Log In

Ficção (séries virtuais)

Série Virtual – Destination Anywhere – Que Começe o Jogo

Pin it

Série: Destination Anywhere
Episódio:
Que Começe o Jogo
Temporada:

Número do Episódio:
1×04

 

CENA 1 – EXT. CAMPO DE FUTEBOL – NOITE

O placar marca 2 a 2. E o relógio conta regressivamente o minuto final da partida. O barulho é ensurdecedor, a multidão – a maioria vestida com as cores dos “Lançadores”, branca e azul – grita entusiasmada. A bola esta com um jogador do time dos Rogers, e ele esta prestes a chutar. Matt para de correr. Olha para o goleiro assustado, e nesse momento não havia mais nada. Nenhum som, nenhum pessoa, somente ele e seu adversário. O contador agora está na marca dos segundos. Não há muito tempo. Matt respira e os sons começam a invadir seus pensamentos. As líderes de torcida encorajam as pessoas a gritarem e a cantarem. Todos estão à espera da decisão. Matt está com a bola, e está pronto para chutar.

 

CENA 2 – INT. CASA DOS GRAHAM – QUARTO DO MATT – DIA

O despertador toca, e Matthew cobre o rosto com o cobertor. Outro despertador, que estava em cima de sua mesa de cabeceira, toca, fazendo com que Matt se levante. O garoto sorri ao ver um pequeno bilhete embaixo do relógio.

LOU: [Voice Over] “Olá, campeão! Você sabe que nunca fui boa com palavras, mas aqui escrevo com todo meu amor. Matt, meu orgulho de viver, será que dava pra você fazer o café? Beijos, Lou. Ps: Bom jogo! Estarei lá!”.

 

CENA 3 – INT. MESMO LOCAL – SALA

Matt desce as escadas já vestido para ir à escola. Ele entra na cozinha e coloca os pães na torradeira. O garoto senta-se na mesa e seu celular apita. No visor do aparelho havia um alerta de cinco mensagens recebidas. À medida que Matt vai abrindo as mensagens vemos que se tratam palavras de encorajamento sobre o jogo. O alarme da torradeira apita e ele pega os pães, uma caixa de suco na geladeira, e um pote de geléia escura.

 

CENA 4 – EXT. FAZENDA

LOU está ao lado de um homem. Ela carrega uma prancheta na mão e toma nota de tudo que o homem diz.

HOMEM: Os números são esses, senhora.

LOU: Tem certeza, George? Em menos de quatro meses não dava pra produção ter caído tanto.

GEORGE: A produção não caiu, senhora. Mas os tributos que estamos pagando é mais do que podemos arcar.

LOU: George, continue com o bom trabalho. Eu tenho que levar isso pro escritório. Eu estou trabalhando para que dê tudo certo, pode ter certeza.

GEORGE: Eu sei disso, senhora. Até mais.

LOU entra em sua caminhonete e encosta a cabeça no banco do seu assento. A mulher suspira, ajeita o retrovisor e liga o automóvel.

 

CENA 5 – EXT. ESCOLA WILL ROGERS – ESTACIONAMENTO

Há faixas decorativas por todo o lugar. A maioria delas traz escrito em azul celeste as iniciais W.R., ou o nome do time da escola – “Ropers”. ALEXIA ajeita seu óculos escuro no rosto, e encosta-se na porta do carro, onde REBECCA se encontra. BECKY sai do carro e fecha a porta com força, provocando em ALEXIA uma expressão de dor. Ela pega uma caixa de comprimidos de sua bolsa.

BECKY: O que é isso?

ALEXIA: São pra dor de cabeça.

BECKY: Você não deveria ter bebido sabendo que hoje é dia de jogo.

ALEXIA: Ah! Becky. Não sou eu quem vai jogar.

ALEXIA sorri.

ALEXIA: Até que a noite não foi de todo ruim. Se bem que o Phillip não tinha nada que ter levado aquela “zinha” pra festa.

BECKY: Não implica com a Anna, Alley. A garota acabou de chegar, você nem a conhece.

ALEXIA: E você gostou dele ter levado a tal Anna pra festa?

BECKY: Você tem certeza que o efeito do álcool já passou? Eu e o PH não temos nada um com a vida do outro há séculos. E além do mais, a Anna não é uma má pessoa.

ALEXIA: Ai, Becky. Odeio quando você é racional e justa.

BECKY olha pra ALEXIA e sorri. MEL e SAM vem em direção contrária às duas garotas. MELISSA olha para o amigo, após perceber que REBECCA estava por perto.

MEL: Sam, você quer que eu pegue um babador?

SAM: [Sorrindo e olhando para Becky] Eu não sei do que você está falando.

No momento em que os quarto se cruzam, SAM derruba seus livros aos pés das duas líderes de torcida. MELISSA cobre o rosto com vergonha pelo amigo, enquanto ALEXIA aponta para garoto e começa a rir. REBECCA fica paralisada e SAM se baixa para pegar o que havia derrubado.

SAM: [Olhando para Becky] Desculpa.

Antes que a garota desse alguma resposta, ALEXIA puxa a amiga.

ALEXIA: [Rindo] Você viu a cara dele?

BECKY: Alley! Você não tinha nada que ficar rindo dele.

ALEXIA: Ok, ok. Santa Becky.

As duas deixam o local. MELISSA se baixa para ajudar o amigo.

MEL: Eu vou dizer só mais uma vez: “Esquece ela, Sam”.

SAM levanta-se aborrecido.

SAM: Eu sei que isso seria impossível de acontecer. Mas eu prefiro gostar dela, do que não gostar dela.

MEL: Então pelo menos deixa de agir feito um bobo na frente dela.

MELISSA levanta-se e vê o carro de MATT chegando ao estacionamento. Os dois aproximam-se do amigo, que logo é cercado por algumas pessoas que o cumprimentam.

