Log In

Reviews

The Newsroom – News Night 2.0

Pin it

The Newsroom

Série: The Newsroom
Episódio: News Night 2.0
Temporada: 1ª
Número do episódio: 1×02
Data de Exibição nos Estados Unidos: 01/07/2012

Passado o alvoroço da estreia, chegou a hora de The Newsroom mostrar a que veio. E a série não fez feio. O desafio estava em consolidar a audiência, tanto da série, como do telejornal apresentado pelo protagonista. Como o sucesso do furo de reportagem da reestreia do “News Night” dependeu de um misto de sorte e coincidência, se fez necessário criar uma fórmula de sucesso, e esse papel coube à nova produtora executiva, McKenzie. Eu ainda tenho sentimentos conflitantes em relação à atriz, mas acredito que ela conseguirá acertar o tom. Confesso que desta vez ela me irritou menos que na estreia, e no fim eu já estava até torcendo pra ela. A personagem também não parecia muito certa dos seus planos. A apresentação do novo modelo de trabalho não convenceu a equipe, o que certamente contribuiu para o fracasso do programa que estavam produzindo.

The Newsroom

Eu gosto dessa ideia de fazer com que a equipe nem sempre acerte, diferente de outras séries, deixando tudo muito inverossímil. O único problema aqui foi que, por se tratar de uma notícia real, dava pra saber de antemão que a governadora não daria a entrevista, e que os planos falhariam em determinado momento. Talvez isso complique um pouco o desenvolvimento da série, já que haverá limitações no desenvolvimento do noticiário, uma vez que não será possível incluir a participação dos principais envolvidos no assunto da vez, exceto por VT’s antigos, como no caso da Sarah Palin. Por outro lado isso funciona, já que se tratando de um passado recente, e as questões discutidas naquela época ainda estão em voga, como no caso da lei de imigração.

The Newsroom

A tentativa de demonstrar imparcialidade no assunto tratado – propositalmente ou não – se mostrou falha. Apesar de a apresentação dos prós e contras da aprovação da lei de imigração ter sido equilibrada, os argumentos dos que eram favoráveis aos imigrantes eram bem mais convincentes. Apesar de compartilhar das posições de Sorkin, acho que isso pode atrapalhar um pouco na tentativa de tornar Will um personagem amado, tanto pela sua equipe, quanto pelos espectadores da série, já que ele sempre será do contra, por ter ideias republicanas. O problema maior é que, imagino que a cada fim de episódio, ele vai passar por cima das suas próprias crenças pra mostrar que é um homem do bem, como aconteceu no caso do imigrante ilegal amigo do Neil.

The Newsroom

No mais, tudo funcionou bem. O triângulo Maggie/Jimmy/Don mostrou um bom desenvolvimento e promete criar uma história interessante. Eu só espero que a série não tente recontar através deles a história de Will e McKenzie, o que tornaria tudo um pouco redundante. Os discursos empolgaram, principalmente quando a produtora executiva explica os motivos que a levaram a trair o apresentador. A parte cômica, como a confusão da McKenzie ao enviar os e-mails, foi um pouco exagerada, mas não chegou a incomodar. Me pareceu também que a série se preocupou menos em se levar tão a sério, o que deixou tudo mais natural e prazeroso de ver.

Espero ansiosamente a abordagem de um tema mais polêmico que os até então apresentados. Sorkin já disse que não pretende fazer episódios que chame mais atenção que outros, mas eu duvido muito disso.Vale lembrar que a série já foi renovada para a 2ª temporada pela HBO. E vocês? O que acharam? O episódio conseguiu manter a qualidade do primeiro?

Séries citadas:

Analista de Sistemas, mas só porque assistir séries não dá dinheiro. Fã de Six Feet Under, Breaking Bad, comédias da NBC, Happy Endings e qualquer coisa que Aaron Sorkin escrever. Não tem vergonha de falar que gosta de Grey's Anatomy e Revenge.

4 Comments

  1. Carolina Fatecha

    Thiago, onde vc conseguiu esse episódio? Estou louca pra assistir, mas ainda não tive acesso… me ajude por favor!!! rsss
    Abraços,

  2. biancavani

    Que a série seria ótima nunca duvidei. O que sempre atormenta um pouco é se terá boa audiência, porque a regra é: primeiro o dinheiro, e se não atrapalhar, em segundo lugar a qualidade. Mas a HBO tem sido exceção neste cenário.

    Gostei muito do episódio – uma comédia de erros justamente em um gênero de programa (ao vivo, noticiário) que isso não pode acontecer. A discussão sobre notícia que dá audiência ou relevância da notícia, que vem permeando a série, não podia ser mais pertinente. Perfeita, também, a maneira como as questões são mostradas de vários ângulos (como a dos imigrantes ilegais, por exemplo): não há nada de superficial nela.

    Acho também interessante o fato de que a série mostra como uma parcela (a dos cultivados) dos americanos se autorepresenta, quais são, pelo menos em ideal, os valores e virtudes que eles julgam ou buscam ter, os questionamentos e autocrítica que se fazem… Na série Harry’s Law, que comecei a assistir recentemente, há muito disso no que tange à Justica.

    => 1) é mesmo, Tiago, aquela história de mandar a mensagem para todo mundo foi meio exagerada. Houve outras coisas, contudo, que me fizeram rir muito.
    2) eu gosto da atriz que faz a Mack. Agora, o Jeff Daniels, é absurdamente fantástico! Que Deus o abençoe, rsrsrs. Estou torcendo (acho que vou organizar um lobby) desde já para ele ganhar o Emmy. Há outros ótimos atores, mas que desta vez seja ele o escolhido.

  3. Paulo Serpa Antunes

    Fiquei decepcionado com o segundo episódio.

    Achei tudo muito forçado, anti-natural… Que raios de jornalista não sabe mandar um e-mail corporativo pra um único remetente? Se a fonte não está disponível pra fazer um debate sobre aquele tema, porque não se derruba o segmento todo? Como assim o âncora consegue encaixar um vídeo sem passar pelo produtor executivo? Forçado, forçado, forçado.

    A série decaiu muito de um ep. pra outro. Fiquei preocupado.

  4. Pingback: Destaques da Semana – Brasil – 6 a 12/8

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account