Log In

Spoilers

Spoiler: Resumo da Semana – Especial Lost!

Pin it

Cena de Lost

A semana que passou foi a Lost weekend! Uma longa semana de espera, até a quinta-feira, dia da season finale da quarta temporada da série nos Estados Unidos. E, se nos permitem dar uma provocada na concorrência, foi também uma semana onde foi necessário muito jogo de cintura para driblar os sites que teimam em postar spoilers de Lost.

Para cobrir um dos episódios mais esperados da temporada não escalamos um colunista, mas seis. São seis pontos de vista diferentes para There´s no Place Like Home. Se você já assistiu ao episódio é nosso convidado para continuar lendo esta coluna e também postar seu comentário sobre a série.

Ah, e a coluna da semana tem ainda textos sobre Battlestar Galactica e Doctor Who (com participação da Alex “Corday” Kingston).

Lost: There´s no Place Like Home – Partes 2 e 3 (4×13 e 4×14)
Exibição: 29/5/2008

Opinião 1
MVP: Michael Emerson

O final da quarta temporada de Lost, que foi mais centrada nos personagens que nunca, fechou todo um ciclo com um conto de sacrifício e perda. As peças foram arrumadas no tabuleiro, mas ainda faltam algumas partidas. Ben, na cena que mais me tocou no episódio, sacrificou-se como jogador para que partida pudesse ser vencida. Locke, tornou-se líder, conseguiu tudo o que quis, mas temos revelado que ele era o homem do caixão, que ele abandonou sua vida de sonhos na Ilha para tentar salvá-la de seja lá o que aconteceu lá depois da partida dos Oceanic 6. Juliet, que está na Ilha há tantos anos, recusou-se a sair antes de assegurar-se de que todos os outros conseguiriam partir; e lá ficou, assistindo sua esperança transformar-se em fumaça. Sawyer pulou do helicóptero no mar para dar a seus amigos, e principalmente, a mulher que amava, uma chance de sair da Ilha. De alguma forma, todos perderam. Mas Jack provavelmente foi quem sofreu uma perda mais significativa. Ele perdeu a si mesmo. (Thais Afonso)

Opinião 2
MVP: Henry Ian Cusick, Michael Emerson, Yunjin Kim

Lost exige tratamento especial e reconhecemos isso. Tanto que dentre dezenas de séries, é a única que está sendo comentada pelos diversos colaboradores do TeleSéries num mesmo texto. Ela é diferente e isso não se discute: está acima das outras e ponto final. Seja pela qualidade, seja pelo hype pop… que seja. E é por esse mesmo motivo que Lost é tão exigido em seus episódios e massivamente criticado por seus erros. E eu não vou fugir da regra. Criei muitas expectativas. Algumas foram compridas, outras não. Mas isso é comigo. Apesar de ser um episódio duplo, algumas pontas ainda ficaram soltas e nem tudo foi resolvido.

Ninguém se comunica direito e fica só no “te explico depois”, os coadjuvantes só servem pra contagem de corpos, ninguém topa com os outros quando anda no mato, Michael apareceu só pra morrer e tem uma manivela numa caverna subterrânea congelada que faz a ilha mudar de lugar. Mas isso é comigo. São tecnicalidades de alguém que ansiava muito pelo finale de Lost, principalmente depois do que já mostraram nos finais dos anos dois e três. Tecnicalidades aparte, o episódio me agradou. E muito. Tem demonstração melhor de zelo, carinho e amor como a feita por Sawer antes de se “sacrificar” no helicóptero? E o reencontro de Desmond com Penny? Não há palavras. A quantidade de acertos fazem com que os erros, mesmo “massificados pelo fato da série ser Lost“, sejam insignificantes. E minha expectativa criada nesse finale foi repassada para a premiere do quinto ano. Eles têm que voltar pra ilha. E eu quero que voltem logo. (Thiago Sampaio)

