Log In

Opinião

The Unit no Brasil

Pin it

O ano está acabando, o TeleSéries está às moscas, mas nós ainda temos algumas dicas de leitura para vocês. Esta aqui é do Ale Rocha: leiam o post Denúncia: Seriado americano espalha mentiras sobre o Brasil, publicado no weblog do Carlos Cardoso.

É engraçadíssimo, mas também é de doer o coração: por mais patético que tenha sido o episódio de The Unit ambientado no Brasil, ele não é pior do que a realidade. Afinal, no mesmo dia em que o episódio foi ao ar pela Fox, 18 pessoas foram assassinadas em conflitos entre traficantes e policiais no Rio de Janeiro.

Séries citadas:

É jornalista, pós-graduado em Jornalismo Digital pela Pucrs e trabalha com produção de conteúdo para Internet desde 1995. É editor de internet do Jornal do Comércio, de Porto Alegre. Fundou o TeleSéries em agosto de 2002. Na época, era fã de The West Wing, The Shield, Família Soprano e Ed. Atualmente é viciado em The Good Wife, NCIS, Game of Thrones e Parks and Recreation.

18 Comments

  1. cardoso

    16 ontem, ao mesmo tempo que MAIS UM desavisado reclamava nos comentários que o seriado exagerava e “denegria” nossa imagem.

  2. João da Silva

    O texto do site é hilário e possui sarcasmo. Pena que a maior parte dos brasileiros vai acabar deixando de perceber isso. A nossa realidade é tão feia que filme ou série alguma consegue retratar isso direito.

  3. Marcio

    Tenho que elogiar o texto do Cardoso. Inteligentíssima a forma dele escrever, como se tudo não passasse de exagero gringo, mas ao mesmo tempo fazendo comentários sarcásticos e usando de referências corroboradoras à série. É triste mesmo, essa realidade em que vivemos.

  4. sandra

    Eu assisti hoje pela manhã, enquanto tomava o café. Eu não vi nada de irreal ali, alguem lembra do filme Cidade de Deus, ou Central do Brasil? O que eles mostraram, infelizmente, é a realidade: mostraram uma favela no morro do Rio, com bandidos armados, alguém tem coragem de dizer que é mentira? Estou cançada de ver isso no Jornal Nacional da Globo.
    Tenho tios na Europa que vieram visitar o Brasil, ficaram encantados pois estavam esperando uma selva, praticamente vieram com roupas de safari. Acreditavam que os jacarés e macacos andavam livremente nas ruas e estavam preocupados com as sobrinhas pois aqui a maioria são prostitutas… É claro que sabemos que no sul do Brasil não é assim, São Paulo é quase primeiro mundo (quase), e no nordeste? Sabemos que impera a pobreza e os coroneis com seus “exercitos” particulares.
    Resumindo a série The Unit não mostrou nenhuma mentira (a não ser o sotaque meio aportuguesado (rs).

  5. Juliana

    Vou ver se arranjo um emprego para minha mãe em alguma casa de americano por aqui, para ver se eu aprendo a falar inglês perfeitamente. :) :) :)

  6. Adriana

    “(…) e no nordeste? Sabemos que impera a pobreza e os coroneis com seus “exercitos” particulares.”

    Isso é quase tão preconceituoso quanto achar que o Brasil é só futebol e carnaval. São Paulo é “quase” 1o mundo, e Nordeste é terra dos coronéis… Estava conversando com um amigo carioca que achava que Fortaleza só tinha a rua principal!

    Não vejo essa série, e muito menos vi o episódio, mas o comentário do Cardoso acerta em cheio.

  7. Natalia

    Não assisto a série, mas adorei o texto. ótima a idéia de colocar fatos reais ligados ao texto.

    Pena, que grande parte da população brasileira é cega (ou melhor, se faz de cega e surda) e vai achar que a série está estragando a imagem do país. E não que eles estão mostrando um terço (um décimo, talvez – milésimo?) do Brasil real. Afinal, o Brasil da série parece muito melhor que o Brasil real. É triste mais é verdade.

    Os brasileiros adoram falar mal dos EUA, mas não gostam de ver e ouvir o quanto o Brasil é um lixo. Quando são apresentados à realidade, maltratam os americanos.

  8. Marcio

    Ahh, sim, esqueci de comentar sobre a quantidade de pessoas que não sacam a ironia, não percebem os links no meio do texto e nem clicaram neles para ler o que cada um continha (pelo menos o título da matéria, no caso dos links para a Folha e outros jornais). Realmente, parece que é preciso ser aprovado em um teste de QI para ler o texto. Quociente 90 já deveria resolver, para quem tem mais de 15 anos (QI90 para 15 anos = capacidade intelectual de 13,5 anos) :P, pelo visto :P

  9. Thiago Sampaio

    Sandra, vc foi de um enorme preconceito. Moro em Maceió e garanto que nunca vi nenhum coronel por aqui. Vc deveria passar uma temporada aqui e tirar da cabeça essa idéia idiota de que a maior parte do nordeste está longe da beleza que é São Paulo ¬¬

    SE você não estava sendo irônica, usou de uma pobreza de conhecimento maior que os gringos quando nos retratam no cinema

  10. sandra

    Thiago, eu sei muito bem como é o Brasil, maravilhoso e tétrico ao mesmo tempo. Apenas quis ilustrar o que o povo de São Paulo pensa, infelizmente. Sei que não é assim como descrevi mas temos que nos ater à realidade: é assim que os sulistas vêm o norte do Brasil, lamentável? Com certeza. E é assim que também que os estrangeiros vêm todo o Brasil, que somos um monte de tranbiqueiros, sem vergonhas, bebados e corruptos, morando no meio da miséria e da bandidagem. Devemos fazer alguma coisa para mudar esta imagem? Mas o que? O preconceito não é meu é do resto do mundo.

