Log In

Reviews

Spoiler: Skins, série velha de cara nova

Pin it
http://www.teleseries.com.br/wp-content/uploads/2009/02/skins.jpg

Cena de Skins

Eu lembro de quando comecei a assistir Skins e de ter escrito um texto (que não foi publicado e nem sei mais onde está), mencionando um novo formato para o drama teen. Tudo bem que aqui estamos falando de uma série britânica e não norte-americana, mas existem gêneros que possuem um determinado formato de narrativa. Ao apresentar os personagens, Skins logo se mostrou uma série que não teria vergonha de explorar a sexualidade, o uso abusivo de drogas, as festas não tão certinhas como estamos acostumados a ver. Era (e continua sendo) um programa que, apesar dos excessos, não tem medo de soar pevertido demais (na falta de um melhor termo).

Aqueles personagens que estávamos acostumados a ver se foram. Tony, Sid e companhia limitada deram lugar a novas caras que tem o objetivo de nos fazer “esquecer” dos antigos e concentrar nos novos. O que será um pouco difícil para os fãs que aprenderam a gostar da série a partir do carisma daqueles que a iniciaram. Por essa razão, até critiquei por um tempo a decisão dos criadores em “reconstruir” o programa apresentando novos personagens à história. Porém, é o meio mais crível que eles encontraram (e eu concordo) para não tornar a série repetitiva demais.

Se no começo da primeira temporada víamos Tony usando o seu celular sem parar, ligando para os seus amigos para falar, desde coisas menos importantes, até marcar de se encontrar para algum tipo de festa, nesta nova Skins se tem algo muito parecido quando vemos Freddie andando de skate pelas ruas de Bristol e, logo em seguida, se juntando a dois outros amigos: JJ (Jonah Jeremiah Jones) e James Cook. Na cena em que estão juntos, conhecemos um pouco de cada um dos três, mesmo que brevemente. Cook, por exemplo, parece ser o novo Tony, enquanto que JJ se parece muito com Sid. Desculpem, mas é impossível não fazer comparações.

A primeira garota que eles conhecem é exatamente Effy, que é uma das únicas remanescentes das temporadas anteriores – juntamente com Pandora, que aparece nos episódios finais da temporada anterior. A sequência leva a crer que os três amigos vão disputar para conquistar a irmã de Tony que, apenas por tal ligação, já é a mais popular do colégio. A história não está centralizada nela por mero acaso. Desde quando a série mostrava a família de Tony, o roteiro deixava claro que ela tinha algo de misterioso e um lado que o público ainda não conhecia. Por trás daquele rosto infantil, ela se mostrava uma pessoa ainda pior que o irmão.

Depois de termos conhecido o trio, Skins parte para as gêmeas Emily e Katie Fitch. Uma é o oposto da outra. Enquanto que Emily parece ser a “garota certinha” (um título que ela provavelmente odeia), a sua irmã tem tudo aquilo que ela gostaria de ter: namorado que é jogador do time da cidade, popularidade, amigas e outras dezenas de homens a desejando. Porém, uma outra coisa me chamou a atenção: Katie é uma garota que sonha ter o namorado perfeito e uma vida melhor que a das suas amigas o que pode gerar, assim, uma desilusão ainda maior quando ela descobrir as verdades por trás de tudo o que ela pensa ser.

A família Fitch também é a primeira que olhamos para o interior da sua casa, o que é sempre muito interessante em Skins. O excesso que eu julgo na série está exatamente nestas tramas. Às vezes acho a situação dos pais em relação aos filhos inverossímel demais, mas é claro que tudo está dentro do contexto e de uma proposta narrativa. Mesmo assim, não consigo enxergar (ou talvez entender) a maneira como os pais tratam da educação dos filhos, assim como a própria escola é um completo caos onde ninguém parecer ter autoridade, a não ser os estudantes. Isso fica claro na cena em que a diretora dá as boas-vindas em um dos momentos que achei mesmo desnecessário no episódio, principalmente porque se prolonga demais em algo que não teve tanta importância depois.

O importante foi que Skins, apesar de toda repaginada, não deixou de mencionar os personagens antigos. A primeira cena do episódio faz uma alusão ao início da série, assim como quando vemos o armário de Sid sendo vasculhado por Cook e seus amigos. E a história se concentrou neles e na disputa por Effy. Os dois mais interessados, Cook e Freddie, mostraram-se completamente diferentes: enquanto um está mais para a sacanagem, o outro demonstra um lado mais romântico. Preciso dizer qual a Effy escolheu?