Opinião 3
MVP: Henry Ian Cusick

Se eu fiquei decepcionado? Depende. Óbvio que eu esperava (ou melhor, eu queria) um episódio com o mesmo brilhantismo de Through the Looking Glass. Mas não nos esqueçamos que TTLG daqui pra frente sempre figurará em qualquer compilação de melhores momentos de todos os tempos das séries. E se Damon Lindelof e Carlton Cuse nem se arriscaram a fazer algo mais grandioso que o encerramento da terceira temporada é porque em termos práticos isso dificilmente seria concretizado. O que demonstra uma maturidade acima da média de parte dos showrunners. Coisa de quem sabe exatamente o que está fazendo e pra onde quer levar a história. E afinal de contas, não é como se o episódio tivesse sido mediano. Cliffhangers à parte (Jeremy, Claire, etc), o melhor momento foi o emocionante reencontro de Penny e Desmond (que já são um dos casais mais fofos que a TV introduziu nessa década). E, ok, coelhos viajantes do tempo foi de rachar o bico rindo. (Juliano Cavalcante)

Opinião 4
MVP: Yunjin Kim; Michael Emerson, Evangeline Lilly

Brilhante! Porém, não há como agradar a todos. Após uma excelente temporada, era de se esperar um final digno de superar o magistral Through the looking Glass – fato que não aconteceu, única e simplesmente porque o quarto ano foi todo conduzido para explicar como os Oceanic Six conseguiram sair da ilha, e nada mais. Na última finale, os produtores tinham o trunfo de nos surpreender com o fato de que eles saíram. Neste ano não havia tal efeito mágico, pois os mistérios estavam focados nos personagens – o que também foi ótimo. Excelente episódio, cheio de surpresas, emoção e explicações – afinal já virou tradição só saber o motivo de tudo no último momento.

Muitas pistas do que o futuro reserva e a revelação do “morto”. Confesso que apostei minhas fichas em Michael – mas eu não estava tão errado, afinal ele morreu, ou não? Tenho duvidas porque Hurley disse a Walt que estava mentindo para proteger aqueles que ficaram na ilha como o pai dele? Porém acho improvável, pois a aparição de Christian dizendo a Michael que ele estava “livre” pra ir – para morrer?. Locke era o morto e ficou claro quando os Oceanic Six disseram que um tal de Jeremy Bentham queria que eles voltassem a ilha.

Alguns mistérios ficaram sem resposta – como o de Walt – mas outros foram resolvidos, como o aparição dos portugueses no final da segunda temporada. E muitos outros aparecem – o que já é praxe. Como e porque Jack e os outros vão voltar a ilha, porque Sun está “ajudando” Wildmore, Ben vai voltar a ilha, o que Sayid quis dizer a Hurley com “estamos sendo vigiados” e “vamos para um lugar seguro”, se Hurley conversa mesmo com os mortos, para onde foi a ilha e que tragédia aconteceu com as pessoas que ficaram, porquê Claire não quer que Aaron volte, o que aconteceu com ela, o que Christian é??? Alguém sabe as respostas? Agora só nos resta esperar ansiosamente por oito longos e abstêmios meses. Brilhante temporada, excelentes atuações. Espero realmente que todos sejam lembrados pelo Emmy. (Gabriel Bonis)

Opinião 5
MVP: Matthew Fox

Quando terminei de assistir Lost apenas uma coisa vinha a minha cabeça: eles conseguiram mais uma vez. Poucas séries conseguem se reinventar tanto e de uma forma tão brilhante, fugindo do lugar comum (viagem no tempo, mover a ilha) e mesmo assim compramos a idéia, nos importamos com o que tem sido mostrado. E mais impressionante ainda em Lost é que um ator pode até ter mais tempo de tela do que outros, mas isso não faz dele mais importante, TODOS que apareceram na ilha tem sua parcela de importância (ok, todos menos Nikki e Paulo).

Houve alguns erros nessa temporada, como os tão egoístas (por falta de palavra melhor) Juliet e Sawyer se tornarem aqueles que colocavam outras pessoas em primeiro lugar, e o erro foi que não tivemos esses 02 personagens sendo bem trabalhado nessa temporada. Mas para cada erro havia milhares de acertos, como Penny e Desmond, o casal que conseguiu superar todas as adversidades e que nos renderam alguns dos melhores momentos da temporada.

