Log In

Ficção (séries virtuais)

Série Virtual – Outsiders – Realise That

Pin it

Série: Outsiders
Episódio:
Realise That
Temporada:

Número do Episódio:
1×03

 

CENA 1 – THE ALLEY – NOITE

[MÚSICA DE FUNDO – Cling And Clatter, Lifehouse]

CATHLEEN raspa a chapa da lanchonete enquanto ZACK, ao seu lado, lava os pratos. Vemos que CATHLEEN está rindo muito, mas a conversa é indistinta pela música. A música vai abaixando lentamente. CATHLEEN está gargalhando e ZACK possui seu costumeiro sorriso discreto no rosto.

ZACK: Ok, daí eu vou pro meu quarto, bato a porta na cara dele e grito que nunca mais vou falar com ele de novo. Mas você sabe como o cara consegue ser chato! Então ele fica batendo na minha porta uns 10 minutos até que desiste e eu finalmente acho que ele se cansou.

CATHLEEN: Ai, Deus. Eu sei que vem besteira por aí.

ZACK: [ri brevemente] Daí eu começo a ouvir esses gritos estranhos do lado de fora do quarto. Uma coisa meio tribal, sei lá.

CATHLEEN: O que ele fez?

ZACK: Ele colocou “Banana Boat Song” no som e apertou repeat.

CATHLEEN: [incrédula] A música do Bettlejuice?

ZACK: É!

CATHLEEN ri compulsivamente.

ZACK: A música tocou por umas três horas sem parar e eu sabia que ele só ia me livrar daquela tortura quando eu saísse do quarto e desculpasse-o.

CATHLEEN puxa por ar.

CATHLEEN: Ok, ok, então você tá me dizendo que o Ehlios tem “Day-O” gravado em cd?

ZACK: Eu não disse isso e negarei até sob tortura se me perguntarem.

CATHLEEN sorri.

CATHLEEN: Já entendi.

CATHLEEN e ZACK trocam um olhar por alguns instantes e CATHLEEN explode em risadas. ZACK também ri.

CATHLEEN: Cara, aquele garoto é completamente doido!

 

CENA 2 – QUARTO DE EHLIOS – NOITE

Close num olho que se abre. Um quarto [visão aberta], EHLIOS está deitado numa cama. Ele se contorce muito.

 

CENA 3 – LOCAL DESCONHECIDO

Tomada filmada de cima. A imagem desce lentamente, revelando uma platéia diante de um palco. Podemos ver EHLIOS e um homem segurando algo nas mãos se aproximar dele. O homem passa um troféu para EHLIOS.

HOMEM: Graças ao seu extraordinário trabalho a academia tem a honra de te entregar esse Oscar.

EHLIOS: [emocionado] Nem eu esperava!

De repente um tumulto se forma atrás das cortinas do palco e um pequeno grupo se aproxima de EHLIOS.

HOMEM1: Lógico que você esperava! Você roubou a minha idéia!

EHLIOS: [gaguejando] James Cameron, eu juro que não copiei seu andróide.

JAMES CAMERON: [revoltado] Foi o que você disse antes de colocá-lo num remake de Titanic!

Um segundo homem de estatura menor se aproxima dos dois.

HOMEM2: [gritando] Isso sem falar que a velhinha no final do filme jogou o meu UM ANEL no oceano!

EHLIOS: [envergonhado] Foi mau Frodo!

FRODO: Por mim tudo bem, mas, quero ver como você vai se explicar para o Gollum.

FRODO aponta para uma criatura que se aproximava.

EHLIOS: [assustado] Gollum! Não!

A criatura se joga em cima de EHLIOS.

GOLLUM: [berrando] Onde ele está? Onde está meu precioso?

EHLIOS tenta proteger seu rosto e num movimento ele tira uma máscara do monstro. A câmera foca a criatura, revelando a face de EHLIOS.

 

CENA 4 – LOCAL DESCONHECIDO

Close em EHLIOS que desperta. O garoto vai se desmaterializando, atravessando respectivamente a cama, o assoalho do segundo andar e uma mesa, batendo a cabeça no chão da cozinha. Ele leva as mãos à cabeça com uma expressão de dor.

EHLIOS: Odeio monstrinhos!

