Log In

Reviews

Suits – Conflict of Interest

Pin it
Série: Suits
Episódio: Conflict of Interest
Número do Episódio: 3x04
Exibição nos EUA: 06/08/2013
74
3.7
1

Um episódio em que o que salta aos olhos é a habilidade dos roteiristas em desconstruir a idéia que, em um primeiro momento, nos levaram a ter a respeito de seus personagens. Explorando, tal qual arqueólogos, as diversas camadas emocionais das quais o ser humano é feito, surpreenderam, mais uma vez, em Conflict of Interest, fazendo em pedaços a idéia de um ser humano unidimensional, e, portanto, retirando dos personagens de Suits, o rótulo de bom ou mau, com o qual, freqüentemente, nos deparamos nas histórias contadas por Hollywood.

Harvey e Mike cederam o lugar diante dos holofotes para Jéssica, Louis e Katrina. Em mais uma disputa jurídica envolvendo Ava Hessington, foram os três personagens secundários que brilharam. E brilharam justamente porque agiram de forma inesperada.

O problema com Ava Hessington, desta vez, era a possibilidade de que ela perdesse o controle de sua empresa para outro investidor, uma vez que ainda estava sendo acusada de assassinato e isto se refletia na queda do valor das ações da Hessington Oil, razão pela qual ela deveria deixar a empresa. A Pearson e Darby, por sua vez, representa a Hessington Oil e também sua CEO e ambas, aparentemente, possuem interesses irreconciliáveis. De um lado, então, vemos Louis e Katrina, defendendo os interesses da empresa, e, de outro, Harvey e Mike procurando livrar Ava das acusações de assassinato e mantê-la no cargo que ocupa.

Nesta disputa, o que realmente está em jogo é o contrato de catorze milhões de dólares que a Hessington Oil tem com a Pearson e Darby: se o preço das ações continuarem a cair e a empresa for comprada por outro investidor, a Pearson e Darby perde a empresa como cliente e, conseqüentemente, seus catorze milhões de dólares. No entanto, Ava continua a afirmar que é inocente e se recusa a deixar o comando da empresa que é uma herança de família. O que as duas equipes tem em comum é a certeza da participação de Ava nos assassinatos e a ordem de Edward Darby de que Ava era a prioridade e não a empresa. Harvey lembra isso a Jéssica e, ao mesmo tempo, deixa entrever que ela perdeu o controle do escritório e, agora, ele tem o apoio de Darby.

Diante deste quadro saímos do óbvio para o inesperado quando, finalmente, Ava convence a todos de que é inocente. Louis que, com o consentimento de Jéssica, já havia armado uma estratégia para destituir Ava de seu cargo, vê-se compelido a mudar de opinião e de tática, mas é impedido por Jéssica. Ou seja, Louis, mais uma vez, transita da ganância para a generosidade quando confrontado com a obviedade dos fatos.

Jéssica, por sua vez, faz o caminho inverso e, pela primeira vez, mostra que a ela também se pode aplicar a máxima de que todos tem um preço: o dela é o controle do escritório de advocacia. Quando o controle do escritório está em jogo, desaparecem toda a coerência e retidão de caráter que o personagem demonstrou nestes dois anos da série. Percebendo a óbvia aliança entre Harvey e Darby, ela opta por sacrificar Ava, apesar de também ela ser sua cliente e, principalmente, ser inocente.

Katrina, por sua vez, despiu-se do manto de megera e deu uma lição de humildade. Aproximou-se de Mike, deu-lhe crédito por suas idéias, alertou Louis para a inocência de Ava e manteve a lealdade para com seu chefe imediato.

Assim, não é possível simplesmente amar ou odiar qualquer dos personagens da série pois, a cada episódio, qualquer um deles pode se provar digno de qualquer um desses sentimentos. E aí reside outra maestria dos roteiristas e diretores: dão-nos matéria bruta para refletirmos sobre atitudes inesperadas e sobre a condição humana. E depois disso tudo, ainda conseguem, repetidas vezes, ao final de cada episódio, deixar interrogações suficientes para levar o telespectador a voltar na próxima semana.

Séries citadas:

Historiadora e professora não praticante. Adora uma boa história, seja ela escrita ou encenada. Atualmente, em seu coração, dividem espaço Person of Interest e Once Upon a Time. A Guerra dos Tronos? Prefere o livro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account