Log In

Ficção (séries virtuais)

Série Virtual – Destination Anywhere – Me Desculpe, mas …

Pin it


Série: Destination Anywhere
Episódio:
Me Desculpe, mas …
Temporada:

Número do Episódio:
1×06

CENA 1 – EXT. CASA DOS DANES – NOITE

Os garotos gritam ao ver que PHILL estava em cima da árvore. Todos da festa observam o dono da casa amarrar a corda em um dos galhos. Ele posa por alguns segundos antes de pular na piscina. PHILL nada até a borda e sobe até a superfície.

PHILL: [Grita] Quem vai ser o primeiro?

Nenhum voluntário se manifesta.

PHILL: Ora, não é tão difícil. É só fazer igual ao Tarzan.

Ele se pendura na corda e grita, caindo dentro da piscina. As pessoas aplaudem. PHILLIP volta para a superfície novamente e aponta para SCOTT.

SCOTT: Não, não.

PHILL: Que é isso, cara? Vai amarelar agora?

SCOTT: [Ri nervoso] Eu passo.

PHILL: Eu “passo”. Que papo mais idiota é esse?

A multidão começa a vaiar. PHILL puxa o coro e todos começam a gritar.

TODOS: Covarde! Covarde!

SCOTT olha nervoso para os lados. Todos estavam apontando para ele e pedindo para que ele repetisse o gesto de PHILLIP.

PHILL: Vamos, Scott. Mostre que você é homem de verdade.

SCOTT se aproxima de PHILL e cochicha.

SCOTT: Você sabe que eu não gosto de altura.

PHILL: Vai ser legal, cara, como montar um cavalo. Você sente a adrenalina.

As pessoas ficam olhando para os dois. SCOTT olha para a corda, apreensivo.

SCOTT: Eu não acredito que eu vou fazer isso.

PHILL dá uma tapinha cordial nas costas do amigo.

PHILL: [Grita] Senhoras e senhores, Scott Sawyer vai pular!

As pessoas que estavam no local batem palmas e SCOTT se dirige até a árvore vagarosamente. Ele tenta sorrir ao se aproximar, segura a corda com força e dá alguns passos para trás. O garoto corre e fecha os olhos. SCOTT pula, mas não consegue se soltar. Seu braço fica preso na corda. Ele havia passado a corda em volta do braço, a fim de obter mais segurança, mas agora a corda estava enrolada em seu braço, o mantendo pendurado.

SCOTT: [Nervoso] Me ajuda, me ajuda!

O galho da arvore se estendia por cima de quase toda a piscina. SCOTT, pendurado pelo braço, parecia um pendulo humano. Cada movimento que seu corpo fazia o garoto respondia com uma expressão de dor em seu rosto. Todos os adolescentes que observavam ao inusitado espetáculo se dispõem ao redor da piscina. PHILLIP começa a rir da cara do amigo.

PHILL: [Rindo] Eu não acredito nisso!! Como você pode ser tão burro?

SCOTT: Não é brincadeira, alguém me tira daqui.

Phill: [Rindo] Grita mais alto seu banana, quem sabe o Clark Kent não te escuta?

SCOTT tenta apoiar-se com o outro braço na corda, assim poderia tentar desenrolar seu braço que estava começando a ter a circulação cortada. A expressão de dor do seu amigo só divertia PHILLIP, enquanto a multidão assistia ao pequeno show, horrorizada.

SCOTT: Eu não consigo.

PHILL balança a cabeça negativamente.

PHILL: Aguenta firme que eu vou tirar você daí.

PHILLIP escala a árvore habilmente. Ele gosta da atenção recebida naquele momento, e esboça até um certo sorriso heróico. SCOTT começa a se debater.

SCOTT: Ai, tá doendo!

PHILL: [Grita] Para de chorar. Eu vou tirar você daí.

PHILLIP SE aproxima lentamente do local onde a corda estava amarrada, ou seja, ao centro do grande galho. SCOTT continua balançando a corda. Ouve-se um estalo. Alguns garotos gritam que o galho está se partindo. PHILLIP olha para trás, ele hesita, mas continua a se aproximar do amigo.

PHILL: Segura na corda com o outro braço, que eu vou tentar te puxar aqui pra cima.

