Log In

Reviews

The Glee Project – Tenacity

Pin it

Série: The Glee Project
Episódio: Tenacity
Temporada:
Número do Episódio: 1×06
Data de Exibição nos EUA: 24/07/2011

Ser um ‘loser’ é ser, dentre tantos outros adjetivos, tenaz. É preciso ter um apego muito grande a ideia de ser ‘loser’. Só assim conseguem ser à prova de balas. E assim, com Bulletproof, do duo britânico La Roux, que começa a semana no campus do The Glee Project.

Para ver o quanto os competidores são resistentes, nada melhor que serem testados pelo maior ‘bully’ do McKinley High: Dave Karofsky. Sim, o mentor da semana foi Max Adler, que já chegou ensinando aos sete participantes que o artista tem que ter três p’s: paixão, persistência e paciência. No entanto, a apresentação dos candidatos parecia não ter esses p’s. Max pediu para que parassem e recomeçassem, fazendo algo que nunca tinha feito, surpreendendo-o, surpreendendo-nos. Dito e feito. O circo estava armado. Eles realmente foram mais explosivos, chutando cadeiras e empurrando os outros.

Max elogiou Samuel e Lindsay, mas foi conquistado pela tenacidade de Marissa, que se destacou colocando sua atitude na performance chutando a cadeira. Pela segunda semana consecutiva Marissa teve destaque no videoclipe em grupo. Nessa semana, tivemos o tão esperado ‘mash up’. E melhor: um ‘mash up’ de Under Pressure e de Ice, Ice, Baby. E como estariam sob pressão no gelo, nada mais justo que umas raspadinhas no rosto. Afinal, ‘loser’ que é ‘loser’ tem que levar muitas raspadinhas na cara.

A coreografia do número da semana era muito elaborada e envolvia muitos movimentos no chão. E quem não se saiu bem nos movimentos foi Hannah, como em quase todas as coreografias. Durante as gravações, Marissa mostrou-se muito nervosa por não ter ensaiado algumas partes. Samuel não agradou Nikki, muito menos Hannah, que não conseguia fazer o mesmo rap que fez há duas semanas.

Dia da gravação, dia de congelar o cérebro e arder os olhos. Para Marissa, essa é a sensação que levar uma raspadinha na cara traz. Mas ela já estava acostumada: já havia sido Kurt ou Rachel nas aulas particulares com Max Adler. Mesmo assim, na hora H, perdeu a energia que mostrou no dever de casa. Samuel via as raspadinhas como uma fonte de adrenalina, Damian e Lindsay se mantiveram no personagem, mesmo com tantos “obstáculos” e Hannah preferiu interpretar as raspadinhas com bom humor, para não se atrapalhar no rap. Para Zach e Robert, Alex não foi aplicado na gravação, agiu com cansaço.

Agora Cameron nas filmagens foi um episódio a parte: como se já não bastasse a atitude da semana passada, de ligar para a mãe por causa do beijo e chorar, essa semana Cameron me deu mais um motivo para não querer ele em Glee. Ok, é sobre perdedores. Ok, ele canta bem. Mas cá pra nós: o cara quer estar em Glee e não consegue gravar uma cena porque a raspadinha é a coisa mais gelada que ele já sentiu na vida?

Enfim, nada pôde atrapalhar o resultado maravilhoso do clipe da semana. Desde a escolha da música até a atuação. Tudo ficou suficientemente bom para que eu pudesse dizer que esse foi o melhor clipe até agora, superando Mad World, da terceira semana.

O resultado dos três piores mostrou que Alex, Cameron e Marissa (sim, Marissa. A mesma que venceu o dever de casa) não se esforçaram para manterem-se focados nos objetivos. Eles receberam músicas que cantaram em suas audições para, dessa vez, cantarem para Ryan Murphy.

Alex, travestido para impressionar Murphy, cantou And I Am Telling You I’m Not Going. E apesar de, particularmente, não gostar do Alex, não há ninguém no mundo que não me faça chorar de emoção com essa música. Ele conseguiu arrancar um sorriso e um elogio de Ryan.

Marissa, estreante nos três piores, cantou para Ryan Murphy Hate On Me, que é originalmente cantada por Jill Scott e foi interpretada em Glee por Mercedes Jones. E a Marissa que conseguiu sobreviver até essa semana, conseguiu se afundar em três minutos. Eu não sei como ela conseguiu entrar para os 12 melhores cantando essa música. Definitivamente, soul e R&B não são para Marissa, que recebeu amargas críticas adocicadas do criador de Glee.

Cameron levou a sorte grande e a chance de, finalmente, fazer algo certo. Cantou Love Can Wait, uma música de sua própria autoria, uma música com sua cara, que poderia mostrar quem ele realmente é e o que realmente faz. Cantando Cameron agradou Ryan, mas a preocupação dele é que Cameron não consiga atuar, já que em Glee 90% das cenas com raspadinhas são gravadas em uma tomada. Ou seja: Cameron não poderia ficar parando as filmagens o tempo todo.

Cameron já sentia que dessa semana ele não passava. Contudo, não teve outro jeito: foi a vez de Marissa deixar a competição. Foi o nome de Marissa que estava na lista dos “não chamados”. Foi Marissa quem, dessa vez, cantou Keep Holding On. Assim como ela, eu também fiquei chocado como tudo estava indo bem para ela e, de repente, tudo desmoronou.

De qualquer modo, com ou sem Marissa, o jogo continua. E a próxima semana promete desafiar os limites dos participantes…

Séries citadas:

Arthur Ferreira, 18 anos, estudante de jornalismo, apaixonado por música, louco por Glee, palhação da turma, espera ser famoso e tendência no mundo todo. @arthuurferreira

1 Comment

  1. Paulo Serpa Antunes

    Tô vendo pela Fox HD, só este domingo vi o episódio. Fiquei triste com a eliminação da Marissa. Teve gente que ganhou três chances no programa. Ela não teve nenhuma. O mais justo teria sido a Hannah ter ido pro Bottom 3 e o Cameron ter caído fora…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account