Log In

Reviews

The Walking Dead – Seed

Pin it
Série: The Walking Dead
Episódio: Seed
Número do Episódio: 3x01
Data de exibição nos EUA: 14/10/2012
66.636363636364
3.3
11

E eis que depois de vários meses, The Walking Dead voltou para sua terceira temporada. E voltou bem, com um episódio eletrizante, que serviu ao mesmo tempo para deixar a segunda temporada no passado e nos apresentar o que vem por aí. Valeu a espera, e muito.

E não foi só para nós que o tempo passou. Para os sobreviventes também. Depois de rodar por todo o inverno, fugindo das hordas cada vez maiores de zumbis, eles encontraram um novo lar. Só que, obviamente, não é um “lar, DOCE lar”. Antes de se instalar na prisão, os sobreviventes, comandados por um Rick mais sisudo do que nunca, tiveram que dar muita machada, flechada e tiro em cabeça de zumbi.

Muitas foram as queixas acerca da segunda temporada, especialmente quanto ao ritmo demais lento, quase que filosófico, no qual as tramas se desenrolaram. Em Seed, a coisa foi bem diferente. Uma tensão tomou conta do ar. Até cinco minutos de episódio, NENHUMA palavra foi dita. E ainda assim, a angústia, o medo, o terror, a insegurança, a dúvida e o desespero eram palpáveis. Com dez minutos de episódio, já tinha morrido praticamente meio elenco de figurantes.

A invasão da prisão foi bem bacana, especialmente porque os sobreviventes precisavam que aquela empreitada desse certo. O barrigão de Lori alerta que o “bebê Shane” – quanta maldade, Daryl – , vem aí; e vai chegar em meio à fome, à desnutrição. Qualquer pedaço de chão pra chamar de seu é um ganho enorme nessas circunstâncias. Por isso tanta torcida pra que tudo desse certo, embora as probabilidades desse TUDO fossem mínimas, devido ao número de zumbis presentes na cena.

E é óbvio que a primeira vítima já seria feita nessa premiere. O escolhido da vez é Hershel, já que os idosinhos, segundo me consta (R.I.P. Dale), não se dão muito bem com zumbis e uma vida nômade sem recursos. Sério que a zumbi precisava ARRANCAR um pedaço da panturrilha do vó Hershel? Que dó da Maggie, que tá vendo – ao vivo e BEM a cores – toda a família ser exterminada, bem diante dos olhos.

Outra coisa que achei bem interessante foi observar as mudanças dos personagens após o longo inverno que eles enfrentaram (TWD não é Game of Thrones, mas inverno é complicado em qualquer lugar). Depois da morte de Shane e dos probleminhas de liderança enfrentados, Rick está mais amargurado, e com uma crueza de pensamento nunca antes vista. A forma que ele age com Lori evidencia bem isso. Mas a cena dele sentando, sozinho, em meio à prisão, deixa bem claro que essa mudança de postura está custando muito, psicologicamente. Lori, por sua vez, continua no velho conflito moral “o que eu fiz com meu marido?”, e ser ignorada por ele e por Carl não está favorecendo sua auto-estima, definitivamente.

E por falar em Carl, foi só eu ver a imagem do pentelho na tela pra recordar do quão chato ele é. Tá certo que agora, mais crescidinho, ele não é mais, aparentemente, aquele mala sem alça. Mas ainda assim, não simpatizo mesmo com ele. Será que eu seria considerada uma pessoa ruim se, sabendo que alguém vai morrer em TWD, torcer pra que seja ele?

Daryl continua sendo o “anti-social” que se preocupa com o bem dos outros. Só que agora ele interage mais com os colegas, embora ainda se esforce pra manter a fama de badboy. Fico feliz que ele e Carol sejam uma dupla mais constante na tela, acho que os dois funcionam bem juntos, e ele faz um bem danado pra ela, que precisava de um alívio depois da trama do marido abusivo e da filha sumida-que-virou-zumbi (aquela trama emocionantíssima da temporada passada, só que não).

Maggie e Glen continuam morando no meu coração. Eles continuam funcionando como personagens e como casal. São o alivio “de fofura” no meio de tantos miolos, sangue, choro e ranger de dentes. E a Beth está ali para ocupar o lugar deixado por Sophia e a mente do Carl (ops, se é que vocês me entendem. Hershel entende que eu sei).

Em algum outro lugar do mundo, vasto mundo, Andrea agoniza doente, enquanto sua nova parceira de jornada, a badass Michonne mata zumbis no melhor estilo Kill Bill. Não consegui simpatizar com a nova personagem (a primeira a achar uma função para zumbis e colocá-los na coleira), embora seja muito legal da parte dela não deixar Andrea para trás. Opa, ou será que não simpatizei com ela justamente por não deixar a Andrea para trás? A loira é uma chata, e deveria ter partido junto com Shane, mas ela permaneceu, e creio que ainda vai causar grandes problemas.

