Log In

Opinião

Tributo a Friday Night Lights

Pin it
Três colunistas do TeleSéries prestam sua homenagem a Friday Night Lights, que acaba de se despedir da TV.

Friday Night Lights
Na última quarta-feira, sem nenhum estardalhaço, centenas de milhares de fãs nos Estados Unidos deram o adeus a Friday Night Lights. O drama familiar sobre a cidade obcecada por futebol americano e seus filhos que prosperaram ou fracassaram através do esporte se despediu deixando uma herança sólida – 76 episódios, cinco temporadas, uma história com muitos altos (e bem poucos pontos baixos) e muito carinho de crítica e pública.

Pra celebrar esta história, três colaboradores do site se juntaram para relembrar momentos marcantes do show. Paulo Serpa Antunes, Lara Lima e Vinicius Silva descrevem três cenas da série. É pouco, menos do que Friday Night Lights merece, mas a homenagem sintetiza muito bem a carga dramática da série e porque ela ficará marcada em todos nós.

Clear Eyes. Full Hearts. Can’t Lose!

Friday Night Lights - Eyes Wide Open
De Eyes Wide Open (s01e02), por Paulo Serpa Antunes

Em 2007, resenhei toda a primeira temporada de Friday Night Lights aqui no TeleSéries e hoje, relendo todo o material, me orgulho bastante da qualidade das críticas que postei no site. Mas admito que fui muito duro com a série especialmente considerado que hoje, cinco anos depois, olhando o triste cenário de dramas familiares e dramas teen que nos rodeia, percebo que Friday Night Lights foi um dos grandes shows do gênero de todos os tempos. E que fará muita falta.

Friday Night Lights é uma das raras séries do seu gênero que soube amadurecer e que, como um bom vinho, melhorou com o tempo. Mas o frescor da primeira temporada, onde a direção de arte era mais ousada e a série reprocessava clichês, também tem seus momentos sedutores. Eu lembro de que o piloto não me arrebatou como aos meus colegas, mas que na semana seguinte a série finalmente me conquistou. É na cena que o coach Taylor vai buscar em casa o desacreditado quarterback reserva Matt Saracen, sua única esperança, e o leva para o campo de futebol, no meio da noite. É ali que se forma o laço entre os dois, que seria a tônica dos quatro primeiros anos da série.

Coach (gritando, em meio a barulho de torcida que sai do alto-falantes do estádio vazio)?

Qual é o seu nome?

Matt (responde gritando):

Matt Saracen!

O que você joga?

Quarterback Titular!

(…)

Por quem você joga, Saracen?

Dillon Panthers!

Quanto você quer isso?

Eu quero, técnico.

Quanto você quer isso?

Eu quero!

Então pegue!

Acho que nunca antes diante da TV eu quis tanto ter para mim o pesado fardo de um personagem.

Isto é Friday Night Lights, garotos virando homens, homens se superando. E ninguém antes contou tão bem esta história.

Friday Night Lights - Underdogs
De Underdogs (s03e12), por Lara Lima:

Ah, foram tantos os momentos que caí em prantos com essa série! É um crime escolher apenas uma cena. Lembram-se do magnífico piloto? Todos os jogadores rezando em campo por Jason? Quem não chorou? Quando foram campeões estaduais então, quem não chorou? Os vários momentos da família Taylor que nos encantou, como não chorar com essas cenas?? Assim bem rápido eu lembro de algumas cenas bem legais, por exemplo, na segunda temporada Smash fica suspenso por três jogos, perde a bolsa de estudos da TMU e, na sexta-feira de jogo, pede ao time que jogue duro, e depois chora por não poder estar ali. A despedida de Smash em Hello, GoodBye também foi especial. Numa das poucas vezes que Eric se alterou, ele joga Matt na banheira depois que ele ficou bêbado quando Carlota foi embora; a primeira vez de Julie e Matt; a despedida de Jason; enfim, to enrolando porque realmente é impossível escolher apenas uma cena. Pra fazer isso tive que rever meus DVDs e acabei me deparando com uma cena que talvez não seja a mais bonita ou impactante, mas que resume bem do que a série se trata e o que ela significa.