 

[MÚSICA TEMA – LATE GREAT PLANET EARTH, PLUM]

 

Vemos um jipe numa rodovia.

CENA 5 – JIPE EM MOVIMENTO – DIA

[MÚSICA TOCANDO NO RÁDIO – Silver And Cold,  AFI]

ZACK está na direção, SARAH no carona e EHLIOS dorme no banco traseiro.

SARAH: [olha rapidamente para Ehlios] Pelo visto foi um pesadelo e tanto.

ZACK: Eu nem quero imaginar o que fez ele quebrar a waffle maker outra vez.

A câmera da um giro e focaliza EHLIOS acordando.

SARAH: Bom dia de novo, Ehlios. Quando você pretende ficar acordado de vez?

EHLIOS: [sonolento] Quando você me oferecer a pílula vermelha?

SARAH: Pelo menos a pancada que você levou na cabeça não te deixou seqüelas.

EHLIOS boceja.

SARAH: Eu estou começando a ficar preocupada com esses seus pesadelos. Isso pode ser causado por cansaço. Até agora eu não entendi por que, você aceitou trabalhar no carrinho de sorvete, já que você estava trabalhando na locadora?

EHLIOS: [dá de ombros] Sei lá. Dinheiro demais nunca é ruim.

SARAH: Ok. Se você diz.

EHLIOS: [para Zack] Fiquei sabendo que o pescoço da Cathleen, tá pra rolar no The Alley. Confirma?

ZACK: [desanimado] Pior que tá. Acho que dessa semana não passa.

EHLIOS: Ela deve estar se torturando porque disso.

CATHLEEN [Voice Over]: Imagina!

 

CENA 6 – COZINHA – DIA

JOEY: Você não liga de ser demitida?

CATHLEEN: [dando de ombros] E por que eu ligaria? Já consegui o suficiente para pagar os estragos.

CATHLEEN e JOEY estão sentados. A câmera dá um giro e focaliza a porta da cozinha sendo aberta por JLIA que está acompanhada por um jovem.

JULIA: Bom dia. Acordaram cedo hoje, hum?

CATHLEEN: [forçando um sorriso] Bom dia, Julie. Café?

JULIA: Sempre. [olhando para o jovem atrás de si] Entre, Erick.

CATHLEEN: Namorado novo?

ERICK cora com o comentário e JOEY engasga com o que estava bebendo.

JULIA: Não, Cathleen. O Erick vai passar uns dias conosco antes de ir para Los Angeles.

JOEY: A gente vai junto dessa vez?

JULIA: Não. O Erick vai para Hellertech passar por uma bateria de testes.

CATHLEEN: [desanimada] Ah… ele é como a gente… Então, quê que você tem de bom?

ERICK parece não entender a pergunta.

JULIA: Ele tem um dom especial para perceber as coisas.

ERICK esboça um pequeno sorriso para CATHLEEN.

CATHLEEN: O quê? Isso existe?

JOEY: Então é isso? Ele só percebe? Eu também faço isso!

CATHLEEN: Corta essa, Joey! Você mal distingue a direita da esquerda.

JOEY olha para CATHLEEN com cara de tédio.

JULIA: Ele é altamente sensitivo. E como é o primeiro que a gente acha em alguns anos o Ulisses mandou dar uma checada geral nele.

CATHLEEN: Coitado…

ERICK parece nervoso com o comentário.

ERICK: O que eles vão fazer comigo?

JULIA solta um olhar cortante em direção a CATHLEEN.

CATHLEEN: Nada. A galera da Heller é super hospitaleira.

ERICK olha amedrontado para todos no local. JULIA limpa a garganta tentando mudar de assunto.

JULIA: Então, eu tô indo pra Carson City agora. Tenho que resolver algumas coisas na Hellertech antes do Erick aparecer por lá. Já conversei com Fordman e o Erick vai passar o dia com vocês no Naranda High.

CATHLEEN: Você tá indo agora? A gente tem aula em 40 minutos.

JULIA: Hoje vocês terão que pegar o ônibus.

CATHLEEN parece não acreditar no que ouviu.

CATHLEEN: [para Erick] Tá vendo isso? Comparado à Julia, você vai amar o Ulisses.