Enfim, a temporada encerrou muito melhor do que quando começou, e quando penso que a série pulou 03 anos, que todos que saíram da ilha precisam voltar, que há uma mínima chance de Jin está vivo, que sawyer e juliet podem se tornar o novo casal, que charlotte nasceu na ilha e isso deve ter alguma importância, e que foi Locke que estava no caixão, e que é capaz dele retornar dos mortos quando voltar da ilha, eu penso que isso tudo é loucura, mas isso tudo é Lost, e se acontecer, é capaz de eu entender. E num mundo perfeito, Lost e Battlestar Galactica dividiram os principais prêmios do Emmy. (Paulo Fiaes)

Opinião 6
MVP: não informou

Foi uma season finale genial? Não, não foi. Estou, obviamente, partindo do pressuposto de outros finais de temporada que a série já nos mostrou, sempre causando impacto e sempre criando mistérios para serem explorados no ano seguinte. Ainda assim, o mais importante de There’s No Place Like Home nessas duas últimas partes que foram exibidas, foi ele começar completando o arco deixado no sensacional Through The Looking Glass, um dos melhores episódios já feitos por Lost e por qualquer outra série. A verdade é que esta quarta temporada manteve a regularidade, do início ao fim. E a season finale não poderia ser diferente. Lost respondeu uma série de perguntas e, se o episódio não ganhou em mistérios como nos finais anteriores, pode-se dizer que demonstrou muita dramaticidade, principalmente na cena em que Sawyer pula do helicóptero e também no reencontro entre Penny e Desmond. Tá certo que essa história de mover a Ilha ainda me faz cair em uma crise de risos, mas o importante é notar que tudo estava conectado e que as histórias apresentadas, tanto em flashbacks quanto em flashforwads, começaram a fazer sentido. (Vinicius Silva)

Cena de Battlestar Galactica

Battlestar Galactica: Sine Qua Non (4×08)
Exibição: 30/5/2008
MVP: Edward James Olmos.

Das três subtramas do episódio, a mais interessante foi aquela que mostrou Adama disposto a ir all the way (Husker is back, YEAH!) para descobrir o paradeiro das pessoas (e onde eu disse pessoas, leia-se Laura) desaparecidas no repentino salto da base cylon que encerrou o episódio anterior. Toda a busca por um novo presidente patrocinada por Lee foi bem óbvia (o que não é do feitio da série) e serviu mais pra gente matar a saudade do ótimo Romo Lampkin (Mark Sheppard, vencedor do prêmio Jerry de ator convidado). Minha primeira reação ao ouvir a revelação envolvendo Tigh foi uma grande risada (o que eu duvido que fosse o objetivo original da coisa). Mas de qualquer forma, isso acaba por confirmar que o Cylon-Coronel é um dos personagens mais legais da ficção-científica atual. Não nos esquecemos que além daquilo, e ter virado Almirante (mesmo que temporariamente), ele provavelmente tem superforça (Tory, etc). Em resumo, o sonho molhado de qualquer nerd. (Juliano Cavalcante)

Cena de Doctor Who

Doctor Who: Silence in the Library (4×08)
Exibição: 31/5/2008
MVP: Alex Kingston

Há quem não concorde que o Steven Moffat é um gênio, mas eu o acho fantástico. Os melhores episódios de Doctor Who, na minha opinião, são escritos por ele. Este, apesar de ser menos assustador que os anteriores (talvez porque eu assisti durante o dia), foi tão incrível quanto todos os outros.

Silence in the Library, que se passa no século LI e é o primeiro de duas partes, trouxe milhões de perguntas e nenhuma resposta. O que aconteceu com Donna no final? Quem será River Song (Alex Kingston) para o Doutor no futuro a ponto dela ter uma chave de fenda sônica que foi presente dele e um diário com a capa igual à TARDIS? Quem é a garotinha que consegue ver a biblioteca? E principalmente, por que River Song não quis dizer o motivo de conhecer o nome Donna Noble? Qual o destino que esta temporada dedicará à minha companheira favorita do Doutor?

Pergunto-me como o Doutor dará um jeito nessas tais de Vashta Neradas. (Mica)

Séries citadas:

Os textos assinados pela Redaçao TeleSéries são textos de autoria coletiva ou notícias escritas por um redator anônimo, mas sempre revisadas com a máxima precisão jornalística.

17 Comments

  1. Édio

    Realmente, os erros de Lost são disfarçados por seus acertos. Achei o episódio ótimo, mesmo com essa coisa de mudar a Ilha de lugar, que foi péssima. Foi como se ela tivesse afundado no meio do Oceano. Usando uma manivela… Congelada.
    Mas por mais que eu aprecie a série, não vejo a hora dela acabar. Parece que só assim a gente vai realmente entender essa Ilha (ou não). Mas no fim, acho que isso que me fascina…Como o ser-humano reage e se conecta um com o outro, por diversas situações e incertezas…
    Battlestar Galactica foi mediano, na minha opinião. Tudo aconteceu rápido demais, resumidamente falando…
    Mas isso aí, esperamos agora pela quinta temporada!