No penúltimo episódio da terceira temporada Tyra lê a carta que ela escreveu para ser admitida na faculdade:

Dois anos atrás eu tinha medo de desejar qualquer coisa. Percebi que desejar seria o caminho para tentar e tentar guiaria ao fracasso. Mas agora percebi que não consigo deixar de desejar. Quero viajar na primeira classe. Quero ir para Europa em uma viagem de negócios. Quero ser convidada para a Casa Branca. Quero conhecer o mundo. Quero me surpreender. Quero ser importante. Quero ser a melhor pessoa que posso ser. Quero me definir ao invés das pessoas definirem quem sou. Quero ganhar e que as pessoas fiquem felizes por mim. Quero perder e superar uma perda. Quero não ter medo do desconhecido. Quero me tornar uma pessoa generosa e de grande coração, da mesma forma que foram comigo. Quero uma vida interessante e cheia de surpresas. Não que eu ache que conseguirei todas essas coisas. Simplesmente quero ter a possibilidade de conseguir. Faculdade representa essa possibilidade. A possibilidade de que as coisas mudarão. Mal posso esperar.

É o máximo que consigo chegar em palavras para definir Friday Night Lights. Os personagens sentem um pouquinho de tudo aquilo que nós, quando jovens, também sentimos sem o clichê, a fantasia e o exagero de outras séries teens, afinal, quantos de nós ficamos ansiosos, apreensivos, sem rumo, amedrontados com a vida sem o ensino médio? E o desejo de fazer a diferença, de ser notado, de conhecer e experimentar? Pois é especialmente por essa realidade tão bem demonstrada que a série conquistou o nosso coração e vai fazer muita falta.

Dizer sobre o elenco, a direção certeira, o texto bem escrito e emocionante, e a trilha sonora mais maravilhosa nem é preciso. Assistir um programa de TV e se identificar em tela ou tornar-se amigo de personagens por várias temporadas é o bastante pra dizer que Friday Night Lights significou demais e deixa muita, muita saudade.

Friday Night Lights - The Son
De The Son (s04e05), por Vinicius Silva:

Durante cinco anos escrevi sobre Friday Night Lights e sempre ressaltei a importância das tramas que envolviam as famílias e, por consequência, os dramas familiares passaram a ser o enfoque de uma série que tinha, como pano-de-fundo, a paixão de uma cidade pelo futebol americano.

É por isso que o episódio The Son se tornou um marco para esta série. Para mim, foi um dos melhores episódios, não somente de Friday Night Lights, mas talvez da história da televisão americana.

A cena mais marcante é a do jantar na casa da família Taylor, quando Matt Saracen está vivendo o fato de ter perdido o pai na guerra, e relembra os seus desejos enquanto homem e quarterback de uma equipe. A emoção toma conta da cena quando ele diz que tudo que ele sempre quis ser foi um bom namorado para Julie, um bom líder para a sua equipe e, principalmente, um bom rapaz que soube se virar sozinho, cuidar da sua avó e também cuidar de si mesmo nos momentos mais obscuros da vida (algo que foi retratado na segunda temporada).

Friday Night Lights teve o último episódio exibido na semana passada nos Estados Unidos pelo canal DirecTv. Mas são por momentos como este que ela nunca será esquecida por aqueles que tiveram o prazer de acompanhar estas cinco temporadas. Derrotas, vitórias, perdas, conquistas, desilusões e esperança estiveram no front desta espetacular história.

Séries citadas:

Os textos assinados pela Redaçao TeleSéries são textos de autoria coletiva ou notícias escritas por um redator anônimo, mas sempre revisadas com a máxima precisão jornalística.