MEL: Oi, “campeão”! Pronto pro jogo?

MELISSA ri no final da frase. MATT passa a mão no cabelo da amiga e sorri.

MATT: É esse seu sarcasmo que te deixa mais bonita a cada dia.

MATT se despede rapidamente do pequeno grupo de amigos, e caminha pelo pátio com SAM e MEL.

 

[ABERTURA]

[MÚSICA TEMA – PROMISES, LILLIX]

 

CENA 6 – INT. CASA DOS GRAHAM – SALA – MANHÃ

LOU entra correndo em casa. A mulher joga a bolsa no sofá e corre para seu escritório. Ela coloca a prancheta com os números anotados anteriormente perto do computador, pega o telefone e disca.

LOU: Bom dia! Eu sei, eu sei Margie, são 8 horas. Desculpe, eu queria ser a primeira. [Sorri] Sim, eu gostaria de marcar uma audiência com o senhor prefeito… de novo… [Cara de espanto] Como assim? Foram apenas cinco, queridinha. Margie, eu preciso falar com ele. Muito obrigada. Claro. Pode ser às cinco.

LOU desliga o telefone. Parece pensativa.

 

CENA 7 – INT. ESCOLA – CORREDOR

ANNA anda apressada com alguns livros na mão. Havia apenas alguns alunos no corredor. Aparentemente ela está atrasada.

ANNA: [Pra si mesma] Se você quiser chegar no horário certo, venha a pé. É mais garantido, sua mãe não é a pessoa mais confiável do mundo.

PHILLIP está encostado na parede olhando para a garota que parece distraída. Ele se aproxima devagar.

PHILL: Posso ajudar com os livros.

ANNA leva um susto. A garota para de andar e põe a mão no peito.

ANNA: Você por acaso está me perseguindo? Ou tentando me matar do coração?

PHILL: Estou apenas tentando ser um cavalheiro.

ANNA: Bom, Phillip. Eu aprecio a sua tentativa, mas da próxima vez faça barulho ao se aproximar.

PHILL: Eu prometo.

ANNA: Bom, eu tenho que ir. A aula já deve está começando.

PHILL vai atrás dela.

PHILL: Eu só queria agradecer por ter saído comigo ontem. Foi muito bom.

ANNA: Ah… não precisa agradecer.

PHILL: Podemos repetir algum dia?

ANNA para de andar novamente. Ela olha para o garoto, constrangida.

ANNA: Sabe, Phillip. Eu ainda estou colocando algumas coisas no lugar. Quer dizer, a minha vida, a escola, a minha família.

PHILLIP sorri.

PHILL: Anna… eu não estou te pedindo em namoro ou algo assim, só achei que se um dia você estiver entediada ou sem opções, talvez possa me ligar, e eu te garanto um pouco de diversão.

PHILL encara ANNA, mas ela desvia o olhar.

ANNA: Quem sabe, né? Agora eu tenho que ir.

ANNA vai andando em direção da sala de aula.

PHILL: [Fala alto] Você vai ao jogo hoje à noite??

ANNA levanta o braço, sem olhar para trás, e faz sinal de positivo com o polegar. SCOTT está escondido atrás da maquina de refrigerante. O garoto vai em direção ao amigo com um sorriso cínico no rosto.

SCOTT: Eu não pensei que seria assim tão fácil.

PHILL: Nunca duvide do meu estilo. As garotas me amam.

SCOTT: Mas a Anna é diferente. Ele te odiava.

PHILL: Isso faz tempo, Scott. Muito tempo mesmo. E não há nada que o tempo não possa destruir. Não acha? O que você está presenciando é o início de uma “linda” amizade.

Os dois riem.

SCOTT: E que comece o jogo!

PHILL observa sua irmã se aproximando.

PHILL: E aí maninha. Como vão as coisas?

ALEXIA: Fala logo o que você ta querendo. Não tenho o dia todo.

PHILL: Eu só ia perguntar sobre você e o Matt. Já que ele tem uma história tão bonitinha com a Anna, eu pensei que você ficaria com raiva.

ALEXIA: [Com raiva] Não enche Phill!

PHILL: Ontem ele não parou de olhar pra Anna. Você não viu?

ALEXIA parece furiosa.

ALEXIA: O que você está querendo com tudo isso?

PHILL: [Cínico] Eu… nada. É que você sempre teve ciúmes daquela amiga dele… como é o nome dela?

SCOTT: É Melissa. Ela é uma gata!

PHILL: Isso! Melissa. Você sempre reclamou que tinha que dividir o Matt com ela e, agora, vai dividir ele com a Anna também.

ALEXIA: Eu não tenho que dividir o Matt com ninguém. Aliás, eu não preciso ficar dando satisfação da minha vida pra você. Vê se cresce garoto!

PHILL: Calma! Eu só estou te alertando maninha. Se eu fosse você ficava com os olhos bem abertos.

ALEXIA: Eu não preciso dos seus conselhos!

ALEXIA sai furiosa.

PHILL: Você não sabe o que te espera.

SCOTT: Cara! Você é cruel!

PHIIL: Você não viu nada. O jogo apenas está começando.

PHILL sorri.

 

CENA 8 – INT. ESCOLA – SALA DE AULA – MANHÃ

A câmera mostra a fachada do Will Rogers High School. ALEXIA observa ANNA e MEL conversando na sala de aula. A loira olha para o relógio: 11:15. O sinal toca e ela fecha o caderno. ANNA e MEL se despedem e ALEXIA vai atrás da ruiva.

 

CENA 9 – INT. ESCOLA – CORREDOR

MELISSA está mexendo em seu armário. A garota coloca um livro e retira uns cds. ALEXIA está parada ao lado dela de braços cruzados. Quando a filha do dono do Red’s fecha o armário, leva um susto.

MEL: O que você quer?

