Log In

Reviews

The Killing – Off The Reservation

Pin it

Série: The Killing
Episódios: 
Off The Reservation
Temporada: 

Número dos Episódios: 
2×08
Data de Exibição nos EUA: 20/04/2012

The Killing sempre surpreende. Como pode um episódio tão alheio à investigação ser tão bom? Eu preciso me controlar para não escrever todo esse texto falando só sobre Linden. Ela dominou todo o episódio, desde o primeiro minuto de sua busca ao colega até o final. Quando teve o seu pedido de equipe de busca negado, pareceu outra pessoa enfrentando o seu chefe.

E toda a procura por Holder foi muito tensa. O desespero de Linden nas buscas era perceptível em cada momento. Afinal, era seu parceiro – o mesmo que outrora ela parou de confiar -, mas que agora ia pedir abrigo quando precisava. Além disso, ela que havia o colocado naquela situação. Seguindo seu instinto (e com a pequena ajuda de uma menina), enfim conseguiu encontrá-lo. Holder estava bem, mas o mesmo não se pode dizer da ruiva.

Apesar de fazer tudo por essa investigação, Linden foi afastada não só do caso como da polícia. Antes disso ela descobriu que Rosie realmente não era prostituta, mas sim uma simples camareira e garçonete. A conversa com a menina pareceu sincera, e ainda preencheu outras lacunas da história (suas roupas e a substância encontrada sob suas unhas). Infelizmente, logo depois Linden teve que entregar seu distintivo e sua arma.

A história de Stan pode ter sido um pouco previsível, mas ainda assim verossímil. É compreensível até onde um homem arrasado consegue ir. E o pouco de esperança que ele se agarra. A expressão dele quando ficou clara a armação por trás do discurso bonitinho foi de partir o coração

Agora, o momento mais triste do episódio foi, sem dúvida, a despedida entre Linden e seu filho. Foi algo simples, mas cheio de emoção. Tentando ser positiva e lutando para convencer a si mesma que deveria realmente fazer isso. Ela precisa continuar a investigação e não pode se dedicar ou arriscar seu filho. Triste, muito triste.

PS: Não sou de ficar elogiando o aspecto técnico, mas esse episódio bem merecia.

PS2: Ainda estou aguardando Richmond voltar com tudo e se vingar.

PS3: Mitch, cadê você?

PS4: Eu não podia escrever só sobre ela, mas nas imagens eu não resisti.

Séries citadas:

Jornalista e pessimista. Começou assistindo My So-called Life. Gosta de Doctor Who, Happy Endings, The Good Wife e Homeland, entre outras. Fã de Tina Fey e das comédias da NBC (mas não vê a hora de Arrested Development voltar). Ama Studio 60, The West Wing e sonha em viver numa série do Aaron Sorkin.

5 Comments

  1. biancavani

    Uau, será que o poço em que Linden caiu ainda ainda não chegou ao fim? Haverá mais alguma coisa que ela pode perder? (Se bem que, Dierli, ainda que deva ser terrível para uma mãe ser separada do filho, ela não estava em condições de cuidar bem dele. E o pai, embora no passado não tenha sido legal, agora está parecendo ser – e quem foi Hero em Battlestar Galactica não pode ser de todo ruim, rsrs. Na verdade, foi a melhor solução, naquelas circunstâncias).
    No epi passado eu havia entendido que, per se, a presença de Stan na coletiva de Richmond – apesar de ele não ter dito explicitamente que Rich era inocente – fora uma admissão explícita de que ele achava isso. Mas não foi bem assim…
    De fato, a busca por Holden – a inicial recusa de Carlson de pôr os policiais à procura, a pobre da Linden, tão pequenininha e indefesa diante daquela turma indígena violenta – causou-nos uma tensão insuportável. Socorro!

    Bem, espero que antes de terminar a temporada possamos ver algum alívio na vida atormentada de Linden, Rich, Lars e Holden. Pelo menos um tiquinho, pelo amor de Deus.

    E, de fato, que atores extraordinários! Penso que não apenas a história dinamarquesa, mas também o estilo dinamarquês de atuação – introvertido, contido – foi seguido nesta série. Fantástica.

  2. acerola

    eu gostei muito desse episódio. ele realmente não acrescentou muito à investigação mas foi tenso desde o início, de prender a atenção mesmo. to na expectativa pela volta da mitch, espero que seja logo. apesar de ter enchido o saco em alguns episódios (tipo no ep da menina roubando as coisas dela aff), acho que ela ainda vai causar uma boa reviravolta quando voltar pra casa.

  3. Dierli M Santos

    Bianca, a coisa que eu mais quero é que Linden tenha um pouco de paz. Não vejo a hora desse sofrimento acabar (ela resolver o caso e voltar para o seu filho). Eu tenho evitado bater na mesma tecla, mas a série tem um elenco maravilhoso. Entendo quem não curte o tema da série ou a suposta enrolação em falar quem é o assassino, mas até hoje nunca vi ninguém falando que os atores são ruins. Fico espantada com o que a Mireille faz.

  4. biancavani

    Eu acho o seguinte: sem a menor dúvida, o filho tem enorme importância para Linden, mas acima de tudo, para ela, vem a procura/defesa de verdade. Em nome disso, ela sacrifica seus próprios interesses (deixou aquele fofo do noivo e, embora cuidando do filho conforme podia, não deixou tudo por causa dele). É disso, para mim, que são feitos os heróis: o sacrifício em nome da Verdade. O que a impulsiona – acima de tudo – é descobrir o assassino da garota e fazê-lo pagar na Justiça, porque se fosse apenas ser a mãe ideal e a mulher do noivo legal ela já teria feito desde o primeiro epi. Por isso que eu gosto da personagem.

    Não li a respeito de crítica sobre uma suposta enrolação, que, aliás, seria bem descabida. A proposta da série é outra. Eu estou gostando muito mesmo desta série. É daquelas que eu gravo para, algum dia, assistir de novo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account