PHILL cambaleia um pouco, visivelmente bêbado. SCOTT obedece às ordens do amigo e PHILLIP começa a puxar, sem sucesso. O peso do garoto faz com o que grande galho balance. Ouve-se outro estalo e os dois caem na piscina. Ouvem-se alguns gritos. PHILL e SCOTT não submergem.

GAROTA LOIRA: Alguém pula lá pra pegar eles!

Dois meninos tiram a camiseta e se preparam para pular quando PHILLIP surge, ofegante em meio aos pequenos galhos que haviam caído com os pedaços maiores. Os dois garotos pulam na piscina. Um deles puxa PHILL para fora, enquanto o outro mergulha a procura de SCOTT. Silêncio. O garoto surge na superfície com SCOTT.

GAROTO 2: O galho caiu por cima dele, acho que ele desmaiou.

PHILL: Traz ele pra cá.

O garoto desenrola a corda do braço do SCOTT e o arrasta para fora da piscina.

GAROTA RUIVA: Alguém chame uma ambulância!

PHILL: Não!! Ninguém vai chamar ambulância aqui.

GAROTO 2: Tá louco? Ele precisa de ajuda.

PHILL: Ambulâncias chamam muita atenção. Eu mesmo levo ele no hospital. [Grita] Galera, a festa acabou!

O garoto olha para PHILL com ar de reprovação, mas o ajuda a carregar SCOTT para seu carro.

 

CENA 2 – EXT. RUA – NOITE

O carro do PHILLIP sai em alta velocidade. O garoto olha para Scott, que está estirado no banco traseiro de seu carro, com a roupa suja de sangue.

 

CENA 3 – EXT. HOSPITAL – NOITE

PHILL estaciona seu carro um pouco distante da entrada principal do hospital. Ele apóia o corpo do amigo no ombro e o arrasta para dentro da emergência.

 

CENA 4 – INT. HOSPITAL – NOITE

PHILL: Alguém? Por favor! Meu amigo sofreu um acidente.

Alguns enfermeiros correm em direção dos dois.

ENFERMEIRO: O que houve?

PHILL: [Pânico] Eu não sei! Ajudem ele, por favor.

PHILL entrega a carteira do amigo com todos os documentos que a atendente iria precisar para cadastrá-lo na emergência. Ele observa o amigo ser colocado em uma maca, e aproveita que o foco da atenção de todos não é ele e sai do hospital correndo.

 

CENA 5 – EXT. HOSPITAL – NOITE

[SOM DE TROVÃO]

Uma fina chuva começa a cair. PHILL corre até seu carro e entra ofegante. Ele liga o motor do automóvel e sai rapidamente. O garoto pega um celular jogado no chão do carro.

Phill: [Ofegante] Becky? Seu irmão sofreu um acidente. [Pausa] Ele está no Tulsa Hospital Center!

Antes que ele desligasse o aparelho ouve-se um barulho de sirene. O garoto olha para trás e uma viatura da policia está o seguindo. Ele para o carro. O policial se aproxima com uma lanterna.

Policial: Boa noite? Documentos, por favor.

PHILLIP pega uma carteira no porta luvas e mostra ao policial.

Policial: Sr. Danes, está ciente de que o senhor ultrapassou o limite de velocidade da via em quase o dobro do limite permitido?

PHILL: E o que você quer dizer com isso?

POLICIAL: Desça do carro, por favor.

PHILL: Você sabe com quem está falando?

POLICIAL: Desça do carro agora!

[MÚSICA TEMA – PROMISES, LILLIX]

 

CENA 6 – INT. CASA DOS MACKENZIE – QUARTO DE ANNA

[MÚSICA – PERFECT MEMORY, REMY ZERO]

O quarto está escuro, o único foco de luz presente no local vem de uma pequena lamparina em formato de estrela pregada na parede à cima da cama de ANNA. Ela sai de baixo das cobertas ao ouvir o barulho de um carro se aproximando da sua casa. ANNA levanta-se e caminha até a janela. A garota abre as cortinas brancas, deixando a luz do sol entrar. Ela olha para baixo e sorri.

Anna: Hey!! Você aí embaixo. Vai ficar parado olhando ou vai subir até aqui?