ALEXIA: [Irônica] Eu só queria saber como é que você está lidando com a sensação de se sentir ameaçada?

MELISSA rola os olhos.

MEL: Alexia, ninguém nunca te disso que isso é doença? Quero dizer, essa sua obsessão pela minha vida.

ALEXIA: Você sabia que a Anna Mackenzie era a melhor amiga do Matt? [Sorri]

MEL: A Anna mal conhece o Matt, sua maluca.

ALEXIA dá uma gargalhada e olha com cara de pena para a rival.

ALEXIA: Não vai me dizer que você não sabia? Aaahh… Coitadinha, o seu melhor amigo agora esconde coisas de você?

MELISSA fica calada.

ALEXIA: Aposto que ele contou para o Sam, por que todo mundo sabe dessa história, mas você não sabia, não é? Que mundo cruel…

MEL: Vai se danar, sua maluca!

ALEXIA: Uh… a ruivinha ficou com raiva… Bom, eu não vim aqui pra brigar com você. Já deve ser muito difícil está na sua pele, eu não quero prolongar seu sofrimento. Estou muito caridosa ultimamente. Além do mais, hoje é um dia muito importante, sabe? Pelo menos para mim e para o Matt.

ALEXIA vai andando até sua classe, e MELISSA ainda faz menção de ir atrás dela, mas desiste e acaba indo em direção oposta dando de cara com o SAM.

MEL: Onde que está o Matt?

SAM: Oi, pra você também, Mel!

MEL: Oi… desculpa.

SAM: O que houve? Aconteceu alguma coisa? Você está pálida.

MEL: Eu só queria falar com o Matthew.

SAM: Ele está na sala.

MEL: Biologia?

SAM: Isso… Mas ele já está vindo.

MEL: Eu vou lá.

MELISSA já ia em direção da sala quando ela volta correndo em direção do amigo.

MEL: Sam… Quem é a Anna Mackenzie?

SAM: Mel… Você conhece a Anna! Baixinha, morena, que vem com a gente pra escola às vezes.

MEL: Eu sei quem é a Anna. Mas por que tanto segredo em torno dela? Por que o Matt me escondeu que eles já foram amigos?

SAM olha para os lados.

MEL: Se não quiser me contar, tudo bem. Eu só pensei que era a melhor amiga, sua e do Matt.

SAM: Mas você é, Melissa. O Matt não te contou isso não por não confiar em você. A historia o incomoda e ele não se sente à vontade falando da Anna.

MEL: Mas pelo o que eu soube todo mundo sabe da historia do Matt.

SAM: Todo mundo? Eu não acho que o Matt contaria essa historia pra todo mundo. E não é nada demais, Mel. É só algo que pertence a ele e a Anna. Uma amizade que não deu certo. Eles eram crianças, e…

MEL interrompe.

MEL: Muito bonitinho o draminha dele, mas eu gostaria que ele tivesse me contado. Olha. [Pausa] Esquece. Tchau.

[MÚSICA FADE IN – TURN, TRAVIS]

Mel corre até a sala de biologia. Ao entrar no local ela vê o amigo com uma mochila nas costas, já se preparando para sair.

MEL: Matt, espera.

MATT sorri.

MATT: Oi, Mel. Tudo bom?

O garoto percebe a aflição da amiga. MEL estava ofegante, olhava para baixo, sem saber por onde começar a conversa. MATT fecha a porta. Agora restavam apenas os dois na sala.

MATT: Vem cá. Senta aqui.

Ele se senta em uma das cadeiras perto da janela.

MATT: O que houve?

MEL: Eu sou sua melhor amiga, não sou?

MATT fica calado.

MEL: Não sou?

MATT: Claro, Melissa.

MEL fica séria.

MEL: Então por que você mentiu para mim?

MATT olha nos olhos da Melissa.

MATT: Eu? Menti pra você?

MEL: Não seja cínico, Matthew. Por que você não me contou que a Anna era sua amiga? O que tem de tão grave nisso?

MATT: O Sam te contou?

MEL: Não interessa quem me contou. O que me importa, é que você não me contou.

MATT: Eu não entendo por que as pessoas fazem dessa história um estardalhaço. Eu não te contei por que não é importante pra mim.

MEL: Não parece, Matt. Pelo contrário, parece mais importante do que você deixa transparecer.

MATT: Mel, desculpa se eu te deixei fora disso, é que eu simplesmente não quero falar sobre a Anna.

MELISSA parece inconformada.

MATT: Eu não acho justo a gente brigar por uma coisa que já passou. Você é a minha melhor amiga, e é com isso que eu me importo.

MELISSA fica olhando para ele, em silêncio.

MATT: Bom, o que eu posso fazer pra você não ficar com essa cara?

MEL: Nada…

MATT: [Imitando a voz da Mel] “Nada”. Você é uma boba, sabia disso?

MEL: Você que é…

MATT: Tá bom, eu sou…. agora vamos sair daqui. Eu preciso comer alguma coisa.

MATT abraça MELISSA e a puxa para fora da sala.

MATT: Vamos!

 

CENA 10 – INT. ESCOLA – CORREDOR

REBECCA está parada em frente ao seu armário, no corredor principal da escola, que se encontra quase vazio. A garota parece ter dificuldades ao girar a combinação da fechadura de seu armário. ANNA aparece no fim do corredor, retirando uma faixa azul envolta em seu pescoço. Ela joga o pedaço de papel em um cesto de lixo, BECKY a observa.

ANNA: Será que as pessoas dessa escola não tem consciência ecológica?

BECKY: [Fechando o ármario] Devo concordar que há um pouco de exagero. Mas é dia de festa para a escola.

ANNA estranha a resposta, e sorri timidamente ao perceber a presença da líder de torcida.

ANNA: Desculpa, eu não quis…

REBECCA sorri.