  2. slargollo

    Eu só não acho que Sawyer foi tão altruísta assim, pois ele já havia deixado claro que não queria sair da ilha. Agora que ele ama Kate ama – ele saltou do helicóptero para que ela, que queria sair da ilha, tivesse essa chance.

  3. Rubens

    Spoiler é questao de gosto. Eu li o resumo completo do ultimo episodio duplo de Lost cerca de 15 dias antes dele ir ao ar nos EUA (graças ao informante LostFan108), e não vejo nada de mais saber com antecedencia tudo o que vai acontecer num episodio (quem iria morrer, quem iria sair, quem estava no caixao, como Ben moveria a ilha…). Isso porque o que importa é saber COMO a cena será feita.

    Portanto, é questao de gosto, e eu adoro os sites que contam VERDADEIROS spoilers (não aquelas babaquices que não dizem absolutamente nada, do tipo “um persongem importante irá morrer”, “haverá um beijo espetacular” e outras bobagens que não são spoilers de verdade…)

  4. Mica

    Geralmente eu não me importo com spoilers também. Vivo atrás deles. Só fujo quando for algum spoiler tão bombástico que realmente só teria graça assistindo sem saber. (nunca perdoarei meu melhor amigo por ter me dito por telefone semanas antes que o Krycek morreria em Arquivo X. Era o meu personagem preferido e o meu choque foi tão grande que nunca mais consegui assistir do mesmo jeito).
    No caso de LOST eu ando fugindo de spoilers do último episódio, pq falta eu assistir os quatro anteriores e…na verdade nem eu sei pq estou fugindo dos spoilers, hehehe.

  5. Thiago

    Tudo bem, a opinião sobre spoilers é pessoal, mas… ainda acho que não teria graça nenhuma, por exemplo, assistir Sexto Sentido sabendo que o personagem de Bruce Willis está morto (eu estou falando isso abertamente pq todo ser humano hoje já sabe o final desse filme)

    Pelo menos quem acha que spoiler não estraga a experiência de ver algo 0km, não sai falando pelos cotovelos. (apesar da tradução de ‘spoiler’ seja ‘mimar’… ‘estragar’)

    O que eu quero dizer é: estou contente de fugir das notícias sobre o finale de Lost antes de ver o episódio. Lock no caixão foi a coisa mais cantada do mundo, mas mesmo assim…

  6. Mica

    Vixe…eu ainda não tinha lido sobre Locke no caixão O.O E o comentário do thiago parecia tão inocente até a última linha, hehehe

  7. Fernando dos Santos

    Depois de um terceiro ano muito irregular Lost teve uma quarta temporada muito boa.Acho que só perde para a primeira,que alias vai ser difícil os produtores conseguirem superar.
    Se não me engano os realizadores haviam prometido explicar no quarto ano o por que do Walt ter aparecido mais crescido para o Locke no final do terceiro.Ficaram devendo essa.

  8. Bernardo

    Fiquei curioso p/ ver esses eps de Lost, mas vou esperar a exibição no AXN.

    Sobre os spoilers, essa coluna “Resumo da Semana” foi criada p/ discutir as séries em sintonia c/ a exibição nos EUA, então quem ñ curte spoilers ñ deveria lê-la pq é p/ quem já viu mesmo (ou quem ñ se importa, que é o meu caso) – e nem é falta de aviso, já que logo no primeiro parágrafo a referência à exibição nos EUA é feita. E concordo que devemos ficar longe dos spoilers bombásticos pq aí sim a coisa perde a graça, como o Thiago já citou.