A garota vira-se em direção da porta e vê MATT, parado, de braços cruzados. Ela franze a testa e abre a boca, em uma expressão de surpresa.

ANNA: Que bom que você veio! Eu estava mesmo te esperando. [Sorri] Como você subiu tão rápido?

MATT: Não acredita em mágica?

ANNA: Você… sempre cheio de truques.

MATT: Eu não faço truques, apenas mágica.

ANNA: Faça uma mágica para mim.

MATT se aproxima da Anna.

MATT: Feche os olhos…

ANNA obedece ao amigo, um pouco apreensiva. MATT despeja uma caixa cheia de fotos na cama.

ANNA: Posso abrir?

MATT: Não! Espera um pouco!

O garoto espalha as fotos e senta-se na beirada da cama.

MATT: Agora pode abrir.

ANNA mostra-se surpresa ao ver o que o amigo tinha feito. Ela se aproxima da cama e olha as fotos cuidadosamente.

ANNA: Nossa… o que é isso?

MATT: Mágica.

ANNA: Que tipo de mágica é essa?

MATT: Eu estou te levando de volta ao passado. Essas são as fotos que eu tirei depois que você me deixou.

ANNA: Eu não deixei você, Matt. Eu apenas fiz uma “longa viagem”.

O garoto sorri.

MATT: Eu sei, Anna.

ANNA: Que bom que você sabe. Por que apesar de eu não ter dado notícias todos esses anos, eu nunca deixei de pensar em você. Desculpe a minha covardia exagerada, mas eu tive medo de que não entendesse.

MATT: Ih, Anna. Todo esse papo é muito dramático pro meu gosto. Vamos deixar isso pra trás ok?

ANNA: [Irônica] Engraçado você dizer isso.

MATT: Você está insinuando que eu faço drama?

ANNA: [Ri] Como ninguém!

MATT empurra Anna, não muito forte.

MATT: Você é quem faz o drama aqui. Eu sou realista.

ANNA: Eu não acredito em realidade, eu acredito em mágica.

ANNA sorri olhando para MATT.

MATT: Você quer que eu faça outra mágica?

ANNA: Não… Eu só quero meu melhor amigo de volta.

MATT fica calado.

ANNA: O que você me diz? Pode fazer isso?

ANNA se aproxima de MATT, mas ele recua, e permanece calado.

ANNA: Matt? O que você me diz?

MATT olha para ANNA como se quisesse dizer alguma coisa, mas nenhuma palavra sai de sua boca.

ANNA: [Grita] Matt, me diz alguma coisa, por favor!

[MÚSICA FADE OUT]

ANNA acorda assustada. A garota está suada e com a respiração ofegante. Ela olha para os lados e põe a mão na cabeça. A garota respira fundo e levanta-se da cama. Ela vai até a janela e abre a cortina. ANNA ainda veste a mesma roupa que tinha ido à festa. Está escuro e chovendo muito lá fora. Ela olha para trás e o relógio em cima de sua escrivaninha marca 12:55.

ANNA: Eu devo ter cochilado.

Ela vai até o banheiro, onde joga um pouco de água no rosto. ANNA encara o espelho por alguns segundos.

ANNA: Calma, Anna, calma.

Ouve-se um barulho de TV. A garota desce até a sala onde KATHERINE MACKENZIE estava dormindo no sofá. ANNA ajeita o cobertor que cobria a mãe e senta-se em uma outra poltrona. Ela pega o controle remoto da TV e muda de canal algumas vezes até que algo chama à sua atenção.

ANNA: Harry e Sally. [Irônica] Ótimo.

ANNA encosta a cabeça e encolhe as pernas no sofá.

 

CENA 7 – EXT. HOSPITAL – NOITE

A vista frontal do Tulsa Hospital Center.

 

CENA 8 – INT. HOSPITAL – NOITE

MULHER: [Nervosa] Ele está aqui há muito tempo! Eu preciso ter noticias do meu filho!

DAVID SAWYER: Carol, querida. Tenha um pouco mais de calma.

ENFERMEIRA: Senhora, infelizmente, até agora, não temos nenhum boletim sobre seu filho.

CAROL SAWYER: Olhe mais uma vez. [Pega a prancheta da enfermeira] O nome dele é Scott William Sawyer.

