Log In

Ficção (séries virtuais)

Série Virtual – Destination Anywhere – Pilot

Pin it

Série: Destination Anywhere
Episódio: Pilot
Temporada:
Número do Episódio: 1×01

CENA 1 – INT. AVIÃO

Uma GAROTA [Natalie Portman] concentra seu olhar vago pela janela da aeronave. Ela bate o pé esquerdo freneticamente, chamando a atenção da MULHER [Paula Cale] que estava sentada ao seu lado.

MULHER: Anna, isso já está me perturbando.

ANNA: Foi mal.

ANNA ajeita-se no acento.

MULHER: “Foi mal”?

ANNA: Desculpa, mãe. Eu estou um pouco nervosa.

Um sinal luminoso acende-se sobre a poltrona.

VOZ DE HOMEM: Bom dia! Passageiros, eu sou o comandante Jackson Tucker; dentro de 5 minutos estaremos pousando no Aeroporto Internacional de Tulsa. A temperatura local é de 20 graus, com previsão de muito sol. Agradecemos à preferência, e tenham uma boa estadia.

As duas afivelam o cinto de segurança.

VOZ DE HOMEM: Atenção tripulação, preparar para pouso.

ANNA suspira.

[TELA PRETA] [LEGENDA] 1998 – Tulsa – Oklahoma

[MÚSICA – I WANT TO SAVE YOU, SOMETHING CORPORATE]

 

CENA 2 – EXT – ESCOLA – FIM DE TARDE

Uma GAROTA, morena e baixinha, e um GAROTO, gordinho, saem da escola correndo.  Seguindo as duas crianças, estão dois meninos que passam na mesma velocidade. Um deles está sujo de tinta, aparentando uma grande fúria.

[MÚSICA BAIXA]

GAROTO SUJO: [Grita] ‘ Cês podem correr, suas duas aberrações! Mas eu pego vocês!

Eles param subitamente, recuperando o fôlego.

GAROTO: Isso mesmo, Phill! Amanhã nós pega o gordo!

PHILL: “Nós pegamos”, seu imbecil. Droga! Scott, você não serve para nada!

SCOTT: Eu tentei pegar eles, mas…

PHILL: “Mas” o quê? A Anna te impediu? Ela tem um metro e meio!

SCOTT fica calado, olhando para baixo.

PHILL: Vamos embora. Eu tenho um plano! E dessa vez vê se não estraga tudo.


CENA 3 – EXT. RUA

ANNA ri, enquanto o garoto tenta recuperar o fôlego.

ANNA: Corre, Matt!

MATT: Eu estou correndo, Anna!

ANNA: Ali, sobe na árvore!

MATT: O quê? Você tá maluca, eu não consigo subir em uma árvore!

ANNA: Qual é Matt? Eu te ajudo.

A garota sobe rapidamente na árvore. Olha para baixo e estende a mão para o amigo.

MATT: Eu não consigo. Sou muito pesado…

ANNA gira os olhos.

MATT: Além do mais, eu acho que eles desistiram.

O garoto escora-se na árvore, cansado.

MATT: Eu não aguento mais isso daqui.

ANNA desce, e senta-se ao lado do menino.

ANNA: Não se preocupe. Amanhã eles nem vão lembrar disso.

MATT: Eu quis dizer que eu não aguento mais essa cidade. Eu só queria ir embora daqui.

ANNA: E voltar pra Nova York? Você vai morar com quem? Com seu pai e sua madrasta?

MATT: Não! Sozinho, na rua, oras.

O garoto cruza os braços.

ANNA: [Irônica] Seria divertido… A gente poderia cantar nas esquinas por dinheiro. Você toca violão, eu canto e pisco os olhinhos para as pessoas sentirem pena de nós.

MATT olha com uma cara de surpresa e reprovação.

MATT: Eu não levaria você.

ANNA: Por quê?

MATT: Por que você é uma menina, e meninas não sabem viver na rua.

ANNA: Aposto que você não duraria um único dia na rua.

MATT: Vamos ver quem dura mais?

ANNA: Então eu posso ir?

MATT: Hum… Tá bom, Anna Banana, você vem comigo.

ANNA: Não me chama assim, seu verme! Eu salvei sua pele na escola hoje!

MATT: Você me salvou? Eu sempre entro nas confusões por sua causa.

ANNA começa a rir.

ANNA: Verdade. [Pensativa] Seremos inseparáveis. Você será o Huckleberry, e eu serei o Jim!

MATT: Huck, quem?

ANNA: Deixa pra lá, espertalhão.  Então, vamos hoje à noite? Amanhã cedo, ao nascer do sol? Depois da escola?

MATT: Hum…

ANNA: Hum, o quê? Vamos depois do café? Quando der meia-noite?

MATT: Quer calar a boca um minuto? Estou tentando pensar…

Alguém chama pelo nome da garota. As duas crianças se assustam e correm em direções opostas.

MÃE DA ANNA: Anna?

ANNA: Eu posso explicar!

MÃE DA ANNA: O quê?

ANNA: Nada. O que foi, mãe? Você parece preocupada.

MÃE DA ANNA: Seu pai e eu precisamos falar com você.

ANNA: Ih… Lá vem bronca.


CENA 4 – INT. CASA

ANNA: [Grita e bate o pé] Eu não vou! Não vou! Não vou mesmo, pai!

HOMEM [Jeffrey Nordling]: Você não tem escolha Mary Anna!

ANNA: Por acaso o petróleo de Tulsa acabou, papai? [Chorando] Você não pode fazer isso comigo! Eu tenho uma vida aqui!

