Log In

Ficção (séries virtuais)

Série Virtual – Destination Anywhere – Promessas

Pin it

Série: Destination Anywhere
Episódio:
Promessas
Temporada:

Número do Episódio:
1×13

JONATHAN BENNET: [Voice Over] Anteriormente em Destination Anywhere.

 

CENA 1 – EXT. RUA

MATT [Criança]: Eu não agüento mais isso daqui.

ANNA desce, e senta-se ao lado do menino.

ANNA [Criança]: Não se preocupe. Amanhã eles nem vão lembrar disso.

MATT [Criança]: Eu quis dizer que eu não agüento mais essa cidade. Eu só queria ir embora daqui.

ANNA [Criança]: E voltar pra Nova York? Você vai morar com quem? Com seu pai e sua madrasta?

MATT [Criança]: Não! Sozinho, na rua, oras.

O garoto cruza os braços.

 

CENA 2 – INT. CASA DOS MACKENZIE

ANNA [Criança]: [Grita e bate o pé] Eu não vou! Não vou! Não vou mesmo, pai!

EDWARD MACKENZIE: Você não tem escolha Mary Anna!

ANNA [Criança]: Por acaso o petróleo de Tulsa acabou, papai? [Chorando] Você não pode fazer isso comigo! Eu tenho uma vida aqui!

EDWARD MACKENZIE: Não Seja dramática. Você terá uma vida lá também. Uma promoção dessas é irrecusável. Eu vou ser diretor geral da empresa no Brasil.

 

CENA 3 – EXT.CASA DOS MACKENZIE – DIA

EDWARD MACKENZIE: Onde você estava?

ANNA [Criança]: Fui me despedir de um amigo.

EDWARD MACKENZIE: Sua mãe já está te esperando.

ANNA [Criança]: Eu preciso me despedir de uma pessoa.

Um carro preto estaciona na frente da casa.

ANNA [Criança]: [Prendendo o choro] Eu tenho amigos, sabia?

O homem dirigi-se até a menina, e ela o abraça.

 

CENA 4 – EXT. FAZENDA DOS GRAHAM

PHILL [Criança] está escondido atrás de uma árvore. Ele olha para os lados e vai até a caixa de correio. Ele abre a caixa e tira um envelope. Mostra o envelope escrito “De: Anna Para: Matt”. O garoto guarda o envelope dentro do bolso e sai correndo.

 

CENA 5 – INT. CASA DOS MACKENZIE – QUARTO DA ANNA – TARDE

MEL: E por que vocês não se falam mais? Quer dizer, eu não vejo vocês conversando ou algo assim, e pelo que me contaram vocês eram muito amigos.

MELISSA senta na cama e espera por uma resposta.

ANNA: Eu e Matt nos conhecemos ainda criança. Nós éramos muito amigos sim, mas tudo muito pueril. Um dia meu pai teve que ir embora, e eu não tive a chance de dizer “adeus”. Eu escrevi uma carta para o Matt, pedi para que ele me ligasse ou escrevesse, mas ele nunca ligou nem escreveu.

 [Tela preta – Fade Out]

CENA 6 – INT. CASA DOS DANES- QUARTO DE PHILL – NOITE

PHILL guarda a carta no envelope. ALEXIA parece incomodada, hesita em olhar para o irmão.

PHILL: [Irritado] Ah! O que foi agora?

ALEXIA: [Assustada] O que você pretende fazer com isso?

PHILL: [Frio] Por fim na história dos dois.

ALEXIA fica quieta, pensativa. PHILL se aproxima da irmã, e coloca uma mão em seu ombro, ela o encara.

ALEXIA: E o que você ganha com isso?

PHILL: Como assim o que eu ganho? Eu tenho os meus motivos.

ALEXIA se afasta do irmão, mas continua olhando para ele.

ALEXIA: Você gosta dessa garota, não é?

PHILL: [Nervoso] Não é da sua conta.

ALEXIA: O que você quer de mim, Phill?

PHILL: Que você me ajude a separar os dois.

ALEXIA apenas olha o irmão andar de um lado para o outro do quarto.

PHILL: “Matt e Anna”. Isso me incomoda!

ALEXIA: Por sua causa, eu quase perdi o Matt, e você agora acha que eu vou ficar ao seu lado nessa sujeirada toda?

PHILL: [Irônico] Acho. Porque se você não me ajudar, é você quem vai sai perdendo.

ALEXIA: Isso é o que vamos ver.

A garota sai do quarto, enquanto PHILLIP a observa, com uma expressão de raiva no rosto.

[MÚSICA TEMA: PROMISES – LILLIX]

CENA 7 – INT. CASA DOS GRAHAM – QUARTO DE MATT – TARDE

[MÚSICA – LONELY PEOPLE, AUGUSTANA]

MATT: [Olhando para Mel] Pronta?

MEL: [Olhando para Matt e sorrindo] Sempre.

Os dois olham para frente ao mesmo tempo. MATT morde o canto da boca enquanto aperta precisamente o botão do joystick. MEL franze a testa e olha rapidamente para o amigo. MATT sorri. MEL olha fixamente para a televisão, aperta rapidamente os botões no controle do video game, e vibra com os braços pra cima.

MEL: Ganhei!

MATT: Mas como assim? Não foram nem cinco segundos.

MEL: E eu fico melhor a cada partida.

MATT: Eu não sei do que você está falando. Foi apenas um “round”.

MATT olha desconfiado para o controle.

MATT: Isso só pode estar quebrado.

MEL sorri como canto da boca, e bate amigavelmente no ombro do garoto.

MATT: Revanche?