 

CENA 7 – ARQUIBANCADA DO NARANDA HIGH – DIA

[MÚSICA DE FUNDO – BURN BABY BURN, ASH]

CATHLEEN e KENNEDY estão sentadas no topo da arquibancada de frente para o campo de futebol americano da escola. Um grupo de meninas trajando uniformes de educação física passa correndo em volta do campo.

CATHLEEN: Meu Deus, olha só esses uniformes! Por que os estilistas adoram nos forçar a utilizar esses dispositivos militares? Alguém te que avisar aquelas meninas que já houve a Glasnot!

KENNEDY: [rindo sem entender] Elas ficariam até bem se vestissem roupas com cores alegres. Poderiam ser notadas.

CATHLEEN: Se eu me vestisse como um arco íris até o Stevie Wonder me notaria.

KENNEDY: Então… quem é o cara devorando o chocolate? Desde que a gente desceu do ônibus ele não para de comer. Quando você vai apresentar o gatinho?

Kennedy faz um movimento de cabeça para Erick que sentado no primeiro banco da arquibancada aprecia uma enorme barra de chocolate e observa o treinamento das garotas.

CATHLEEN: O… hum… primo da Julia? Não acho uma boa idéia.

KENNEDY: Por que não?

CATHLEEN: Você acha mesmo que é uma atitude inteligente? Você mal terminou com o Ben e já ta pensando no próximo abate?

KENNEDY: E claro que não! Só o achei bonitinho. E por que ele veio conosco para escola?

CATHLEEN: A Julia precisou viajar a trabalho e como o Joey e eu tivemos estudar ela resolveu que seria legal ele não ficar sozinho em casa. Sobrei de babá.

KENNEDY: Bem, se ele começar a chorar e se sentir só no meio da noite você sabe quem chamar.

KENNEDY sorri e CATHLEEN rola os olhos. Ouvimos o sinal tocar.

CATHLEEN: Você não tinha uma prova nesse horário?

KENNEDY: Infelizmente. [suspira] Você fica aí de babá em aula vaga e eu tenho que agüentar Geometria.

CATHLEEN: Boa sorte.

[MÚSICA FADE OUT]

CATHLEEN sorri para a amiga que retribui e desce a arquibancada. Antes de sair KENNEDY sorri para ERICK que fica sem reação. O garoto sobe os degraus e senta ao lado de CATHLEEN.

CATHLEEN: É melhor você não se empolgar garanhão. Com certeza você já devia saber que ela tava caída por você desde o ônibus.

ERICK: É, mas pelo jeito que ela me encarava até seu eu fosse mentalmente deficiente eu perceberia.

CATHLEEN: Esse poder seu, embora estranho e – convenhamos – muitas vezes inútil, até que deve ser divertido.

[MÚSICA DE FUNDO – BE LIKE THAT, THREE DOORS DOWN]

ERICK: Nem tanto. A maioria das coisas que eu percebo tenho certeza que qualquer outra pessoa também conseguiria. A maior parte das pessoas escolhe não notar algumas coisas óbvias e depois de um tempo isso já passa a ser inconsciente.

CATHLEEN: Isso é ridículo. Por que alguém não iria querer saber que presente vai ganhar de Natal ou a surpresa que o namorado vai fazer no aniversário?

ERICK: As pessoas estão sempre ocupadas demais notando a si próprias. Esse dom que eu tenho apenas prova que nada acontece de repente. Tudo sempre é precedido de muitos sinais. Eu apenas sou mais atento. Pra falar a verdade eu queria não ser.

CATHLEEN: Tá maluco? Você não percebe a vantagem que você tem em tantas coisas?

ERICK: Tá certo que às vezes é legal saber tudo que se passa ao seu redor. Te dá uma sensação boa de poder e controle, mas existem situações que eu preferiria continuar no escuro. Como quando você sabe que seu pai bate na sua mãe todos os dias ou que sua namorada está te traindo. Ou até mesmo quando você sabe antes de alguma pessoa que ela está doente. Acredite quando eu digo que isso não é legal mesmo. As pessoas tendem a ignorar o que é necessário e dar importância demais ao que não é… Eu queria poder ter esse privilégio.