A enfermeira pega de volta a prancheta.

ENFERMEIRA: Senhora, eu sei quem é seu filho e quando eu souber algo…

O homem vestido de branco interrompe a conversa.

HOMEM: Senhor e senhora Sawyer?

CAROL: Sim? Somos nós.

HOMEM: Eu sou o doutor Jack Clifford. Eu tenho noticias sobre o filho de vocês.

 

CENA 9 – MESMO LOCAL

[MÚSICA – IN MY PLACE, COLDPLAY]

REBECCA está sentada em uma cadeira no corredor do hospital. Ela observa, apreensiva, um homem de branco se aproximar dos pais. O homem fala algumas palavras e os SAWYER se abraçam felizes. REBECCA respira aliviada. SAM aparece no corredor com um copo na mão. O garoto vai até BECKY e entrega o copo a ela.

SAM: Toma, é chá gelado.

Ele se senta ao lado da garota e encara o chão. REBECCA olha para SAM.

BECKY: Obrigada.

A garota toma alguns goles. Ela volta a olhar para os pais, eles ainda conversam com o médico.

BECKY: Acho que o médico trouxe notícias do Scott. E pela cara dos meus pais, meu irmão deve ter escapado dessa.

Ela olha para SAM, o garoto parecia não se importar.

BECKY: Eu sei que é errado pensar assim, mas pelo o que eu conheço do Scott ele deve ter feito por merecer. Ainda não sabemos o que aconteceu, quem trouxe ele aqui não falou nada, mas pela descrição das enfermeiras deve ter sido o Phillip.

Ela toma mais um gole do chá.

BECKY: Tenho certeza que foi ele quem meteu meu irmão nessa roubada. O Scott faz tudo que ele manda e…

SAM interrompe.

SAM: Olha, agora que o pior já passou, eu acho que já posso ir.

BECKY: Não vá. Eu odeio hospital, e eu não quero ficar aqui sozinha.

SAM levanta-se.

SAM: Seus pais estão aqui.

BECKY: Sam, espera. Eu queria dizer…

SAM interrompe novamente.

SAM: Becky, se você vai tentar me agradecer é melhor nem começar. Eu tenho que ir.

SAM anda em passos apressados, deixando BECKY para trás. Ela o observa ir embora. REBECCA olha para o copo de chá e o joga no lixo.

[MÚSICA FADE OUT]

CENA 10 – INT. CASA DOS GRAHAM – QUARTO DE MATT – NOITE

[SOM DE CHUVA FORTE]

MATT está sentado ao lado da sua cama observando ALEXIA dormir. O garoto levanta-se e vai até seu armário de onde ele puxa uma grande sacola azul. MATT desenrola o colchonete. Ele o puxa para perto cama e desliga a luz do abajur. Um clarão ilumina todo o quarto, alguns segundos depois ouve-se um grande estrondo. ALEXIA acorda.

ALEXIA: Matt?

Ele se aproxima da garota.

MATT: Eu estou aqui.

ALEXIA: O que foi isso?

Matt: Um trovão. Volte a dormir Alley, já é tarde.

Alexia: Dá pra você acender o abajur?

Matt ri.

Matt: Tá bom. Você precisa mais de alguma coisa?

ALEXIA não responde. MATT liga a luz do abajur e percebe que a namorada já estava dormindo novamente. Ele deita-se no pequeno colchão e fica encarando o teto. O barulho da chuva se intensifica. MATT olha para a janela, ele ouve alguns gritos. Eram gritos de criança.

[FLASHBACK]


CENA 11 – EXT. CASA DOS GRAHAM – NOITE

MATT: [Criança] Está chovendo muito, Anna! Vamos ficar doente!

ANNA: [Criança] Melhor pra nós. Não precisaremos ir à escola.

MATT fica parado, analisando o que a amiga havia dito. Ouve-se um trovão. ANNA se aproxima de MATT e lhe entrega uma pipa.

ANNA: [Criança] Agora é com você.

MATT: [Criança] Eu não sei como você consegue me convencer dessas suas maluquices!

ANNA: [Criança] Oras, esse é o se papel. Eu faço os planos mirabolantes, e você os executa.

