Log In

Ficção (séries virtuais)

Série Virtual – Outsiders – Realise This

Pin it

Série: Outsiders
Episódio:
Realise This
Temporada:

Número do Episódio:
1×04

 

CENA 1 – INT. MANSÃO – NOITE

A câmera mostra EHLIOS andando pela casa escura. Mostra-o olhando alguns quadros e objetos de decoração e fazendo cara de nojo.

EHLIOS: Eww… Arte clássica…

A CÂMERA gira e mostra o ponto de vista de EHLIOS, foco na mesa da cozinha. Vemos muitos papéis em cima dela e um tubo verde de batatas. A expressão de EHLIOS se ilumina.

EHLIOS: Pringles!

EHLIOS se senta numa das cadeiras e sem querer ele derruba alguns papéis no chão. A câmera dá um close no papel e vemos que é uma planta de um local. Mais um close no topo do papel onde está escrito: SANATÓRIO CHARETON.

EHLIOS: [irônico] Até que enfim eles resolveram dar um jeito na Cathleen.

EHLIOS dobra as plantas e papéis várias vezes e coloca de baixo do braço. Ele começa a sair da casa. Quando chega à sala ele pára de repente e olha em volta. Shot da sala onde vemos uma TV enorme, stéreo enorme, DVD, VHS, Home Theater e alguns outros eletrônicos que EHLIOS desconhece.

EHLIOS: [sorriso malicioso] Vamos ver como os riquinhos se viram sem TV…

EHLIOS passa sua mão intangível através da TV e vemos faíscas e fumaça começar a sair do aparelho.

EHLIOS: … sem DVD…

Ele faz o mesmo com o aparelho de DVD.

EHLIOS: … sem som…

Dessa vez vemos o stÉreo queimar sob o toque de EHLIOS. Ele olha para mais um aparelho.

EHLIOS: [curioso]… e sem essa coisa de rico que eu nunca vi na vida.

EHLIOS passa a mão através do aparelho e de repente o alarme da casa começa a tocar. As luzes da casa piscam incessantemente. O garoto flexiona os joelhos e olha para todos os lados, assustado.

EHLIOS: [nervoso] Eu não acredito que vou ser preso por causa de um maldito Pringles!

EHLIOS sai correndo e atravessa a porta da casa saindo. O garoto se esconde ainda mais sob seu boné e sua capa preta e sai correndo desesperado pela rua.

[MÚSICA TEMA – LATE GREAT PLANET EARTH, PLUM]

 

CENA 2 – VEÍCULO EM MOVIMENTO – NOITE

JULIA no volante percebe um alarme em seu bip. Ela faz um movimento no volante e o gira no asfalto parando perfeitamente no acostamento.

CATHLEEN: [pálida de medo] Você tá doida?

JULIA não responde.

JOEY: O que houve?

JULIA: A mansão.

CATHLEEN: O que?

JULIA: O alarme da mansão disparou.

CATHLEEN: [nervosa] Então temos que voltar!

JULIA: Eu tenho. Vocês têm uma missão para ser cumprida.

JOEY: Mas–

JULIA: Não! O homem que vocês irão resgatar será transferido amanhã. É agora ou nunca!

CATHLEEN: Ok, mas… como vamos resgatar alguém que a gente nunca viu antes?

JULIA puxa um envelope de uma bolsa negra e dentro dele pega uma foto e dá para CATHLEEN.

CATHLEEN: [maliciosa] Humm… Agora entendo toda sua motivação pra resgatá-lo.

JULIA: [rola os olhos] Okay, os dois pra fora.

CATHLEEN: Como é que é? Sair?

JOEY: Acho que foi isso mesmo.

JULIA: Eu tenho que voltar, e além do mais, não há nada com o que se preocuparem. É um manicômio, só tem doido lá. O que pode acontecer com vocês lá dentro?

JOEY: A Cathleen pode se enturmar?

CATHLEEN: Você anda passando muito tempo com o cretino do Ehlios.

JOEY lança um sorriso forçado para CATHLEEN.

JULIA: Vamos pessoal, agilizando, até onde sabemos há alguém na mansão nesse momento! Peguem o equipamento e continuem por essa estrada. Pouco mais de uma milha e vocês chegarão ao Charenton.