BECKY: Sem problemas. O espírito esportivo dos “Lançadores” do Will Rogers te perdoa.

BECKY ajeita sua mochila nas costas.

ANNA: Eu estou tentando me acostumar com isso.

BECKY se prepara para deixaro local, Anna segue na direção oposta. A loira olha para trás.

BECKY: Anna!

ANNA para e vira-se.

BECKY: [Aproximando-se] Eu não sei se isso vai soar estranho, mas sobre o Phillip… vocês dois… estão…

ANNA: Não! Deus! Claro que não.

BECKY: Eu vi os dois na festa ontem. Vocês me pareceram bem amigos.

ANNA: Por mais estranho que possa ser, eu também tive a mesma sensação.

BECKY: Olha Anna. Só toma um pouco de cuidado com o Phill, ok? As vezes ele gosta de brincar com os sentimentos das pessoas. Certas coisa não mudam.

ANNA: [Desconfiada] Ok.

BECKY: [Sorri] Bom, eu tenho que ir, estou atrasada. Vai, Lançadores!

ANNA sorri estranhando o grito de torcida, e faz sinal de “adeus” para a loira.

 

CENA 11 – INT. ESCOLA – AUDITÓRIO

[MÚSICA FADE OUT]

A câmera mostra a estátua do fundador da escola, que fica na entrada do auditório, um lugar grande e de estilo rústico, decorado com fitas azuis e brancas. Os alunos chegam aos bandos e se acomodam nas centenas de cadeiras do local. A primeira fileira estava ocupada pelos professores e a segunda pelos jogadores de futebol. As líderes de torcidas vinham logo atrás e os resto dos alunos se acomodava nos demais lugares. ANNA, MELISSA e SAM estavam sentados um pouco mais pra cima. MEL estava ouvindo música, ANNA lendo um livro e SAM jogando videogame no celular. De repente a multidão se levanta e começa a gritar. A diretora da escola, SRA. CHRISTINA ALBRIGHT entra no recinto e sobe no grande palco onde estava o treinador Carter e mais duas outras pessoas. A mulher se dirigi a um pequeno oratório e pega o microfone.

SRA. ALBRIGHT: Silêncio, por favor! Podem se sentar.

A maioria dos alunos obedece. REBECCA olha para trás e vê SAM. ALEXIA joga seu pompom em MATT e sorri.

SRA. ALBRIGHT: Vamos todos nos acalmar. Bom, como vocês já sabem, hoje a noite teremos jogo….

Os alunos começam a gritar. Ouve-se alguns pedidos de silêncio, alguns outros alunos gritavam “Lançadores”, duas líderes de torcida jogavam seus pompons para cima, mas a maioria simplesmente gritava. CHRISTINA olha para os lados, sem paciência, e puxa o microfone para perto da caixa de som. O barulho agudo da microfonia faz com que os alunos levem suas mãos à cabeça. A gritaria agora dava lugar a apenas um ou dois resmungos.

SRA. ALBRIGHT: Muito obrigada. Eu tenho alguns recados para dar em relação ao jogo de logo mais. Prestem atenção! Jogar é um esporte, não é palco para brigas. Kyle, Vince, estou de olho em vocês. Jogar não é desculpa para usar drogas. Se ganharmos não exagerem nas festas, não bebam, nem transem, pois se transarem vocês pegarão doenças ou engravidarão. Estamos entendidos?

ANNA segura o riso.

SRA. ALBRIGHT: Espero que sim. Agora o treinador James Carter tem uma coisa para dizer.

CARTER: Bom pessoal, eu sei que é um jogo difícil, mas o nosso time é bom. E eu sei que posso contar com a presença de todos vocês! É um dia importante para o Will Rogers! Principalmente para o nosso artilheiro, Matthew Graham!

MATT parece um pouco apreensivo, apesar de todos em sua volta estarem bastante confiáveis e entusiasmados.

CARTER: E que o jogos dessa temporada comecem!

 

CENA 12 – INT. CASA DOS MACKENZIE – QUARTO DE ANNA – TARDE

ANNA está sentada em sua cama lendo um livro. A garota ouve a campainha tocar e desce correndo as escadas até a sala.

KATHERINE: Você está esperando alguém?

ANNA: Uma amiga.

KATHERINE: Você não me disse que estava esperando uma amiga, Mary Anna. Eu não preparei nada para vocês.

ANNA: Não se preocupa com isso, mãe.

ANNA abre a porta.

ANNA: Mel!

MELISSA parece um pouco desconfortável. A garota sorri com a recepção de ANNA.

ANNA: Mãe, esta é a Melissa. Melissa Baker.

KATHERINE: Olá, querida. Muito prazer. Baker? Dos “Baker”, donos da fábrica de biscoitos?

MEL: Não… dos Baker de Nova York.

ANNA: O pai da Mel tem uma rede de lanchonetes.

A MÃE DA ANNA fica olhando com reprovação para as roupas da amiga da filha. MEL estava vestindo uma calça rasgada no joelho e uma camiseta preta. A mochila jeans jogada nas costas e o cabelo solto completavam o visual despojado da garota.

KATHERINE: Ahn.. entendi.

ANNA: Bom, mãe. A gente vai subir, e mais tarde vamos ao jogo na escola.

 

CENA 13 – INT. MESMO LOCAL – QUARTO DE ANNA

MEL senta na cama da ANNA, já a morena pega um controle remoto e liga o som. A garota sintoniza em uma rádio local.

[MÚSICA FADE IN – LOST WITHOUT EACH OTHER, HANSON]

MEL: Hanson? Nossa…

ANNA sorri.

ANNA: Eles me lembram Tulsa. [Ri] O que posso fazer? Algumas coisas não podemos explicar. Todos temos um lado negro.

MEL: [Cara de nojo] Mas… nossa…

ANNA: Vai me dizer que você nunca ouviu algo assim?