MATT: [Criança] “Mira” o quê?

ANNA: [Criança] Não enrola garoto!

MATT ri.

MATT: [Criança] Eu não vou correr por aí com uma pipa numa chuva dessas, é maluquice demais, até pra você.

ANNA: [Criança] Matt, estamos fazendo isso em nome da ciência. Olha, se você não quer fazer, eu mesma faço.

MATT: [Criança] Tudo bem.

MATT entrega a pipa à ANNA. Um relâmpago ilumina todo o local, seguindo de um forte trovão. ANNA e MATT gritam e entra correndo na garagem.

ANNA: [Criança] Seu maricas.

[FIM DO FLASHBACK]

MATT sorri.

MATT: Anna…

O garoto se assusta ao ouvir um barulho estridente vindo da bolsa da namorada. Ele levanta-se rapidamente e abre a bolsa. Era o celular, ele atende.

MATT: [Sussurrando] Alô, quem é?

PHILL: [Voice Over] É o Phillip. Passa pra Alexia.

MATT: [Sussurrando] Ela está dormindo.

PHILL: [Voice Over] Ah! Não me vem com essa, passa pra ela. Eu não posso demorar muito aqui.

Matt: [Sussurrando] A Alley tá doente, cara. Ela tá dormindo agora. Me fala o que é que eu passo o recado.

PHILL: [Voice Over] Eu preciso de 1.200 dólares.

Matt ri.

MATT: [Sussurrando] Você está falando sério?

PHILL: [Voice Over] E eu lá sou de fazer brincadeira, seu idiota?

MATT: [Sussurrando] Vai fazer o que com esse dinheiro? Pagar os membros da sua gangue?

PHILL: [Voice Over] Olha, eu não tenho tempo pra isso, e eu não te devo satisfações.

MATT: Você quer o dinheiro? Então seja um pouco mais “gentil”.

PHILL: [Voice Over] O Scott sofreu um acidente na minha festa. Eu fui levar ele no hospital e na volta um policial parou meu carro, disse que eu estava à cima do limite de velocidade, essas frescuras, e inventou outras coisas, resultado: eu preciso de 1.200 dólares.

MATT: Eu vou falar com ela.

MATT olha para o aparelho. PHILL havia desligado. Ele leva o celular de volta à bolsa e percebe que ALEXIA havia acordado novamente.

ALEXIA: O que houve?

MATT: Seu irmão mandou eu te pedir 1.200 dólares.

ALEXIA: Tá bom.

A garota coloca o cobertor por cima da cabeça.

ALEXIA: Eu vou voltar a dormir.

MATT: Alley, ele está numa delegacia.

ALEXIA sai debaixo do cobertor.

ALEXIA: O quê? O que ele fez?

MATT: Ele disse que foi levar o Scott no hospital e o pegaram à cima do limite de velocidade.

ALEXIA: O Scott?

MATT: Ele não me explicou o que houve, só disse que precisava do dinheiro.

ALEXIA: Eu não vou dá dinheiro nenhum para ele. Ele que morra lá.

MATT: Alley, por mais idiota que o Phillip seja, ele é o seu irmão.

ALEXIA: Me dá esse telefone.

MATT: O que você vai fazer?

ALEXIA: Vou ligar pra Becky. Se o irmão dela sofreu um acidente, ela deve está precisando de mim!

ALEXIA pega o telefone e MATT fica olhando para ela.

 

CENA 12 – INT. CASA DOS MACKENZIE – SALA – NOITE

ANNA assiste ao filme com lágrimas no rosto; sua MÃE, que dormia ao lado, acorda. A chuva ainda caia insistentemente.

KATHERINE: Anna? Voltou cedo da festa?

ANNA faz sinal positivo com a cabeça. A mulher se levanta do sofá e vê que a filha está chorando.

KATHERINE: Você está bem?

ANNA: Tudo bem, mãe.

KATHERINE: Então por que você está chorando?

ANNA: É que esse filme é tão triste.

KATHERINE olha para a televisão por alguns segundos.

KATHERINE: Harry e Sally? Triste?

ANNA faz novamente sinal de positivo com a cabeça.

KATHERINE: Mary Anna, você está bem?

ANNA: Mãe… é sério.

