Unidos já rendeu quatro indicações ao Emmy para Cryer e sei que muita gente torce para que este ano ele finalmente seja premiado.

Molly Ringwald

Molly Ringwald, estrela adolescente de Gatinhas & Gatões, A Garota de Rosa Shocking e O Clube dos Cinco, virou mãe de adolescente na série The Secret Life of the American Teenager. Dizem que a série, ainda inédita no Brasil, tem uma vibe bem anos 80, o que, convenhamos, cai como uma luva para Ringwald.

James Spader

O vilão de A Garota de Rosa Shocking era James Spader que, bom, dispensa apresentações, especialmente depois de viver por seis anos o vibrante advogado Alan Shore em O Desafio e Justiça sem Limites. Com três prêmios Emmy, ele é o ator de drama mais premiado da TV na década.

Andrew McCarthy

Já o mocinho de A Garota de Rosa Shocking era Andrew McCarthy, um dos galãs adolescentes da época. Andou meio fora da mídia, estrelando shows de curta duração como Kingdom Hospital e E-Ring. O sucesso do colega Patrick Dempsey abriu as portas para que ganhasse um papel de quarentão charmoso na TV. Virou o milionário Joe Bennett em Lipstick Jungle. Infelizmente, a série não durou muito.

Anthony Michael Hall

Anthony Michael Hall ficou marcado como geek nos filmes de Hughes, mas na visão de Hughes em Gatinhas & Gatões, O Clube dos Cinco e Mulher Nota 1000, até que ser geek não era tão ruim assim. Hall cresceu e continou geek, produzindo e estrelando a bacana The Dead Zone (ou O Vidente, no SBT), baseada no romance de Stephen King. Curiosidade: Hall tomou sua primeira cerveja em outro filme escrito por Hughes, Férias Frustradas, com Chevy Chase.

Ally Sheedy

Ally Sheedy é outra estrela teen dos 80 e é lembrada mesmo como a freaky de O Clube dos Cinco. Segue trabalhando, em papéis menores no cinema e na TV, onde esteve em séries como Kyle XY, The Dead Zone e CSI. Seu último trabalho na televisão foi na season finale de Psych, como uma surtada serial killer. O que é bem bacana, já que Psych adora fazer referências a cultura pop dos anos 80.

Judd Nelson

Judd Nelson encarnou o bad boy John Bender em O Clube dos Cinco, um de seus primeiros trabalhos em Hollywood. Fez carreira no cinema, mas experimentou a rotina de gravar uma sitcom fazendo par romântico com Brooke Shields nas três primeiras temporadas de Suddenly Susan nos anos 90. Mais recentemente, passou a aparecer como coadjuvante em dramas policiais – o último deles foi Eleventh Hour.

Emilio Estevez

Atualmente é mais fácil ver Emilio Estevez atrás das câmeras do que como ator. O esportista de O Clube dos Cinco virou diretor e já gravou episódios de O Guardião, Cold Case, CSI:NY, Close to Home e Numb3rs. Justamente por isto todo mundo parou para ver sua participação especial no ano passado em Two and a Half Men, a sitcom estrelada pelo irmão, Charlie Sheen. Foi o máximo.

Bill Paxton

Antes de virar polígamo em Big Love, Bill Paxton, fez o papel do irmão valentão Chet em Mulher Nota 1000. Parenteses: Weird Science, seu título em inglês, virou seriado de TV nos anos 90, com cinco temporadas. O filme tinha ainda no elenco o Robert Downey Jr., no comecinho da carreira.

Matthew Broderick

Clássico maior dos anos 80, Curtindo a Vida Adoidado foi escrito e dirigido por Hughes e é o papel da vida do Matthew Broderick. Broderick nos últimos tempos é mais conhecido por ser marido da Sarah Jessica Parker do que por seus trabalho em cinema. Tá, sejamos honestos, o negócio dele é a Broadway, onde ganhou dois Tony e emplacou a montagem original de The Producers. Pouco trabalha em TV, mas em 2008, teve uma passagem brilhante por 30 Rock, no papel do funcionário público Cooter Burger.

Alan Ruck

Alan Ruck, o Cameron de Curtindo a Vida Adoidado, quem diria, acabou ficando frio e linha dura, igual aos pais do seu personagem no filme. Virou o reitor Bowman da universitária série Greek. Antes disto Ruck estrelou a clássica sitcom Spin City.

Macaulay Culkin

Nos anos 90, Hughes se afastou da direção e voltou seu talento para produzir e escrever comédias familiares. Emplacou a franquia Esqueceram de Mim, revelando Macaulay Culkin. A estrela mirim, no entanto, não resistiu a pressão e não foi bem sucedido na transição da carreira para papéis mais adultos. Há anos se cogita seu nome no elenco de produções de TV e a chance finalmente apareceu em Kings, série ainda inédita no Brasil. Infelizmente, quando seu personagem entrou em cena a série já havia sido cancelada.

