Log In

Opinião Preview

‘Tá no Ar: a TV na TV’ – as primeiras impressões do novo programa de humor da Globo

Pin it

A esta altura todo mundo já tem uma opinião formada sobre Tá no Ar: a TV na TV, o novo programa humorístico da Rede Globo. E esta opinião certamente vem embasada no background cultural de cada. O telespectador com mais idade, na casa dos 40 anos, certamente fará as inevitáveis comparações com o clássico nacional TV Pirata ou mesmo com o britânico (e pai de todos os programas de esquetes de humor) Monty Python’s Flying Circus. Mas o que pensará também o telespectador da TV aberta, este sujeito que cresceu consumindo Zorra Total, A Praça é Nossa e afins?

Pra este último telespectador, Tá no Ar: a TV na TV, tem o efeito de um sopro de novidade e uma aura bacana de anarquia (algo que se dizia ver lá atrás no Pânico na TV, ou na MTV, ou mais recentemente no CQC, alguém mais esperto lembrará). “Olha que bacana, a Globo fazendo humor com os anunciantes, com os concorrentes, que radical”. De fato, este é o acontecimento novo: a Globo agora, por 30 minutos semanais, se permite olhar para além do seu umbigo.

Demorou.

Tá no Ar: a TV na TV

Existe obviamente um contexto para isto. A Globo, que além de líder é quem tenta impulsionar a chama da inovação em entretenimento televisivo, há tempos perdeu a relevância na área do humor. O que se viu foram os outros canais, abertos e pagos, encontrarem os novos talentos, os novos formatos e faturar com eles.

É aqui que o sopro de novidade vira um suspiro de decepção. Tá no Ar parece um programa que chegou atrasado, correndo atrás do que os outros canais e mesmo a Internet já fizeram. O melhor quadro do episódio piloto, que foi ao ar nesta quinta-feira, é justamente o último: o videoclipe em que Marcelo Adnet encarna o rapper JC de Nazaré. A piada é boa, incrivelmente boa, mas ela exibe bem a reciclagem que o programa faz. Tá no Ar se apropria aqui do talento de Adnet pra parodiar canções e estilos musicais (coisa que ele fez com sucesso no Comédia MTV e com menos sucesso no Fantástico). E, se me perdoem a malícia, encerrar o programa parodiando Jesus Cristo me parece também uma tentativa da surfar na polêmica que o grupo Porta dos Fundos criou (e com a qual faturou alto) em seu programa especial de Natal.

A produção refinada e a edição ágil não consegue esconder ainda que Tá no Ar também parece atrasado na pauta. O primeiro episódio vem com duas tentativas de debochar de séries de TV: Sexy Indecisa (versão de Sex and the City) e o Dr. SUS (House). Você sabe, né? House terminou há dois anos, Sex and the City há 10.

Mas o telespectador que conhece e percebe as influências de Adnet, Marcius Melhem e companhia sabe que programas de humor acertam e erram na mesma proporção e é isto que faz o gênero tão fascinante. Pra cada deslize há uma boa sacada – como o quadro Jardim Urgente, sátira ao Brasil Urgente, ou o nonsense Pesca Mortal (um quadro de besteirol que parece ter saído direto da TV Pirata).

Tá no Ar: a TV na TV

Imperdoável, no entanto, é o fato do programa subestimar o telespectador neste primeiro episódio, como quem explica a piada depois de contá-la. O exemplo mais claro disto é o personagem de Adnet, que interrompe a programação em três momentos para fazer críticas a rede Globo – ele basicamente está ali pra dizer ao telespectador que o que foi mostrado no esquete anterior nunca tinha sido feito antes no canal.

Talvez sem a pressão de acertar no piloto e sem esta necessidade de explicar pro telespectador a proposta do programa, Tá no Ar: a TV na TV possa crescer, fazer sucesso e até marcar época. Mas é preciso olhar o programa da perspectiva correta: não há nada de novo, mas isto é bem melhor do que a tralha que a Globo tem nos oferecido.

* * *

Tá no Ar: a TV na TV
vai ao ar à 0h de quinta para sexta-feira, na rede Globo. O primeiro episódio está disponível via streaming na internet, no site GShow.

Séries citadas:

É jornalista, pós-graduado em Jornalismo Digital pela Pucrs e trabalha com produção de conteúdo para Internet desde 1995. É editor de internet do Jornal do Comércio, de Porto Alegre. Fundou o TeleSéries em agosto de 2002. Na época, era fã de The West Wing, The Shield, Família Soprano e Ed. Atualmente é viciado em The Good Wife, NCIS, Game of Thrones e Parks and Recreation.

28 Comments

  1. Marília

    Eu gostei do programa, mas, de fato, me lembrou muito o TV Pirata! Mas foi uma lembrança boa, de quem sentiu falta….

  2. Zé Beto

    Eu achei o personagem comunista do Adnet sensacional, talvez a parte mais engraçada do programa. Ele imitando nossa “elite intelectual” foi hilário.

  3. Lais

    Uma pena que o autor do texto aparentemente não tenha entendido a proposta irônica no personagem anti-globo, foi genial.

  4. Felipe

    Não há nada de novo mesmo uma cópia ignorante o padrão de humor está baixo, Silvio Santos , JC , sátirá de telejornais não vi inovação repetitivo e sem graça.