MEL: Mas eu ganhei todas!

MATT: Eu não posso perder de você.

MEL: Por quê?

MATT: [Rindo] Por que você é uma garota!

MEL abre a boca, fingindo está chocada.

MEL: Você não sabe perder.

MATT se inclina e reinicia o jogo.

MATT: Só mais uma vez?

MEL: Está certo.

O jogo começa e MATT olha para frente. MELISSA fica olhando para o amigo. MATT parece bastante concentrado e nem percebe que

MEL olha para ele hipnotizada. MATT morde o lábio inferior e finaliza o golpe. Ele vibra. MEL sorri desconfiada.

MATT: Ganhei!

MEL: Eu deixei você ganhar.

MATT vira os olhos e empurra a amiga, que o observa se levantar e caminhar até a janela. O sol já está se pondo e as luzes da rua já estão acesas. O céu presencia uma briga de cores entre o azul e um rosa alaranjado e o outro lado do céu, uma lua bem fininha passa quase desapercebida. MEL se aproxima do garoto e se debruça sobre a janela, olhando para frente.

MEL: Esse ar puro não te incomoda às vezes?

MATT: Não mais.

MATT se inclina um pouco e aponta para o horizonte à sua direita.

MATT: Você vê aquele moinho? Lá embaixo?

MEL: Sim. O que tem ele?

MATT: É o novo limite da fazenda.

MEL: Agora eu começo a entender o conceito de latifúndio.

MATT empurra ligeiramente Melissa.

MATT: Quer ver o moinho?

MEL: [Surpresa] Agora?

CENA 8 – EXT. FAZENDA – NOITE

[MÚSICA FADE OUT]

MATT e MEL se aproximam do grande moinho perto de uma cerca. O local é parcialmente iluminado pelos reflexos das luzes vindos de uma construção vizinha.

MATT: Design antigo e feito de madeira, existem poucos por aqui.

MELISSA olha para o moinho.

MEL: Funciona de verdade?

MATT sorri, MEL olha para o amigo desconfiada.

MATT: A Lou mandou fazer há algumas semanas atrás, depois do Natal. Disse algo sobre ganhar uma batalha entre os grandes e pequenos, e que o moinho era um símbolo e… eu não entendi nada, mas pareceu importante pra ela.

MEL olha para MATT.

MATT: Quer ver por dentro?

MEL continua a olhar para o amigo.

MATT: Mel?

MEL: Que foi?

MATT: Você quer olhar por dentro?

MEL: Com você?

MATT: [Olhando ao redor] Tem mais alguém aqui?

MEL olha para o relógio.

MEL: [Nervosa] Eu, eu tenho que ir. Eu [Pensando] vou ajudar meu pai na lanchonete. Você sabe?

MATT: Sei o quê?

MEL: Noites de segunda, sempre são movimentadas.

MATT franze as sobrancelhas. MEL anda apreensiva na direção do carro. O rosto da garota mistura uma feição de surpresa e nervosismo. MATT vai atrás dela.

 

CENA 9 – INT. QUARTO DE MEL – NOITE

MELISSA fecha a porta do quarto e se joga na cama. A garota vira-se de costa, a modo de encarar o teto. Ela sorri.

 

CENA 10 – EXT. LOCAL DESCONHECIDO – NOITE

[MÚSICA – HAND, JARS OF CLAY]

SAM e BECKY passam por uma porta de vidro, de mãos dadas. Os dois caminham um pouco deixando para trás um grandioso prédio “estilo anos 50” vermelho e dourado. Ao lado do prédio uma placa com um neon fraco anunciava “Grand Cinema Tulsa” e em letras menores, “Apresenta: Vidas Sem Rumo”. Os dois param e REBECCA coloca um gorro escuro na cabeça do namorado. Os dois estão bastante agasalhados. BECKY está extremamente séria e anda um pouco apressada na direção do carro estacionado no beco escuro.

SAM: Becky, o que houve? Não gostou do filme?

BECKY: [fala pausadamente] Ele… morreu… queimado! Ele era só uma criança, e morreu.

SAM: Todo mundo sabe disso, Becky! É um clássico local.

SAM olha desconfiado para BECKY.

BECKY: Como você pode me trazer num filme desses?

SAM: [Sorrindo] Pra começar eu não achei que você quisesse ver o filme.

REBECCA lança um olhar consternado para SAM.

BECKY: Matinê de domingo, é matinê de domingo, Sam. Não uma desculpa pra se agarrar nas poltronas de um cinema velho, onde provavelmente muitos de nossos amigos foram feitos.

SAM para pensativo e concorda com um gesto positivo com a cabeça. BECKY suspira, abre a porta do carro e entra no veículo. SAM entra logo em seguida no banco do passageiro.

SAM: Becky, desculpa. Eu não tive a intenção.

REBECCA suspira mais uma vez, e olha para frente.

SAM: Me deixa compensar você? Por favor.

BECKY: Como? Me agarrando dentro do carro?

Ela coloca a chave na ignição depois de algumas tentativas, mas SAM a impede de dar partida ao colocar sua mão sobre a dela.

SAM: Ei. Essa não é a Becky que eu conheço.

SAM passa a mão no rosto da namorada, um pouco apreensivo.

BECKY: Eu pensei que você fosse diferente dos outros!

SAM: Mas eu sou. Eu gosto de você Becky!

BECKY: Ah! gosta? Então que tal aquele jantar na sua casa, pra eu conhecer a sua família?

SAM arregala os olhos.

BECKY: É, foi o que eu pensei.

SAM: Está certo, está certo! Sábado está bom para você?