HOMEM: Não seja dramática. Você terá uma vida lá também. Uma promoção dessas é irrecusável. Eu vou ser diretor geral da empresa no Brasil.

ANNA: Mas amanhã? O senhor já ouviu falar em aviso prévio? Essas coisas não acontecem da noite pro dia!

HOMEM: Não, não acontecem. Mas sua mãe e eu preferimos que você não soubesse, até que tudo estivesse acertado.

ANNA: Eu não acredito nisso! Isso é violação dos Direitos Humanos!

MÃE DA ANNA: É por causa desse seu gênio que nós preferimos não contar.

ANNA: Ah! É? E qual era o plano? Me chamar para o café, colocar minhas malas no carro e dizer: “Não esqueça do seu passaporte, minha querida filha, você vai sair do país”?

HOMEM: Já chega, Mary Anna! Você e a Katherine irão amanhã para Oklahoma, onde o pessoal da empresa estará esperando. Eles contrataram uma agência para fazer nossa mudança, portanto leve somente o necessário.

ANNA arregala os olhos, faz uma cara de raiva e sai correndo para seu quarto. A garota entra no quarto e logo vê duas malas no chão. Ela dá um grito de raiva e joga seus pertences para dentro da mala.

 

CENA 5 – EXT. FAZENDA – NOITE

MATT segue por uma estrada estreita onde no final há uma pequena porteira. Ele prepara-se para entrar quando é surpreendido por PHILL e SCOTT.

PHILL: Pensou que ia escapar?

MATT: O que você quer, seu caipira?

SCOTT: Ih! Olha só, a baleia tá cheia de coragem.

MATT tenta abrir o portão, mas é surpreendido com uma pancada na cabeça. Ele cai. Os outros garotos rapidamente começam a chutá-lo no chão. Eles correm ao ouvir um barulho de carro. Uma caminhonete se aproxima, e para perto do menino. Uma mulher jovem [Marisa Tomei] desce do veículo e coloca os braços do garoto ao redor do seu pescoço.


CENA 6 – INT. QUARTO AZUL

MULHER: Não sei por que você deixa esses garotos fazerem isso com você. [Ela passa uma toalha molhada na testa do menino] Amanhã mesmo eu vou falar com os pais daqueles moleques.

MATT: [Sentindo dor] Não, tia Lou…

O telefone toca na sala, mas LOU ignora, e passa novamente a toalha na testa do sobrinho. A câmera focaliza o rosto da mulher, depois desliza até o rosto do garoto, que estava chorando, e assim passa pelo quarto todo, pelos livros, brinquedos, um violão. A câmera sai do quarto e chega até a sala onde o telefone toca incessantemente.

 

CENA 7 – INT. QUARTO DA ANNA

ANNA: Vamos, Matt, atende…

VOZ NA SECRETÁRIA ELETRÔNICA: Casa dos Graham. Aqui é a Lou, e esse é o… Fala, Matt! [Voz do Matt] “Matt”. Não podemos atender, deixa seu recado ou passa aqui mais tarde!

ANNA desliga o telefone.

ANNA: Eu não posso deixar um recado… Se eu sumisse, a culpa seria toda do Matt.

ANNA abre a gaveta de uma pequena escrivaninha no canto do quarto, onde pega uma folha de papel. A garota senta-se em um banco, apoiando-se no móvel, e começa a escrever.


CENA 8 – MESMO LOCAL – DIA

ANNA está dormindo no chão, em cima das malas. Ela abre os olhos, assustada, levanta-se imediatamente, e pega o telefone.

 

 

CENA 9 – INT. QUARTO DO MATT

Não há ninguém no local. Ouve-se ao fundo um telefone tocar.


CENA 10 – INT. QUARTO DA ANNA

A secretária eletrônica atende novamente. ANNA começa a chorar, sentada em cima da mala.


CENA 11 – EXT. CASA

O PAI DA ANNA tira a caixa de correio com o nome “Mackenzies” escrito em vermelho de frente da casa. ANNA aparece na porta, com os olhos inchados, com uma expressão triste.

ANNA: Oi, papai.

SR. MACKENZIE: Bom dia, minha filha.

ANNA: Eu preciso me despedir de uma pessoa.

Um carro preto estaciona na frente da casa.

ANNA: [Prendendo o choro] Eu tenho amigos, sabia?

O homem dirige-se até a menina, e ela o abraça.

ANNA: Por favor, papai.

SR. MACKENZIE: Você poderá visitá-los, querida. Eu sei que essa situação nos pegou de surpresa, mas vai tudo ficar bem.

ANNA: [Mostrando uma carta] Eu preciso deixar isso na casa do Matthew.


CENA 12 – EXT. FAZENDA

PHILL está escondido atrás de uma árvore. Ele olha para os lados e vai até a caixa de correio perto da modesta porteira. Ele abre a caixa e tira um envelope. O garoto abre, e começa a ler a carta.

PHILL: Eu não acredito nisso. Eu não acredito! Ela foi embora e nem disse “Adeus”. [Finge-se de emocionado] Isso saiu melhor do que eu planejei.


CENA 13 – INT. CARRO

LOU está dirigindo, enquanto MATT olha a estrada, sentado no banco de trás da caminhonete. O garoto suspira e faz uma expressão de raiva. Ele cruza os braços e olha para frente.

MATT: Um dia esses garotos me pagam. Eles me pagam!

A caminhonete passa por um carro preto. A imagem distancia-se.

[ABERTURA]

[Legenda branca no meio da tela]  2004 – Tulsa – Oklahoma

CENA 14 – INT. QUARTO DO MATT – DIA

A câmera passeia por um quarto azul. Há um piano, uma guitarra e um velho violão, na parede há pôsteres de bandas, uma bandeira escrita “Universidade de Columbia” junto à um mural com fotos. Um rapaz moreno, de olhos castanhos, está deitado na cama.