MEL: [Desconfiada] Bom, eu gostava do Aaron Carter.

As duas riem.

 

CENA 14 – INT. CASA DOS GRAHAM – QUARTO DE MATT

MATTHEW está olhando pela janela do seu quarto. Ele parecia a paisagem bucólica, os campos, os animais, a fazenda que fica ao um pouco longe de sua casa, mas ao alcance de sua vista. O garoto liga o som, e sintoniza em uma rádio. Ouvimos a mesma música que ANNA. Ele se joga na cama e põe um chapéu cobrindo o seu rosto. Alguém bate à porta.

MATT: [Resmunga] Hummmmm…

SAM: [Voice Over] Se isso foi um “Quem é?”, sou eu, Sam!

MATT: Hummm Hummmm…

SAM abre a porta.

SAM: Você disse “pode entrar”? Não foi?

MATT tira o chapéu do rosto.

SAM: Vim dá uma força, cara. Você deve tá nervoso, afinal sua bolsa na faculdade depende de um bom desempenho nessa temporada, toda a escola conta com você pra ganhar o primeiro jogo, e a Alexia, com certeza, já deve ter te prometido algumas recompensas se tudo for bem hoje à noite e…

MATT: Sam, eu consegui relaxar um pouco até você entrar aqui!

SAM: Desculpa, cara.

MATT: Brincadeira.

SAM: Ei, cara, qual é a dessa música?

 

CENA 15 – INT. CASA DOS MACKENZIE – QUARTO DE ANNA – TARDE

ANNA pega algumas caixas que estavam embaixo de sua cama.

ANNA: Me ajuda?

MEL: Claro.

ANNA: Bom, os livros eu coloco ali [aponta para uma prateleira], e os cds ficam ali [aponta para menor].

Por alguns segundos a música era a única coisa que ecoava no quarto. ANNA pega alguns livros e MEL alguns cds.

MEL: Anna…

ANNA: Sim, Mel.

MEL: [Sorri] O Sam me contou que você conhecia o Matt quando era criança.

ANNA continua o que estava fazendo.

ANNA: Verdade.

 

CENA 16 – INT. CASA DOS GRAHAM – QUARTO DO MATT

SAM pega o violão do amigo e começa a dedilhar alguns acordes. MATTHEW volta a encarar a janela.

MATT: A Anna veio falar comigo.

SAM quase derruba o violão.

SAM: E você me diz isso assim???

MATT: Olha, não foi nada demais. Eu só achei que você queria saber.

SAM: Claro! Você quer falar sobre isso?

MATT: Eu não! Você quer que eu fale sobre ela?

SAM: Ah! Só se você quiser falar, eu não vou te obrigar…

MATT: Então beleza, eu não falo.

SAM volta a dedilhar alguns acordes.

 

CENA 17 – INT. CASA DOS MACKENZIE – QUARTO DE ANNA – TARDE

MEL: E por que vocês não se falam mais? Quer dizer, eu não vejo vocês conversando ou algo assim, e pelo que me contaram vocês eram muito amigos.

MELISSA senta na cama e espera por uma resposta.

ANNA: Eu e Matt nos conhecemos ainda criança. Nós éramos muito amigos sim, mas tudo muito pueril. Um dia meu pai teve que ir embora, e eu não tive a chance de dizer “adeus”. Eu escrevi uma carta para o Matt, pedi para que ele me ligasse ou escrevesse, mas ele nunca ligou nem escreveu.

ANNA ajeita um ultimo livro que estava na caixa. A garota coloca uma caixa dentro da outra e as encosta em um canto do quarto.

ANNA: Eu esperei por algum tempo ouvir noticias dele, até que a esperança foi se transformando em raiva. Eu era uma criança ainda, então fiz o que toda criança faria: tentei esquecê-lo. E por alguns anos assim foi, até que algumas perguntas voltaram à minha cabeça: “O que será que aconteceu?”, “Será que ele me esqueceu?”, “Será que ele me odeia?”. Muitos “serás” me atormentaram por um tempo, até que meus pais se separaram e a minha mãe pediu para que eu voltasse com ela. Naquele momento eu me apavorei. Finalmente algumas eu teria as respostas que precisava e elas poderiam ser alegres ou tristes. Acho que nunca estamos preparadas para o que é verdadeiro.

MEL: Nossa, eu não sabia disso.

 

CENA 18 – INT. CASA DOS GRAHAM – QUARTO DO MATT

LOCUTOR [Voice Over]: Acabamos de ouvir Hanson, com Lost Without Each Other, e agora com vocês Nelly Furtado com Powerless. Você está ouvindo T.O.K.2.

[MÚSICA FADE IN – POWERLESS, NELLY FURTADO]

SAM coloca o violão onde ele pegou e fica lado a lado com o amigo, olhando também a paisagem.

MATT: [Sem olhar para Sam] Ela é muito cara de pau.

SAM: [Sem olhar para Matt] A Anna?

MATT olha para SAM.

MATT: Claro que sim! A Anna…

SAM: Pensei que você não queria falar dela.

MATT: Ela volta, assim do nada, sem avisar e achando a coisa mais normal do mundo. Dizendo que me perdoa! [Ri] Muito cara de pau.

SAM olha para MATT.

SAM: Por que você não dá uma chance pra ela, cara?

MATT: Eu não sinto como se eu a conhecesse mais… acredita que ontem ela foi pra festa do prefeito?

SAM: Sério? E como você sabe disso?

MATT: Eu estava lá…

SAM: Na festa do prefeito?

MATT: Eu tive que ir por causa da Alley. Bom, mas isso não vem ao caso, o mais chocante é que ela estava lá, com o Phill!!!

SAM: [Irônico] Não brinca… Ela estava amarrada ou algo assim?

MATT: Você não entende. A Anna não gostava do Phillip. Na verdade menos que eu!!!