BECKY: Sim. Quer dizer, não. Sábado é dia de votação, eu vou ficar com a Alley o dia todo. Que tal sexta?

SAM: Sexta eu vou ajudar meu pai com umas entregas em “Broken Arrow”.

BECKY: Então quinta. [Sorri]

SAM: Está bem… jantar na quinta.

BECKY dá um abraço entusiasmado em SAM e liga o carro.

[MÚSICA FADE OUT]

CENA 11 – INT. ESCOLA – DIA

ANNA anda apressada pelos corredores cheios da escola. Ela segura em uma das mãos um envelope branco. A garota olha para seu relógio e acelera o passo. Ela não ver um garoto [Patrick Fugit] em frente ao armário e acaba batendo nele. O armário do garoto se fecha com a colisão.

ANNA: Desculpa!

GAROTO: Não tem problema.

ANNA: Eu estou atrasada. [Aponta para a sala da diretora] Muito atrasada!

GAROTO: Como o coelho em “Alice No País Das Maravilhas ”?

ANNA: [Sorri] Isso mesmo.

O sinal da escola toca e alguns alunos entram nas salas de aula.

GAROTO: Eu tenho que ir.

ANNA olha para o garoto, pensativa, depois corre para sala da diretora.

 

CENA 12 – INT. SALA DA DIRETORIA

CHRISTINA ALBRIGHT olha para porta ao ouvir alguém bater. ANNA entra com um sorriso de menina boazinha que nunca causou nenhum problema.

ANNA: Bom dia, Sra. Albright. A que devo a honra de tal convocação?

SRA. ALBRIGHT: Bom dia. Sente-se.

A mulher olha para ANNA com o canto dos olhos enquanto ajeita seus óculos. Ela coloca alguns papeis em cima da mesa e os examina com cuidado.

ANNA: Algum problema?

SRA. ALBRIGHT: Infelizmente, não. Mas há algo que devo discutir com a senhorita.

ANNA: Manda!

SRA. ALBRIGHT: Você tem notas boas, porém isso não garante que você possa ir para alguma boa faculdade. Não que eu me importe, mas esse é o meu trabalho, então aqui estão as suas opções.

A mulher entrega um folheto para ANNA, que demora a entender o que está havendo.

SRA. ALBRIGHT: São atividades extra-curriculares.

ANNA: [Lamentando] Ah, não…

SRA. ALBRIGHT: Ah, sim. Talvez isso ajude você a ganhar algum crédito.

ANNA olha para o papel com desdém.

ANNA: [Lendo] Culinária, clube de ciências, programa áudio-visual, coral, clube de leitura. [Para a diretora] Eu tenho até medo de continuar.

SRA. ALBRIGHT: Você ainda não chegou na parte da torcida.

ANNA ri, mas seu sorriso se desfaz ao ver que a diretora estava falando sério.

ANNA: Oh, não era uma piada.

SRA. ALBRIGHT: Eu não tenho tempo pra brincadeiras, mocinha. É só escolher uma dessas matérias, nos horários das 2 às 4, e me entregar até o fim da semana. Agora pode ir, você vai se atrasar pra aula.

ANNA levanta-se com o papel na mão. A garota tentar dizer algo, mas percebe que a diretora não percebia mais a sua presença dentro da sala. A garota balança a cabeça negativamente e guarda o papel na mochila.

 

CENA 13 – INT. CASA DOS GRAHAM – ESCRITÓRIO – DIA

Um enorme feixe de luz entrava pela janela aberta e iluminava a mesa onde LOU estava. Ela baixa o visor do seu laptop e coloca a ponta da caneta na boca, em uma expressão pensativa a mulher começa a olhar para o papeis em cima da mesa.

LOU: [Fala sem tirar o lápis da boca] Taxas de terras produtivas, taxas de terras improdutivas, taxas de terras com petróleo.

A mulher se levanta e começa a andar de um lado para o outro. LOU para e sorri.

 

CENA 14 – EXT. FAZENDA – DIA

A Cherokee verde escuro levanta poeira na estrada de terra. O carro vem em alta velocidade, e ao passar por uma pequena ponte que cobre um fino riacho, cambaleia, mas segue firme na direção do moinho.

 

CENA 15 – EXT. MESMO LOCAL

LOU está fora do carro, com o celular na mão, e uma bolsa preta pendurada no ombro.

LOU: Isso mesmo, eu acho que encontrei a solução perfeita para o nosso problema. [Pausa] Me encontra na fazenda mais tarde. [Sorri] Eu tenho certeza que você vai encontrar um tempinho para falar comigo.

A mulher desliga o telefone e sorri misteriosamente.

 

CENA 16 – EXT. PREFEITURA – DIA

O prédio branco e azul da prefeitura brilha na luz do sol. Há muita movimentação do lado de fora do prédio.

 

CENA 17 – INT. MESMO LOCAL

O prefeito WILSON DANES anda apressado pelo grande corredor que leva ao hall principal da prefeitura. Algumas pessoas o cumprimentam, e ele responde com um “v” de vitória. O prefeito está quase passando pela porta que dá acesso à saída quando uma mulher de óculos e várias pastas de documento na mão, se aproximou do homem quase correndo.

MARGIE: Senhor, senhor. [Quase sem fôlego] O senhor tem uma reunião com o partido em meia hora.

WILSON olha para o relógio em seu braço.

WILSON: Droga! Eu tinha me esquecido. Cancele! Eu tenho um compromissodaqui à pouco.

MARGIE: Cancelar o quê?

WILSON: A reunião!

MARGIE: Ah, desculpe. Eu vou cancelar.

WILSON: Reagende para quinta.

