Log In

Reviews

The Fosters – The Fallout

Pin it
Série: The Fosters
Episódio: The Fallout
Número do Episódio: 1×07
Exibição nos EUA: 15/07/2013
96.666666666667
4.8
3

Foi um episódio mais de consequências do que de criação de problemas, exceto por Jude, que é um anjo, não causa nada, só sofre.

The Fallout começa com Jesus e Mariana brigando. Sinceramente, odeio quando os dois brigam, apesar de ser mais uma demonstração de talento de Jake T. Austin e Cierra Ramirez. Conforme o episódio vai seguindo, as coisas vão melhorando – digo que quase não pude crer em como acabou entre os dois. Felicidade suprema.

Callie também não começa seu dia bem: em sua primeira cena, pede a Lena para trocar de grupo de apoio, o que achei muito responsável após as ameaças de Liam. Como nem tudo é perfeito, a moça não consegue trocar de grupo assim tão rápido e tem que continuar convivendo com a nova companion de seu ex, o que é uma droga, porque ela já sabe de tudo pelo que a Sarah vai passar e a novinha não escuta. Callie, você já fez o que podia, agora deixa. Além disso, no café da manhã, a moça dá de cara com Brandon e fica aquele gelo. Estupidamente, Brandon culpa Callie por causa do lance da festa no episódio anterior e, é claro, quebra a cara quando a jovem joga – da maneira mais delicada, apesar de revoltada, possível – que a culpa não foi dela e sai andando. O moço, apaixonadinho, fica com aquela cara de cachorro sem dono. Que dó, que dó.

Gente, pausa aqui. Não acho muito legal ficar apontando essas coisas, mas por favor, Brandon, que camisa é essa? Cara, volte para o quarto, tire o pijama e vista algo decente, ok?

Saindo disso, temos Mariana se encontrando com a mãe biológica de novo. Mari, você realmente não se cansa de ser manipulada, não é verdade? Pois bem, Ana pede dinheiro a Mariana, e quando a menina diz que não tem nenhum, Ana aconselha Mari a roubar algo de casa, alegando que precisa de dinheiro para pagar a rehab e argumentando que “família ajuda família”. Que exemplo, hm? Grande mãe essa. A boa nova, já adianto, é que Mariana acha isso inadmissível e não faz outra burrada pela mãe não-mãe.

Na escola, com o foco novamente em Callie, temos uma cena ultra fofa de um Wyatt preocupado perguntando à ficante/namorada/o que quer que seja sobre o Liam, se está tudo certo, e ela faz a burrada de mentir e dizer que tudo se resumiu ao dia da festa. Não entendo por que esse povo mente sobre essas coisas. Mataria dizer “Ah, ele comentou algumas das minhas fotos no instagram, mas foi só isso, não precisa se preocupar nem fazer nada”? Ah, por favor.

Também durante o período de aulas, Jesus procura por Lexi e ao notar sua falta, vai até a casa da namorada e descobre que os pais da mesma tem planos de mandá-la para longe. Gente, eu definitivamente amo esse casal. Eles são fofos e nada enjoativos, apesar de tudo. Ao saber da notícia, Jesus procura Mariana para jogar na cara da irmã a culpa por tudo estar dando errado e depois tenta convencer o sogro a não afastá-lo de sua amada, mas nada parece dar certo.

Na saída da escola, Liam resolve aparecer e tirar satisfações com Callie: Ao que parece, Wyatt o vinha provocando online. O namorado da moça surge e os dois começam a brigar até Brandon separá-los. Liam vai embora e Wyatt termina com Callie após ser repreendido por tentar ajudar – mesmo que do jeito errado. Grande erro, Callie. Tudo bem, Wyatt não é perfeito, mas deixá-lo ir não foi a melhor coisa. *dedos cruzados para os dois reatarem no próximo episódio*

Quanto a Jude, o seu espaço no episódio se resume a um trabalho em dupla. Durante a aula, o garoto acaba fazendo dupla com Connor, seu melhor amigo, e os dois combinam de fazer o trabalho na casa dos Foster. À tarde, o garoto pede permissão às mães para levar Connor, o que as surpreende.

Eis que surge um problema também para as matriarcas Foster: o emprego de Lena é colocado em xeque por causa da pílula que Stef deu a Lexi. O casal conversa seriamente até uma visita inesperada: os Rivera chegam à casa procurando pela filha, que fugiu. Bom, não era para menos, certo? A menina vai para a cama com o namorado uma vez e os pais querem mandá-la para um colégio interno no Texas? Acho muito exagero. De qualquer jeito, Lexi precisa ser encontrada, então Stef e o Sr. Rivera saem a procura da menina e é nessa voltinha de carro que o pai de Lexi revela que a ideia é mandar Lexi para Honduras, para viver com a família de sua esposa.

