Log In

Reviews

The Mindy Project voltou! (ou como o video on demand está salvando a TV)

Pin it

Mindy Lahiri, Danny Castellano e Morgan Tookers estão de volta! Estreou esta semana nos EUA a quarta temporada de The Mindy Project. Desta vez a série mudou de mídia: da exibição broadcast da Fox para a transmissão on demand do Hulu. A volta da série tem então este gosto extra: mais do que uma season premiere, ela é uma ressurreição de um show que quase foi cancelado (e quase terminou com um final aberto, com Danny atravessando continentes para encontrar os pais de Mindy).

Uma das vantagens da troca da série da Fox para o Hulu é que isto encerra a ditadura dos 20 minutos imposta pelas networks. Em razão dos compromissos com os anunciantes, as redes de TV exigem episódios com períodos de duração cada vez mais menores. Há episódios de The Big Bang Theory, por exemplo, com apenas 19 minutos de duração! No Hulu, Netflix e companhia, sem horários de exibição e intervalos comerciais, o tempo de duração deixa de ser um problema (e parece que as empresas parecem estimular que ficamos o maior tempo possível online). The Mindy Project voltou com um episódio de 27 minutos (no Yahoo!, Community chego a ter episódios batendo nos 40 minutos). Imagine esta season premiere na Fox – possivelmente teria o mesmo roteiro, mas uma edição na ponta da faca e o corte de uma ou duas cenas, para reduzir o episódio em 3 ou 4 minutos.

O lado ruim é que geralmente o descancelamento de uma série e sua troca de canal ou mídia costuma sempre levar a uma readequação do orçamento do programa. As séries voltam menores, mais enxutas. Vimos isto recentemente com Community, ou naquela tentativa bizarra da ABC de dar um reboot em Scrubs há alguns anos. Nesta season premiere de The Mindy Project chamou a atenção a ausência do total dos coadjuvantes Jeremy, Tamra e Betsy – o trio segue aparecendo nos créditos de abertura, mas sua ausência sugere que eles podem só entrar em cena quando for realmente necessário.

The Mindy Project - While I Was Sleeping

Em compensação, os produtores seguem conseguindo atrair atores convidados renomados para participar da série. Nesta season premiere não tivemos um, mas três convidados de peso. A atriz e modelo Freida Pinto aparece no papel de si própria nos sonhos de Mindy; Kunal Nayyar também faz uma aparição, mas que não deixa de ser surpreendente, já que ele está bem diferente do que estamos acostumados a ver em The Big Bang Theory. Mas o destaque todo vai para Joseph Gordon-Levitt como marido imaginário de Mindy. Ator em ascensão em Hollywood, Gordon-Levitt foi revelado na TV, ainda criança, em 3rd Rock from the Sun, mas desde então só tinha participado de uma única série, Nunb3rs, e isto há quase 10 anos.

Em termos de roteiro, pouca coisa mudou em The Mindy Project. Com um núcleo da ação acontecendo supostamente na Índia, as piadas étnicas tomaram conta do episódio (em especial confusões entre culturas asiáticas, além de uma tentativa do Taliban de alistar Morgan). Mas o melhor é que o episódio serviu como uma volta à origens da série, quando Mindy homenageava/satirizava as comédias românticas do cinema. Aqui Mindy tem um experiência de viver outra vida, ou, como ela descreve:

“É tipo De Repente 30, mas ainda tenho a mesma idade, 26.”

Quem gosta de acompanhar os ratings sabe que os números de audiência sabe que The Mindy Project foram minúsculos no ano passado. Em compensação, nesta terra de ninguém que é a WWW, uma série com 3 milhões de fãs, com uma atriz/produtora extremamente carismátca como Mindy Kaling, um texto acima da média das sitcoms que estão no ar atualmente e um acervo que está pertinho de alcançar a marca de 100 episódios, não poderia ser desprezada. O Hulu fez bem em salvar a série do cancelamento e este episódio mostrou muito bem isto. Felizmente o video on demand é uma realidade, que veio para nos salvar das séries ruins da TV e para salvar as séries que a TV não soube valorizar.

Séries citadas:

É jornalista, pós-graduado em Jornalismo Digital pela Pucrs e trabalha com produção de conteúdo para Internet desde 1995. É editor de internet do Jornal do Comércio, de Porto Alegre. Fundou o TeleSéries em agosto de 2002. Na época, era fã de The West Wing, The Shield, Família Soprano e Ed. Atualmente é viciado em The Good Wife, NCIS, Game of Thrones e Parks and Recreation.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account