Séries citadas:

É jornalista, pós-graduado em Jornalismo Digital pela Pucrs e trabalha com produção de conteúdo para Internet desde 1995. É editor de internet do Jornal do Comércio, de Porto Alegre. Fundou o TeleSéries em agosto de 2002. Na época, era fã de The West Wing, The Shield, Família Soprano e Ed. Atualmente é viciado em The Good Wife, NCIS, Game of Thrones e Parks and Recreation.

33 Comments

  1. Thiago Sampaio

    Baita abordagem, Paulo. Não vou tempo de ler agora pq tô de saída. Comento mais tarde, mas… Poxa, bateu um dó quando soube disso ontem. John Hughes, cara. Nasci em 83 então tive sorte de ver na Globo, ou no SBT, diversas reprises de Curtindo a Vida Adoidado ou Clube dos Cinco. 59… Jovem demais =/

  2. Daniele

    Realmente, que homem talentoso o cinema e a tv perderam. Linda review.

  3. Fernanda

    Curtindo o filme adoidado eh filme da minha infância, assisti, claro, na Sessão da Tarde, e como vc Paulo, ateh hj assisto tmb…Ultimamente, assisto pelo Megapix q volta e meia passa.
    Lembro que fiquei encantada por ele ter um computador ( ateh pq nem sabia mto p que servia um), lembro que odiava a irmã dele…rs E q uma das musicas q mais gostava do filme, se eh que podemos dizer que era musica, ou som, qdo o diretor entra no onibus no final…

    Sou de 83, a maioria dos filmes vim ver na decada de 90, e mesmo assim adorava.

    A visão que ele tinha sobre os adolescentes era otima…Hj filmes p adolescentes, ou tem que cantar e dançar, ou tem q ter terror, e meninas c roupas minusculas saindo correndo…

  4. Fernanda

    Corrigindo: CURTINDO A VIDA ADOIDADO…
    Fiquei tão nostalgica que acabei errando..rs

  5. Gabriel

    Muito bom o texto.
    Realmente a morte de John Hugues é algo marcante para muitos que foram crianças ou adolescentes nos anos 1980. Clube dos Cinco foi especialmente marcante para mim (a trilha sonora era gloriosa), apesar de Curtindo a Vida Adoidado ser um clássico eterno (com, trilha do Sigue Sigue Sputnik,entre outros). Aliás, por falar em séries, o Charlie Sheen faz uma minúscula participação no filme, como interesse romântico da Jennifer Grey.
    Por causa dos filmes de Hugues acompanho até hoje a carreira dos Brat Pack, mesmo daqueles que não trabalharam com ele, como o Matt Dillon, o Rob Lowe, a Demi Moore, o C. Thomas Howell, etc.
    O James Spader era o vilão rico e yuppie de vários filmes adolescentes nos anos 1980. Com a honrosa exceção de Tuff Turf, reprisado à exasutão depois do Programa Sílvio Santos.
    Em suma, fiquei muito triste com a morte do John Hugues.

  6. Adélia

    Muito bom texto, Paulo !
    Deu saudades de todos esses filmes e de seus personagens.
    Muito legal o “Onde estão agora” de todo esse povo.

  7. anderson

    Gente, que texto emocionante, eu realmente me enlutei com a morte dele. Uma boa porcentagem da alegria da minha infancia no começo dos anos 90 tem a participação dele.

  8. Fernando dos Santos

    Sem duvida os trabalhos mais divertidos de John Hughes foram suas comédias adolescentes, a minha favorita era Mulher Nota 1000(assisti no cinema em 1986) e eu também gostava muito da série inspirada no filme.Gostei também daquele filme que ele fez com o John Candy e o Steve Martin, (não lembro do título) era uma comédia mais adulta.

    Embora ele não estivesse tão em evidência nesta ultima década, ainda assim deixa saudades.Pretendo assistir em breve Dilbrit Taylor, comédia protagonizada por Owen Wilson e escrita por Seth Hogen a partir do argumento de John Hughes.

  9. Mônica A.

    Gente eu amo O Clube dos Cinco. É um dos meus filmes preferidos. Acho que sempre tive uma queda por bad boys por causa desse filme. E a redação no final do filme é uma das falas mais legais do cinema: “Dear Mr. Vernon, we accept the fact that we had to sacrifice a whole Saturday in detention for whatever it was we did wrong. But we think you’re crazy to make an essay telling you who we think we are. You see us as you want to see us… In the simplest terms, in the most convenient definitions. But what we found out is that each one of us is a brain…and an athlete…and a basket case…a princess…and a criminal…Does that answer your question?… Sincerely yours, the Breakfast Club.”

