Log In

Reviews

Star-Crossed – Some Consequences Yet Hanging in the Stars e What Storm Is This That Blows So Contrary

Pin it
Serie: Star-Crossed
Episódios: Some Consequences Yet Hanging in the Stars e What Storm Is This That Blows So Contrary
Número dos episódios: 1x09 e 1x10
Exibição dos EUA: 14 e 21/04/2014

No episódio anterior, depois que Emery viu as imagens contidas no Mirzan, eram favas contadas que Castor deveria ser desmascarado. Afinal, nem era necessário que Soraya tentasse fazer com que Roman enxergasse que se ela tivesse se rebelado contra Nox, não seria ela quem lhe forneceria as provas para condená-la. A essa conclusão, era fácil chegar-se, somente pensando-se por um momento. Assim, Castor que sempre foi essa água morna, acabou sendo desmascarado e (quem sabe?) possa se tornar o ponto de desequilíbrio na história, porque, convenhamos, nem Trags, nem novos Falcões Vermelhos, preenchem todos os requisitos, de forma satisfatória, para serem os vilões por excelência.

Aquela necessidade básica do exercício do poder pelo poder somente é personificado por Castor. E ainda que ele expresse o desejo de que atrianos tenham seu próprio território, esta condição somente estará posta sobre a mesa se ele for o líder.

Vega é movida pelo desejo de vingança. E, convenhamos, se olharmos a situação pelos seus olhos, podemos até entender. Afinal, no relacionamento entre humanos e atrianos, desde que caíram no planeta, a truculência sempre esteve mais presente que o diálogo. E, até o momento, os atrianos têm perdido mais do que ganhado.

Se Grayson tenta reorganizar os Falcões Vermelhos, sua motivação tem mais a ver com a decepção de ter perdido Emery e a desconfiança que suas memórias despertaram, do que por qualuqer fanatismo, embora ele justifique suas ações chamando-as de instinto de preservação. Mas parece-me que a semente do bom mocismo ainda pode germinar dentro dele!

Vega e Grayson têm em comum, aparentemente, a capacidade de ouvir, ponderar e tomar decisões a favor de uma causa, não em benefício de si mesmos. Ao contrário de Castor que, por trás da suposta preocupação com seu povo, deseja a cadeira do líder em benefício próprio.

Enquanto Roman lhe era útil, porque filho de Nox e seu sucessor natural, e permanecia sob sua influência, Castor o protegeu. E quando ele tornou-se uma ameaça, não hesitou em chegar às últimas consequências.

Vega poderia ser acusada da mesma atitude se pensarmos que estava disposta a isolar Drake do convívio dos atrianos. Mas fico me perguntando se não teria sido apenas um blefe. Enquanto mantinha sua imagem de líder implacável, conseguia chegar a Roman e, através dele, até Soraya.

Embora eu ache que ela abandonou a ideia do Cyper negro muito rapidamente, pois se pensarmos que, mesmo que Zoe tivesse fugido com toda a colheita, ainda lhe seria fácil começar outra, o Suvek parece um substituo à altura.

E Castor, não podendo livrar-se de Roman literalmente falando, providenciou sua desmoralização pública, afinal o que poderia trazer-lhe mais desonra do que um relacionamento profundo com a filha do assassino de seu pai? Castor e Vega marcaram um ponto e Grayson está bem próximo de marcar o seu.

Enquanto Castor ganha a confiança de seu povo, Vega providencia os materiais necessários para a construção do Suvek e Teri coloca a cidade e o colégio abaixo: um furacão para distrair a atenção e conseguir os materiais de que Soraya necessita. Um soldado exemplar, Teri cumpre sua missão e, como bônus, consegue separar Roman e Emery.

Sob o efeito do Vatal (alucinógeno ministrado por Teri), Roman passa pela difícil experiência de não conseguir reprimir seus sentimentos. A confissão da verdade que ele não havia formulado para si mesmo: entre seu povo e Emery, sua opção, mesmo sendo um contra-senso, sempre fora por ela e isto o enfraquece. E, ao final, é ela quem toma a difícil decisão pelos dois: até o dia em que, finalmente, atrianos e humanos se entendam, eles devem separar-se, pois apenas dessa maneira ele pode reconquistar a confiança de seu povo e dedicar-se a ele.

Drake também tem que tomar uma decisão difícil. Diante da ameaça de ser denunciado por Grayson, ele cede à chantagem e termina com Taylor. Um verdadeiro desperdício já que, enquanto ele cede às exigências do novo líder dos Falcões Vermelhos, mais frágil vai ficando. Grayson ainda deseja um nome que pertença aos Trags e cedo ou tarde, se não enfrentá-lo, Drake terá que revelar-lhe.

Enquanto os grupos extremistas se organizam e casais se separam, Julia e Eric começam a se entender. Um consolo já que ela quase se tornou um rato de laboratório e levou Roman junto!

Apesar de a história estar andando, Star-Crossed ainda me parece meio sem rumo. Ideias são lançadas e abandonadas muito rapidamente, personagens consistentes são esquecidos e reaparecem pontualmente apenas para executar uma tarefa e serem novamente relegados ao ostracismo. Ou situações são resolvidas de forma muito óbvia, principalmente se Emery está envolvida nessa solução.

Existem roteiros que se arrastam e outros, como de Star-Crossed, que aceleram tanto a história que ela vai se desintegrando pelo caminho. A três episódios do final da temporada, ainda é tempo de imprimir outro ritmo à história, uma vez que enredo ela tem de sobra.

Séries citadas:

Historiadora e professora não praticante. Adora uma boa história, seja ela escrita ou encenada. Atualmente, em seu coração, dividem espaço Person of Interest e Once Upon a Time. A Guerra dos Tronos? Prefere o livro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account