[MÚSICA – WORST DAY EVER, SIMPLE PLAN]

O despertador toca. Seis horas da manhã. O GAROTO faz um esforço e consegue pegar um tênis no chão, ainda de olhos fechados, e joga o tênis no despertador, que cai. Ele respira fundo, abre os olhos e resmunga em voz baixa.

GAROTO [Jonathan Bennett]: É hora de se juntar com as galinhas…


CENA 15 – INT. COZINHA – DIA

[MÚSICA BAIXA ]

LOU: Bom dia, Matt. Tudo bem? [Serve um copo de leite ao rapaz] Você precisa acordar mais cedo…

MATT: Estou bem sim. [Bebe um gole do leite] Agora… acordar mais cedo? Eu acordo às 6 da manhã.

LOU sorri, e passa a mão no cabelo do sobrinho.

MATT: Cuidado, Tia! Vai estragar meu penteado!

LOU: Eu já pedi pra você parar de me chamar de tia. Eu lá tenho idade pra ser tia de um rapaz de mais de 1.80 de altura? Você me faz parecer tão velha.

MATT balança a cabeça e sorri com a cabeça baixa.

[MÚSICA FADE IN]

MATT: Lou…

LOU: O quê?

MATT: Semana passada eu passei na frente da casa dos Mackenzie. Tinha um pessoal por lá, um movimento estranho… Uns caminhões…

LOU: Ah… Você viu todos aqueles homens? Uh-hu!…

MATT: [Cara de nojo] Tia…

LOU: Tá bom… Eu vi sim. Parece que alguém vai morar por lá. Eles estão reformando tudo.

MATT fica sério.

MATT: Alguém?

LOU: Ainda não tenho a ficha completa dos novos moradores, Matt. Mas se você quiser, eu pesquiso.

MATT pega a mochila e se levanta.

MATT: Tenho que ir, tia Lou. Não sei que horas volto.

LOU: Só não chegue muito tarde, você tem que acordar cedo. [Sussurra] Ai, Meu Deus! Eu estou parecendo uma tia velha!


CENA 16 – EXT. CASA DO MATT – DIA

MATT entra em uma caminhonete vermelha e liga o som alto.

[MÚSICA CONTINUA]

Ele dá um murro no volante e depois dá partida no carro.


CENA 17 – INT. CASA DA ANNA

ANNA está sentada à mesa da cozinha.  Ela parece um pouco aflita.

KATHERINE MACKENZIE: Vamos. Você está pronta?

ANNA: Sim.

KATHERINE MACKENZIE: Você esta preocupada com alguma coisa?

ANNA: Primeiro dia de aula sempre é difícil.

ANNA respira fundo, se levanta e pega sua mochila.

KATHERINE MACKENZIE: Você não precisar ir, se não quiser.

ANNA: Quero! Quer, dizer, claro que quero. É melhor do que ficar aqui em meio a toda essa bagunça. [Sorri, tentando disfarçar sua ansiedade]


CENA 18 – INT. ESCOLA – CORREDOR

MATT entra na escola e imediatamente uma garota loira, vestindo um casaco com o emblema da escola (RHS) e de saia curta azul, se aproxima com um sorriso maroto. Ele para em sua frente, sério.

[MÚSICA FADE OUT]

GAROTA LOIRA [Kate Bosworth]: Oi, Matt!

Ela o abraça e o beija. Ele não corresponde.

GAROTA LOIRA: O que houve?

MATT: Nada, Alexia.

CENA 19 – INT. ESCOLA – CORREDOR

ANNA entra na escola. Ela aparenta uma expressão saudosista, mas logo acorda de seu breve transe quando nota o quanto o corredor está lotado. Muitas pessoas se agitam no local. MATT e ALLY caminham de mãos dadas, e ANNA não percebe a presença do amigo de infância, quando eles passam por ela. A garota para na frente de um dos armários, onde tenta abrir um deles, com dificuldade. O casal se distancia um pouco.

ALEXIA: Você está assim por causa do jogo?

MATT: [Gaguejando] É, quer dizer, não sei. O jogo é importante, um olheiro da Universidade de Columbia vem assistir, e você sabe o quanto eu quero uma bolsa de estudos.

ALEXIA: Eu não sei por que você se preocupa tanto com isso. Sua tia tem dinheiro e…

MATT corta a frase da Alexia e diz em um tom de voz severo.

MATT: O dinheiro é dela, Alexia! Olha, eu tenho que ir. Nos falamos na saída.

O garoto beija o rosto de Alexia e continua à andar, deixando a garota para trás. Ela fica parada observando o namorado ir embora. Os alunos olham para ela.

ALEXIA: Vocês não têm nada melhor pra fazer não?

Ela empina o nariz e gira o corpo, e antes que percebesse a presença de mais alguém, ela choca-se de frente com ANNA, que estava deixando o local. As duas caem no chão, provocando o riso de todos. ALEXIA levanta-se, enquanto ANNA pega as coisas que caíram de sua mochila. O sinal da escola toca, e todos se dispersam rapidamente.

ALEXIA: Olha por onde anda sua retardada!

Ela procura por algum hematoma no corpo e bate no uniforme para tirar a sujeira.

ALEXIA: Eu poderia ter me machucado.

ANNA: Olha! [Levanta-se] Você quem deveria andar mais devagar [Anna parece procurar algo no chão].

ALEXIA: Quem é você pra dizer o que eu devo fazer? Me poupe!