    John Hughs, we will not forget about you.

  10. Gabriel

    O filme do John Candy com o Steve Martin era Antes Só do que Mal Acompanhado. Também gosto muito deste filme.

  11. Andrea

    Não fucking brinca que o Jon Cryer fez o Garota de Rosa Shocking?!?!?!?!?!? Achava muito simpático o personagem, agora esse TAAHM… sucesso continuado pra ele.

    E triste perda de um diretor/escritor que não retratava o jovem americano como idiota.

  12. Claire

    Putz meu… cresci assistindo os filmes dele,que dó.E nostalgia agora… gatinhas & gatões nem sei qtas vezes vi,a garota de rosa shocking,curtindo a vida adoidado… o clube dos cinco eu amava,até hj não resisto a esse filme.Que bons tempos aqueles…
    É uma pena que alguém tão talentoso se vá tão cedo.

  13. Ma

    Uma grande perda pois lendo o texto acima vi que minha infância estava descrita ali. Todos os filmes que sempre adorei assistir varias e varias vezes e se ainda topo com eles paro para ver foram feitos por Hughes. Clube dos Cincos me marcou muito. Descanse em paz genio dos adolescentes de 80.

  14. Patricia E.

    Falou tudo, Mon.

    Outro ícone da minha infância que se vai…

    O DVD de Curtindo a Vida Adoidado vai pro aparelho hoje.

    Ooooh yeaaaah!

  15. francisco koller

    Tuas palavras estão impregnadas de nostalgia, saudade de acontecimentos que nos fizeram felizes em outros tempos. Se eram tempos melhores? Não sei dizer. Mas, que eramos felizes, eramos. E mais inocentes também.

  16. Cristina

    Otimo texto você naõ esqueceu de ninguém até hoje eu desmarco meus compromissos para ver Curtindo a Vida Adoidado. E o clube dos Cinco e sua música? Impagavel! Don’t You Forget About Me.
    Ficara na lembrança para sempre John Hughes…

  17. WampaOne

    “Sei que até hoje eu me arrepio ouvindo “If You Leave”, do OMD”

    Bingo!

    Jonh Hughes is one with the Force. Esse fim de semana em casa vai ter sessão Duckie Special Edition do Pretty in Pink.

    Muita gente (muita gente mesmo) não menciona que Jonh Hughes escreveu Alguém Muito Especial (Some Kind of Wonderful), também conhecido pelos apreciadores do bom cinema adolescente dos anos 80 como Pretty in Pink ao contrário. Outro p*ta filmaço. Eric Stoltz, Lea Thompson, Mary Stuart Masterson e Craig Sheffer (ótimo como vilão) são os principais atores.

  18. Rubens Fructuoso

    Curtindo a Vida Adoidado e A Garota de Rosa Shoking!!

    Meus clássicos da Sessão da Tarde!

  19. Cesar Adriano

    Obrigado Paulo por este rewiew maravilhoso, John Hughes era um gênio, como tu bem mencionou, ele é um exemplo de que filmes clássicos, não precisam ser exatamente os filmes de Woody Allen e cia, desde que a história toque o coração do espectador, a magia está feita.

    Post 18, muito obrigado! não sabia dessa informação, assisti Alguém Muito Especial em Tela Quente, (na época minha musa era a Lea Thompson). Outros fantásticos da época, Admiradora Secreta e Namorada de Aluguel.

    Acho que o legado do John Hughes, ficou em boas mãos, pelo menos pra mim, Judd Apatow, lembra um pouco o Hughes, tem sempre os mesmos atores por perto(Jonah Hill) e seus filmes tem aquele clima de anos 80, Superbad, que o diga.

  20. Camila

    Não acredito que o nerd do clube dos cinco é o carinha de Dead Zone. Eu morria eu não iria associar os dois

  21. Marcos Almeida

    Sou fã de praticamente todos os filmes do cara.
    Escreveu, produziu e dirigiu algumas das melhores comédias que já assisti. Paulo só esqueceu de falar de vários filmes dele: Construindo Uma Carreira (aquele com a Jennifer Connely, em que ficam presos em uma loja), A Malandrinha, As grandes férias, A Reunião dos Alunos Loucos, os filmes de Férias Frustradas, Alguém muito especial, Dennis, o pimentinha, Beethoven, Quem Vê Cara Não Vê Coração, dentre outros…ele era cara!!!

  22. Angelica

    eu sempre quis ser a molly ringwald quando crescesse…
    Amava a cena em que ela aparece no baile com o vestido feito por ela em a garota do rosa shocking..
    :(

  23. Eduardo

    Todos esses filmes merecem relançamento em Blu-Ray. Eu compraria sem hesitar. John Hughes é um tremendo produtor/roteirista. 1990 pra mim significa Esqueceram de Mim.