MARGIE: Sim, senhor.

O prefeito vai em direção à porta da saída.

 

CENA 18 – INT. ESCOLA

[MÚSICA – NEVER LET YOU DOWN, THE VERVE PIPE]

MATT e SAM estão sentados próximos na sala de aula. Os alunos lêem algo em um livro grosso enquanto o professor ajeitava um grande mapa da América no quadro-negro. O homem senta-se e observa os alunos. SAM se aproxima do amigo, olhando para o professor, e aproveitando que o mesmo estava distraído.

SAM: [Sussurrando] Matt… Matt… psiu!

MATT olha para o lado e vê SAM quase debruçado sobre ele.

MATT: O quê?

SAM: Eu não estou conseguindo me concentrar.

MATT: Por quê?

SAM: Eu acho que a Becky vai acabar comigo. Ela não está falando direito comigo, dizendo coisas como “os garotos se aproveitam dela”, e não sei o que faço.

MATT volta a olhar para o livro.

SAM: Agora ela quer jantar na minha casa. Na quinta!

MATT aponta para o livro, SAM olha para o professor e continua.

SAM: Depois disso, eu tenho certeza que ela acaba. E as pessoas vão apontar pra mim na escola e dizer “Lá vai ele, pensou que podia ficar com uma garota daquelas, coitadinho”.

MATT: [Sussurrando] Sam, você está sendo ridículo. Não é você mesmo que vive dizendo que a Rebecca é uma pessoa especial? Deixa rolar, cara.

SAM: [Nervoso] “Deixa rolar”? É a Rebecca Sawyer de quem estamos falando.

SCOTT que estava sentado em algumas cadeiras para a lateral, olha para os garotos, indignado.

SCOTT: [Olhando para Sam] Professor, eu não consigo ler com todo esse barulho.

O professor apenas colha para SAM e MATT com um olhar de repreensão.

SAM: [Baixinho] Me espanta você saber ler.

SCOTT olha para ele novamente. PHILL nem ao menos se manifesta e em uma cadeira perto da janela continua lendo o livro.

 

CENA 19 – INT. MESMO LOCAL – VESTIÁRIO

ALEXIA e REBECCA estão de toalha como algumas garotas no local. A fumaça que se forma quando a água quente do chuveiro bate no chão toma conta do local.

[MÚSICA FADE OUT]

ALEXIA: [Para Becky, baixinho] Desde a semana passada o doente me persegue. Ele disse pra eu não contar para o Matt, mas não disse nada sobre contar para outra pessoa. Eu estava sufocando com esse segredo.

ALEXIA vira-se para a parede e veste uma blusa rosa. A garota vira-se para a amiga, que está sentada em um banco perto do espelho.

ALEXIA: Esse vapor acaba com o meu cabelo. [Prende o cabelo em um rabo de cavalo] Então, [Volta para o tom baixo da voz] eu passei a semana toda pensando como eu faria pra tirar vantagem disso, e não consegui nada. Você tem que ver como ele está todo desesperado, chega a ser engraçado.

BECKY: Ele é um desgraçado filho da…

ALEXIA olha para os lados, para ver a reação das meninas que ainda estavam ali, depois ela olha para a amiga com uma cara de indignação.

ALEXIA: [Baixinho] Ele é meu irmão, você não pode xingá-lo disso. Tenta outra coisa como “porco imbecil”, “egoísta desaforado”, “insensível vadio”!

REBECCA levanta-se e vira-se para a parede para se trocar. ALEXIA entrega à amiga uma blusa branca.

BECKY: [Trocando-se] Todos eles são.

ALEXIA: Eles quem?

BECKY: Os homens! Eles só querem nos usar. Você não percebe?

ALEXIA: Às vezes…

A câmera focaliza ALEXIA, enquanto BECKY coloca o resto da roupa.

BECKY: Então, o Matt passou 7 anos sem ver essa menina, isso é vida real, não um conto ilusório que traz o mocinho se casando com a amiga de infância. Você é mais bonita que ela, não deve se preocupar com o Matt, pois na verdade homens não ligam para o que somos, e sim se vão ficar bonitos na foto.

ALEXIA: Que foto?

BECKY: Sentido figurado, Alley!

ALEXIA: Nossa, como você tá afetada! Aconteceu algo com o nerd?

BECKY: O nome dele é Sam!

ALEXIA: Tanto faz.

BECKY: “Tanto faz” não, Alexia.

ALEXIA faz cara de ofendida e termina de se vestir.

BECKY: Eu estou cansada desse seu drama mexicano com o Matthew.

REBECCA pega uma pequena sacola azul e sai do vestiário. As meninas, que escutavam tudo disfarçadamente, ficam olhando para

ALEXIA com pena.

ALEXIA: O que vocês estão olhando?

ALEXIA sai do local correndo.

 

CENA 20 – INT. ESCOLA – CORREDOR

ALEXIA: Rebecca! Espera!

A loira para de andar. ALEXIA se aproxima.

ALEXIA: Qual é o problema?

BECKY baixa a cabeça.

BECKY: Desculpa pelo o que falei.

ALEXIA: Ei, você é a minha melhor amiga. Eu ficaria com raiva se eu não soubesse que precisa acontecer algo muito grave pra mudar o seu humor. Então me diz. O que houve?

REBECCA suspira.

ALEXIA: Você me conta no caminho de casa.

A garota sorri e põe um braço ao redor do pescoço da amiga.

ALEXIA: Vamos.

 

CENA 21 – EXT. FAZENDA – TARDE

LOU: Pensei que tinha dado pra trás.