ALEXIA olha para um livro que estava no chão, e o chuta para longe da menina e depois sai pisando forte. Ela entra na sala de ginástica. A câmera a acompanha pelas costas até que ela chega ao meio da quadra. Ela senta-se no chão e cobre o rosto ao começar a chorar.


CENA 20 – INT. ESCOLA – CORREDOR

Uma GAROTA [Mena Suvari], com o uniforme de líder de torcida, azul e branco, aparece no local.

ANNA: [Fala baixo] Ótimo, “uma líder de torcida”.

A garota aproxima-se de ANNA, abaixa-se e pega o livro.

GAROTA: Você deixou isso cair.

ANNA: Ah! Valeu.

GAROTA: A aula vai começar. É melhor não se atrasar.

ANNA: Obrigada.

GAROTA: Eu não te conheço de algum lugar?

Ouvi-se o barulho de um bip.

GAROTA: É urgente. [Ela olha para o celular] Eu tenho que ir. Até mais.

A líder de torcida sai correndo na direção do ginásio. ANNA olha para o papel e entra em uma sala de aula.

Focaliza o rosto de um PROFESSOR jovem e simpático.

PROFESSOR: Oi! Posso ajudar?

A classe ri.

ANNA: Aula de Literatura?

PROFESSOR: “Ser ou não ser, eis a questão”…

ANNA: Acho que sim.

PROFESSOR: Muito bem, senhorita…

ANNA: [Nervosa] Mackenzie. Anna Mackenzie.

PROFESSOR: Muito bem, senhorita Mackenzie, Anna Mackenzie. Pode entrar.

ANNA sorri e senta-se ao lado de uma garota ruiva [Lindsay Lohan], que estava escutando música com os fones de ouvido escondidos no cabelo. ANNA olha para ela.

 

CENA 21 – INT. ESCOLA – GINÁSIO

[MÚSICA – TOMORROW, LILLIX]

ALEXIA permanece sentada no mesmo lugar. Ela olha para o celular. O nome Rebecca aparece na tela do aparelho. A GAROTA vestida de líder de torcida abre a porta principal do ginásio, procurando por alguém.

GAROTA: Alexia? O que houve?

ALEXIA: Becky? [Chorando] Eu odeio ele. Odeio!

BECKY caminha rapidamente até a loira, e senta-se ao lado dela, a abraçando.

BECKY: Calma.

ALEXIA: Ele tem me tratado tão mal ultimamente. Ele me chamou de Alexia!

BECKY: Bom, esse é seu nome. [Sorri]

As duas se desvencilham, e ALEXIA encara a amiga.

ALEXIA: Ele tem estado tão estranho ultimamente, que nem parece o Matthew Graham.

BECKY: Ally, você tem que parar com isso. Toda vez que o Matt não te trata como princesa, você tem um ataque histérico. Isso não é saudável.

ALEXIA: Não saudável é você não me defender. Você já ouviu falar em regras de amizade?

BECKY: Por ser sua melhor amiga, eu estou falando isso para você.

ALEXIA: [Desconfiada] Ele tem outra, não é isso? Você sabe de alguma coisa e não quer me dizer!

BECKY: Claro que não.

ALEXIA: Vai ver ele cansou do tipo “Líder de Torcida”, e tá saindo com aquela ruiva sardenta mal vestida, amiga dele. Ah! Eu mato aquela garota! Aquela ruiva!

ALEXIA se levanta, com os punhos fechados. REBECCA também se levanta e agarra a amiga pelos braços.

BECKY: Ally, deixa de ser neurótica! Onde você pensa que vai?

ALEXIA: Bater naquela sardenta. Ela não tem o direito de…

BECKY: Amiga! Se concentra! O Matt é louco por você.  Ele não é como o seu irmão, ou o meu irmão, enfim, ele não é como esses carinhas que só pensam em coisas banais.

ALEXIA: O Phill e o Scott não são exemplos de raça.

Ouve-se o som de uma porta se abrindo. Uma senhora com uma vassoura na mão entra no local para limpar.

ZELADORA: O sinal já tocou. Vocês vão se atrasar.

BECKY: É melhor a gente ir. Depois a gente conversa.

ALEXIA: Você vai dar ouvido a essa faxineira?

BECKY: Ally…

ALEXIA: Ok.

ALEXIA enxuga as lágrimas e as duas saem do local de braços dados, na direção do corredor.

ALEXIA: Amiga, me faz um favor.

BECKY: [Impaciente] Fala, Ally…

ALEXIA: Você vai ter aula com o Matt, agora. Não vai?

BECKY: Você sabe quem sim…

ALEXIA: Então… Fala com ele…

BECKY: [Suspira] Está bem, amiga.

ALEXIA: Eu amo você.

BECKY: Espera um pouco.

ALEXIA: O quê?

BECKY: Sua maquiagem. Esse look “Amy Lee” não combina com você.

ALEXIA pega um espelhinho da sua bolsa.

ALEXIA: Definitivamente. Pro banheiro!

[MÚSICA FADE OUT]


CENA 22 – INT. SALA DE AULA

O professor acaba de apagar o nome “Poesia” do quadro quando ALEXIA entra na sala.

PROFESSOR: Espero que a senhora tenha uma desculpa para o atraso.

ALEXIA: Hum… É uma questão de caráter pessoal, professor [Segura a risada].

A classe ri. ALEXIA olha para o pessoal rindo, mas seu sorriso se desfaz ao ver a garota com quem ela tinha trombado alguns minutos atrás. A líder de torcida anda até a carteira onde ANNA está sentada, e mantém-se ao lado dela.

PROFESSOR: Não vai sentar-se, senhorita Danes?