E para aqueles que estavam preocupados com o número um tanto quanto reduzido de personagens no bando de Rick, nada há a temer. Especialmente depois do encontrinho supimpa do final do episódio. Os “habitantes do presídio” encontraram nosso bando favorito de sobreviventes. Acho que a aproximação dos bandos não será muito amistosa, mas não custa nada deixar a esperança viver mais um pouquinho em paz, antes de ser arranhada e passar, irremediavelmente, para o mundo dos que arrastam a perna. É esperar para ver.

P.S.1: The Walking Dead, o arrasa quarteirões.  10.87 de audiência para um canal à cabo. Vocês tem idéia do que é isso? É muita coisa, mais do que boa parte das séries da ABC, FOX, CBS e NBC faz. E nem vou falar da CW.

P.S.2: sou apenas Guess Star por aqui. Semana que vem a Aline Ben assume o comando das reviews.

P.S.3: aprendam uma coisa – no apocalipse, falta comida, água, remédio e munição. Mas gasolina, NÃO.

P.S.4: quando Lori abre a boca, eu costumava ouvir só ‘mimimi’. Nesse episódio eu consegui prestar atenção em todas as falas dela. Só por isso a espera já teria valido.

Séries citadas:

Editora Chefe do TeleSéries, gasta boa parte da sua semana com séries. Sua estréia foi com ER, e atualmente assiste - entre várias outras - Grey's Anatomy, Game of Thrones, Suits, Castle e Rookie Blue. Ainda assim, arrumou um tempinho para maratonar Friends, The X Files e Chuck - pela qual se apaixonou, recente e irremediavelmente. Está saindo da crise de abstinência de Fringe graças à Orphan Black.

6 Comments

  1. luiz

    Michonne é uma das melhores personagens do HQ acho que ate agora não souberam aproveita todo seu potencial, o unico defeito da série é esse não saber aproveita alguns ganchos do HQ

  2. alex

    Até que fim uma review ótima. sério não aguentava mais o pessoal criticando os diálogos e blá blá blá. A Premiere valeu e muito e a temporada promete

  3. Renata

    Simplesmente incrível a estréia da terceira temporada de TWD. Pra mim, foi um dos melhores episódios da série até agora. Dava pra sentir todo o esgotamento emocional dos personagens, em especial de Rick, que cresceu muito nesta passagem pra terceira temporada. Ele e Daryl são de longe os melhores personagens da série! A Carol também me surpreendeu assim como o chatinho do Carl que já tá acompanhando os mais velhos nas empreitadas (e o guri atira bem, viu!), até T-Dog tava mais participativo! Adoro filmes de zumbis e afirmo, com toda certeza, que TWD justifica completamente o sucesso que faz!

  4. Aline Ben

    Adorei o “Mariela Guess Star”! Linda review Mari e obrigada pela força, semana que vem eu ataco os zumbis!

    PS: Eu só não acho o Carl chato porque conheci a Charlie de Revolution e revi meus conceitos de personagem chato… hehehe.

  5. Alex Sandro Alves

    Oi Mariela! Sério que muitos reclamaram do ritmo da segunda temporada? Eu a achei maravilhosa. melhor do que a primeira. Os zumbis eram o que menos importava, o que estava em jogo mesmo era como aquele pequeno grupo de sobreviventes se relacionavam e todo o medo e insegurança que vinham de dentro do próprio grupo e não de fora. Obviamente que este primeiro episódio repleto de zumbis é uma clara resposta dos produtores ao desejo dos fãs de mais ação e correria. Mas sinceramente espero que a terceira temporada continue com a mesma “pegada” da segunda. Hershel ter sido a “vítima” da vez trará desdobramentos bem dramáticos e bem emocionais pode apostar, afinal, sem um dos pés isso significará que ele servirá de “pedra de tropeço” para o grupo quando este mesmo estiver em perigo, mas não é do feitio de Rick deixar para trás “um dos seus”. Ou será que isto mudou? Não tenho nada contra o Carl, e achei bem legal ele ter se apaixonado pela irmã mais nova de Maggie. Torço para que Daryl e Carol fiquem juntos, assim como por Maggie e Glen. Confesso que de primeira também não fui muito com esta tal de Michonne, mas como ela apareceu muito pouco e é adorada pelos fãs dos quadrinhos qualquer veredicto sobre ela será precipitado. Não acho Andrea chata não! Abs!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account