JOEY e CATHLEEN pegam o equipamento e descem do carro.

JOEY: [aproximando-se da janela] Mas Julia… e a comunicação constante…

O carro dispara cantando pneu e deixando JOEY e CATHLEEN cobertos pela poeira. Os dois se olham intrigados.

 

CENA 3 – EXT. THE ALLEY – NOITE

Erick para na frente do The Alley. Vemos muitos carros na entrada da lanchonete.

ERICK: Só pode ser aqui.

Erick entra no local.

 

CENA 4 – INT. THE ALLEY – NOITE

A lanchonete está lotada e vemos ZACK, KENNEDY e mais um garoto andando rapidamente de um lado para o outro, tentando atender aos pedidos. Erick olha para os lados procurando um lugar para sentar, mas parece não haver opções. Uma pessoa tromba nele por trás. Barulho de copos quebrando. Erick vira-se assustado e vemos Kennedy no chão catando cacos de dois copos.

KENNEDY: [nervosa] Droga!

ERICK: [abaixando para ajudá-la] Foi mal. Eu não te vi.

KENNEDY: Não tem problema. Eu tava distraída.

KENNEDY finalmente olha para o garoto.

KENNEDY: Hey, você não é o primo da Srta. Liefield?

ERICK: [confuso] Primo? [tentando disfarçar] Ah, claro. Sou primo da Julia.

KENNEDY: Achei que vocês estivessem no hospital. A Cathy falou que algum parente da Julia tava mal e depois de tanto açúcar eu achei que tinha sido você.

ERICK: [ri brevemente] Não. É um parente da Julia sim, mas… hum… é do outro lado da família. Parente só dela. Eles tiveram que sair apressados e achei melhor não atrapalhar. A Cathy falou que eu podia ficar aqui.

KENNEDY: Claro… sem problemas.

ZACK passa apressado pelos dois com uma bandeja lotada.

ZACK: Kennedy. Mexa-se!

KENNEDY: [contemplativa] Sabe, o Zack era tão gentil no começo da noite. Depois começou a aparecer tanta gente entre nós que ele simplesmente mudou.

ERICK sorri.

KENNEDY: Você vai comer alguma coi– Ok, pergunta errada. O que você quer que eu traga pra você comer?

ERICK: Acho que eu vou querer uns dois pedaços daquela torta de chocolate ali. Três bolas de sorvete com calda quente e… café.

KENNEDY: [indo para trás do balcão] Café? [irônica] Ótima combinação de escolhas.

KENNEDY joga os cacos fora e vira para um cara que estava sentado num banco do balcão.

KENNEDY: [abanando a mão] Sai, sai, sai.

O homem parece assustado, mas se levanta do banco. ERICK se aproxima para sentar, rindo.

ERICK: O que eu posso dizer? Já testei praticamente todas as combinações existentes de comida e acredite quando eu digo que sorvete e café… combinam mesmo.

KENNEDY entrega um prato com os dois pedaços de torta para ERICK e vai até a cafeteira.

KENNEDY: Ok, então… energizando superpoder Gilmore.

A garota aperta um botão na cafeteira e após alguns segundos ela franze o cenho.

Aperta o botão de novo.

KENNEDY: [irritada] O que aconteceu com essa coisa agora?

KENNEDY começa a apertar todos os botões da máquina de café soltando alguns grunhidos de irritação. ERICK olha para ela assustado.

KENNEDY: [gritando e apertando todos os botões] Ah, mas você vai funcionar sua lata velha! Eu já to cansada disso tudo e não preciso de mais um eletrônico empacado pra completar minha noite!

Algumas pessoas olham para KENNEDY atacando a cafeteira.  A garota dá um último soco no aparelho e ouvimos um zumbido seguido de faíscas que saem da máquina. As luzes da lanchonete começam a oscilar até que tudo se apaga num baque surdo.

O The Alley todo entra em silêncio. E a tela está em total escuridão.

ERICK: Eu nem queria o café tanto assim mesmo.