KATHERINE: De onde você tirou todo esse sarcasmo? Você deve ter saído como à família do Edward. Só pode…

ANNA: Você não entende? Esse filme fala de como as pessoas são enganadas pelo tempo, pelo acaso, pela vida. Não devemos alimentar esperanças sobre o futuro por que o futuro é incerto, e não podemos fazer nada contra isso.

KATHERINE: Eu já não sei quem é a mais louca dessa casa. Se sou eu ou se é você.

ANNA desliga a TV.

ANNA: Eu vou dormir. Boa noite.

ANNA olha para a mãe e vai em direção da escada.

CENA 13 – INT. LOCAL DESCONHECIDO – NOITE

[MÚSICA – EVERYTHING HE WANTS, VERTICAL HORIZON]

SAM entra em sua casa com cuidado. O garoto checa se alguém está acordado antes de dá mais um passo. Ouve-se um barulho, SAM congela. Passa-se alguns segundos e o garoto relaxa, não era ninguém e ele segue para outro cômodo da casa.

 

CENA 14 – INT. QUARTO DE SAM

SAM joga sua jaqueta molhada em cima de uma cadeira. O garoto pega uma toalha que estava pendurada na porta do quarto e enxuga o cabelo. Ele senta-se na cama e tira os sapatos molhados.

SAM: Que pé d’água…

SAM tira a camiseta, ficando apenas de calça.

SAM: Mas que noite! Eu devia saber que tava bom demais pra mim. O universo definitivamente não está do meu lado. E pra terminar com chave de ouro, eu ainda chego todo molhado em casa.

Ele começa à andar de um lado para o outro e põe a mão na cabeça.

Sam: Pelo menos o começo de tudo foi bom. [Sorri] Não! [Lamenta] Não, Sam. Foi terrível! Terrível! Você é um babaca, isso sim. Eu preciso falar com alguém!

 

CENA 15 – INT. CASA DOS WOODS – SALA – NOITE

SAM senta-se no sofá, cuidadosamente para não acordar seu pai. Ele digita um número no telefone e espera.

 

CENA 16 – INT. QUARTO DE MELISSA

MELISSA está dormindo quando seu celular toca. A garota demora a se mexer quando finalmente é derrotada pela insistência da ligação. Ela move apenas o braço, que alcança sua mochila, jogada no chão. Ela tateia a mochila por alguns segundos conseguindo pegar o celular. MEL traz o telefone até ela e atende ainda de olhos fechados.

[MÚSICA BAIXA]

MEL: Eu vou matar você.

 

CENA 17 – INT. CASA DOS WOODS – SALA – NOITE

SAM: Mel, é o Sam.

MEL: [Voice Over] Eu ainda quero matar você.

SAM: Dá pra você acordar?

MEL: [Voice Over] Não!

SAM: Por favor…

 

CENA 18 – INT. CASA DOS BAKER – QUARTO DE MELISSA – NOITE

MELISSA abre os olhos.

MEL: Olha, é melhor ser algo importante.

SAM: [Voice Over] Você tinha razão sobre a Rebecca.

MEL: Ah! Não, o motivo dessa ligação é a Rebecca Sawyer? Tipo, até amanhã Sam.

SAM: [Voice Over] Não, não, não. Não desliga, por favor. É sério.

MELISSA se senta na cama, e passa a mão nos cabelos.

MEL: [Suspira] O que houve? Por acaso ela te mordeu?

 

CENA 19 – INT. CASA DOS WOODS – SALA – NOITE

SAM: Engraçada…

MEL: [Voice Over] Fala.

SAM: Eu e a Rebecca fomos ao parque hoje… quer dizer, ontem à noite.

MEL: [Voice Over] Juntos?

SAM: É, juntos…

MEL: [Voice Over] Sam…..

SAM: O quê?

MEL: [Voice Over] Você não drogou a garota, né?

SAM: As vezes eu gostaria que você fosse menos direta.

MEL: [Voice Over] Tá bom. Eu paro… mas por que ela sairia com você?

SAM: Eu não perguntei. Mas acontece que saiu, e no começo ela se mostrou bem, vamos dizer, conformada com a situação. Estava tudo bem até umas meninas da escola aparecerem, e ela começou a me tratar com um lixo, foi horrível.