WILSON: Eu não sou homem de duas palavras.

LOU ri.

CENA 22 – EXT. FAZENDA – TARDE

[MÚSICA – UP, SHANIA TWAIN]

LOU: De qualquer modo, eu tenho algo para tratar com você.

WILSON: Estou sempre disposta a ouvi-lá, mas se for algo sobre o seu terreno, eu preferia que você tivesse ido à prefeitura. [Encarando Lou] Ou melhor, [Olha ao redor] acho que aqui está ótimo.

LOU se aproxima do homem, sorrindo.

LOU: Pois bem, eu vou direto ao assunto. Eu comprei essas terras aqui como improdutivas, porém a prefeitura cobra as taxa como produtoras de petróleo. Eu não posso pagar por esse absurdo.

WILSON: [Irônico] A última vistoria feita pela prefeitura atestou que essa terra produz mais petróleo do que na Arábia. [Ri]

LOU: Eu não sei qual é o tamanho do seu prazer doentio de ver uma pobre mulher como eu…

WILSON: Não exagera.

LOU: De ver uma pobre mulher como eu perder sua fazenda.

WILSON: Você pode vender as terras para a prefeitura.

LOU: E por que eu faria isso?

WILSON: Tenho projetos. Você estaria contribuindo para o bem estar da população, e ainda poderia gastar o dinheiro pagando as suas dividas, ou comprar alguma outra terra, quem sabe?

LOU: Você está claramente aumentando as minhas taxas para tirar as terras de mim.

WILSON ri.

WILSON: Isso é política, Louise.

LOU: Eu conheço bem a política, senhor Danes.

WILSON: Você pode vender para outra pessoa, se quiser, eu não estou obrigando você a nada. Mas você não pode impedir dessa outra pessoa fazer um bom negócio com a prefeitura depois.

LOU: Eu não vou precisar.

A mulher sorri e tira um gravador da bolsa. WILSON olha para ela, sério.

WILSON: Você é uma mulher e tanto.

LOU: Você é um canalha, cafajeste, vagabundo!

WILSON: Espero que você não esteja gravando isso.

LOU: O que eu tinha pra gravar, eu já gravei. Uma declaração descarada sua, revelando que você quer me sacanear. Já pensou o quão interessante o povo vai achar isso?

WILSON: Você está me chantageando?

LOU: Estou apenas fazendo política.

WILSON sorri.

LOU: Você tem até a noite de quinta-feira para fazer um documento atestando que essas terras são improdutivas. Eu vou transferir os setores de máquinas para cá, e expandir as minhas terras produtivas, vou conseguir pagar o que estou devendo, e fazer um bom lucro. Estamos entendidos?

WILSON: As pessoas sempre tentam os caminhos mais fáceis.

LOU: Caminhos fáceis? Eu passei meses correndo atrás de advogado pra resolver isso para mim, mas quando eles percebiam que teriam que jogar contra você, eles pulavam fora. Eu apenas resolvi enfrentá-lo com a sua própria moeda.

WILSON olha para LOU com um sorriso irônico.

WILSON: Isso é o que dá quando se que ajudar os amigos.

LOU: Eu nunca fui sua amiga, Wilson.

O homem faz cara de sentido.

WILSON: Então acho que nosso assunto acabou por aqui. Tenha uma boa noite, Louise.

LOU apenas o encara.

[MÚSICA FADE OUT]

 

CENA 23 – EXT. CIDADE – TARDE

[MÚSICA – I MISS YOU, INCUBUS]
Um grande sol vermelho se esconde por trás dos altos prédios do centro da cidade.

 

CENA 24 – INT. ESCOLA – SALA DE AULA – TARDE

Um professor anda entre os alunos, que estão em silêncio.

PROFESSOR: Descrevam a geografia da sua região em forma de redação.

SCOTT: Agora?

PROFESSOR: Claro que agora.

SCOTT: Professor, falta 15 minutos para…

PROFESSOR: O senhor acha que eu não sei ler as horas?

Alguns alunos protestam com gemidos de insatisfação.

PROFESSOR: E não adianta reclamar.

PHILLIP está sentado em uma cadeira perto da janela. Ele olha para o pátio e vê algumas pessoas indo embora.

PROFESSOR: Vocês têm quinze minutos para isso.

Os alunos abrem os cadernos, mas PHILL continua a olhar para o lado de fora. O PROFESSOR se aproxima do garoto, e ele pega o caderno rapidamente. A folha do caderno vazia logo dá lugar às primeiras palavras: Tulsa – OK. Janeiro – 2005. PHILLIP olha para a página, pensativo.

 

CENA 25 – EXT. ESCOLA WILL ROGERS – CAMPO DE FUTEBOL – TARDE

CARTER apita sinalizando o fim do treino. Os garotos sentam no campo, cansados. MELISSA e ANNA estão nas arquibancadas, assistindo à aula. As garotas estavam um pouco agasalhadas e nota-se uma fumaça fraca produzida pelo calor de suas respirações.

[MÚSICA FADE OUT]

ANNA: Eu tenho que ir.

Ela sinaliza com a mão para MATT, no campo, e desvia o olhar de PHILL.

MEL: Não vai falar com o Matt?

ANNA: Hoje não, eu tenho um compromisso.

MEL: “Compromisso”? Sei… [Ri] Com quem?

ANNA: [Rindo] Não sei com quem. Me deixaram um bilhete no armário hoje, mas… eu tenho uma idéia de quem seja.

MEL: Quanto mistério.

ANNA: Depois eu conto pra você.