9 Comments

  1. Pingback: Tweets that mention Tributo a Friday Night Lights #TV -- Topsy.com

  2. Flávia Ribeiro Varsano

    Fiquei emocionada lendo o texto de vocês e lembrando dessas cenas. Friday Night Lights tem essa capacidade de emocionar sem ser clichê.
    Não vi ainda a última temporada, sigo esperando o AXN se coçar. Mas já estou com saudades…

  3. Chelsea

    Tem como nao amar FNL? Gente, essas cenas sao demais. Especialmente essa do Saracen, a melhor de FNL com certeza. Eu me senti tao engasgada ao vê-la, que eu fiquei realmente com dó dele, e com raiva dos caras do Emmy que nao botaram o Zach Gilford pra concorrer por ator convidado.
    Poderia passar horas falando da cena em que Matt ia deixar a avó no asilo, da cena em que Smash conta a mae que foi aceito em uma Universidade, de quando eles ganham o State, mas uma cena que eu destaco, em particular, é do piloto: Jason Street e Tim Riggins conversando em torno de uma fogueira, e Tim falando, pela primeira vez, “Texas Forever”. Isso é tao marcante pra mim quanto o “Clear Eyes, Full Hearts, Can’t Lose!”, e FNL conseguiu, como poucas, acabar com dignidade e de uma maneira maravilhosa. Merecida a homenagem.

  4. Anônimo

    Deixará saudades! Quando vi Glee esses dias, pude perceber como FNL é importante.

  5. Lara Lima

    Eu ia escolher essa cena do Tim dizendo Texas Forever, mas acabei ficando com a da Tyra.

    Você viu a finale Chelsea?? O depoimento do elenco depois? Que série!! (Só fiquei chateada com o final do Luke)

    E agora é torcer pro nosso querido Tim aparecer em outro show, né? E o Kyler, Connie…. :D

  6. Anônimo

    Não acompanho essa série desde a 3 temporada, mas somente pela primeira ela já estaria pra sempre no meu coração.

    Poucas vezes vi algo tão simples, real num seriado teen, as vezes até incomodando, mas talvez aí é que esteja o diferencial.

    Pra mim essa série reforçou algo que parece meio surreal, do meu ponto de vista, que é o fato de como na sociedade americana, algumas coisas se fundem, não da pra saber quem criou o que, se a realidade inspira a mídia ou vice-versa, e essa mística do universo do futebol americano representa isso pra mim.

    Não sei como termina a jornada do Saracen, mas é impressionante ver como a figura de um quaterback é idolatrada, como do nada, o cara se transforma no salvador, no mega star e é acolhido como o filho de todos.

    Essa série foi um dos melhores programas (melhor que o filme que se inspirou) a falar sobre esporte, além do legado humano, a figura do treinador Taylor é clássica.

    e quem diria que a Tyra seria a futura Mulher Maravilha, essa foi interessante.

  7. Chelsea

    Eu vi o depoimento depois. O elenco realmente formou uma espécie de família e eu achei isso lindo. Ah Lara, o Tim, a partir de agora, é só no cinema (melhor ainda, tela gigante!). E eu ainda acho um absurdo Kyle e Connie nao terem talento reconhecido.
    Quanto ao final do Luke, eu achei legal, apesar de achar que ele nao vai sobreviver muito tempo nisso.

  8. Lucas

    Pouco tempo faz desde que terminou e já está fazendo um falta tremenda. É sempre ótimo poder ler ou rever esses momentos tão importantes que maracaram esses cinco anos de vida que Friday Night Light teve. Uma série realmente fantástica, que pelo menos no meu caso foi me conquistando aos pouco, porque assim como Paulo, FNL não me conquistou já no primeiro episódio, mas depois tudo mudou e se tornou uma das minhas preferidas e uma das que mais vou sentir falta, pela forma que trazia seus episódios e emocionava cada fã que estava ali ligado na tela conferindo essas histórias fantásticas!

    grandioso parabens pelo texto que ficou excelente!
    Friday Night Light pode ter acabado, mas para nós fãs, sempre vai ser lembrada e elogiada!

    NaMinhaTela.wordpress.com
    @lucas_santtos

  9. Rafah

    Espero mesmo que leiam isso. Esse Site entra hj nos meus favoritos, acompanharei pra sempre! Achei pessoas que souberam dizer tudo o que eu queria Sobre FNL. Clear Eyes, Full Hearts, Can’t Lose

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account