 

CENA 5 – INT. THE ALLEY – NOITE

Zack está nos fundos da lanchonete mexendo em alguns armários. Ele retira algumas velas e começa ir pra frente do The Alley novamente, mas EHLIOS, vestido com um casaco negro, entra desesperado pela porta dos fundos. ZACK olha para ele, intrigado.

ZACK: Ehlios? Você e a Sociedade do Anel de Naranda foram assistir mais uma seção de Matrix?

EHLIOS: [olhando para trás] O quê? Não!

ZACK: O que você tá procurando?

EHLIOS: [nervoso] Nada! [olhando em volta] O que houve com a luz?

ZACK: A Kennedy aconteceu.

EHLIOS parece não prestar muita atenção, olhando a todo momento pelo pequeno vidro da porta.

ZACK: O que houve?

EHLIOS: A gente tem que ir pro manicômio urgentemente!

Zack franze a testa e olha para EHLIOS com uma cara de pena.

ZACK: O quê?

EHLIOS: A Equipe Rocket está a caminho do Chareton em Santa Cruz e eu quero saber o que tem lá!

ZACK: Bem, aparentemente vários de seus amigos.

EHLIOS encara Zack com um olhar de tédio.

ZACK: E quer saber? [levanta as velas] Eu tô ocupado e… [incerto] não me interessa o que a Cathy tá fazendo.

EHLIOS: [entre os dentes] Cathy?! [irritado] Desde quando Cathleen virou Cathy pra você?

ZACK olha para ele sem saber o que responder por alguns momentos.

ZACK: [rolando os olhos] Eu não sou o seu Frodo.

EHLIOS encara ZACK com um olhar cortante.

EHLIOS: [entre os dentes] Será que dá pra gente ir?

ZACK: Ehlios, olha essa situação, cara. Você chega no meio do meu turno de trabalho, de capa negra, me chamando para ir à um manicômio, por seja lá que razão. Eu seria idiota de concordar com algo do gênero.

EHLIOS: Eu duvido que você não tá interessado em saber o que eles estão aprontando?

ZACK: [incerto] Não…

EHLIOS: [com um sorriso diabólico] Eu duvido.

 

CENA 6 – INT. THE ALLEY – NOITE

A câmera focaliza KENNEDY e ERICK conversando à luz de velas. De repente um grito se ouve na escuridão.

VOZ MASCULINA: Tá pronto!

Ouve-se um estalo alto. E a luz  retorna ao estabelecimento. A garota sorri para ERICK e vai até a cozinha.

KENNEDY: [grita] Zack! A energia voltou!

Silêncio.

KENNEDY: Zack?

 

CENA 7 – ESTRADA – NOITE

CATHLEEN e JOEY andam pelo asfalto quando vemos ao longe algumas luzes.

CATHLEEN: [olhando para as luzes do manicômio] Hora da festa. [pra Joey] Pronto?

JOEY: [respira fundo] Pronto.

CATHLEEN tira sua jaqueta de couro preta revelando uma blusa verde. A garota então coloca a mochila nas costas, parecendo assim mais casual. JOEY se esconde atrás de alguns arbustos na margem da estrada e CATHLEEN continua andando até chegar a uma guarita de vigilância ao lado da entrada do manicômio.

Vemos que dentro da guarita há apenas um segurança já de idade. CATHLEEN sacode os cabelos e sorri para o velho. Ele sorri de volta e aproxima-se da janela da guarita.

CATHLEEN: Boa noite. Eu estou com um pequeno probleminha. Tive uma briga com meu namorado e ele me deixou no meio da estrada. Tem como você me deixar usar seu telefone.

CATHLEEN sorri e pisca os olhos algumas vezes. O guarda estufa o peito e também sorri.

GUARDA: [voz grossa] Claro. Pode entrar, querida.

Ele abre a guarita e Cathleen entra.

CATHLEEN: [tocando o peito do segurança enquanto entra] Muito obrigada, Sr. … [olha no crachá] Riney. O senhor é um amor.

CATHLEEN aperta de leve a bochecha do homem e entra. RINEY arregala os olhos e sorri mais ainda.

RINEY: O telefone está bem aqui, senhorita.