ANNA levanta-se e despede-se da amiga. MATTHEW dá “tchau” para ANNA e observa a expressão de raiva no rosto do PHILLIP. MATT segura o riso e volta a olhar para CARTER.

CARTER: Por hoje é só. Vocês estão dispensados.

SCOTT e PHILL fuzilam MATT com os olhos. PHILL olha para ANNA deixando o campo e disfarçadamente deixa o campo também.

SCOTT continua olhando para MATT, que se aproxima da arquibancada para falar com MELISSA. MEL desce os batentes com um sorriso no rosto.

MATT: [Sorrindo] O que houve?

MEL: [Sorrindo] Como assim o que houve?

MATT: Você tá sorrindo. Alguma coisa boa aconteceu?

MELISSA desfaz o sorriso imediatamente, e disfarça. SCOTT observa os dois de longe.

 

CENA 26 – INT. ESCOLA – CORREDOR

[MÚSICA – BLUE AND YELLOW,  THE USED]

ANNA caminha pelo corredor, apreensiva, e entra em uma sala escura, onde há alguns projetores e cadeiras espalhadas.

ANNA: Alô? Tem alguma aqui?

ANNA explora o local. Alguém abre a porta.

ANNA: Phillip?

PHILL: Pensou que fosse outra pessoa?

ANNA: O que você quer?

PHILL: Você sabe o que eu quero Anny.

PHILL se aproxima da garota, que dá alguns passos para trás.

ANNA: Não seja ridículo, Phill.

PHILL: Por favor, Anny. Me escuta.

ANNA olha para os lados, hesitando.

ANNA: Você tem um minuto.

PHILL: Eu sinto sua falta, mas do que eu gostaria.

ANNA cruza os braços.

PHILL: Por que você está agindo assim comigo? Eu pisei na bola, certo, mas já foi o quê? Há quase 1 mês atrás, e você nem olha para a minha cara.

ANNA olha para o relógio em seu braço.

PHILL: Me perdoa por favor, eu prometo não implicar mais com o Matthew.

ANNA: Por que eu acreditaria nas suas promessas?

PHILL fica calado.

ANNA: Viu?

PHILL corre em direção da garota. Ele parece bastante assustado.

PHILL: Por que eu gosto de você!

ANNA olha para ele surpreso. Ele também parece surpreso com o que disse.

PHILL: Por que eu gosto de você, Anny.

ANNA fica sem ação, em silêncio, apenas olha para PHILLIP. Ele se aproxima mais ainda dela e a beija. ANNA reage.

ANNA: Não!

Ele continua a beijá-la.

ANNA: [Grita] Me larga, Phill!

PHILL: Por favor, Anny.

A porta se abre e um GAROTO [Patrick Fugit] entra no local.

GAROTO: O que está havendo aqui?

ANNA empurra PHILL e passa pelo garoto correndo, em direção do corredor. PHILL olha para o Garoto com desprezo.

PHILL: [Irônico] Valeu, amigão.

 

CENA 27 – INT. MESMO LOCAL – VÃO PRINCIPAL

ANNA passa por SAM, apressada e de cabeça baixa. Ele ainda faz menção de cumprimentá-la, mas ela nem ao menos olha para ele.

 

CENA 28 – EXT. CIDADE – NOITE

O centro da cidade é iluminado por uma grande lua.

[MÚSICA FADE OUT]

 

CENA 29 – EXT. CASA DOS DANES – NOITE

O local está cheia de bandeiras e banners espalhados por toda a fachada. Uma BMW preta está estacionada ao lado de uma moto.

 

CENA 30 – INT. CASA DOS DANES – QUARTO DE ALEXIA – NOITE

ALEXIA está na frente do espelho se maquinado quando JORDAN entra em seu quarto.

JORDAN: Se arrumando pra mim? Quanta honra.

A expressão no rosto da garota não era um bom cartão de boas vindas.

CENA 31 – INT. CASA DOS DANES – QUARTO DE ALEXIA – NOITE

JORDAN: E aí? Pra onde vamos?

ALEXIA continua se maquiando.

ALEXIA: Não vamos a lugar nenhum. Eu vou sair com o Matt.

JORDAN ri.

JORDAN: Você ainda está com aquele perdedor?

ALEXIA: O único perdedor aqui é você.

JORDAN entra no quarto e senta-se na cama.

JORDAN: Você está bem?

ALEXIA: Por que não estaria?

JORDAN: Da última vez que nos falamos você estava… atravessando uma crise.

ALEXIA: Eu estou 100%. Agora me dá licença.

JORDAN se coloca na frente da prima, impedindo sua passagem.

ALEXIA: Sai da frente.

JORDAN: Eu sei onde vamos.

Ele puxa a prima pelo braço.

 

CENA 32 – INT. RED´S – NOITE

[MÚSICA – MY FAVORITE MISTAKE, SHERYL CROW]

MELISSA e ANNA estão sentadas em uma mesa.

MEL: Ele fez o quê? E você não contou pra ninguém?

ANNA: Fala baixo. Não, eu não contei pra ninguém. É constrangedor.

MEL: Ah! Se ele não tivesse todo aquele lado negro, até que dava pro gasto.

ANNA: Eu e o Phill? Nem pensar.

MATT SE aproxima das duas amigas com uma bandeja contendo 3 copos de refrigerante. As duas disfarçam.

MEL: Você está notando algo de diferente no Matt?

ANNA: [Observando o garoto] Hum… Não.

MEL: O carrapato não está grudado nele.

MATT senta-se.

MATT: A Alley está no comitê ajudando o pai.

MELISSA pega o catchup e finge estar entrevistando o amigo.

MEL: E como é respirar ar puro de vez em quando?