SAM: Entendi, e isso te incomoda?

MATT: O quê?

SAM: De ela ter ido com o Phillip?

MATT: Não. Não… O que me incomoda é o fato de ela não ser mais ela. Como eu posso querer ser amigo de alguém que eu não conheço?

SAM: Então você quer ser amigo dela?

MATT passa a mão na cabeça.

 

CENA 19 – INT. CASA DOS MACKENZIE – QUARTO DE ANNA – TARDE

ANNA: Eu voltei pra Tulsa, deixei tudo o que eu construí para trás, mas as coisas não foram como eu imaginei que seriam.

MEL: Você se arrepende de ter voltado?

ANNA: De modo algum. A gente cresce e aprende a encarar as coisas de uma forma mais realista. Quer dizer, não importa pra onde eu vá, todas essas perguntas estarão comigo, certo?

MEL: Você tinha muitos amigos no Brasil?

ANNA: Não. Depois do que eu passei aqui eu jurei que nunca mais me prenderia tanto a um lugar, e foi assim por alguns anos. Aí eu vi que eu não poderia me isolar para sempre, e as coisas rolaram de uma forma mais natural.

MEL: Você quer que eu fale com o Matt sobre isso?

ANNA: Não! Não… ele provavelmente me odiaria e odiaria você também. O Matt sempre foi muito orgulhoso, pelo o que lembro dele. Apesar de que o Matt que eu encontrei quando voltei do Brasil é praticamente outra pessoa. Ele mudou muito. O Matt que eu deixei aqui, não existe mais.

MEL: É… ele mudou mais ainda depois que começou a sair com aquela maluca.

ANNA sorri.

ANNA: Por que você odeia tanto a Alexia? Quero dizer, ela é chata, se acha a melhor coisa do mundo, adora humilhar os outros, mas não passa da criatura mais óbvia da qual já conheci!

MEL: Eu não gosto dela por que… eu não gosto oras! Por esses motivos que você falou e mais alguns.

ANNA: É por causa do Matthew? Por que ela o tirou de você?

MEL: Como assim?

Anna: Depois que ele começou a namorar ela, ele deve ter se distanciado um pouco.

Mel: Ah, é. Isso é verdade. [Disfarça] É por isso que eu não gosto dela.

MELISSA caminha até a janela.

 

CENA 20 – INT. CASA DOS GRAHAM – QUARTO DE MATT

SAM: Você quer que eu converse com a Anna sobre isso?

MATT: Claro que não. Não! Não…

SAM: Você é orgulhoso demais pra isso.

MATT: Isso mesmo.

SAM: Bom, se precisar de algo. É só falar.

MATT: Eu sei.

SAM: Matt. Talvez você devesse conhecer essa nova Anna.

 

CENA 21 – INT. CASA DOS MACKENZIE – QUARTO DE ANNA – TARDE

MEL: Olha, apesar de tudo, talvez você devesse conhecer esse novo e “hipnotizado” Matt.

ANNA: Talvez.

[MÚSICA FADE OUT]

 

CENA 22- INT. PREFEITURA – NOITE

LOU está sentada em uma sala bastante sofisticada. A mulher cruza as pernas e olha para o relógio. Ela se levanta e vai até o gabinete de uma mulher morena com um crachá.

LOU: Margie, meu amor. Eu estou aqui há horas. Eu juro que se eu ficar sentada ali mais alguns minutos e começarei a dar frutos, e os frutos vão cair no chão e apodrecer, e ai os bichos vão entrar para comer os frutos podres e tenho certeza que isso não vai ser uma boa cena para se assistir.

MARGIE não dá atenção para o que LOU fala e continua a fazer suas tarefas.

LOU: E aí, não satisfeitos com os frutos do chão, os bichos vão começar a fazer ninhos e abrigos em cima de mim, quem sabe a Comissão de Preservação da Sequóia não entra aqui pra me ajudar?

O telefone de MARGIE toca.

MARGIE: Sim, senhor. [Olha para Lou] Você pode entrar!

LOU: Muito obrigada!

 

CENA 23 – EXT. CAMPO DA ESCOLA – NOITE

Há uma certa movimentação de carros e pessoas no local.

 

CENA 24 – INT. ESTÁDIO – VESTIÁRIO

O vestiário está vazio. MATT está sentado em um banco e sua está de cabeça baixa. O garoto respira fundo expressando um sinal de concentração. ALEXIA se aproxima devagar. Ela surpreende seu namorado com um beijo na bochecha.

MATT: Alley! Você está maluca? Alguém pode te ver aqui!

ALEXIA: Mas você acha que eu não iria te dar um beijo antes do jogo?

MATT: É. Realmente você é maluca.

ALEXIA beija o garoto.

ALEXIA: Hoje depois do jogo eu quero te compensar por ontem.

MATT: Você vai me deixar desconcentrado.

MATT beija a garota.

MATT: Alley, o pessoal combinou de ir ao Red’s depois do jogo. Mas se você quiser, a gente vai pra outro lugar.

ALEXIA: É claro que podemos ir pro Red’s, Matt.

MATT: [Desconfiado] Você tem certeza?

ALEXIA sorri e beija seu namorado

ALEXIA: Sim. Te vejo mais tarde! Bom jogo!

A garota pula e levanta os braços balançando os pompons. MATT sorri e a observa sair do local. A expressão tensa do garoto volta a tomar conta do seu semblante.

 

CENA 25 – INT. PREFEITURA – SALA DO PREFEITO

WILSON: Louise Graham! O que te trás aqui?

LOU: Não seja cínico! Você sabe muito bem o que eu vim fazer aqui!

WILSON DANES olha para o relógio.

WILSON: É assim que você me trata depois de concordar em te atender fora do meu horário de trabalho. Louise, Louise, algumas coisas nunca mudam.