CATHLEEN olha para ele com um misto de pena e admiração. O grupo de garotas uniformizadas passa novamente na frente dos dois. CATHLEEN parece pensativa.

[MÚSICA FADE OUT]

 

CENA 8 – CORREDOR DO NARANDA HIGH – DIA

Vemos alguns jovens entrando em suas respectivas salas e o corredor aparenta estar deserto. A câmera fecha a imagem em EHLIOS se deslocando sorrateiramente do banheiro masculino para a saída principal.

JOEY [Off]: Grynn!

EHLIOS, assustado, se vira

EHLIOS: [sussurrando] Joey?

JOEY: A-ha!

EHLIOS: [arqueando a sobrancelha] A-ha?

JOEY: Você está prestes a fugir do seu compromisso comigo!

EHLIOS: [sussurrando] O quê? Da onde você tirou essa idéia?

JOEY vai contando nos dedos e se aproximando.

JOEY: Vejamos. Você faltou os nossos últimos 5 encontros, você está com uma mochila preparada para mais uma fuga e está falando baixo demais.

EHLIOS: [sussurrando] Eu não to falando baixo demais.

JOEY sorri ironicamente.

EHLIOS: [sussurrando] Olha, eu tenho que ir.

JOEY: Você não vai a lugar algum antes de fazer o meu trabalho de matemática.

EHLIOS apenas ri desafiadoramente e começa a sair.

JOEY: Ok. Acho que a Dra. Miller vai adorar saber de sua cooperação para o meu crescimento intelectual. Se não me engano eu sou o seu primeiro passo para uma expansão social.

EHLIOS: Você ta tentando me chantagear?

JOEY: Eu? Imagina! Você é livre para fazer o que quiser.

JOEY aponta para a porta.

EHLIOS: Então, tchau!

EHLIOS dá o primeiro passo, mas cai de cara no chão. Close nas solas do par de tênis dele grudadas no chão. JOEY joga uma pasta azul ao lado de EHLIOS.

JOEY: …mas eu acredito que seu bom senso irá prevalecer.

JOEY se afasta.

EHLIOS: [entre os dentes] Idiota!

As solas se desgrudam do chão e EHLIOS se levanta. Quando ele vai se virar em direção à saída, ele topa com um homem.

HOMEM: Sr. Grynn, há uma semana eu venho tentando te encontrar.

EHLIOS: [surpreendido] Professor Bueno!

EHLIOS apenas sorri sem graça.

BUENO: Bem, só gostaria de te avisar que estou ansioso para ver o filme que trará para nossa escola o prêmio do festival juvenil de vídeos.

EHLIOS: [forçando um sorriso] Com certeza!

BUENO: Mas, lembre-se que o prazo termina na próxima semana.

BUENO segue para o interior do colégio.

EHLIOS: [desanimado] Como poderia esquecer?

 

CENA 9 – CORREDOR DO NARANDA HIGH – DIA

JULIA se encontra dedilhando velozmente o teclado do seu computador, quando o telefone toca.

JULIA: Alô.

ULISSES: [Voice Over] Bom dia, Julia.

JULIA: Oh… oi, Ulisses.

ULISSES: [Voice Over] Oi. Como estão os garotos?

JULIA: Estão bem… todas as suas funções motoras em ordem e nenhum–

ULISSES: [Voice Over] — Bem, eu não estou te ligando para termos uma conversa social. Então vamos direto ao assunto.

JULIA: [revira os olhos] Ok.

ULISSES: [Voice Over] Eu gostaria saber se você andou, novamente, acessando o banco central de informações da Hellertech, em busca de dados sobre o Protótipo?

JULIA: O que? Do que você tá falando? Sinceramente Heller, eu não acredito que você me ligou para me acusar de algo que eu nem sei do que se trata.

ULISSES: [Voice Over] Julia, não brinque comigo… E os desenhos? Eu gastei muito tempo e dinheiro para montar aquela equipe de extração e desde que você decidiu não trabalhar mais em campo os gastos com agente decentes estão cada vez mais caros.

JULIA abre um pequeno sorriso pelo elogio.

ULISSES: [Voice Over] Depois de todo o esforço que tive para tirar esse desenhos do governo é simplesmente inaceitável que eles tenham sido roubados no dia seguinte.