O segurança pega o telefone e passa para CATHLEEN. A garota se encosta sobre a janela ocultando-a da visão do segurança. Vemos ao fundo da cena JOEY passando encurvado e todo vestido de preto pela guarita do manicômio. A garota digita alguns números. O homem senta-se na cadeira a frente de CATHLEEN de modo que não podia mais ver nada do lado de fora da guarita.

A câmera mostra a visão do guarda e passeia do rosto de CATHLEEN lentamente até seus pés.

CATHLEEN: [fingindo chorar] Meredith?? [pausa] Você não vai acreditar o que o Roger fez comigo! [pausa] Ele me expulsou do carro no meio da estrada! [chorando ainda mais] Eu sei, eu sei que devia ter escutado, mas eu gosto dele Mere!

O homem parece continuar encarando as pernas de CATHLEEN.

CATHLEEN: Ele disse que eu era uma vagabunda e que tinha ficado com o Scott. Como ele sabe disso??? Você por acaso– [pausa] Desculpa, desculpa! Eu sei que você nunca contaria nada pra ele. [pausa] Mere, eu não sei o que fazer! [em prantos] Eu tô no meio do nada chamado Nevada e não tenho como ir pra casa! [pausa longa] Porque, por sorte, eu achei uma gracinha de senhor aqui que me deixou usar o telefone dele.

CATHLEEN pisca para ele.

CATHLEEN: [enxugando as lágrimas] Não sei… tem como você vir me buscar?

Pausa longa. CATHLEEN olha incerta para o senhor que desvia rapidamente o olhar para os olhos da garota.

CATHLEEN: [fingindo sussurrar sem graça] Mere, eu não sei se eu posso passar a noite aqui…

O homem arregala os olhos.

 

CENA 8 – EXT. MANICÔMIO CHARETON – NOITE

JOEY esgueira-se e anda rente as paredes. Ele olha através de várias janelas e finalmente acha um quarto vago. O garoto coloca sua mão sobre a janela e uma coloração avermelhada vem seguida de um click. JOEY abre a janela e pula para dentro do quarto.

 

CENA 9 – GUARITA MANICÔMIO CHARETON – NOITE

Dentro da guarita o homem tem toda sua atenção voltada para CATHLEEN e não percebe logo atrás de si, JOEY aparecendo em pequenos monitores de vigilância interna.

 

CENA 10 – INT. MANICÔMIO CHARETON – NOITE

JOEY está num quarto que parecia ser uma pequena farmácia. Vemos várias prateleiras com remédios. O garoto abre a mochila e tira cinco frascos brancos. Ele coloca quatro sobre uma mesa e abre o quinto. Close no rótulo dos quatro frascos: ECSTASY.

JOEY vai até uma grande mesa e lá está uma longa maleta de plástico. Em cima dela há um post it: REMÉDIOS NOITE. Joey abre a maleta de plástico onde vemos vários compartimentos pequenos com pílulas de cores diferentes e nomes de pacientes sobre cada um dos compartimentos. JOEY começa a esvaziar a maleta e enchê-la com os comprimidos de ecstasy.

Tela preta.

SARAH [Voice Over]: Nem pensar!

 

CENA 11 – RANCHO JONES – NOITE

Sarah, Ehlios e Zack estão na cozinha da casa.

EHLIOS: Mas, Sarah–

SARAH: O que te deu na cabeça? Você não podia invadir a mansão assim!

EHLIOS: [irritado] É uma mansão Sarah! Está designada a isso!

ZACK e SARAH reviram os olhos.

EHLIOS: Qualé gente! Eu fiz um favor! Aqueles três estão claramente por trás de alguma coisa e você tá simplesmente ignorando isso!

SARAH: Eu não me importo.

EHLIOS: Eu não tô te entendendo, Sarah. Você corre o mundo todo atrás de outros como a gente e nem sequer se interessa por esses aqui em Naranda? E não são apenas três comuns. A gente tá falando de três pessoas que saem por aí fuçando bases militares e que estão com metade dos desenhos que deveriam ser nossos! Até o Zack concorda comigo!

SARAH olha para ZACK e o garoto fica meio envergonhado.

ZACK: Ele tem um argumento.

SARAH solta um grunhido de frustração.

SARAH: Isso não está aberto à debate, Ehlios. O que eles fazem não nos diz respeito. Você não vai à canto nenhum e isso é definitivo. Vá para o seu quarto.