  11. sandra

    Thiago, só para completar, acabei de ler o texto na íntegra, é hilário, se não leu, leia é muito bem escrito… enquanto estou escrevendo estou assistindo ao noticiário da Globo, falando sobre os “gentlemans” do Rio de Janeiro… será que realmente existe preconceito? Pense…

  12. Marcos Almeida

    Aqui mesmo pelos comentários se pode perceber que o preconceito não é só dos gringos (embora muito do que foi retratado no seriado seja realidade, embora feito toscamente), mas também dos próprios brasileiros. Concordo com a Adriana e o Thiago. Moro no Maranhão, o estado mais pobre dos país – isso é fato! No entanto, o fato de ser o mais pobre não significa menos civilizado, burro ou o que quer que seja.

    Conversando com um amigo de Sampa, ele me perguntou se eu conhecia muito indio!!! Ao que respondi algo assim: Sim, moro do lado de uma oca e o pajé é meu padrinho! Fala sério!

    Outro dia mesmo uma amiga de Santa Catarina que faz faculdade comigo e mora aqui há 4 anos recebou um grupo de amigas que são de lá. Elas ficaram impressionadas com a cidade (certamente acharam que aqui só tinha uma avenida principal, que nem disse a Regina), com a quantidade de shoppings e carros importados e principalmente (revelendo um enorme preconceito), com a cor da pele do povo daqui. Achavam que aqui só tinha negros e que elas brancas, iriam ser uma agulha no palheiro.

    Sinceramente, já tô cansado desse tipo de coisa!

  13. Simone Silva

    Sou carioca e moro no Rio e vi o episódio de the unit, nunca entrei numa favela, e o que sei sobre a vida lá, é a mesma de todos que assistem televisão, sabemos por jornais e programas que é fato sim que as crianças trabalham para os traficantes e usam armas, mas vou te falar, a polícia entrando com aquele jipe na favela, que parecia ser tirado de um filme da 2ª guerra mundial, ninguém merece, foi de doer, tem uns carros da polícia que não estão lá essas coisas, mas nunca vi um jipe daquele não.

    O sotaque não é problema, porque português é uma língua difícil de se aprender em tão pouco tempo, como tem um episódio pra ser produzido, tinha vezes que eu não entendia nada, mas tudo bem.

    Sobre os coroneis que a Sandra mencionou, eu não acho que seja preconceito dizer que ainda exista e principalmente no nordeste, sou 50% nordestina, e tenho muito orgulho, e sei que em muito lugar do nordeste prevalece esse sistema, que não é mais do que famílias tradicionais, que ainda mandam em certas regióes e que às vezes se enfrentam pra ver quem fica com o poder,e que na maioria das vezes acaba em morte.

    O Thiago que mora em Maceió(já estive lá e é um lugar muito bonito), pode ter visto um “coronel”, mas não sabe, já que eles não andam de uniforme com as divisas nos ombros, como os das forças armadas, são políticos, pessoas de poder, a menos que vc bata de frente com um saberá quem é.

    As pessoas fora do brasil, não sabem muito sobre nós (já estive me vários lugares), mas não é culpa deles, nós não fazemos a menor questão de mostrar quem somos, nossos filmes, comerciais, postais, tirando alguns, só falam de praia,futebol, samba, carnaval e mulher de bikini, temos tudo isso é claro, mas também temos muito mais.

    não há um lugar no Brasil ou no mundo , que vc possa dizer, que é seguro, vc pode até achar, mas com certeza não é.

  14. Vanessa

    Falou tudo, Simone. Nós temos uma grande responsabilidade no preconceito das pessoas de fora. Uma das coisas que me incomodam é quando um famoso vem para o Brasil e logo apresentam uma mulher com a bunda de fora, rebolando, como se todas as mulheres do Brasil fossem assim. Muita gente lá fora acha que as brasileiras são meio prostitutas, liberais. E o que acontece? Milhares de turistas vêm para cá exclusivamente para turismo sexual e aí é uma bola de neve; para o turismo infantil é um passo. Nos orgulhamos do Brasil ser um país sexual, o país do oba-oba e incentivamos isso.

    Quanto à violência, o que os políticos mais querem é que a gente fique indignado com o que passa lá fora de ruim sobre o Brasil, assim varremos tudo pelo tapete e damos a deixa para o patriotismo idiota. Temos que encarar os fatos, sim, o Brasil tá uma droga e temos de reconhecer isso. É o primeiro passo.

    Odeio a frase o ‘Brasil é o país do futuro’. Isso se fala há muitas décadas e faz com que a gente acredite. Temos que parar de ser ingênuos.

  15. André

    Grande parte desses moradores dessas região “poderosa”, sul-sudeste, não entende nada nem conhece o nordeste brasileiro. Tapados, pensam que aqui só tem gente de cabeça chata.

    Brasileiros são mesmo ignorantes e o Brasil como um todo, é um lixo.

  16. Márcio

    O episódio que passa na favela do RIO é bom , mas é ridículo usar pessoas que não falam português , locais que não são do Brasil … Ali é episódio pra ter sido focado a COLÔMBIA …

    A namorada do traficante é muito feia , claro que não é brasileira …

    Foi patético , sambinha tocando , o exército entrando e matando os bandidos no meio de todo mundo … Mas duro mesmo é engolir as pessoas falando português com sotaque , por que não contratou pessoas que falassem portugues (brasileiros) para os atores e pequenos figurantes …

    Mas o seriado é muito bom …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account