  9. Lucas "Gandalf" Leal

    tá Rubens tem pessoas q gostam…dai a tacar na manchete e forçar aos que não gostam a lerem é OUTRA história…por isso q odeio sites q tem essa postura e isso me irrita mto…

    lembro quando o Santoro morreu q eu li com antecedencia e foi broxante o final do episódio…
    ou quando eu vi sexto sentido e me contaram (cinema de rua em Santos…passa um carro e grita ‘bruce willis é fantasma’ mas ninguem ouve com exceção de um amigo meu…ele volta e diz ‘vcs ouviram o q o carro acabou de gritar?’ ‘não, o q era?’ ‘q o Bruce Willis era um fantasma…’…depois ainda tivemos q ouvir ‘vcs q perguntaram’ de cagar!hahaha)
    (irado q eu escrevi isso e depois li na coluna o Thiago citando exatamente sobre esse filme hahaha) realmente Tiago eu fui um dos q vi sabendo q ele era fantasma…gostei do filme mas aposto q gostaria MTO mais se não soubesse

    e Rubens por exemplo outras séries eu já quis ler spoilers e fui procurar…mas eu gosto dos spoilers do tipo q vc não gosta ‘vai acontecer tal’ mas não conta exatamente o q…

    e Mica q azar…mas realmente como disseram era obvio q era o Locke ali…minhas opções sempre foram Locke e Ben…(mais pro Ben) mas depois q mostraram ele vivo fora da ilha fiquei na duvida…
    mas ai na finale quando ele entra na sala…foi a ctz q era o Locke hehehe

    sobre a coluna acho q já falaram tudo…Lost, episódio q não foi OH! mas q foi ótimo…

    Battlestar Galactica, eu gostei, mas concordo q foi mto corrido…e ODEIO episódios q não mostram a Roslin…só tinha acontecido um deles na série…esse foi o segundo e eu senti mto a falta dela!(acho q dessa vez foi proposital pra sentir a falta do Adama tb…mas ainda assim não podem deixar a personagem fora de 2 de 8 episódios exibidos na temporada!)

  10. Patricia E.

    Spoiler é questão de gosto mesmo. E o engraçado é que fora do universo de séries eles são até bem-vindos: tomem como exemplo o público das telenovelas. A grande maioria não se importa de ser “spoilada”, pelo contrário, o povo vive ávido por eles. E mesmo quem não quer saber acaba tendo a surpresa estragada de uma forma ou de outra: as revistas de fofocas adoram estampar “spoilers” em suas manchetes. Elas contam com isso pra alavancar as vendas, lógico. Você passa pela banca de jornal e mesmo que não queira ler acaba dando de cara com “Fulano mata fulana”, “Beltrano morre”, etc. Jornais publicam resumos semanais com praticamente tudo o que vai acontecer nos capítulos… Lembro da época de Arquivo X em que costumava caçar spoilers por aí, mas depois de um tempo passei a fugir deles. Comecei a ver séries e filmes sem saber de praticamente nada de antemão e passei a curtir mais a experiência. Quem quer saber que vá atrás. Detesto abrir uma página e dar de cara com um spoiler no título de uma matéria ou ler algum texto sem avisos de spoilers.

  11. Patricia E.

    Sobre BSG:

    Senti falta do povo que ficou preso na basestar, mas imagino que seria muita coisa rolando ao mesmo tempo e o episódio iria ficar mais corrido ainda…

    O bicho vai pegar mesmo em The Hub… pelo menos a julgar pelos promos… e olha que costumo não ver promos mas a curiosidade falou mais alto, hehehehehe. Se bem que os promos costumam nos levar a uma direção e depois no episódio não é bem assim mas, enfim, que chegue logo a sexta-feira…

  12. Holly

    Final de temporada excelente.

    Não entro mais no Série ETC para evitar spoilers e sensacionalismo. Prefiro a postura adotada aqui.

  13. Mica

    Eu ainda não vi as promos de BSG. Não tive tempo de correr atrás.
    Uma coisa estranha é que uma das coisas que eu mais gostei de ver nesse episódio foi a Starbuck tão ‘Starbuck’. Era como ver a personagem de novo depois de umas longas férias, hehehe. Mesmo que ela não tenha feito praticamente nada no episódio. Foi nela que eu reparei a maior parte do tempo. Coisa estranha.

  14. João da Silva

    Adorei o episódio de Doctor Who, pena que a Donna Noble provavelmente não morreu. Deveriam deixá-la sozinha numa sala fechada cheia de Daleks.

  15. claudia

    Concordo com o Rubens, gosto de spoiler. Em si tratando de LOST ver um spoiler é tão fundamental quanto rever o episódio na terça-feira, para ñ perder nenhum detalhe do episódio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account