Log In

Spoilers

Spoiler: Dirt, This Time You’ve Gone Too Far…

Pin it
Cena de Dirt

As séries do canal americano FX sempre lidam com temas dos mais delicados. E mais uma vez eles acertaram na mosca: uma revista de fofocas, e sua relação promíscua com as celebridades é um prato cheio para mais uma ótima investida. Mas dessa vez parece que ficou faltando algo no meio do caminho…

Não, não pensem que Dirt é essa bomba toda que a mídia americana vem anunciando (aliás, parece que eles estão mais interessados na manutenção da “Friends Curse” pra continuar fazendo notícia, numa rima não intencional com o próprio tema da série em questão).

Dirt é centrada em Lucy Spiller (Cox), editora-chefe de duas revistas: a Now, com conteúdo mais light e a Drrt (se escreve assim mesmo), que é onde a merda é jogada no ventilador de fato. O ponto fraco da série é justamente ela. Atenção, fãs da atriz: a culpa, pelo menos no primeiro momento, não parece ser dela. Aqueles que acompanham TV sabem que ela está cheia de protagonistas fortes (Veronica Mars, House, Jack Bauer, Dexter, a lista vai longe), a Spiller tenta desde o princípio se incluir nesse grupo e o roteiro joga diversas características para que nós possamos identificá-la, mas no final do episódio fica aquela impressão de “quem é ela?”. Ela trabalha demais, pratica sexo casual, consome cocaína pra combater a solidão e… é isso. Ela tem várias cenas isoladas, mas lhe faltou um arco dramático consistente.

Quem realmente teve os tais arcos foram dois coadjuvantes. Holt McLaren (Josh Stewart, o melhor em cena) é um ator em decadência que se vê obrigado à se vender para a revista a fim de tentar ressuscitar sua carreira (sua outra alternativa seria participar do Dancing With the Stars, referência esperta do roteiro). Sua namorada é interpretada pela (muito, muito) linda Laura Allen. A seqüência dos dois na boate pode ser considerada desde já a turn on scene do ano. Assistam e entenderão.

Outro coadjuvante com boa participação é Don Konkey (Ian Hart). Ele é um fotógrafo esquizofrênico (!), o que sempre gera uma divertida tensão na hora dele executar suas tarefas (ele terá ou não uma crise?). Cenas dele pirando o cabeção infelizmente aparecem em excesso, e pior, diversas seqüências com “palavras flutuantes” fazem uma referência-que-mais-parece-plágio com Uma Mente Brilhante.

Por falar nisso, Dirt, em seu aspecto visual, flerta perigosamente com o brega. Além das letrinhas saltitantes, temos a seqüência inicial com as capas de revistas imaginadas pro Spiller e as conversas por mensagem de texto. O defensor mais ortodoxo da série diria que é uma sátira ao glamour de Hollywood. Pra mim pareceu descuido de pós-produção. E a cena de Holt salvando sua (linda, linda) namorada você já assistiu recentemente – o que também é grave, já que a fonte em si nem era a seqüência mais original do universo.

Resta ao showrunner Matthew Carnahan (cuja maior credencial é o guilty pleasure Fastlane) saiba como tocar o barco. Torçamos por ele.

Séries citadas:

26 Comments

  1. Vanessa

    Já li tanta coisa metendo o pau em Dirt que sua review me surpreendeu…
    Acho que temos que ver por nós mesmos e tirarmos nossas próprias conclusões. Mas confesso que não estou tão empolgada assim como estava no início.

  2. Eric Fernandes

    Quanto mais a crítica metia o pau em Dirt, mais eu ficava ancioso para vê-la. Ótimo texto.

  3. Paulo Antunes

    ESte negócio de Friends Curse me irrita profundamente – e os colegas do Séries Etc ficam alimentando esta bobagem no Brasil.

    Enquanto Jennifer Anniston estiver ganhando milhões por filme não tem como existir Friends Curse.

    Além do que, ok, Joey fracassou. Fracassou mas teve 46 episódios produzidos. Vai demorar um ano ainda para Old Christine alcançar 46 episódios. Se Matt LeBlanc ganhava 800 mil por episódio, como diziam, embolsou 36,8 milhões de dólares da Warner Bros. por um fracasso. Eu que queria uma maldição destas pra mim…

  4. Vanessa

    Concordo com vc, Paulo. Odeio esse tipo de sensacionalismo. E esse site a que vc se referiu é craque nisso. Odeio tb a tal ‘maldição Seinfeld’. Foi preciso a Julia ganhar um prêmio para desencanarem.

    Sobre ‘Friends Curse’ vi uma chamada da E! sobre o próximo ‘True Hollywood Story’ com a série. Sensacionalismo é pouco: “Matt LeBlanc fracassa, David Scwimmer aposentado, Jeniffer é trocada por outra, Matthew Perry viciado e Courteney apesar de casada não consegue escapar do seu passado com Bruce!”. Ridículo é pouco.

  5. Goncalves

    Pois eu concordo com a maioria da crítica americana: a série é horrível. Você acusa a imprensa de querer manter a maldição, mas parece que você é que ainda é muito fã de Friends para admitir a droga que é esta série. Você mesmo aponta alguns dos muitos problemas da série. Mas me parece que o problema principal é simples: a série é uma vingança contra os tablóides e paparazzi. Então tudo é exagerado e nada é verossímil. A série está mais para comédia a la Ugly Betty do que para um drama verossímil.

  6. Matheus

    Putz, Vanessa, eu tb vi esse comercial..
    Muito sensacionalismo mesmo..
    Esse canal E! é especialista nisso, parece um TV FAMA em forma de canal..Bom, quanto à série Dirt eu não posso falar nada pois não assisti nada até agora..Prefiro ver antes de opinar..Alguém poderia me dizer se a série passará no Brasil, e se passar, em que canal?Obrigaddoo

  7. Anderson Vidoni

    Friendes Curse, é uma das coisas mais idiotas que existe, alias todo tipo de curse que inventam, não consigo levar a sério quem fala isso.

    Sobre a série, não é tão ruim como a imprensa americana anda falando, mas ta longe de ser boa. Mas só foi o piloto, a série pode melhorar.

  8. Fabiano

    …pelo que li , a audiência do primeiro episódio de “Dirt” foi considerada pelo FX americano como bastante satisfatória, ficando pouco abaixo dos indíces alcançados pelas recentes “season premiere” de “The Shield” e “Rescue Me”.

  9. Lucas Barreto Gomes Leal

    eu estava(estou) mto afim de ver dirt…estava baixando aqui agora to pensando seriamente se termino de baixar ou não hehehe
    mas essa coisa de maldição é uma bobagem…o que pode acontecer é sim o cara ficar mto marcado como um personagem entrar na tela e o povo ficar meio que não querendo ver aquele show por conta disso…mas se a série é boa conquista o cara e não tem problema…se é ruim só ajuda ou seu cancelamento que provavelmente já ocorreria!
    Joey não teve esse problema pq era o mesmo personagem…e mesmo assim não foi tão bem logo acho que essa “maldição” esta mais atrelada a qualidade dos projetos…todos são competentes daqui a pouco arrumam um bom projeto (como o Perry esse ano) a serie engrena e param com essa coisa!

  10. Idileu

    Adorei essa série…. adoro a Cox… baixei até o episódio 7 no islifecorp, não consigo encontrar os outros episódios na net. alguem sabe algum site?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account