ALEXIA: Essa garota está sentada no meu lugar… [Ela cruza os braços e começa a bater o pé] Vamos, garota. O que você está esperando?

ANNA: Que você crie raízes e comece a dar frutos.

ALEXIA: [Cara de insultada] Professor! [Irônica] Estou chocada! Além de tudo é desaforada!

PROFESSOR: Já chega por hoje Alexia. Sente-se ali. [Aponta para os fundos da sala] E da próxima vez tente não se atrasar.

ALEXIA vai andando devagar até a carteira. Um garoto de aparelho sorri pra ela e ela faz cara de nojo. Mostra a mesma garota ruiva que está sentada ao lado da ANNA olhando para trás e rindo.


CENA 23 – INT. SALA DE AULA

A câmera focaliza o relógio localizado na parede a cima do quadro, onde se lê 9:40 da manhã. O sinal toca, e os alunos ajeitam-se para deixar o local. MATT e um garoto moreno [Joseph Gordon Levitt] permanecem na sala.

MATT: Então? O que você me diz, Sam?

SAMUEL: Por que você nunca me contou sobre isso antes? Qual é o nome dessa sua amiga?

MATT: Isso não importa! [Leva a mão à cabeça] Eu nem sei se ela voltou mesmo. E já faz tanto tempo. Eu não falo com ela desde que ela foi embora.

SAMUEL: Eu poderia ir lá e perguntar, se você…

SAM vê REBECCA andando em sua direção e para de falar.

BECKY: Algum assunto secreto?

SAMUEL olha para a garota como se ela fosse a única coisa na sala. Seus olhos permanecem fixos nela, e sua boca um pouco aberta denuncia seu estado de êxtase.

MATT: Oi, Becky. E aí, tudo bom? [Disfarça]

BECKY: Han-han.

MATT: Precisa de algo?

BECKY: Eu tava a fim de falar com você em particular.

MATT: Claro… [Volta-se para Sam] Sam? Sam?

O garoto permanece em transe.

SAM: Ahn? O quê?

BECKY: Samuel, eu preciso falar com o Matt por um instante. Será que você poderia…

SAMUEL: Ah! Sim! Claro… Rebecca Sawyer… Claro!

SAM sai da sala com um sorriso no rosto.

SAMUEL: [Fala baixo comemorando] Ela sabe meu nome! Ela sabe meu nome!

A câmera o segue até o corredor. SAMUEL para em frente a um armário azul. O garoto o abre e coloca um livro dentro dele. Na porta do seu armário dá para ver uma foto de Rebecca Sawyer. O garoto ainda mantinha a mesma feição de felicidade, que é interrompida quando alguém bate em seu ombro. Ele toma um susto e fecha a porta do armário rapidamente.

SAMUEL: Você quer me matar de susto, Melissa?

Uma garota ruiva , vestida com um estilo despojado, com calças largas e um top preto, ri.

MELISSA: O que deu em você? Parece que estava hipnotizado.

SAMUEL: A Becky.

MELISSA: Ew! Aquela “líder de torcida”?

SAMUEL: Isso não é uma doença, sabia?

MELISSA: Pra mim é. E com sintomas bem claros: ser idiota, estúpida, arrogante, metida, ter uma voz irritante e gostar de pular feito uma gazela dando gritinhos histéricos por todos os lados.

SAMUEL: Garota… Você me preocupa.

MELISSA: Não é comigo que você deveria se preocupar, e sim com o Matt, ele tá muito estranho. Como se alguma força alienígena tivesse tomado conta dele, como naquele filme…

SAMUEL: Garota, você realmente me preocupa.

MELISSA: É só uma hipótese…

SAMUEL: O Matt está  preocupado por que um pessoal de fora vem ver o jogo amanhã, e isso pode contar pra bolsa na faculdade, e você sabe o quanto ele quer ir estudar em Nova York.

MELISSA: É… Eu sei. Mas por que ele não me disse? Sam… é só sobre o basquete mesmo? Ou tem algo mais que eu deva saber?

SAMUEL: É sobre o basquete. O que mais seria?

Os dois ficam em silêncio. ANNA aproxima-se dos dois.

ANNA: Oi, desculpa interromper, mas onde que fica a sala da diretoria?

SAM: Fica no prédio novo. Depois do refeitório.

ANNA: Obrigada.

ANNA segue em frente, olhando para um papel.

CENA 24 – INT. SALA DE AULA

BECKY: Então. O que está havendo?

MATT: O que está havendo, onde?

BECKY: O que há de errado com você? Você passa meses me pedindo ajuda pra conquistar à Ally, meses me dizendo que ela é a garota dos seus sonhos. Mas ultimamente você tem estado muito distante com ela.

MATT: [Impaciente] Não é só com ela Becky. Eu estou sob muita pressão. Ela não precisa choramingar cada vez que eu não a trato como se ela fosse o centro do universo.

BECKY: “Choramingar”? Ela gosta de você como nunca gostou de ninguém, e se você a trata mal, ela tem o direito de reclamar.

MATT: Eu não trato a Ally mal, eu sou louco por ela.

BECKY: Eu sei. Mas você parece ter esquecido disso…

MATT: [Leva a mão à cabeça] Ela está bem?

BECKY: Ela tem “choramingado” muito, mas acho que só isso. Mas é bom tomar cuidado. Se o pai dela achar que ela deve voltar pra aquela escola interna, ele a manda em 2 segundos. Você não vai querer ficar longe dela, vai?

MATT: Não, Becky. Você sabe que não.

BECKY: Eu também não quero ter a minha melhor amiga longe outra vez, Matt.

MATT: Pode deixar. Eu cuido disso.