Ela retira uma chave de um colar por dentro da blusa e com ela abre a ultima gaveta da mesa onde estava. JULIA encara o conteúdo da gaveta, mas a câmera não o mostra.

ULISSES: [Voice Over] Já faz duas semanas que te dei ordens claras para que os desenhos fossem reavidos e não estou vendo o resultado disso. Minha paciência está se esgotando, Solaris.

JULIA tira dois papéis de dentro da gaveta recém aberta e vemos um desenho com uma noiva e metade de um desenho com um bebê vestido de urso polar.

JULIA: Sinto muito pela demora. Eu não consegui encontrar profissionais de infiltração a tempo. Os códigos criptografados já devem estar em outra base agora, mas eu farei de tudo para localizá-los.

ULISSES: [Voice Over] Você vai localizá-los, Julia. Apenas não tente bancar a espertinha novamente.

O telefone é desligado bruscamente.

JULIA: [irônica] Realmente paternal.

JULIA encara os desenhos mais uma vez e sorri.

CENA 10 – SALA DE ESTAR – TARDE

[MÚSICA DE FUNDO – ALL MY FAULT, FENIX TX]

CATHLEEN, JOEY e ERICK estão sentados no chão da sala de estar, jogando um jogo de tabuleiro.

ERICK: Ganhei de novo!

CATHLEEN: [revoltada] Como? Eu investi tudo no meu exército na Austrália? Como você conseguiu invadi-la?

JOEY: [desanimado] Te percebendo.

ERICK dá uma risadinha.

CATHLEEN: Tecnicamente isso é roubo!

ERICK: Não, isso é tecnologia de guerra.

CATHLEEN sai da sala.

ERICK: [para Joey] Acho que ela tá com raiva de mim.

JOEY: Precisou usar seus poderes pra isso?

ERICK: [coçando a cabeça] Eu não tive a intenção…

CATHLEEN [Off]: De usar o seus poderes?

CATHLEEN retorna da cozinha com um copo de refrigerante.

ERICK: De dominar o mundo.

CATHLEEN: Típico. Agora você se sente culpado por dominar o mundo. Será que dá pra ser um pouco mais óbvio?

ERICK pega o último pedaço de pizza.

ERICK: Quanto drama! Você não vai querer mais pizza não, certo?

CATHLEEN: Como se você já não soubesse a resposta. Garoto, você não tem fundo?

JULIA desce as escadas, interrompendo CATHLEEN.

JULIA: Não exatamente, mas a glicose parece desempenhar um papel vital na fisiologia dele. Por isso, eu pedi que ele sempre estivesse consumindo algo calórico. O metabolismo dele parece que reage quimicamente com o ambiente e os corpos próximos a ele. Por isso ele é um cara tão sensível.

JULIA dirige-se diretamente ao seu escritório debaixo da escada.

JULIA: Queiram me dar licença.

Ela fecha a porta enquanto ERICK olha para a caixa vazia de pizza e passa a mão na barriga.

ERICK: E aí, mais alguém tá a fim de um sorvete?

CATHLEEN e JOEY o encaram incrédulos.

 

CENA 11 – THE ALLEY – TARDE

A câmera foca EHLIOS entrando no estabelecimento, indo em direção de ZACK.

EHLIOS: Oi.

ZACK: [franzindo a testa] Oi.

EHLIOS: Por que esse “oi”? Eu não fiz nada de errado se é o que você está pensando.

ZACK: [calmamente] Mas, eu não disse nada. [pondera] Mas, e aí? O que você aprontou dessa vez?

EHLIOS: Eu sabia! Sua linguagem superciliar te denuncia, Hayes!

CATHLEEN [Off]: E ai, Zack!

A câmera da um giro mostrando CATHLEEN entrando no estabelecimento com várias sacolas nas mãos

EHLIOS: Você?

CATHLEEN: [fingindo estar assustada] Ehlios! Que susto! Você não pode ficar conversando em público. As pessoas podem começar a acreditar que você é gente.

EHLIOS: Depois que incluíram até você nessa categoria eu devo ter uma chance.

ZACK: Você por aqui a essa hora?