LOU: A Margie disse que você me atenderia as cinco, e já são quase sete horas da noite! Ontem você fez a mesma coisa, me deixou esperando horas e não me atendeu. Por acaso isso é pessoal?

WILSON: Desculpa, mas eu tive alguns negócios para resolver.

 

CENA 26 – EXT. CAMPO DE FUTEBOL – NOITE

Os times se aquecem no campo. As líderes de torcida cantam alguns hinos e animam as pessoas que já estavam por lá. Algumas faixas e cartazes saúdam as escolas: Will Rogers x Memorial Tulsa. ANNA e MEL já estavam sentadas quando SAM chega com 3 copos de refrigerante na mão. As garotas ajudam o amigo. PHILLIP e SCOTT estão se aquecendo no campo quando o filho do prefeito percebe que ANNA estava na arquibancada. Ele acena para a garota que acena de volta. SCOTT cai no riso e balança a cabeça.

SCOTT: Você não presta.

PHILL: Eu não disse que ela apareceria?

Os dois riem. O juiz entra no campo. As torcidas se levantam e começam a gritar. Os mascotes se apresentam. O jogo vai começar.

 

CENA 27 – INT. PREFEITURA – SALA DO PREFEITO – NOITE

LOU olha para o relógio.

LOU: São quatro meses de queda na produção. Daqui a pouco eu não vou poder pagar os funcionários.

WILSON: O que eu posso fazer por você?

LOU: Você sabe!

WILSON: Eu não posso deixar você pagar impostos como pequena propriedade, Lou! Depois que você comprou aqueles lotes a sua fazenda virou média propriedade, e você sabia disso. Você sabe disso, não sabe?

LOU: Claro que sei! Mas você nunca se importou com isso. Agora que é ano de eleição, você vem com essa de tamanho de propriedade. Eu dava lucro, a cidade ganhava com isso!

WILSON: Você quer que eu haja contra a lei, Louise?

LOU arregala os olhos com raiva.

LOU: Eu quero uma solução. Do jeito que estamos não vai dar pra continuar. Eu faço parte de uma maioria nessa cidade, meus colegas também não estão gostando dessa sua política, você está levando a cidade para um buraco!

WILSON: Os impostos fazem da cidade um lugar mais forte.

LOU: Quer saber de uma coisa? Eu não vou votar em você mesmo!

WILSON: Isso quer dizer que será o fim das nossas negociações?

O prefeito olha para LOU com um jeito insinuante.

LOU: Você se atreva a chegar perto de mim!

Ele rir.

WILSON: Eu não faria isso.

A mulher coloca sua bolsa no ombro e prEprara-se para deixar o local.

WILSON: Louise!

LOU para e vira-se e encara o prefeito.

WILSON: Há uma solução. Você pode vender a fazenda pra prefeitura.

LOU: Eu nunca vou vender a fazenda para você, Wilson.

LOU abre a porta e vai embora. O Prefeito fica observando até ela sair do local.

 

CENA 28 – EXT. CAMPO DE FUTEBOL – NOITE

A torcida adversária grita. Gol do Memorial Tulsa. O placar marca agora 2 a 2. O jogo estava empatado. SCOTT leva a mão a cabeça e xinga o time adversário. SAM aproveita que seu lado da arquibancada ficou quieto para descer até o alambrado. Ele fica olhando para REBECCA que estava apenas a alguns metros dele.

ANNA: O que ele está fazendo?

MEL: Agora é a hora em que o Sam fica babando pela vice-líder do esquadrão pompom.

ANNA: A Rebecca?

MEL: Isso.

ANNA: E isso é normal?

MEL: Ah, é.

MELISSA volta a prestar atenção ao jogo. MATT olha pra arquibancada, ele parece procurar por alguém.

CARTER: [Grita] Se concentra Graham!

MATt olha para os lado e corre atrás da bola.

 

CENA 29 – EXT. ESTRADA – NOITE

LOU dirige seu carro em alta velocidade. Ela olha para o relógio, parece extremante aborrecida. Ela buzina contra um carro que estava a sua frente. O carro andava devagar e ela tenta ultrapassar sem sucesso. Ela buzina novamente. O carro sinaliza para ela passar. A mulher olha novamente para o relógio.

 

CENA 30 – EXT. CAMPO DE FUTEBOL – NOITE

LOU passa entre os torcedores apressada.

LOU: Licença, oh, me desculpe, licença.

LOU vê MELISSA e tenta chegar até a amiga do seu sobrinho.

MEL: Oi, Louise.

A mulher senta-se do lado da ruiva. ANNA sorri.

LOU: O que eu perdi?

MEL: Estamos empatados. O Matt fez um gol. O camisa 6 do Rogers passou mal. E o treinador do outro time continua um gato.

LOU: Anotado.

ANNA olha para LOU, que estava ainda ofegante e descabelada.

ANNA: Oi, Lou.

LOU: Oi.

Ela olha para a garota como se estivesse tentando reconhecer.

ANNA: Sou eu, a Anna.

LOU fica boquiaberta. Nem consegue disfarçar a surpresa. A mulher sorri um pouco “desconcertada” e a cumprimenta.

LOU: Eu soube que tinham voltado. [Sorri] Você está muito diferente.

O locutor chama atenção para o fim do jogo. 44 minutos do segundo tempo. 2 a 2. O barulho é ensurdecedor, a multidão, maioria vestida com as cores dos Rogers, branca e azul, grita entusiasmada. A bola estava com MATT, e o garoto está cara a cara com o goleiro. Ele pAra de correr, parece hesitar por alguns instantes. Todos estão à espera de uma decisão. MATT está com a bola, e está pronto para chutar ao gol.