  5. Felipe

    Não há nada de novo mesmo uma cópia , o padrão de humor está baixo Imitação de Silvio Santos, Sátira de telejornais onde está a inovação maravilhosa, além de reprtitivo é sem graça.

  6. Julio Cruz

    Caro Paulo Serpa, acho que vc não entendeu o verdadeiro propósito do personagem que faz críticas a rede Globo. Não tem absolutamente nada a ver com explicar algo ao telespectador, e sim, em fazer humor com as próprias críticas que a emissora vive recebendo e mostrar como as mesmas ocorrem. Logo após o quadro da galinha preta pintadinha por exemplo, ele já faz menções ao desrespeito as religiões afro-brasileiras, já que nos dias de hoje não se pode brincar mais com nada, que o pessoal do “politicamente correto”, aparece para encher o saco. Reveja o quadro e repense um pouco a sua opinião.

  7. Julio Cruz

    Exato. Acabei de responder pra ele e agora vi o seu comentário. Que bom que a maioria da galera aqui é inteligente e tem essa sensibilidade de perceber a crítica feita através daquele personagem.

  8. romualdo

    porreta esse programa, sexy indecisa ta ótima, pesca mortal top de linha, renata gaspar “arrebenta” com suas atuações lembro dela fazendo um boneca do saturday…aonde esta o ipiranga..kkkkkkqqqqq kiki

  9. Caroline®

    Acho que esse personagem tem outro objetivo também, além desse: neutralizar possíveis gritarias do politicamente correto contra o programa. Ora, se eles mesmos fizerem o alarde, a crítica perde totalmente a polêmica e o sentido. Ah, e chorei de rir com a Galinha Preta Pintadinha. Em tempos de tanta patrulha, uma brincadeira tão nonsense – e até meio ofensiva, mas pouco – é bem surpreendente.

  10. Seu Sapão da ultrafarma

    Já ia comentar isso. Se o autor acha que o personagem está ali explicando as piadas, então ele passou longe de entender o programa.

  11. Paulo Serpa Antunes

    Acho que tem formas diferentes de compreensão da piada. Pode ser uma paródia ao discurso anti-Globo, pode, pode ser. Funciona assim.

    Funciona como autocrítica também: estamos gozando da Friboi, do Silvio Santos, das séries de TV, do Balanço Geral, mas reconhecemos as falhas da nossa emissora também, então tá tudo bem.

    Mas ainda assim não deixa de ser um reforço da piada anterior. Olha, fizemos uma piada de religião, prestou atenção pessoal? Olha, vou falar agora da MTV, da RedeTV!, porque até então não se podia falar aqui. Posso estar enganado mas me parece uma bengala, um recurso que usaram pra apresentar o programa, que possivelmente não vão usar de novo.

  12. vitorio

    Programa de mal gosto não teve nada de engraçado RI só forçando quase divertics

  13. Matheus

    kkkkkkkkkkkkkkkk , explicando piada , o cara n entendeu nada sobre aquele maluquinho q aparece pra criticar a rede globo. A parte que ele falou de illuminati e nióbio eu quase cai do sofá

  14. Rildo Matematico

    Gostei do programa, fazia muito tempo que não via um programa desse nível na globo (humor) eu diria um programa humorístico sutil!!

  15. Romulado

    Marcelo Adnet e companhia mandando brasa!Renata gaspar e companhia super hiper mega joia.

  16. Maiara

    Programa MALA SEM ALÇA! HUMORISTAS? que não sabem fazer graça fraquíssimo.

  17. Kelly Madaleny

    A parte em que o ator faz a crítica ao vídeo, não foi nada inocente. Fez seus comentários anti globo visando as possíveis críticas que a emissora receberia, com a intenção de desqualificá-las. No caso específico do vídeo da galinha pintadinha, eles primeiramente, atacam a religião de matriz africana, depois nada inocente, prevê as críticas e faz um comentário irônico das possíveis críticas que a emissora receberia, pois a emissora já é conhecida como racista, basta lembrar dos papeis em que os personagens negros atuam na globo.

  18. Leandro

    Pra mim o Adnet já havia morrido humoristicamente ao ir para Globo, mas assisti o episódio de ontem e vi que ele está mais vivo que nunca. Lembrou muito as sátiras do Monty Python e consequentemente todos os programas de esquete brasileiros que tem influência do grupo inglês (Porta, Hermes e Renato, etc).

    O melhor programa de humor atualmente na Globo, sem dúvida!

  19. Tiany

    OTIMO PROGRAMA…ADOREI…OTIMO….E SERIA MEGAMASTER OTIMO COM A PARTICIPACAO DA TATA WERNECK HEIN…
    PARABENS ADNET…ADOREI O JC DE NAZARE.

  20. Sérgio Carrilo

    Acho muito sem graça. Não rio um segundo sequer. Esta geração de humoristas que pensa que somos surdos é um saco! Pra que tanta gritaria e forçação de barra? Este tal de Adnet deve ter parentes importantes como o seu colega Fábio Porchat. Só pode.

  21. nome

    O programa é bem estilo Tv Pirata e chegou 15 anos atrasado.
    Tv pirata começou em 1988, casseta e planeta em 1992, se “ta no ar” tivesse entrado no lugar do casseta la por 1998, teria sido um timing perfeito.

  22. Dauro Fernandes

    o único defeito do programa (por enquanto) é a duração…tá muito curto !!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account