CATHLEEN: É que a Julia pediu para eu fazer umas comprinhas [mostra as sacolas]. O açúcar da mansão Liefield acabou. E como eu tava passando aqui por perto, meio que fiquei com saudade do The Alley. Deve ser uma variante da síndrome de Estocolmo.

ZACK: E ai? Você vem hoje a noite?

CATHLEEN: Para onde?

ZACK: Cathleen, sexta-feira a noite? Para onde os Narandantais vão nesse dia?

CATHLEEN: [franzindo o cenho] Para um lugar legal?

ZACK: Que seria?

CATHLEEN apenas solta um leve suspiro como se tivesse recordado algo.

CATHLEEN: [desapontada] O The Alley lotado. Então, hoje à noite?

ZACK: Com certeza.

De repente o celular de CATHLEEN começa a tocar e ela o atende. A câmera mostra um aviso de mensagem vindo de JULIA na tela do celular.

CATHLEEN: Zack, foi bom conversar com você.

CATHLEEN levanta-se da cadeira e dirige-se à saída da lanchonete.

EHLIOS: Ok. Isso que é visita rápida.

ZACK: Mas, não vamos mudar de assunto.

EHLIOS: Ok. Estou com problemas. [gesticulando] Com sérios problemas!

ZACK: [irônico] Perdeu o cd da trilha de Bettlejuice?

 

CENA 12 – SALA DE ESTAR – TARDE

CATHLEEN e JOEY estão sentados ouvindo JULIA.

CATHLEEN: Eu não acredito no que estou ouvindo! Você nos chamou aqui para isso?

JULIA: Mas, você nem ouviu direito.

CATHLEEN: E precisa?! Desde quando as missões de campo da SD-6 viraram um ensaio dos contos proibidos do Marquês de Sade? Isso, é loucura! E não é justo comigo!

JOEY: E comigo é?

CATHLEEN: Você entendeu, Joey!

JULIA: Cathleen! Isso não é um pedido formal que eu estou fazendo e sim uma ordem!

JOEY: Julia, disso a gente nunca duvidou, mas o que te leva achar que nós dois vamos conseguir driblar a segurança de um manicômio?

JULIA: O plano é simples. Vocês dois entrarão no Manicômio Charenton disfarçados. Lá dentro vocês procurarão uma brecha na segurança que não é lá essas coisas, aproveitando-se disso para soltar o homem em que estou interessada.

JOEY: Parece um bom plano, mas quem é esse cara que a gente tá procurando?

JULIA: Um velho aliado que possui informações de interesse.

JOEY: E os caras calaram a boca dele colocando ele num manicômio?

JULIA: Exatamente. Se você não pode acusar alguém de alguma coisa, acuse-a de doida. Sempre dá certo.

CATHLEEN simplesmente olha para a tutora.

CATHLEEN: Eu ainda não engoli essa missão.

JULIA: É claro que, eu não espero que você a engula Cathleen. É uma missão e não é pra ser engolida e sim ser executada.

CATHLEEN: [entre os dentes] Sim, capitão!

 

CENA 13 – THE ALLEY – TARDE

ZACK: Como? Como você pode roubar o dinheiro da produção do vídeo do colégio para comprar a coleção de dvd’s de “The Future of Earth”?

EHLIOS: [girando os olhos] A palavra exata não foi roubar e sim pegar emprestado. Eu ia pagar logo que tivesse o dinheiro.

ZACK: Ótimo! E isso seria quando?

EHLIOS: [desanimado] Tá! Você tem toda razão! Mas, e ai? Você vai me ajudar ou não?

ZACK: Fazer o que? Eu vou te ajudar na gravação desse seu filme com o orçamento hiperfaturado, mas você vai ter que me prometer que até o final disso tudo, você vai ter que conversar com a Sarah.

EHLIOS: [com os olhos arregalados] Mas–

ZACK: Se você não topar eu tô fora!

EHLIOS solta um suspiro de desistência e deixa a cabeça cair sobre o balcão.

EHLIOS: [voz abafada] Ok.

 

CENA 14 – QUARTO DE KENNEDY – TARDE

A câmera mostra o quarto da garota e o telefone tocando ao lado da cama. Vemos vapor vindo de um banheiro e um som de água caindo.