[CÂMERA LENTA]

[MÚSICA FADE IN – SOMETHING THAT I NEVER HAD, LINDSAY LOHAN]

ANNA cruza os dedos. MELISSA fecha os olhos e abraça LOU. SAM grita. ALEXIA e REBECCA parecem apreensivas, a espera do ultimo movimento. MATT respira mais uma vez e chuta. O locutor grita “gol” junto com toda a torcida local. O jogo havia acabado e os Rogers eram vencedores.

[CÂMERA NORMAL]

ALEXIA joga seus pompons para cima e corre para os braços de MATT. O garoto ainda estava parado, anestesiado, em transe. Ele sente que alguém o abraçara e olha para baixo. ALEXIA o beija apaixonadamente. A garota pula em cima dele, e os dois caem no chão rindo. O casal nem percebe quando o campo é invadido. Alguns jogadores são suspensos no ar. A festa está feita. MELISSA olha para MATT e ALEXIA com tristeza. ANNA pega o braço da amiga e a puxa para o campo. Todos estão comemorando. Alguns fogos de artifício estouram no céu. LOU olha para cima espantada.

LOU: [Para um homem que estava a seu lado] Nossa mãe! Precisava desse exagero todo?? Isso é apenas um jogo entre escolas.

O homem olha esquisito para a fazendeira, e ela volta a observar a cena festiva que acontecia no campo. SAMUEL corre até MELISSA e os dois começam a pular. ANNA sorri vendo a cena dos amigos e é surpreendida quando alguém a abraça e a gira no ar.

PHILL: [Grita] Nós ganhamos!

ANNA: Me solta! Me solta.

MATT e ALEXIA se levantam e o garoto vê seu cunhado abraçado com Anna. Sua visão é interrompida quando alguns de seus colegas de time o suspendem no ar.

ANNA: Você enlouqueceu?

PHILL coloca ANNA no chão.

PHILL: Desculpa, foi o calor da vitória. [Ri]

PHILL corre para comemorar com os amigos. LOU desce ao campo com as sandálias de salto alto na mão. A mulher sorrir ao encontrar com o sobrinho, MATT abraça forte a tia.

MATT: Que bom que você está aqui!

O treinador JAMES CARTER se aproximo dos dois.

CARTER: Parabéns, Matt. Foi um jogo e tanto.

LOU olha para o treinador e sorri timidamente.

LOU: Oi, James.

CARTER: Oi, Lou.

MATT olha para os dois.

[MÚSICA FADE OUT]

A imagem vai se distanciando.

 

CENA 31 – INT. RED’S – NOITE

A lanchonete está lotada. Em uma das mesas perto da janela se concentram algumas pessoas do time. MELISSA observa tudo de trás do balcão. SAM chega ao lado da garota repentinamente.

SAM: De alguma maneira eu me sinto menor agora.

MEL: Pára de besteira, Sam! Você é muito melhor que uma dúzia deles.

ALEXIA se aproxima do balcão e olha pra MEL com desdém.

ALEXIA: Eu estou esperando meu milkshake há 30 minutos. Será que você poderia agilizar isso pra mim?

MEL: Você deveria considerar isso um favor. Já imaginou quantas calorias tem um milkshake? Ele passa pela sua garganta e cai direto na sua bunda!

ALEXIA encara MELISSA, calma e cínica.

ALEXIA: Você deveria relaxar mais, Mel. Será que nem a vitória do seu amigo tira esse seu mau humor constante?

SAM aparece com um milkshake, e o dá para ALEXIA.

ALEXIA: Obrigada, Tim.

SAM: É Sam.

ALEXIA: Que seja.

ALEXIA volta para a mesa onde estava, e senta no colo de MATT. MEL olha sério para SAM.

MEL: Você não tinha nada que ter feito isso.

MATT acena para os dois amigos, que acenam de volta, mas permanecem no mesmo lugar.

ALEXIA: Eu sabia que seria um grande jogo.

A garota beija o namorado, e fica de olhos abertos, encarando MELISSA, que sai do local rapidamente. BECKY, que está sentada ao lado do casal, fica olhando para SAM, que está limpando o balcão.

 

CENA 32 – EXT. CASA DOS MACKENZIE – NOITE

PHILL: Eu disse que seria divertido.

ANNA: É, você tem razão.

Os dois param em frente a porta da casa da garota.

PHILL: Pronto, você está entregue.

ANNA sorri.

ANNA: Obrigada, Phill.

PHILL: Eu não vou ganhar nenhum beijo pela vitória?

ANNA olha desconfiada.

PHILL: Brincadeira. Até mais.

ANNA dá “tchau” no ar, e entra em casa. PHILLIP sorri misteriosamente.

 

[TELA PRETA]

 

ELENCO
Jonathan Bennett como Matthew Graham
Natalie Portman como Anna Mackenzie
Mena Suvari como Rebecca Sawyer
Lindsay Lohan como Melissa Baker
Austin O´Brian como Scott Sawyer
Joseph Gordon-Levitt como Samuel Wood
Kate Bosworth como Alexia Danes
Brad Renfro como Phillip Danes
Marisa Tomei como Lou Graham

ATORES CONVIDADOS
Alley Walker como Christina Albright
John Wesley Shipp como James Carter
Paula Cale como Katherine Mackenzie
Todd Field como Wilson Danes

MÚSICA TEMA
Promises, Lillix

TRILHA SONORA
Turn, Travis.
Lost Without Each Other, Hanson.
Powerless, Nelly Furtado.
Something I Never Had, Lindsay Lohan.

ESCRITO POR
Clara Lima
Sarah Lima

DIRIGIDO POR
Clara Lima

GRÁFICOS POR
Clara Lima

CRIADO POR
Clara Lima
Sarah Lima

AGRADECIMENTOS
Thales Cohen.

DISTRIBUIDO POR
TVSN

® 2004-2006.

 

Séries citadas:

Os textos assinados pela Redaçao TeleSéries são textos de autoria coletiva ou notícias escritas por um redator anônimo, mas sempre revisadas com a máxima precisão jornalística.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account