BECKY: Bom, eu tenho que ir. Não quero me atrasar para aula de economia doméstica. Vamos fazer bolo hoje! [Sorri e bate palmas]

MATT sorri e acena.

 

CENA 25 – INT. SALA DA DIRETORIA

ANNA bate na porta e entra. Havia uma mulher loira [Ally Walker], de cabelos presos e maquiagem pesada sentada atrás de uma mesa. Ela fala ao telefone enquanto gesticula para que ANNA se sente.

DIRETORA: Então eu falo com vocês amanhã. Mas faça ter certeza de que teremos fogos de artifício suficiente para mandar Oklahoma pelos ares. É um jogo importante! Ok. Até mais.

A mulher desliga o telefone e pega uma pasta com uma etiqueta escrita “Mary Anna Mackenzie”.

DIRETORA: Acredito que a senhorita lembra de mim, não é senhorita Mackenzie?

ANNA: Claro, Sra. Albright.

SRA. ALBRIGHT: Eu também me lembro muito de você, Anna.

ANNA: [Prende o sorriso] Que bom, Sra. Albright.

SRA. ALBRIGHT: Hum… Você passou sete anos fora daqui. Anos pacíficos, devo salientar. Agora você está no colegial, espero que se comporte como uma garota crescida.

ANNA: Ah! Com certeza, Sra. Albright.

SRA. ALBRIGHT: Que bom que estamos acertadas. Agora, deixe-me ver sua ficha. [Abre o dossiê] Hum… Que estranho. Aqui diz que você era a melhor aluna da escola. Que você participou de atividades sociais, e tem uma excelente média.

ANNA: Algumas coisas mudam, Sra. Albright.

SRA. ALBRIGHT: [Fecha o dossiê] Não pense que você me engana, mocinha!

ANNA: Mas…

SRA. ALBRIGHT: Seu pai me telefonou hoje pela manhã. Pediu pra que eu ficasse de olho em você. Qualquer coisa estranha que acontecer nesta escola será reportada direto pra sua ficha. Estamos entendidas? Creio que você não precisa de nenhuma comitiva de recepção. Ainda existem marcas suas no prédio Will Rogers. E levando em consideração que você passou sete anos no Brasil…

ANNA rola os olhos.

ANNA: O quê que tem?

SRA. ALBRIGHT: Você deve ter aprendido um monte de coisas com os índios.

ANNA rola os olhos novamente.

SRA. ALBRIGHT: Tem algum problema com os seus olhos?

ANNA: Sra. Albright. Eu tinha 10 anos de idade. Era apenas uma garotinha ávida por novas experiências…

SRA. ALBRIGHT: Você era um terrorista.

ANNA ri.

SRA. ALBRIGHT: Não brinque com essas coisas, menina. Agora vá. [Pega um comprimido] Você já me cansou por hoje. E fique longe de confusões, Anna.

ANNA: Muito obrigada pelos seus conselhos, como sempre muito úteis.

ANNA coloca sua mochila nas costas e acena para a diretora. Ela sai da sala da diretora. Mostra o corredor vazio. ANNA sorri.

[FLASHBACK]

MATT: Você tem certeza de que isso é uma boa idéia. Aqui é o prédio do colegial, Anna.

ANNA: E dai, Matt? É tudo parte da nossa escola. Além do mais, eu já tenho tudo planejado.

MATT rola os olhos e coloca a mão na cabeça.

MATT: Era disso que eu tinha medo.

Ouve-se um barulho. Aparecem dois meninos.

ANNA: Shhh… Lá vem o Phillip e o Scott.

MATT e ANNA se escondem atrás de uma máquina de refrigerante.

SCOTT: Tem certeza de que é aqui?

PHILLIP: Sim. No bilhete diz “Encontre-me na sala dos apagadores. Assinado: Stacey Cabot”.

SCOTT: ‘Cê nem estuda nessa escola. Como a Stacey te conhece? Eu num acredito que ela tenha escrito esse bilhete.

PHILLIP: Por que não?

SCOTT: Por que ela tem 16 anos…

PHILLIP: Ela já sacou o meu potencial, seu bolha. Agora fique aqui e veja como um homem deve agir.

SCOTT permanece parado em frente a uma porta que tinha escrito “Sala dos Apagadores”, enquanto PHILLIP entra na sala. Ouve-se um grito. A porta se abre e PHILLIP sai todo sujo de tinta. MATT e ANNA começam a rir. SCOTT se assusta, depois cai na risada.

PHILLIP: Eu mato vocês!!!

MATT: Corre, Anna!

Os dois saem de trás da máquina de refrigerante e começam a correr.

[FIM DO FLASHBACK]

ANNA ouve um barulho. Dois garotos [Brad Renfro e Austin O’Brien] aparecem no início do corredor. Ela olha para eles e abaixa a cabeça.

PHILL: E tem sido assim todos os dias, Scott. Eu juro que se aquele fedelho fizer a minha irmã chorar de novo, eu mato ele!

SCOTT: Se você matasse o Matt toda vez que você dissesse isso, as nove vidas dele já teriam acabado há muito tempo. [Ri] E além do mais, eu não te matei quando você fez a minha irmã chorar…

PHILL: [Cara de inocente] Eu fiz a Rebecca chorar? [Ri] Qual é Scott? Ela sempre soube que a gente não tinha futuro. E a sua irmã é diferente da minha. A Becky é forte, a Alexia se faz de forte.

SCOTT: Mesmo assim, Phill. Irmã é irmã.

Os dois passam por ANNA. A garota vira para os armários.

PHILL: Tudo bom gatinha? Tá se escondendo de quê?