EHLIOS sai a passos pesados.

 

CENA 12 – MANSÃO – NOITE

Shot da porta de entrada da casa. Ela se abre lentamente e vemos JULIA entrar devagar com uma arma em punho. A mulher anda atentamente por toda a sala de estar da casa e finalmente entra na cozinha com um movimento rápido. Ela então volta a analisar a cozinha quando tropeça em algo e cai de repente saindo do foco da câmera.

JULIA: Ai!!!

JULIA olha para o chão e vê que tropeçou em um tubo verde de Pringles…

JULIA: [mão na cabeça] Mas que diab–

 

CENA 13 – INT RANCHO JONES – NOITE

ZACK para numa porta e bate na mesma.

ZACK: Ehlios! Sou eu o Zack. Vamos conversar.

O garoto bate mais uma vez na porta e a mesma se abre.  A câmera da uma tomada do quarto vazio.

 

CENA 14 – INT RANCHO JONES – NOITE

ZACK entra apressado na cozinha.

ZACK: Sarah você viu o Ehlios?

SARAH: Não, eu não o vi.

Em cena uma melodia enjoativa de sinos ecoa do quintal para cozinha do rancho onde ZACK e SARAH estavam.

SARAH: [surpresa] Não! Eu não posso acreditar que ele ta fazendo isso!

ZACK: Ele tá fugindo com o carrinho de sorvete!

 

CENA 15 – INT. THE ALLEY- NOITE

KENNEDY e ERICK estão sentados numa mesa, o estabelecimento esta quase vazio.

KENNEDY: [espantada] Como você come!

ERICK: [com a boca cheia] Hãn?

KENNEDY: Sinceramente, Erick. Eu não sei como puxar papo com você. Então [suspirando] continue comendo.

ERICK: [parando de comer] Ok. O que você quer saber?

KENNEDY: [fingindo indignação] Eu? Por quê, você acha isso?

ERICK: [sorrindo] Eu só… percebi.

KENNEDY: [empolgada] Me fale de sua vida no Canadá! É verdade que você era dublê de uma série por lá?

De repente, um efeito visual no formato de um relâmpago passa por trás da cabeça de ERICK.

KENNEDY: [séria] O que houve? Você parece pálido.

ERICK: Tem alguém mal intencionado aqui.

ERICK olha para os lados.

KENNEDY: Se você tá falando da gordinha sentada na mesa do fundo, o Zack me disse que ela sempre vem aqui para fugir da dieta que o marido dela obriga-a fazer.

ERICK: Não é isso! [encara a entrada da lanchonete] Olhe aqueles caras que estão entrando.

A câmera mostra três homens entrando no The Alley, um deles aparentando ser o líder ascende um cigarro.

HOMEM 1: Isso é um assalto! Ninguém se mexe!

Algumas pessoas começam a sair correndo de seus lugares histéricas e em pânico.

HOMEM 1:  [disparando um tiro pra cima] Eu disse… ninguém se mexe!

KENNEDY: [para si mesma] Belo dia pra dar uma de boa samaritana com a Cathy, Kay.

ERICK: [levantando-se] Com licença, senhor.

O homem olha pra ele surpreendido pela manifestação.

HOMEM 1: [irritado] O quê?

KENNEDY: [sussurrando para Erick] O que você pensa que tá fazendo?

ERICK: Por que em todo assalto sempre tem um babaca fã de Quentin Tarantino, que ascende um cigarrinho e adora contar seus planos?

KENNEDY: [levantando-se e apontando para Erick] Eu não o conheço!

HOMEM 1: [irônico] Pelo visto você quer ser o herói da vez, certo? Então vamos ver do que você é feito. [para os outros comparsas] Peguem eles!

ERICK se coloca na frente de KENEDDY que pega uma bandeja e a acerta na cabeça de um dos homens repetidas vezes, gritando. A câmera começa  congelar o movimento da cena, mostrando ERICK aplicando vários golpes giratórios nos assaltantes. ERICK derruba os dois comparsas e KENNEDY, que golpeava o homem agora caído, de olhos fechados, ainda golpeia o ar gritando. A garota abre os olhos percebendo que seu atacante estava no chão e sorri, vitoriosa.