KENNEDY [Voice Over]: Oi, é a secretária eletrônica da Kay. Eu não posso atender agora, mas sinta-se à vontade para deixar uma mensagem.

CATHLEEN: Kay, amiga, eu tô precisando de um favor. Um grande favor e acho que você pode fazer isso por mim.

O resto da mensagem é abafado e fica inaudível pelo som da ducha, KENNEDY enrolada numa toalha tenta alcançar o telefone, mas, acaba escorregando e caindo.

KENNEDY: A Cathleen só pode estar doida!

[MÚSICA DE FUNDO – VIOLET, FOUR STAR MARY]

ZACK [V.O.]: Com certeza ela só pode estar doida!

 

CENA 15 – THE ALLEY – NOITE

[MÚSICA CONTINUA]

A câmera mostra KENNEDY seguindo ZACK pela lanchonete, enquanto o mesmo, segurando uma bandeja, atendia algumas pessoas.

ZACK: Ela não pode simplesmente colocar você para substituí-la. E muito menos no turno da sexta. É o dia de maior movimento e ela sabia disso. Afinal [anotando um pedido] por quê, ela faltou?

KENNEDY: Parece que um parente da Julia tava passando mal num hospital e eles tiveram que sair às pressas.

Nesse momento um grupo de pessoas entra no The Alley.

ZACK: Maravilha! Era tudo o que eu queria.

ZACK encara KENNEDY e joga um avental em direção a garota.

KENNEDY: O quê você pensa que eu vou fazer com isso? Eu não vou usar isso!

ZACK: Vai sim.

KENNEDY: Não vou!

ZACK: Só coloca logo isso, Kennedy.

KENNEDY: Ha! Eu não vou colocar essa coisa! Não vou!

 

CENA 16 – THE ALLEY – NOITE

Corta para KENNEDY usando um avental e servindo uma mesa.

ZACK: Eu te falei que não era difícil.

KENNEDY: Cala a boca! A Cathleen vai me pagar caro.

 

CENA 17 – THE ALLEY – NOITE

Em cena um carro se desloca velozmente numa rodovia. Dentro do veículo a câmera mostra JULIA no volante, JOEY no carona e CATHLEEN no banco traseiro.

CATHLEEN: Nem Sidney Bristow, teria tanto trabalho.

JULIA: Do que você tá reclamando dessa vez?

CATHLEEN: Invadir um manicômio? Treinamos por tantos anos para esse tipo de missão? Não era mais fácil a gente ter feito um curso de enfermagem?

JULIA: E o que você gostaria de fazer? Invadir o Pentágono?

CATHLEEN: Também não precisa exagerar. Você é bastante inteligente para ter entendido meu ponto de vista.

JOEY desperta de um cochilo e as duas o encaram.

JULIA: Será que dá pra você pelo menos tentar esperar uma meia hora pra reclamar depois que eu der uma missão?

CATHLEEN: Ótimo, não temos dois zero na frente do 7, nunca temos missões na Jamaica e eu não devo me esquecer de lhe comprar [para Julia] uma edição de Casino Royale,  já que você aparentemente não sabe mais como ser uma espiã auto-suficiente.

JULIA apenas sorri.

JOEY: Do quê vocês tanto conversam?

JULIA: Não se preocupe Joey, é apenas a Cathleen tendo uma crise de identidade.

CATHLEEN: Sendo uma espiã adolescente e tendo vários disfarces é meio difícil não ter uma [fazendo sinal de aspas] crise dessas.

JULIA: E a nossa visita? Será que ele vai saber se virar sozinho?

CATHLEEN: Não se preocupe! Eu mandei o Erick para um lugar que nunca tem problemas.

 

CENA 18 – THE ALLEY – NOITE

[MÚSICA DE FUNDO – CEMENTED SHOES, MY VITROL]

EHLIOS entra no The Alley e a câmera o segue indo em direção a ZACK que estava na cozinha. Ao entrar nos fundos a música fica abafada, mas ainda é ouvida. EHLIOS passa uma camiseta branca para ZACK.

EHLIOS: Tá entregue. Vai rolar gorjeta?

ZACK: Nunca.