Os garotos riem e entram em uma sala.

ANNA: [Sussura] Phillip Danes e Scott Sawyer.


CENA 26 – EXT. ESCOLA

ANNA caminha pelo pátio, olhando em todas as direções, como se procurasse alguém.  Ela senta-se em um banco e pega o telefone. MATT vem andando pelo pátio de cabeça baixa. Ele para atrás do banco onde ANNA está sentada e pega seu celular.

MATT: [Ao telefone] Oi, Ally. Onde você está? [Pausa] Me encontra no meu carro, tá bom? Eu quero falar com você…

ANNA está sentada impaciente. Ela olha para o relógio enquanto MATT vai embora. A garota joga a mochila no chão.

SAM e MEL vem andando em direção de ANNA. SAM pega as chaves de um carro e dispara o alarme, para destravar as portas de uma caminhonete azul. ANNA se assusta.

SAM: [Aproxima-se da Anna] Calma, garota. Teve um dia ruim?

ANNA: Primeiro dia no Rogers. É sempre difícil. Ah!

SAM: Encontrou a sala da Sra. Albright?

ANNA: Sim. Obrigada pel informação.

MELISSA: Oi. Aula de literatura, certo?

ANNA: Sim.

MEL: Meu nome é Melissa! E esse é o Sam.

ANNA: Anna.

MEL: A Alexia implicou que a Anna tinha sentado no lugar dela. E mandou ela sair. Sendo que ela não saiu, aí o professor mandou a Alexia sentar ao lado do Igor Macmille.

SAM: Do Macmille?

SAM e MEL caem na gargalhada. ANNA sorri e olha para o relógio.

ANNA: Acho que a minha mãe não vem.

SAM: Quer uma carona pra casa?

ANNA: Olha, eu vou aceitar. Pelo jeito minha mãe esqueceu que eu existo.

SAM: [Pra Mel] E você?

MEL: Não, eu tenho que resolver uma coisa antes. Tchau! [Sai correndo]

SAM: [Grita para Mel] Vejo você mais tarde no Red’s.

MEL: [Grita] Claro.

SAM e ANNA entram no carro.

SAM: Então, qual sua história?

ANNA: Nada de muito interessante.

SAM: Qualquer coisa comparada com a vida aqui em Tulsa é interessante.

ANNA: Meus pais se separaram. Minha mãe é daqui, e eu escolhi morar com ela.

SAM bota o cinto de segurança.

ANNA: O que é o Red’s?

SAM: Ah… é a lanchonete da família da Melissa. Eles vieram para cá cinco anos atrás e montaram essa lanchonete. É bem famosa por aqui. Vamos lá mais tarde. Por que você não aparece pra conhecer o pessoal?

ANNA: Isso seria divertido…

SAM liga o carro e dá partida.

SAM: Me diz onde você mora, ok?

ANNA: Certo.

SAM passa pelo carro de Matt, que está de costas conversando com alguém. A caminhonete azul distancia-se. MELISSA, que está na frente do amigo, encosta-se no carro. Os dois ficam lado a lado.

MEL: Mas a gente sempre conversou sobre tudo Matt. Agora você só fala com o Sam!

MATT: Eu não queria te preocupar. Eu vou resolver isso, só me dá um tempo.

MELISSA fica séria. O garoto se afasta da amiga, ficando de frente para ela. Mostra os dois conversando de longe. ALEXIA desce as escadas em direção ao pátio sorrindo. A garota para ao ver o namorado de costas conversando com MELISSA. Ela fica séria. Parece nervosa. Sua respiração acelera e ela fecha os olhos com raiva. MELISSA olha para ALEXIA e sorri discretamente, voltando a olhar para MATT.

MEL: Eu pensei que eu fosse sua amiga, Matt.

MATT: O que é isso agora? [Ri] Claro que você é, você é minha melhor amiga.

MELISSA sorri, e o abraça carinhosamente. ALEXIA respira fundo e volta pra escola correndo.

MATT: Agora vê se para de bobagem, viu? Nós somos um trio. Os três mosqueteiros, lembra?

MEL: Claro. [Sorrindo] Foi só um momento a lá “Ally”.

MATT balança a cabeça negativamente.

MATT: Te vejo mais tarde no Red´s. Ok? Eu tenho que conversar com a [Reforça] “Ally”.

MEL: Entendi a deixa. Te vejo mais tarde.

MEL acena para o amigo e segue no sentido de um ônibus amarelo.


CENA 27 – INT. CASA DO MATT – SALA – NOITE

MATT devolve o aparelho telefônico para a base. LOU aproxima-se do sobrinho.

LOU: O que foi que houve? Você não desgrudou desse telefone a tarde inteira.

MATT: A Alexia sumiu.

LOU: [Aliviada] Você acha isso ruim?

MATT: Tia…

LOU: Já procurou em cima do ombro de alguém? [Sorri]

MATT: Tia! É sério. Ficamos de nos encontrar depois da aula e ela sumiu.

O telefone toca.

LOU: Uuhh…

MATT levanta o dedo indicador, e estreita os olhos.

MATT: Sem piadinhas. [Atende] Alô, Ally? [Pausa] Rebecca? O quê? [Aflito] Eu estou indo.

LOU: O que houve?

MATT: A Becky achou à Ally.

LOU: Viva?

MATT lança um olhar repreendedor, e sai correndo.


CENA 28 – INT. CASA DOS MACKENZIE – QUARTO – NOITE

ANNA entra no quarto cheio de caixas, senta-se no chão e abre um pequeno baú. Ela retira umas fotos antigas dela quando criança, umas jóias de plástico, alguns papeis. Uma foto cai no chão. A garota sorri ao ver a foto de MATT encostado na velha porteira da fazenda. ANNA guarda as coisas de volta ao baú e o coloca em cima de uma estante, ao lado de um caderno de capa grossa. Ela pega o caderno, e o folheia.