Desde o começo da busca por Lexi, os Rivera se recusam a acionar a polícia. O motivo é revelado mais à frente: a família inteira é ilegal nos Estados Unidos. Eis aí uma questão que achei muito interessante de ser colocada. Os Rivera são uma família de classe média alta, e quando se fala em ilegais, nunca se pensa em pessoas com tais condições de vida. The Fosters, novamente, quebrando estereótipos.

Enquanto isso, Lexi está em um lugar seguro dos pais, arrumado por… MARIANA! É isso mesmo, gente, as duas voltaram a ser amigas! Onda de felicidade quando vi Mariana abraçando Lexi de novo, no esconderijo. Uma sacada muito legal foi a ponte com o pedido de Ana para que Mariana roubasse algo da casa. Antes de sair para encontrar Lexi, Mariana pega algumas coisas escondida, o que leva o público a pensar que Mari está agindo pela mãe biológica. Sempre rola aquela onda de revolta e incredulidade, e quando a menina entra na casa, encontra a amiga e as duas começam a conversar sobre assuntos variados – entre eles, a experiencia sexual de Lexi -, é como se tudo estivesse certo no universo de novo. Pois bem, após ficar sabendo da ilegalidade dos Rivera, Mariana leva o irmão ao esconderijo de Lexi para convencê-la a voltar. Momento mais lindo esses três juntos e bem.

Jesus, Mariana e Lexi voltam para a casa dos Foster, e para resolver o assunto todo, Lexi ameaça chamar a polícia e denunciar a ilegalidade dos pais se os mesmos a mandarem para onde quer que seja. Fiquei extremamente satisfeita com o posicionamento firme da jovem nesse aspecto – talvez porque eu tenha passado por uma situação parecida com a dela recentemente e não tive armas para impor respeito à minha opinião -, apesar de sentir um pouquinho de desrespeito aí. De qualquer jeito, Lexi não vai embora e os três fofos podem ter seu romance/sismance em paz. Cara, esses gêmeos são definitivamente a melhor parte da série. Ah, e outra coisa, os Rivera concordam em retirar as acusações sobre a pílula, salvando o emprego da Foster mom.

Voltando o foco para Callie, a moça volta para casa com Brandon e conta a ele toda a história de Liam. O garoto aconselha-a a ligar para seu assistente social e trocar de grupo – como ela quer desde o início do episódio. Durante a reunião do grupo, Callie resolve compartilhar sua história e acaba assustando Sarah, que foge. Callie, meu docinho, esquece. Ela não quer ouvir, só vai aprender quebrando a cara. Desencana, ok?

E então, é dia de fazer o trabalho. Connor chega à casa dos Foster enquanto a confusão dos Rivera está rolando, então Jude o leva para o quarto. *pequena pausa para surtar com a referência aos Beatles aqui, quando Connor diz ‘Hey, Jude!’ e Lena diz ‘Olha, os Beatles’* Já no quarto, os dois amigos conversam e Connor fica meio sem jeito ao perceber que Jude não tem quase nada. Envergonhado, o baby Foster diz que seu pai foi libertado da cadeia e que tem uma casa enorme em uma ilha, com muitas coisas – fiquei com dó dele aí, quis abraçá-lo e dizer que ele não precisava mentir. Essa última coisa, Connor fez por mim e depois emprestou seu PSP ao amigo, o que pareceu fazê-lo se sentir melhor. Na hora de ir embora, Connor oferece o video game a Jude como um presente. Jude recusa, mas o amigo insiste, e então o baby Foster tem mais um item adicionado em sua curta lista de pertences.

O episódio termina com Callie contando a Stef e Lena sobre Liam. A reação das mães é desconhecida e, provavelmente, teremos um posicionamento que será focalizado no próximo episódio. É esperar para ver.

Séries citadas:

Futura jornalista. Medrosa e sonhadora que só. Escritora de margem de caderno, adora os Beatles, filmes e livros em geral. Fácil de agradar. Sitcoms são o melhor acompanhamento para as refeições e o resto das séries, para qualquer horário livre. Doida de pedra e antissocial, nerd até à medula. Apaixonada pelas culturas britânica, hindu e hippie. Sintam-se à vontade pra me amar.

Website: http://tempoedimensoesrelativasempalavras.wordpress.com/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account