MEL: [Voice Over] Eu avisei. Você coloca a garota num pedestal, como se ela fosse uma musa imaculada, ela não passa de uma vadia, como a Alexia.

SAM: Você quer deixar seu ódio mortal pela Alexia de lado e se concentrar na Becky um pouco.

 

CENA 20 – INT. QUARTO DE MELISSA

MEL: O que você quer que eu diga? Elas são todas iguais, Sam. É melhor você cair na real agora do que ficar igual ao Matt. Ele mudou tanto depois que se bandeou pro lado da outra.

MELISSA se levanta da cama.

SAM: [Voice Over] O Scott sofreu um acidente e quando ela soube, eu me ofereci para ir deixar ela no hospital.

MEL: O Scott? Que acidente?

SAM: [Voice Over] Eu não sei o que houve, mas foi na festa do Phillip.

MEL: Nossa… que festa! Mas aí você levou a loirinha no hospital e?

SAM: [Voice Over] E eu tive que ficar com ela lá até agora, ela quis ser gentil comigo, mas eu fui frio com ela. Agora que ela nunca mais olha na minha cara!

MEL: Sorte sua!

 

CENA 21 – INT. SALA DOS WOOD

SAM: Eu acho que o meu destino é ficar só. Nada de líder de torcida loirinha, simpática, com uma voz linda, e um sorriso…

MEL: [Voice Over] Quer parar? Eu já estou ficando enojada.

SAM: Desculpa.

MEL: [Voice Over] Olha, Sam. Nenhuma garota que te trate com um mínimo de desprezo merece você. Você é um ótimo amigo, é divertido, um pouco bobo demais às vezes, mas é um companheiro e tanto. Se ela não vê isso em você, problema dela.

SAM: Mel?

MEL: [Voice Over] Oi?

SAM: Quer sair comigo?

MEL: [Voice Over] Nem morta!

SAM: [Rindo] Viu? Se você que me acha isso tudo, não quer sair comigo, imagina a Becky…

MEL: [Voice Over] Sam, deixa essa garota pra lá.

SAM: Não consigo.

MEL: [Voice Over] Vocês, homens, quando colocam uma garota na cabeça é difícil de tirar. Se não quer esquecer a mini Alexia, que seja! Mas ficar choramingando por ela? Isso é demais. Olha, Sam, eu…

 

CENA 22 – QUARTO DE MEL

MEL: … vou dormir. E você deveria fazer o mesmo.

SAM: [Voice Over] Você está certa. Eu vou para o meu quarto tentar analisar o ponto em que a minha vida começou a ficar tão patética.

MEL: Sam, amanhã eu passo na sua casa, e agente discute qual vida é mais patética, eu levo sanduíches, refrigerante, sorvete, tudo o que o nosso estomago aguentar.

SAM: [Voice Over] Tá certo… eu tenho alguns dvds.

MEL: E nós faremos a nossa festa.

SAM: [Voice Over] Combinado. Vejo você daqui a pouco.

MEL desliga o telefone e se joga na cama.

 

CENA 23 – INT. CASA DOS GRAHAM – QUARTO DE MATT – NOITE

ALEXIA está terminando de vestir uma blusa. A garota ajeita a roupa e coloca um casaco branco por cima.

MATT: Alexia, você ouviu o que a Becky falou; o Scott está bem, você não precisa ir para o hospital.

ALEXIA: Eu vou.

MATT: Você estava doente um minuto atrás. Já melhorou?

ALEXIA: Não, não melhorei, mas eu vou.

MATT: Alley, deixe de ser teimosa, você não precisa ir.

ALEXIA pega a sua bolsa e vai a direção dá porta

MATT: [Grita] Está chovendo forte lá fora, você não vai.

ALEXIA: [Grita] Eu vou!

LOU aparece na porta.

LOU: Que gritaria é essa?

MATT e ALEXIA são pegos de surpresa.

LOU: Matt?

ALEXIA: O irmão da minha amiga sofreu um acidente, e quero ir ao hospital.

MATT: A Alexia está doente, e pra piorar a situação o Phillip está na delegacia, e precisa de dinheiro pra fiança.