Nesse momento KENNEDY entra na cozinha, segurando uma bandeja cheia de pratos sujos.

EHLIOS: [espantado] Chamem o Bruce Willis! Eu tô vendo coisa de outro mundo!

KENNEDY: Ehlios, desgruda! [para Zack] O quê ele ta fazendo aqui?

ZACK: Ele veio me trazer uma camisa limpa, já que a outra você sujou com vitamina.

EHLIOS: [para Zack] Que maldita doença está pegando nessas torcedoras de Naranda? Por acaso isso é alguma conspiração mundial contra as cheerleaders para as deixarem desempregadas ou o The Alley esta as contratando para alguma apresentação contra a anorexia? Tipo [como se sacudisse dois pompons] “Vai, Gordura!”.

ZACK se mantém sério e KENNEDY olha para EHLIOS abismada.

KENNEDY: Alguém me mata. Alguém me mata agora.

KENNEDY pega uma bandeja limpa e começa a sair da cozinha.

EHLIOS: [gritando para Kennedy] Onde é que eu pego a senha?

ZACK recoloca seu avental.

EHLIOS: [sorrindo] Vocês já demitiram a Cathleen?

ZACK: Não.

EHLIOS: Então, onde tá ela? Desapareceu entre o bacon?

ZACK: Parece que um parente da Julia está internado e eles tiveram que sair às pressas.

EHLIOS: E você acreditou nisso?

ZACK: O que você quer que eu faça?

EHLIOS: Zack, cai na real. [irônico] Aquela mulher deve ter tantos parentes que mal caberiam na casinha do Snoopy. Das duas uma, ou a Cathleen conseguiu enganar vocês dois e está por aí com algum jogador de futebol ou eles devem estar fuçando alguma coisa sobre a gente.

ZACK: E qual seria o interesse da Cathleen na gente?

EHLIOS: Não a gente “nós dois”. A gente “pessoas-não-muito-humanas”.

ZACK: E o quê, você pretende fazer em relação a isso? Você não pretende sair por aí investigando com uma capa e óculos escuros.

EHLIOS: É claro que não!

 

CENA 19 – THE ALLEY – NOITE

[MÚSICA DE FUNDO – SMOOTH CRIMINAL, ALIEN ANT FARM]

A câmera mostra EHLIOS de óculos escuros e trajando um casaco negro em frente à mansão deserta. O garoto olha para os lados, abaixa a aba do seu boné preto e atravessa a rua sorrateiramente. Ele chega à frente da entrada principal da caça e mais uma vez checa se não há ninguém por perto.

EHLIOS atravessa a porta e entra na casa.

CONTINUA…

[MÚSICA FADE OUT]

 

PRODUÇÃO EXECUTIVA
Samir Zoqh
Luciana Rocha

ELENCO
Keira Knightley como Cathleen
Riley Smith como Joey
Paul Wasilewski como Zack
J. Mack Slaughter como Ehlios
Ashly Lyn Cafagna como Kennedy
Bonnie Somerville como Julia

PARTICIPAÇÃO RECORRENTE

Neve Campbell como Sarah

ATORES CONVIDADOS
Daniel Clark como Erick

ESCRITA POR
Samir Zoqh

DIRIGIDA POR
Luciana Rocha

CRIADA E DESENVOLVIDA POR
Samir Zoqh
Luciana Rocha

MÚSICA TEMA
Late Great Planet Earth, Plumb

TRILHA SONORA
Cling And Clatter, Lifehouse
Silver And Cold, AFI
Burn Baby Burn, Ash
Be Like That, Three Doors Down
All My Fault, Fenix TX
Violent, Four Star Mary
Cemented Shoes, by My Vitrol
Smooth Criminal, Alien Ant Farm

UMA PRODUÇÃO HYBRID STUDIOS
DISTRIBUÍDO POR TELEVISION SERIES NETWORK

Todos os atores aqui citados são meramente ilustrativos.
Os personagens por eles representados estão em um contexto de ficção.
Nenhum direito de imagem está sendo infringido.

©2005

Séries citadas:

Os textos assinados pela Redaçao TeleSéries são textos de autoria coletiva ou notícias escritas por um redator anônimo, mas sempre revisadas com a máxima precisão jornalística.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account