Log In

Reviews

Smallville – Ambush

Pin it

Série: Smallville
Episódio: Ambush
Temporada: 10ª
Número do Episódio: 10×07
Data de Exibição nos EUA: 05/11/2010

Jantar de Ação de Graças é uma tradição basicamente americana. Sabemos que nesse dia, as famílias se reúnem e todos compartilham uma deliciosa refeição, mas o que é mais característico dessa data são as brigas. Não há um Ação de Graças sem que alguma família se desentenda. É como dizem, ‘família reunida, perigo de briga’. E se essa família são os Lane, o perígo aumenta em devida proporção.

Em uma alusão ao filme Entrando Numa Fria, o General Sam Lane coloca a prova o amor de Lois e Clark. E em mais um episódio escrito pela dupla Don Whitehead – o homem da ação – e Holly Henderson -a mulher do romance -, Ambush foi exatamente isso: uma boa dose de comédia, romance e muito confusão, digno da melhor tradição de Thanksgiving.

Se as coisas não acontecem na série, acontecem nas fanfics – as histórias escritas pelos fãs. A imaginação é o limite, e é por isso que elas são atrativas. Mas aposto que nem o fã mais afoito imaginou que um dia veriamos na tela da TV o que vimos no início de Ambush. Aquilo era exclusividade do mundo das ilusões. ‘Balanço da varanda’? Nunca pensei em ouvir isso na minha série Sessão da Tarde. E também não posso imaginar o que teria acontecido se o General Sam Lane e Lucy não tivessem atrapalhado a cena.

Mas Ambush – que significa emboscada -, não poderia ser melhor nome para esse episódio. Estavam todos encurralados de uma certa maneira. Clark (que não podia reagir aos ataques do sogro), Lois (dividida entre sua família e o amor da sua vida), General Sam Lane (perseguido pelo Esquadrão Suícida), Rick Flag (atacado pela futura Liga da Justiça). Até a pobre Tess estava sendo acuada pelo colega, ex-amante e atual bebê chorão, Oliver Queen. Foi um ‘salve-se quem puder’.

A oposição do General ao vigilantes, e a menção de Martha Kent  foi bastante coerente, mesmo assim, senti falta da senadora nesse episódio em particular. Assim como eu comentava com o meu colega de resenha, Túlio, do Guia de Seriados, às vezes as limitações orçamentárias fazem com que a série perca um pouco em seu desenvolvimento. Por isso, alguns pontos negativos serão creditados.

Mais alguns pontos negativos vão para cena entre Lucy e Clark. Qual o propósito daquilo? Só não tiro mais pontos porque o questionamento de Lois sobre a falta de habilidade do Clark em se desvencilhar de mulheres era algo que eu me perguntava há anos.

Já que estamos falando de coisas sem sentido, vamos direto para a Watchtower. Cada palavra que sai da boca do Oliver, alguém morre no mundo real. O discurso do Arqueiro Verde, ou aquilo que ele costumava ser, é idiota – no melhor sentido da palavra. Egoísta e sem visão do contexto, uma ode ao mundo imaginário dos contos de fadas que ele se encontra no momento. Imagino se o Rick Flag bateu muito na cabeça dele. Porque essa seria a única explicação pro comportamento do mocinho. Se eu fosse a Tess já teria dado umas porradas neles há muito tempo.

Por quê? Por quê? Por que essa obsessão em incluir a Chloe em cada episódio? Eles não falam da Lana. Poucas vezes mencionam o Lex. Pais e mães então estão fora da lista de pessoas citáveis. Então por que tem que evocar o nome da loirinha em cada episódio? Não, esse não é meu lado anti-Chlollie falando, é apenas meu lado crítico que acharia melhor que se a obsessão tiver que continuar ao menos eles variem um pouco o interlocutor da mensagem. Que tal a Lois sentindo falta da prima? Ou o Clark, da melhor amiga?

Apesar disso, Ambush não foi tão ruim. Houve um progresso em relação a história do Esquadrão Suícida e da Lei de Registro dos Vigilantes, o que torna o cenário futuro interessante se pensarmos na Liga da Justiça e o papel do Super-Homem. Às vezes acho graça de que todos saibam da identidade do Clark,  e agora do Oliver também. E por isso eu me pergunto se o General descobriu a verdade sobre o Borrão. Acho que ficou bem claro na cena final entre Clark e Sam Lane.

Vejo um lado político em Smallville, nessa temporada. Se prestarmos atenção, podemos perceber a não tão sútil menção aos ataques terroristas e manobras do governo para impedir que eles continuam.

Você faz as suas escolhas baseado no medo.

Acho que essa frase resume bem o comportamento do governo americano para justificar suas guerras. Mas há sempre uma luz no fim-do-túnel. Principalmente quando se há um diálogo.

Nem todos os vigilantes tem o Código de Honra do Borrão.

E nem todos os políticos têm o seu. Alguns usam a lei para destruir as pessoas.

