Log In

Reviews

The Fosters – Saturday

Pin it
Série: The Fosters
Episódio: Saturday
Número do Episódio: 1×06
Exibição nos EUA: 08/07/2013
91
4.5
1

O nome não poderia deixar mais claro o assunto do episódio: um sábado. Sim, o episódio mostra acontecimentos saturninos da família Foster e não, não se trata de programas familiares. O início do episódio, naturalmente, se passa na manhã de sábado, com TODAS AS CRIANÇAS – exceto pelo Jude – de pé antes das dez da manhã. Digo, como é que uma série que passar veracidade com algo assim? *risos* Obviamente, isso causa um estranhamento em Lena e Stef, mas parece que todos estão ansiosos pelos acontecimentos do dia.

Comecemos por Stef: a mãe policial não trabalha aos sábados, mas visita seu pai. Uma visita bastante tensa a mostrada no episódio, visto que ao comentar o interesse de Jesus em ir para um acampamento católico com Lexi, é bombardeada por frases preconceituosas quanto a sua sexualidade. Pois é, parece que o vovô Foster não é muito a favor da escolha da filha de deixar “uma família linda, com um ótimo marido e um filho” por uma família não convencional, chegando até a mencionar que se tornar gay foi escolha. Stef fica indignada – pudera, também, né? – e depois de soltar indiretas – que o pai não entende – vai embora.

Lena, de acordo com o planejamento matinal, leva Jude a algum lugar – o que não é mostrado, porque o Jude nem aparece nesse episódio – e depois volta para casa e ajuda a organizar o jantar. O jantar é de vital importância e é o que faz Jesus acordar cedo. Como já dito, Jesus quer ir ao acampamento católico com Lexi no fim de semana seguinte, e como a relação entre os dois começa a ficar séria, já é hora de as famílias se conhecerem, certo? Certo. Mas talvez o dia não tenha sido o ideal.

Mariana se arruma para sair e diz às mães que tem um encontro com Garret – é, o hipster intelectual do episódio anterior. Mentira, mentira, mentira. A menina vai mesmo é se encontrar – novamente, ô menininha cabeça dura – com a mãe biológica. Cara, ela não aprende, né? Pelo menos dessa vez a Ana não só pegou o dinheiro e saiu andando – até porque nem tinha dinheiro -, mas conseguiu demonstrar um pouco de carinho ao levar um presente de aniversário para a menina. Mariana, novamente, está sendo uma boba de agir pelas costas da Lena e da Stef. São esses momentos de estupidez dela que me fazem ter irc. Logo agora que a mocinha estava reconquistando a minha simpatia!

Mudando de personagem, Callie, logo na cena inicial, ganha destaque: quando a garota se distrai com seu celular e deixa Lena no vácuo, a mãe estilosa vai ver o que é que prende a atenção da moça e se depara com fotos tiradas por Callie – elogiando seu talento com fotografia. Ai, gente, me perdoem, mas não vi nenhum grande talento ali para que a Lena ficasse tão surpresa. As fotos da Callie são aquele estilo que qualquer menina tira com um iPhone pra postar no instagram, mas cada um com sua opinião, né? Pois bem. Depois disso, Callie se encontra com Wyatt na antiga casa do moço e ele mostra para ela um desenho dentro do armário – aquilo, sim, é talento – e convida-a para a festa que vai fazer lá (detalhe: a casa está vazia,  à venda) mais tarde. Ela fica de pensar e vai para uma reunião de jovens adotados. Na reunião, Callie escuta o depoimento de uma menina que foi adotada por sua antiga família – a família do misterioso Liam – e a chama para tomar um café. Durante a conversa, Callie assusta Sarah – a menina – ao dizer o nome de Liam, desfazendo sua mais nova amizade quando Sarah “foge”.