MATT: [Rindo] Confesso que estou até gostando.

MEL olha para MATT ao ouvir o que o amigo tinha dito. ANNA percebe o gesto da colega, e muda de assunto.

ANNA: A Alexia na política. Soa um pouco…

MEL: … assustador.

ANNA: Quem sabe ela não se torna prefeita um dia? Ou presidente?

MATT: [Sorrindo] Por favor.

MEL: Imagina só. Você está no espaço, e sua nave cai na terra. Você fica feliz ao perceber que sobreviveu à catástrofe, até você perceber que o nosso planeta não é mais o mesmo. A Terra está dominada por lideres de torcida. Todo mundo usa uniformes e não falam; soletram.

ANNA: A Estatua da Liberdade segura um pompom, e não uma tocha!

MEL dá uma gargalhada. MATT apenas sorrir e olha pra MELISSA.

MATT: Você daria uma bela líder de torcida, nesse seu universo paralelo.

MEL fica séria, envergonhada. ANNA e MATT riem da cara da amiga.

MATT: É brincadeira.

MATT levanta-se.

MATT: A conversa está boa, mas eu tenho que ir.

MEL: E o cachorrinho volta de rabo abanando para o carrapato.

ANNA: Fica mais um pouco, aproveita a liberdade. Somos duas, ela é apenas uma. [Pisca o olho]

MATT: Tentador, mas às vezes um cara precisa respirar um pouco de Channel nº 5.

ANNA: Isso era pra ser engraçado?

MEL: Eu não sei.

MATT dá um beijo no rosto da ANNA, e depois vai até MELISSA. A garota parece um pouco apreensiva. Ele a beija no rosto e a garota o observa partir. ANNA olha apreensiva para um papel em sua mão.

MEL: O que é isso?

ANNA: A diretora me fez escolher uma atividade extra-curricular. O que você faz?

MEL: Culinária.

ANNA olha com um ar de questionamento para a amiga.

MEL: Meu pai tem vários restaurantes.

ANNA: Justo. [Pensando] Meu pai viaja o mundo atrás de petróleo e a minha mãe é um dondoca sem juízo. Acho que vou escolher… ah! Eu não sei o que escolher. Talvez eu escolha leitura ou algo assim. Eu gosto de inventar histórias, de escrever coisas no meu diário. Ultimamente eu venho pensando em escrever um conto sobre uma garota ruiva que está completamente apaixonada pelo melhor amigo.

MEL: O quê?

ANNA: Não precisa ser um gênio pra notar que você gosta dele.

MEL: Eu não sei do que você está falando.

ANNA: O Matt não vai perceber se você não se esforçar. Ele é lento pra essas coisas, sempre foi. Uma vez na 4ª série uma menina o chamou pra dançar e ele não foi por que achava que ela estava sinalizando pro garoto do lado. Totalmente retardado. [Ri]

MEL geme e leva a mão a cabeça cobrindo o rosto.

 

CENA 33 – INT. CASA DOS WOOD – NOITE

[MÚSICA FADE OUT]

A pequena sala está iluminada apenas por uma vela comum no centro da mesa, na qual SAM e REBECCA estavam sentados.

SAM: Meus pais pediram desculpas, mas eles acabaram presos em Broken Arrow e não vão poder jantar com a gente.

BECKY fica um pouco chateada com a notícia.

SAM: Eu sei o quanto você queria conhecê-los.

BECKY continua calada. SAM olha para namorada, e toma fôlego.

SAM: Mas é até melhor assim, se você vai terminar comigo, espero que não seja na frente deles.

BECKY franze a testa.

BECKY: Eu não vou terminar com você, por que eu faria isso?

SAM: Você quase não falou comigo durante toda a semana, estava fria ao telefone, e quase não olha nos meus olhos.

BECKY: E por isso você acha que eu vou acabar com você?

SAM: Sim?

BECKY: Deus do céu! Garotos são tão imaturos.

SAM: Somos?

BECKY: [Sorri] São sim.

SAM: E isso é ruim?

BECKY: Depende. Olha, Sam. Eu não vou terminar com você ao menos que você se torne um cretino. Eu só não tive uma boa semana na escola, na minha casa. Eu sei que é errado descontar nos outros, ainda mais nas pessoas que eu gosto… bom, eu acho que eu não sou tão perfeita quanto acham.

SAM sorri e pega nas mãos da garota.

SAM: Pra mim você é.

BECKY: O jantar estava ótimo. Agradece à Mel por mim.

SAM: Como assim?

BECKY: Tem sacolas do Red’s por toda a cozinha.

Os dois riem.

SAM: Você já vai?

BECKY: [Séria] As coisas não estão tão bem no lar do Sawyers.

REBECCA levanta-se e caminha até a sala. SAM segue a namorada.

SAM: Conversa comigo, Becky. Você vai se sentir melhor.

BECKY: Eu acho que não. Não é nada.

BECKY vira-se em direção da porta, mas SAM a segura e a puxa em direção do seu corpo. Os dois se beijam apaixonadamente.

 

CENA 34 – INT. CASA DOS DANES – SALA – NOITE

PHILL está deitado no sofá da sala dormindo. ALEXIA e JORDAN passam por ele sem fazer barulho.

 

CENA 35 – EXT. CASA DOS DANES

JORDAN: O que deu nele?

ALEXIA: Sei lá, ele tá assim faz uns dias.

JORDAN dá um capacete para a prima.

ALEXIA: Espera, eu tenho que ligar para o Matt.

JORDAN continua sobe na moto. ALEXIA se afasta um pouco e pega o celular.