Cena de Skins

É bem verdade que o “novo” pode trazer certa repulsa por parte do que se passou no “velho”. É muito cedo (coisa mais clichê dizer isso) para traçar comentários sobre perfil dos personagens ou das histórias que veremos. Somente quando os episódios forem centralizados que poderemos descobrir se os novos conquistarão o público.

Texto publicado originalmente no weblog Sob a Minha Lente.

Séries citadas:

18 Comments

  1. Leonardo Toma

    Achei o primeiro episódio escrachado demais. Piadas com peidos, aquela professora histérica caricata demais, a diretora nervosa. Skins sempre foi cômica mas nunca com esse tipo de comédia óbvia. E sobre os novos personagens, os próximos episódios serão bem melhores, diferente do desfile de perfis esteriotipados que o primeiro episódio apresentou.

  2. Lucas "Gandalf" Leal

    Vinicius achei o Cook mais parecido com o Chris q com o Tony, mas achei q ele é uma mistura dos dois…
    o JJ é um Sid BEM piorado…o Sid tinha uma coisa meio ‘cool’ despojada, e mtooo sarcastica…apesar de ser uma negação pra se enturmar e pra parte social…
    o JJ é apenas um looser mesmo hehehe

    gostei demais do segundo episódio, tudo bem eu sou mto fã e suspeito pra falar…mas um episódio q começou morno, focado no personagem q eu não gostei tanto (ele e o outro Freddie, q me lembra o Anwar fisicamente, não me interessaram mto)…acabou me acertando em cheio…
    e a série já começou aquela rota meio autodestrutiva, mostrando o Cook fazendo as coisas sem medir consequencias…

    mas mta gente criticou DEMAIS o primeiro episódio, honestamente não achei sensacional, mas achei divertido…uma boa introdução, mostrando bem as caracteristicas dos personagens…sei lá querer falar q foi mto ruim por uma ou outra cena acho meio rigoroso demais…
    sim foi um pouco infantil, ainda mais depois do patamar q a série chegou no final da segunda temporada, mas não necessariamente ruim…

    o q menos gostei é o pequeno numero de plots pros personagens apresentados…enquanto no outro tinhamos Anwar, Sid, Jal, Michelle, Chris, Tony, Maxxie e Cassie logo de cara com histórias pra cada um (Maxxie prometia tramas por conta da sua sexualidade, Tony prometia mtas tramas com Michele, tinhamos a familia rigida do Anwar, a anorexia da Cassie e os problemas causados pela perda da maconha do Sid) aqui temos o trio, Effy, as gemeas, Pandora e a loirinha; do trio apenas Freddie despontou com alguma trama (bem meia boca q vai ser ele afim da Effy…) e as gemeas com suas brigas e a conexão da loirinha com a mais timida…pouco pro q tivemos na outra temporada (mas o q rapidamente já foi suprimido pela boa trama do segundo episódio envolvendo mais uma vez traficantes…)

    e bom texto Vinicius!só achei q faltou comentar q aparentemente a gemea mais nova tem algum interesse pela loirinha lá q julgam ser sapata…ainda não da pra ter ideia se ela é bi, lesbica ou apenas algum mal entendido do passado…mas é uma trama q tá me interessando mais por ora do q o quadrado amoroso!

  3. Maurício

    O primeiro episódio já foi meia boca e apesar de ter quase o mesmo clima da primeira season premiere da série, não teve o mesmo sintido/choque/ou causou a mesma impressão. Foi meia boca e ponto.

    Já o segundo episódio nem merece ser comentado, foi péssimo, o pior da história da série.

  4. Leonardo Toma

    Eu não achei o segundo episódio tão ruim assim. Só não gostei da situação que o Jamie Brittain (sim, o co-criador da série que escreveu) colocou o Cook: ele fez o personagem colocar em risco de vida todos os seus amigos. O Tony era um egoísta, manipulador e f.d.p. mas ele nunca faria isso.

    Ah, e quem não sabe o segundo epi teve a participação de Mackenzie Cook, o Gareth do The Office britânico.

  5. Lucas "Gandalf" Leal

    Maurício péssimo o segundo episódio?
    bom poderia comentar, já q vc achou péssimo
    eu honestamente achei mto bom

    Leonardo realmente o Tony nunca colocou a vida dos amigos em risco, mas quando teve aquele rolo de perder a maconha o Sid se viu totalmente enrascado…
    acho q o Cook vai seguir a mesma linha, só q o final promete não ser tão ‘comum’ quanto o outro…ele é totalmente autodestrutivo e sem senso de nada…se meteu com um cara barra pesada e vamos ver como isso vai se desenrolar…

  6. Vicente

    Só pra eu entender: vocês estão comentando uma temporada que ainda não estreou no Brasil, estou certo?