ANNA: [Lendo] “21 de junho, 1996. Eu não acredito que ele quebrou a minha bicicleta. Ele quem? O novo garoto que mora do outro lado do campo. Ele acaba de ocupar o número um na minha lista negra!” [Para de ler] Eu poderia ser mais dramática?

A garota avança algumas páginas.

ANNA: [Lendo] “23 de dezembro, 1997. O Matt consertou a minha bicicleta! Levou mais de um ano para ficar pronta. Eu falo para ele que o trauma da queda me deixou impossibilitada de andar de bicicleta novamente, mas a verdade é que não confio muito em suas habilidades de mecânico.” [Ri] Para uma criança eu tinha um vocabulário bem desenvolvido.

Ela fecha o diário e o retorna para a estante.


CENA 29 – INT. MESMO LOCAL – SALA

KATHERINE MACKENZIE está ao telefone, aparentemente muito ocupada. ANNA desce a escada correndo.

ANNA: Mãe, vou dar uma volta.

A mulher faz sinal de positivo, e continua falando ao telefone. ANNA sai de casa.

 

CENA 30 – INT. RED´S

ALEXIA: [Bêbada] Você é uma vadia!

REBECCA segura a amiga.

BECKY: Calma, Ally!

MEL: Você acha que pode entrar no meu estabelecimento e agir dessa maneira? Eu acho que não.

ALEXIA: Você quer ir lá pra fora, sua…

MEL: Olha o que você vai falar! Não é por que você é filha do prefeito dessa cidade que eu estou impedida de te por para fora daqui!

BECKY: Ally, vamos sair daqui. Antes que alguém da sua família fique sabendo disso.

MEL: É, “Ally”. Antes que eles te mandem de volta pro sanatório.

ALEXIA solta-se da amiga e parte para cima de MEL, mas Sam se põe na frente das duas.

SAM: Ei, ei, ei. Nada de violência.

Muitas pessoas observam a confusão. MATT entra na lanchonete atordoado. ALEXIA corre até o namorado e o abraça.

MATT: Você está bêbada?

ALEXIA permanece calada.

MATT: Vamos sair daqui.

MEL: Chegou o “superboy”. Matt, tenha certeza de dar o remédio certo para ela dessa vez.

ALEXIA vira-se para MELISSA, e é segurada por MATT.

MATT: [Grita] Chega, vocês duas! Alexia você vem comigo.

ALEXIA: Me larga!


CENA 31 – EXT. RED´S – NOITE

[MÚSICA – THE REASON, HOOBASTANK]

ANNA se aproxima da lanchonete. Ouve-se os gritos de ALEXIA.

ANNA: Uh… Isso que é diversão.

ANNA abre a porta e vê um garoto alto, de costas. Ele segura ALEXIA pelo braço, com força. ANNA franze a testa e depois olha pra ALEXIA.

MATT: Ally! Já chega. Você vem comigo, agora!

ALEXIA: [Chorando] Não grita comigo, Matt.

ANNA: Matt?

O garoto olha pra trás. Ele parece atônito.

MATT: Anna…

Os dois se olham surpresos e emocionados.

[MÚSICA FADE OUT]

[FADE OUT]

[LEGENDA] Continua.

ELENCO
Jonathan Bennett como Matthew Graham
Natalie Portman como Anna Mackenzie
Mena Suvari como Rebecca Sawyer
Lindsay Lohan como Melissa Baker
Austin O´Brian como Scott Sawyer
Joseph Gordon-Levitt como Samuel Wood
Kate Bosworth como Alexia Danes
Brad Renfro como Phillip Danes
Marisa Tomei como Lou Graham

ATORES CONVIDADOS
Alley Walker como Christina Albright
Paula Cale como Katherine Mackenzie
Jeffrey Nordling como Edward Mackenzie

PARTICIPAÇÕES ESPECIAIS
Logan O’Brien como jovem Scott Sawyer
Justin Riordan como jovem Phillip Danes
Keaton Tyndall como jovem Anna Mackenzie
Spencer Breslin como jovem Matthew Graham

MÚSICA TEMA
Promises, Lillix.

TRILHA SONORA
I Want To Save You, Something Corporate
Worst Day Ever, Simple Plan
Tomorrow, Lillix
The Reason, Hoobastank

ESCRITO POR
Clara Lima
Sarah Lima

DIRIGIDO POR
Clara Lima

GRÁFICOS POR
Clara Lima

CRIADO POR
Clara Lima
Sarah Lima

AGRADECIMENTOS ESPECIAIS
Rafael Pires
Camila Martins
Naiade Lohman

DISTRIBUIDO POR
TVSN

® 2004

Séries citadas:

Os textos assinados pela Redaçao TeleSéries são textos de autoria coletiva ou notícias escritas por um redator anônimo, mas sempre revisadas com a máxima precisão jornalística.

4 Comments

  1. Mariela Assmann

    A série é ótima! O roteiro é fofo e cativa. Já sou totalmente fã de DA. Tenho personagem favorito, shipper e to procurando spoiler por aí! =P

  2. Thales Brandi

    Adorei!!! Sério, que saudade que eu tava de Anna e Matt. As melhores partes pra mim são os cortes rápidos tipo no inicio do episódio e agora no final quando eles finalmente se encontram. Muito bom reler DA.

  3. Pingback: Séries & Eu – A pulseirinha e a Natalie Portman

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account