De volta à casa, Callie se encontra com Mariana, que a convence a ir à festa de Wyatt – notem que isso não tem como acabar bem. Chegando lá, a Foster novata percebe o óbvio: festa de Wyatt = confusão. As paredes todas pichadas e todo mundo semi-bêbado, isso a hora que as duas chegam. Callie fica avulsa na festa um tempão – se esbarra na Talya, cujo aparecimento é um ponto negativo, apesar de ela estar bêbada e menos bitch do que quando namorava Brandon – até que tem uma discussão com Wyatt. Vendo que o moço encara seus demônios estando na casa, a moça consola o bonitão e os dois decidem sair da festa depois de o louro garoto arrancar um pedaço da parede na qual desenhou. A ideia de ir embora parece ótima, mas para isso precisam encontrar Mariana. Durante a procura, Callie encontra Liam, o grande fantasma de seu passado, que diz a ela para ficar longe de Sarah, tenta tirar uma casquinha, coisa e tal até que Wyatt aparece e manda o garoto pastar – nem amei, né? Haha.

Enquanto isso, Mariana está com sua amiga junkie – é, aquela bitch que tentou incriminar a Callie, acho que é Leslie o nome dela, né? – e descobre sobre as intimidades do irmão com Lexi. Pê da vida, a gêmea enche a cara e está caindo quando Callie a encontra e tenta esconder a bebedeira da mais nova com chiclete.

Eis, agora, o estopim do episódio: o grande jantar. Tudo parece ir razoavelmente bem entre os presentes, inicialmente, até o momento de falar sobre a relação de Jesus e Lexi. As famílias têm algumas discordâncias, mas tudo ainda vai de boa até a chegada do pai de Stef. De surpresa, vovô Foster aparece e se junta à festa, e começa a condenar a homossexualidade da filha – isso porque o propósito da visita era se desculpar com ela. Tapa na cara do vovô quando a família de Lexi – carola e religiosa até os ossos – defende que a família de Stef também é uma família e diz que não há nada mais cristão que uma família, independente dos moldes da mesma – ponto altíssimo do episódio isso aí. Até então os Rivera estavam conquistando minha simpatia, até que uma Mariana bêbada entra na sala de jantar e revela tudo o que os Foster e Lexi tentaram esconder. FELADAPUTAGE, isso aí. Revoltadíssima. Resultado: Jesus não pode mais ver Lexi.

Fora isso, temos Brandon que teve uma história separada do resto todo: o moço tinha uma audição para concorrer a uma bolsa de estudos com um professor de renome, e dependia do pai para levá-lo. Depois de mil ensaios e mil execuções perfeitas, Brandon fica uma pilha de nervos pelo atraso do pai em buscá-lo e pelo pouco apoio recebido do mesmo, o que faz com que o garoto estrague tudo na audição. Fiquei com muito, muito dó dele. Após o fim de tudo, Mike chega atrasado para buscar o filho, que lamenta, e percebe que teria de tentar algo para levantar sua moral com Brandon. Após muita insistência, Mike consegue que o professor escute o jovem novamente e se surpreenda com o talento do primogênito Foster.

No fim das contas, temos uma Mariana bêbada ignorando a bronca das mães; Callie dando satisfação para as mães – essa parte me surpreendeu e me deixou felizona, pela confiança que Stef e Lena depositaram na Callie, aceitando que a culpa era da Mariana tanto por elas terem ido à festa quanto por a mocinha ter ficado bêbada e estragado tudo – e depois recebendo mensagens de Liam que dão a entender que o cara está stalkeando a moça; Jesus sem poder ver Lexi; Brandon – felizmente – chamado para estudar com o professor top (cuja mensalidade é caaaaaaaara, mas o Mike disse que paga); Lena e Stef decepcionadas com a filha gêmea e sem notícias de Jude – que deve estar de boa, né?

Nos aspectos técnicos, foi tudo tão bom quanto sempre. Justifico a queda da nota simplesmente pelo fato de ser um episódio que acabou realmente mal para a maioria, a família estava em dessintonia – se é que essa palavra existe -, e os Foster só ficam assim quando a situação é preocupante de verdade. Isso me deixa triste.

Que o astral melhore no próximo episódio!

Séries citadas:

Futura jornalista. Medrosa e sonhadora que só. Escritora de margem de caderno, adora os Beatles, filmes e livros em geral. Fácil de agradar. Sitcoms são o melhor acompanhamento para as refeições e o resto das séries, para qualquer horário livre. Doida de pedra e antissocial, nerd até à medula. Apaixonada pelas culturas britânica, hindu e hippie. Sintam-se à vontade pra me amar.

Website: http://tempoedimensoesrelativasempalavras.wordpress.com/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account