  7. Leonardo Toma

    É, o Sid se enrascou com aquele cara lá, mas ele não era de uma gangue que matou duas freiras e um policial. Só achei que ficou meio forçado (e pesado demais). Acho que o Cook tem aquele transtorno borderline ou seja lá qual for o nome. Mas o que importa é que isso dará boas histórias.

    E sim Vicente, essa temporada não estreou no Brasil ainda. Creio que tanto o texto do Vinícius quanto nossos comentários sejam spoilers.

  8. Lucas "Gandalf" Leal

    Leonardo, achei pesado demais sim, por isso q gostei!só não vou gostar se acabar tudo ‘bem’…acho q essa cosia do gangster pode ir pra um caminho mais dark e isso pode acrescentar mto pro personagem Cook quanto pra série

    e Vicente assim como o Leonardo falou, está no título da coluna “SPOILER”
    Spoiler nesse contexto é tudo q ainda não passou aqui no Brasil ;)

  9. MRC

    “Por trás daquele rosto infantil, ela (Effy) se mostrava uma pessoa ainda pior que o irmão.”
    É impressão minha, ou você não viu o episódio dela na segunda temporada?

  10. Ta.

    Nossa esses 2 episódios são no minimo fracos. As situaçoes sao muito forçadas, as piadinhas sao completamente toscas dignas daquelas comédias forçadas.
    Toda a comédia utilizada até agora é muito batida e a gente pode encontrar dela até em Malhaçao.
    O legal das outras temporadas era o lado comico inusitado, as tiradas imprevisiveis, os dramas complexos e criaativos. Mas nessa temporada tá faltando muita coisa. Esse episódio de Skins teve uma coisa q antes n tinha: a normalidade, banalidade, a falta de criativida e nexo. O segundo epi foi horrivel.
    Mas ainda temos os outros personagens e espero q essa parte tosca do gangster acabe logo. Eu quero é o verdadeiro drama-comico Skins

  11. Rafa Bauer

    Eu só vi o primeiro episódio e achei bem raso. A série perdeu o diferencial que tinha antes: era uma série sobre teens, mas não necessariamente dirigida a esse público. Agora é uma série sobre e PARA teens. Achei o texto muito raso, os personagens superficiais, muito pastelão.

    A Skins que eu conheci na 1ª temporada (e, em menor intensidade, na segunda), tinha personagens com conflitos reais, um texto com densidade dramática, ainda que houvesse situações cômicas.

    Espero que melhore a partir do 2º episódio.

  12. Rafael B.

    Eu achei esse episódio muito bom, me fez pensar que apesar de tudo ainda é Skins, e não uma série totalmente nova. E quanto a comparações acho que elas eram inevitáveis, ainda mais por serem sem fundamentos porque pra mim Sid/JJ e Tony/Cook estão muito longe de serem os mesmos personagens e eu acho que a cada episódio isso vai ficando mais claro. A única que é a mesma (que bom) é a Effy, que não poderia ter voltado melhor, apesar de eu ter achado um pouco precipitado a relação Cook e Effy. Mas tá bom, e só melhora…

  13. Leonardo Toma

    Essa questão de legislação de direitos autorais no Brasil é completamente confusa. No Wikipédia em português também está rolando esse tipo de discussão. Mas a questão lá é de utilização de imagens.

  14. tania

    bom ja so me faltam dois episodios para ver td da terceira temporada e sinceramente axo k a serie continua demais cm o proprio actor dix a serie n retrata o crescimento de adolescentes k vao para a universidade e sim putos de 17 anos lg o elenco tinha de ser alterado axei demais a mudança da effy pois na segunda temporada n tinha sentimentos apesar de num episodio tony ter dado a entender k ela n enganava ninguem…sei la axo k o memo eskema continua sexo droga mt droga e amizade c brigas traiçoes yah memo do memo genero….talvex seja um poco exagerada no sentido em k retrata montes de problemas da adolescencia e lg por acaso eles se encontram no memo grupo….loool m ta demais assim é k é alertar e divertir haha cd um fax o k ker….mas cm a serie indica por vexex s n medir-mos o k faxemos podemos nos maxucar….OU NAO!!!!bj pa tds os fãs bahhh so m falta ver dois episodios e ja tou a morrer de saudades e venha a quarta temporada k pelo o k ouvi volta a mudar de elenco….desde k o eskema s mantenha por mim ALLLTAAAAMENNNNNNTE!!!!!!!!! :p

  15. memeia

    è um luxo quando vi pela primeira vez e ate agora,mais precisamos saber as musicas e seus autores.bjs

  16. Mayara

    skins é a melhor série que eu ja assisti. Sem dúvidas a terceira temporada é a melhor, episódios MARAVILHOSOS.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account