ERICK: Isso é tudo o que vocês podem fazer?

HOMEM 1: Não. [apontando uma arma] Tem mais isso.

Um tiro se ouve em cena.


CENA 16 – INT GUARITA CHARETON – NOITE

CATHLEEN está na guarita com o vigia.

CATHLEEN: [choramingando] Obrigada, Senhor Riney. Eu nem sei o que seria de mim sem a sua ajuda.

RINEY: Que é isso, minha filha!

CATHLEEN: [abraçando-o] Não! O senhor foi um anjo para mim.

O homem parece meio confuso com o abraço.

A câmera foca CATHLEEN abraçando o homem, e este mesmo começa a se debater, mas a garota continua firmando seus braços ao redor do pescoço de RINEY até que ele caia desacordado ao seus pés.

 

CENA 17 – INT MANICÔMIO CHARETON – NOITE

CATHLEEN caminha por alguns corredores até chegar numa sala que aparentava ser um deposito de limpeza. A câmera foca CATHLEEN abrindo sua mochila e tirando uma roupa de enfermeira de dentro dela.

 

CENA 18 – INT MANICÔMIO CHARETON – NOITE

CATHLEEN, disfarçada como uma enfermeira percorre os corredores do manicômio. Em cena alguns enfermeiros tentam conter alguns pacientes descontrolados. CATHLEEN apressa o passo até que algumas sonoras indistintas são ouvidas e a garota vê JOEY num quarto tentando se livrar de uma senhora que o abraçava.

JOEY: [aflito] Não senhora! Eu não sou o Tyler!

SENHORA: [puxando as calças de Joey] Deixa disso, meu amor! Eu sei que é você Tyler!

JOEY tenta se esquivar da senhora que puxava suas calças e acaba se desequilibrando e caindo no chão. O garoto acaba notando CATHLEEN na porta, rindo da cena.

JOEY: Cathleen, me ajuda aqui!

CATHLEEN: [rindo] Você ta brincando comigo, né? A Julia não me treinou para esse tipo de situação.

JOEY: [irritado] Deixa de ser palhaça! Isso é efeito do ecstasy!

CATHLEEN: [irônica] Você quer dizer que não é realmente amor verdadeiro?

Nesse momento a velhinha consegue rasgar a calça de JOEY, que consegue se levantar.

JOEY: [assustado] Não!

CATHLEEN: [arregalando os olhos] É, já tá na hora de uma intervenção!

CATHLEEN puxa JOEY dos braços da velha e sai correndo com ele pelo corredor, e a senhora nua vai correndo atrás deles.

SENHORA: Não me deixe, Tyler!

 

CENA 19 – INT. THE ALLEY- NOITE

Um tiro se ouve em cena, a câmera congela a imagem detalhando o movimento de propulsão da bala no ar, vai se dissipando mostrando ERICK se esquivando da bala e caindo no chão.

KENNEDY: [aterrorizada] Seu doido! O que você fez?!

Close em ERICK, que num movimento se coloca em pé, com apenas um pequeno corte no rosto.

HOMEM 1: [confuso] Mas, como?

ERICK joga um prato num movimento giratório acertando o revólver do ladrão que a portava. KENNEDY, segurando uma espátula, se aproxima do homem e pega a arma no chão.

ERICK: Joga pra mim!

KENNEDY joga a espátula.

ERICK: [olhando a espátula] O que eu vou fazer com isso?

KENNEDY dá de ombros. Os outros dois homens fogem engatinhando porta afora.

HOMEM 1: [levantando-se] Vocês dois vão me pagar caro!

KENNEDY, confusa com manuseio da arma, a aponta para cima e acidentalmente a mesma dispara. Uma luminária cai em cima do homem que desmaia.

ERICK: [faz uma careta] Ouch!

 

CENA 20 – EXT MANICÔMIO CHARETON – NOITE

CATHLEEN e JOEY estão levando um homem desacordado apoiado em seus ombros.

CATHLEEN: Por que a Julia não nos avisou que o sujeito tava mais morto do que vivo?

JOEY: Pega leve, Cathie! Parece que ele foi torturado.

