Log In

Reviews

The Following – Mad Love

Pin it
Série: The Following
Episódio: Mad Love
Número do Episódio: 1×04
Exibição nos EUA: 11/02/2013
97.75
4.8
4

É difícil lidar com o charme de Joe Carroll e se Ryan Hardy está tentando ganhar a briga é fazendo com que o público sinta pena dele. A vida de Ryan até agora foi tão miserável que encarar a morte nos olhos de Joe não parece mais ser um problema tão atormentador para quem perdeu a mãe para a leucemia, o pai assassinado e um irmão mais velho no atentado de 11 de setembro. Mesmo assim Ryan tem recuperado um pouco do herói que Carroll quer ver como protagonista do seu livro. Novamente caímos no encantamento de Joe e na felicidade dele ao descobrir que Ryan matou Rick e assim está recuperando seu “charme”.

Além da vida miserável de Ryan, Mad Love nos mostrou outras vidas não menos que miseráveis. São as três “aberrações instáveis” da vida de Carroll. Jacob, Emma e Paul são mais afetados psicologicamente do que qualquer um poderia imaginar nos primeiros capítulos. No entanto, é exatamente isso que os torna personagens tão singulares e tão caprichados no elenco de Carroll.

A revelação do segredo de Jacob não assusta tanto, mas apresenta mais um tópico no plot do triângulo amoroso que já está virando um ménage à trois, segure-se quem puder. Coitado do Joey vivendo com aquelas três aberrações, mas já mostrando que não é nenhuma criança boba. Podemos esperar bons movimentos do pequeno Carroll.

Mas nenhuma dessas três aberrações ainda tem a frieza de Maggie, ou Margaret Schuller, como soletrou aplicadamente Carroll. Como mencionei na review passada, Joe tem grande apreço pelas mulheres entre seus seguidores. Além de Emma ser a líder do grupo, Maggie se mostrou uma ótima atriz e manipuladora de primeira, com um jeito muito parecido com a forma de Carroll de lidar com seus “amigos”.

Além de inteligente, Maggie não segue tão a risca os mandamentos de Carroll, ela age de acordo com sua vontade, mas é guiada pela forma como Joe gostaria que as coisas se desenvolvessem. Para Carroll, Maggie foi uma ótima personagem dentro do contexto da história do seu livro. Joe descreve Maggie como incrivelmente engenhosa, impressionante e persistente e ainda entrega que ela foi responsável por uma matança no Arkansas que nunca teve os casos solucionados.

Todo esse contexto deixa mais assustador o que acontece na sequência. O sequestro da irmã de Ryan por Maggie trouxe à tona toda a vida familiar do ex-agente do FBI e toda a morte e a tristeza que envolvem seu passado. A carga negativa é tão forte que Ryan não acredita que pode fazer alguém feliz e esse é um dos motivos que o afasta de Claire. Para contar a triste saga da família Hardy, novamente os flashbacks que contam o passado e mesclam as cenas com os acontecimentos atuais brilharam em The Following. Tudo muito bem sincronizado, tanto para facilitar o entendimento da história quanto para manter o ritmo do suspense.

Quem ganhou uns pontinhos em Mad Love e cresceu como personagem foi Mike. Além de ter salvo a noite, ele vem se mostrando um tanto rebelde em relação as regras do FBI e isso o torna um personagem mais interessante. As diversas tentativas dele de se aproximar de Ryan também chegam a ser engraçadas em alguns momentos, os dois têm um bom potencial de serem realmente parceiros em The Following. Será que Carroll vai querer que seu personagem principal tenha um parceiro na história do seu livro? Já é engraçado ver Ryan se impressionando com a lealdade gratuita que Mike tem por ele. Quem diria que Ryan Hardy teria seu próprio seguidor.

A trilha sonora não tinha aparecido tanto no último episódio, mas voltou com força em Mad Love na cena da tentativa de fuga de Megan. A tensão só foi maior com Maggie e seus ímãs que quase interromperam o marcapasso e a vida de Ryan. Na cena final a trilha sonora fechou bem o episódio, um dos melhores da temporada até agora. A cena de Claire tentando convencer Ryan a ficar e comer alguma coisa mesclada com recortes de Ryan conversando com Jenny sobre o porquê de ter dado um tempo com seu relacionamento com Claire foi uma das melhores montagens que a série apresentou até aqui. A edição e os efeitos sonoros para enfatizar a troca do presente com o passado fecharam com chave de ouro o quarto episódio de The Following.

Séries citadas:

é Jornalista, Publicitária, Gaúcha, Capricorniana de 84. Além de escrever no TeleSéries, trabalha como coordenadora de imprensa na Prefeitura de Taquari e assessora de imprensa no Campeonato Gaúcho de Rally 4x4. Fã de cinema, esportes, literatura, música e séries de televisão. Começou a assistir seriados com E.R. e Arquivo. X. Gostaria de ter estudado em Hogwarts, jogado quadribol e tomado cerveja amanteigada, mas se contenta com um gol do Grêmio e uma Heineken. Nunca ganhou um prêmio importante, mas já levou pra casa um Kikito de chocolate de Gramado/RS.

Website: http://www.alineben.blogspot.com

4 Comments

  1. Arthur de Melo

    Eu só acho que é muito fogo no rabo esse povo que fica tomando banho no banheiro à três! Rsrsrsrs Falta do que fazer! Vcs já repararam que eles só ficam no telefone ou na internet? Sem contar na hora de brincar com o pequeno Joey! kkkkk

    PS: Quais são os nomes das músicas? Eu gostei principalmente a do final.

  2. Pingback: The Following – The Siege

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account