ALEXIA: Matt? Olha, aconteceu um imprevisto e não vai dá pra sairmos hoje à noite. [Pausa] Eu sei, muito chato. [Pausa] Estou com saudades, te amo.

Ela desliga o telefone e sobe na moto.

ALEXIA: Eu não acredito no que fiz.

O garoto parte em alta velocidade, ALEXIA segura firme no primo.

 

CENA 36 – INT. CASA DOS GRAHAM – NOITE

LOU está falando ao telefone.

LOU: Eu entendo, obrigada por me avisar, James. Eu vou falar com ele.

Ouve-se um barulho e a porta se abre. MATT entra em casa e sua tia faz sinal para que ele se aproxime.

LOU: Ok, muito obrigada. Tchau. [Para Matt] Era o seu treinador. Ele disse que um pessoal importante quer falar com você amanhã.

A mulher sorri e aperta a bochecha do sobrinho, o deixando constrangido.

LOU: Senta aqui do meu lado. Eu tenho uma noticia pra dá pra você.

MATT a obedece.

MATT: Manda!

LOU: Quer ir pra Oklahoma City esse verão?

MATT: Como assim?

LOU: Esse pessoal que vem falar com você amanhã vai te oferecer uma bolsa de estudos pela UOC.

MATT abraça a tia, empolgado.

LOU: [Baixinho] Espero que isso tudo valha a pena.

 

CENA 37 – EXT. PREFEITURA – DIA

Uma praça em frente à prefeitura vai sendo ocupada por pessoas. Há um palanque, e a decoração do local mostra que aquelas pessoas estão ali por causa de WILSON DANES. Uma grande multidão está instalada agora no local. Carros e pessoas se misturam para contemplar o atual prefeito. Ele já se encontra em cima do palanque, com o microfone na mão. PHILL e JORDAN se encontram ao seu lado. SCOTT, REBECCA e sua família também estão no local, junto de alguns assessores.

WILSON: E essas promessas não se perderam com o tempo! Eu peço a ajuda de vocês para que as tornem cada vez mais forte! Nesse momento histórico, onde varias pessoas se propuseram a sair de seus lares e me escolherem para continuar a governar essa cidade, com um punho firme e com bastante determinação!

A multidão aplaude. LOU e MATT estão de frente para o prefeito. A fazendeira escuta tudo com atenção. ANNA e MELISSA chegam ao local segurando um saco enorme de pipoca. Os quatro prestam atenção no que o prefeito está dizendo.

WILSON: E na luta do pequeno contra os poderosos eu ficarei ao lado do povo! Do nosso povo da terra, do nosso povo que faz Oklahoma ser um estado promissor.

PHILL olha para ANNA. A garota fala algo para MELISSA e se despede de MATT, e vai embora.

WILSON: Por que um dia [Olha para Lou] os menores dominarão. E é por isso que eu gosto cada vez mais da política. Para ter o poder de ajudar quem precisa.

A multidão aplaude novamente. SAM se junta aos amigos e acena para BECKY. ALEXIA chega logo em seguida, e abraça MATT.

MATT: Parabéns pela vitória do seu pai.

ALEXIA: Parabéns pela bolsa de estudos.

MATT: Alley, eu…

ALEXIA por a mão na boca do namorado, fazendo com que ele pare de falar.

ALEXIA: Depois. Agora só me beija. Eu tava com saudades.

Os dois se beijam e Jordan olha para a prima. A garota abre os olhos e vê que o primo a observa. Ela beija MATT novamente.

 

CENA 38 – INT. CASA DOS MACKENZIE – NOITE

ANNA está sentada em sua cama, com seu laptop no colo. A garota digita algumas coisas rapidamente.

[Tela do Computador]

ANNAMACK DIZ: Eu só queria passar um dia sem ter que me aborrecer com algo. É sempre isso ou aquilo… Eu só queria ter alguém com menos “drama” pra conversar.

SMILEYCAT DIZ: Acho que devemos nos encontrar.

 

CENA 39 – INT.LOCAL DESCONHECIDO

O mesmo garoto que havia falado com ANNA na escola aparece olhando para a tela do computador, sorrindo.

[Tela do Computador]

ANNAMACK DIZ: Ok.

 

ELENCO
Jonathan Bennett como Matthew Graham
Natalie Portman como Anna Mackenzie
Mena Suvari como Rebecca Sawyer
Lindsay Lohan como Melissa Baker
Austin O´Brian como Scott Sawyer
Joseph Gordon-Levitt como Samuel Wood
Kate Bosworth como Alexia Danes
Brad Renfro como Phillip Danes
Marisa Tomei como Lou Graham

ATORES CONVIDADOS
Alley Walker como Christina Albright
Travis Fimmel como Jordan
Patrick Fugit como Lewis
John Wesley Shipp como James Carter

MÚSICA TEMA
Promises por Lillix

TRILHA SONORA
Hand, Jars Of Clay
Never Let You Down, The Verve Pipe
Blue and Yellow, The Used
I Miss You, Incubus
Up!, Shania Twain
My Favorite Mistake, Sheryl Crow
Lonely People, Augustana

ESCRITO POR
Clara Lima
Sarah Lima

DIRIGIDO POR
Clara Lima

CRIADO POR
Clara Lima
Sarah Lima

DISTRIBUIDO POR
TVSN

Séries citadas:

Os textos assinados pela Redaçao TeleSéries são textos de autoria coletiva ou notícias escritas por um redator anônimo, mas sempre revisadas com a máxima precisão jornalística.

1 Comment

  1. Yuri

    Demais!!! Sou escritor tb e em breve vou postar minha primeira serie virtual.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account