    Também não esqueço de Ferris Bueller ou das Férias Frustradas. São poucas as comédias atuais que chegam perto do nível que Hughes estabeleceu.

    Assim como Michael Jackson era um deus no palco, o homem era um gênio por trás das câmeras. Fica mais uma lembrança dos anos 80 guardada.

  24. Tony Frank

    Fiquei pasmo com suas colocações e explicações sobre os mínimos detalhes e curiosidades sobre os filmes e atores que marcaram a minha, a sua e a de todos viveram uma epóca fantástica em qualidade de filmes, pois quem viveu a adolecência de 1982 a 1990 foi comtemplado com filmes e músicas de grande grandeza, em 82 eu tinha 8 anos, mas aos 11 eu já estava indo ao cinema, assistir sessão aventura diariamente, a sessão da tarde tinha filmes maravilhosos, assistir Rock IV e de volta para um futuro I, II e II no cinema, grandes filmes! não consegui assistir os filmes mencionados no cinema em Maceió, pois não tinha dinheiro sempre e não tinha as facilidades em comunicação como tem hoje! estes filmes mim fizeram sonhar, pensar e até choram em certos momentos de reflexão, uma delícia de filmes, pena que diretores como este não se encontram hoje em dia, são poucos filmes emocionantes hoje em dia, a maioria são para arrecadar dinheiro e enganar com computadores nas suas maquiagens, claro que sou da geração que idolatrou Guerra nas Estrelas, mas quem não foi, vida longa a obra de John Hughes…….
    E vc meu colega, que nos informas sobre este passado glorioso, que para nós é praticamente o nosso presente, pois sentimos como foi ontem, obrigado mesmo e cada vez mais estou acessando seu site, seu não! nosso…..

  25. Carina

    Fabulosa review, repleta de nostalgia, lembrançcas, referências á época de nossa infância e/ou adolescência… não conheço um ser vivente que não tenha visto, pelo menos, um deste filmes. Curtindo a vida adoidado é um clássico não só da sessão da tarde mas, também, da vida de muita gente .

  26. André Vieira

    “O DVD de Curtindo a Vida Adoidado vai pro aparelho hoje.”

    E eu pretendo comprar o dvd de Curtindo a Vida Adoidado no mês que vem…

    Curtindo a Vida Adoidado é o meu filme preferido, e sempre será… Obrigado John HGghes por todos estes classicos!!!

  27. Patrícia

    Ótimo texto, John Hughes é realmente o cara da Sessão da Tarde… Curtindo a Vida Adoidado é um dos filmes da minha infância, e assisto até hoje…
    Preciso assistir Clube dos Cinco, acho que só vi uma vez quando ainda era criança, nem lembro direito…

  28. Thiago Sampaio

    Ótimo texto. E identificação total!
    Não sou muito fã de A Garota de Rosa Shocking, mas os outros, como Gatinhas e Gatões, o super tosco Mulher Nota 1000 e os clássicos Clube dos Cinco e Curtindo a Vida Adoidado? Perfeito.

    Essa foi a última geração a retratar positivamente a adolescência. O resto é como a Fernanda falou: só dança e terror. Foi uma pena ele ter se aposentado tão cedo (Esqueceram de Mim foi ótimo, mas meio que fez ele perder o foco), só que isso fez ele sair por cima. Pena foi ele ter morrido tão cedo.

    Agora que não teremos mesmo Curtindo a Vida Adoidado 2, com Ferrys tirando um dia de folga do escritório de advocacia, e catando Cameron junto pra procurar a namorada do colégio que não vê há anos. Bah…

  29. Fernando dos Santos

    E de tanto falarem em Curtindo a Vida Adoidado eu lembrei que a atriz Mia Sara(a namorada do Ferris) interpretou a vilã Harley Quinzel na série Birds of Prey(2002) e na época ela ainda estava enxuta.Não sei como ela está hoje em dia.

  30. bia mafra

    GEnte, to chegando hoje de viagem, to por fora de tudo e acabei sabendo que hughes morreu! caramba, to triste para xuxu (relembrando girias dos anos 80). eh uma perda incalculavel. estou doida para rever o clube dos cinco, esse eu nao vejo ha muito tempo, alguem sabe onde passa a reprise?

  31. marco

    Meu,um dos melhores filmes que assisti, foi curtindo a vida adoidado, por que assiti num dia que matei aula !!!!
    ese cara foi foda, o clube dos cinco então nem se fala, quem viu (na epoca )viu, quem não viu perdeu e muito !
    Me desculpem malhações e jonas brothers.

  32. julio cesar rosa

    Outro filme de hughes inesquecível para mim é´´antes só que mal acompanhado“,com jonh candy e steve martin,simplesmente antológico……

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account