Outro ponto positivo vai para um drama, que dessa vez teve fundamentações reais. Gostei da ideia de confrontar as motivações da Lois. No começo, achei um pouco bobo a sua vontade de agradar o pai, mas depois percebi o quanto o ambiente em que ela cresceu, influência em seu modo de ser. Veja a hilária lista de obrigações do General, e faça um paralelo com a lista que Lois fez para o Clark sobre o exercício da profissão de repórter. Além disso, é uma boa preparação para o próximo episódio. Esse mais uma vez, promente ser épico.

Talvez seja isso que me incomoda na décima temporada. Será que todos os episódios precisam ser bons? Vou parar de reclamar de barriga cheia ou eles resolvem trazer a Chloe e a Lana no mesmo episódio.

Para o Alto e Avante

A cena inicial me surpreendeu. Lois usando o uniforme de futebol do Clark foi uma bela lembrança de Committed. Já o Clark se escondendo atrás da Lois e cobrindo o “Clark Jr.” me lembrou a cena do banheiro em Gone.

“De uma ilha no meio do oceano para o topo da cidade”, por que esse relacionamento não é tão épico como um outro aí? Oliver e Tess têm história.

Tess assumindo seu papel na Watchtower foi um plus.

O Talon fez cabooooom! Muitas coisas boas e ruins aconteceram naquela lugar. Mas tava na hora da Lois sair de lá.

Adorei o novo “look” do Borrão. O uniforme novo tem até o icônico  S.

O desentendimento entre Lois e Clark mostrou que o “drama” pode ser baseado em situações verdadeiras. O casal confrontou o General e reafirmaram o amor que um sente pelo outro

A reunião da família Lane não poderia ter sido mais desastrosa, mas ao menos o jantar foi bom e….

O que o Clark perguntou ao General? O quê? O quê!?!?!?!

Coquetel de Kryptonita

Oliver “Drama” Queen.

Excelente direção de Christopher Petry. Ele consegue fazer a diferença nos detalhes. E qual será o detalhe que eu mais gostei? Clark levantando a Lois com uma perna na primeira cena. Aquilo foi “quente”!

Mas Ambush foi morninho, e eu esperava um pouco mais. Como já disse, estou mal acostumada.

Ambush assou 7,5 perus  (de  0 a 10).

Escrito por Don Whitehead e Holly Henderson.

Dirigido por Christopher Petry.

Séries citadas:

30 anos, é formada em jornalismo pela Unesp e em Letras Inglês e Literaturas pela UFRN. No "TeleSéries", já foi colaboradora e editora de Notícias, agora é Editora de Conteúdo e escreve a coluna mensal "Sintonia". Já passou pelo Vírgula e pela Rede BomDia, do DIário de S. Paulo. No tempo livre, vê Bones, Hot in Cleveland, It's Always Sunny in Philadelphia, entre muitas outras séries. Fã do Clark Kent e música country.

Website: http://naliteral.blogspot.com.br/

6 Comments

  1. Djeine

    Realmente foi morno, mas fiquei coma sensação da abertura de arcos para novas histórias, isto me consolou porque sei que vai vir muita coisa boa daqui em diante. Agora trazer a Lana e a Cloe juntas, vc está pedindo para “matar” a gente, até que a Cloe dá para levar, sem o Kimmy ela fica melhor, mas a Lana, não tem quem suporte. Nota 8 perus, por conta do romance e dos novos arcos, ahahah

  2. Nina

    Maria Clara, adoro suas resenhas. Acho que metade da graça de acompanhar o seriado é poder ler teus comentários a respeito de cada episódio!!

  3. Maria Clara Lima

    Djeine, eu também daria 8, mas fiquei estressada com o Oliver, e minha nota final fica sendo 7.5!

    Nina, obrigada pelo comentário. Espero que Smallville nos dê ainda muita coisa boa para comentar.

  4. Pingback: Tweets that mention Smallville – Ambush -- Topsy.com

  5. Mônica Almeida

    Eu gostei do episódio, mas realmente não foi um dos melhores da temporada. Se bem que aquela cena do início foi super hot. Achei a história da emboscada ao general interessante, assim como a conversa dele com o Clark depois que o Borrão salva a Lois. Mas não gostei da Lois obedecendo ao pai dela, nem da Lucy beijando o Clark e muito menos dos choramingos do Oliver.E falando em uniformes, sinto muito, mas nunca gostei do uniforme do Super Homem. Sempre achei uma roupa assim, meio gay. Por isso eu prefiro a roupa preta do Borrão, com aquele casacão escuro. Fica muito mais sexy e misterioso.

  6. TB

    Ótimo texto. Infelizmente acabei não conseguindo escrever o meu. Mas amanhã será obrigação escrever. Fiquei imensamente orgulhoso ao ver meu nome ali em cima.

    Ah Clara, vc repara em cada detalhe que as vezes eu tenho q rever a cena “Clark levantando a Lois com uma perna na primeira cena.”

    Concordo com vc sobre o chororô do Oliver pela Chloe, realmente podia ser de outro personagem ou simplesmente esquecido. Tbm acho que faltou Martha Kent.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account