CATHLEEN: [irônica] E você percebeu isso pelos hematomas?

JOEY: Se uma velha ninfomaníaca tivesse te perseguindo você saberia pelo o que eu estou passando.

CATHLEEN parece não prestar atenção em JOEY.

JOEY: [rola os olhos] E agora estou sendo ignorado.

CATHLEEN: [fazendo sinal de silêncio] Eu acho que estamos sendo seguidos. Joey, leva o cara para o ponto de encontro.

JOEY: O quê? Eu não vou te deixar aqui!

CATHLEEN: [irritada] Joey faz o que eu to mandando! Além do mais você tem mais força para levá-lo do que eu.

JOEY, mesmo contrariado, acaba acatando as ordens de CATHELEEN e leva o homem desacordado para o ponto de encontro. CATHLEEN observa em silêncio o local até que um vulto aparece entre os arbustos.

CATHLEEN: [surpresa] Ehlios?


CENA 21 – ESTRADA DESERTA – NOITE

JULIA, em seu carro, avista JOEY carregando um homem em seus ombros. Ela nota os hematomas do homem.

JULIA: [sussurrando] Oh, meu Deus, Bob. [para Joey] Onde está Cathleen?

JOEY: Ela ficou para trás. Ela tava desconfiada que estávamos sendo seguidos.

JULIA, sem dar muita atenção, acelera o carro em direção ao Chareton.

 

CENA 22 – EXT MANICÔMIO CHARETON – NOITE

CATHLEEN: [surpresa] Ehlios?

EHLIOS sai de trás de alguns arbustos e se coloca na visão de CATHLEEN.

EHLIOS: [irônico] Cathleen.

CATHLEEN: [impaciente e incrédula] Garoto, eu achei que você fosse estúpido, mas nunca pensei que tão preocupante. O que diabos você está fazendo aqui?

EHLIOS: Pergunta errada! O que você ta fazendo aqui?

CATHLEEN se aproxima mais do garoto.

EHLIOS: Não se aproxime mais criatura vil!

CATHLEEN: Eu posso acabar com você daqui, Trekker!

EHLIOS: Eu sou fã de Yamoto, sua idiota!

CATHLEEN continua se aproximar.

EHLIOS: Eu já disse para você se afastar!

CATHLEEN: [provocando] Tá com medo de uma garota, Ehlios?

EHLIOS: Então me mostre seu melhor, garotinha.

CATHLEEN dá um tapa no rosto de Ehlios

EHLIOS: Ai!

EHLIOS dá um chute na canela de CATHLEEN.

CATHLEEN: Seu covarde!

Os dois começam a trocar tapinhas e puxões de cabelos. De repente, entre a mata, JULIA aparece.

JULIA: [incrédula para si mesma] Quando a minha vida se tornou isso?

JULIA coloca as duas mãos nas têmporas e câmera direciona-se para EHLIOS. A câmera fecha um close nos olhos de JULIA, quando uma mão coloca-se nos ombros da mesma, que recua o corpo e olha para trás.

JULIA: [surpresa] Sarah?

SARAH: [séria] Oi, Julia.

CONTINUA…

PRODUÇÃO EXECUTIVA
Samir Zoqh
Luciana Rocha

ELENCO
Keira Knightley como Cathleen
Riley Smith como Joey
Paul Wasilewski como Zack
J. Mack Slaughter como Ehlios
Ashly Lyn Cafagna como Kennedy
Bonnie Somerville como Julia

ELENCO RECORRENTE
Neve Campbell como Sarah

ATORES CONVIDADOS
Daniel Clark como Erick
Victor Webster como Robert Burke

ESCRITO POR
Samir Zoqh

CRIADA E DESENVOLVIDA POR
Samir Zoqh
Luciana Rocha

MÚSICA TEMA
Late Great Planet Earth, Plumb

A HYBRID STUDIOS PRODUCTION

DISTRIBUTED BY TELEVISION SERIES NETWORK
©2005

 

Séries citadas:

Os textos assinados pela Redaçao TeleSéries são textos de autoria coletiva ou notícias escritas por um redator anônimo, mas sempre revisadas com a máxima precisão jornalística.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account