ALEXIA: [Para Matt] Eu não estou entendo essa sua compaixão pelo Phillip agora! Se você quer o dinheiro, eu dou!

ALEXIA revira a bolsa.

ALEXIA: Eu não tenho toda essa quantia, mas se quiser pode ficar com os meus cartões.

ALEXIA joga o dinheiro e os cartões em MATT. O rapaz olha sério para ALEXIA, se baixa, e pega o dinheiro e os cartões caídos no chão. LOU barra ALEXIA na porta.

LOU: [Para Alexia] Você não vai à lugar nenhum assim. [Para Matt] Matt, leve sua namorada ao hospital. Deixa que eu cuido do garoto. Delegacia não é lugar pra crianças como vocês.

MATT entrega o dinheiro à tia e LOU devolve à ALEXIA, que põe o dinheiro na bolsa e sai do quarto. MATT vai atrás dela.

 

CENA 24 – EXT. CASA DOS GRAHAM – NOITE

MATT corre atrás de Alexia com um guarda chuva na mão. Ele para na frente dela, sério.

MATT: Espera aqui que eu vou pegar o carro.

ALEXIA segura o guarda-chuva.

 CENA 25 – INT. HOSPITAL

ALEXIA tira o casaco ao entrar no hospital. Apressada, ela anda procurando pela amiga. A garota olha para os lados, sem resultado. Alexia para. REBECCA aparece por trás dela. As duas se abraçam.

BECKY: Você veio… sua maluca.

ALEXIA: Claro que vim.

BECKY: Cadê o Matt?

ALEXIA: [Séria] No estacionamento. Ele já vem.

As duas se sentam em um banco no corredor.

ALEXIA: O que houve com o Scott?

BECKY: Ninguém sabe ao certo. Os enfermeiros dizem que um garoto o trouxe aqui…

ALEXIA: … O Phill.

BECKY: O médico disse que o Scott sofreu uma pancada muito forte na cabeça, que o fez desmaiar. Ele deslocou o braço, e tinha muito álcool no sangue.

ALEXIA: Uh… que horror.

BECKY: É, mais agora ele já está bem. Vai sair amanhã. Olha, não precisava mesmo de você ter vindo.

MATT se aproxima das meninas.

MATT: Eu disse isso a ela, mas você sabe como a Alley é teimosa.

ALEXIA: Amiga, mas você odeia hospital.

BECKY: Você também.

REBECCA abraça ALEXIA.

BECKY: Meus pais vão passar a noite aqui, mas eu já estou indo para casa.

ALEXIA: Eu vou com você.

BECKY: Você não estava doente?

ALEXIA: Acho que dá pra sobreviver.

MATT: Eu levo vocês duas.

ALEXIA mal olha para MATTHEW.

ALEXIA: Eu vou falar com seus pais.

BECKY: Aproveita e pega as minhas coisas, eu vou com o Matt para o carro. Ok?

ALEXIA: Ok. Qual o quarto?

BECKY: D, 105. Segue em frente e vira á direita.

ALEXIA: Está certo, vejo vocês lá.

ALEXIA segue em frente, e BECKY puxa MATT para o canto.

BECKY: Eu preciso de um favor seu.

MATT: O que foi?

BECKY: Eu fiz uma coisa horrível hoje…

Os dois vão conversando até saírem pela porta principal do hospital. A chuva estava mais fraca.

 

CENA 26 – INT. DELEGACIA DE POLÍCIA

LOU passa por alguns policiais, que a olhavam como se ela fosse um objeto de desejo. Ela para na frente de um oficial gordinho. LOU olha para o crachá do homem.

LOU: Oficial Rodrigues? Louise Graham. Vim pagar a fiança de Phillip Danes.

RODRIGUES: “O filho do prefeito”? Ele já causou muita confusão hoje. Eu estava quase o deixando ir.

O homem esboça um sorriso.

RODRIGUES: Ele foi preso por desacato. Estava dirigindo alcoolizado, e em alta velocidade. A senhora é responsável por ele?

LOU: Não! Quer dizer, sou…

RODRIGUES: Então preencha isso daqui, e eu explicarei os procedimentos.

 

CENA27 – EXT. DELEGACIA DE POLÍCIA

LOU anda em direção do seu carro, PHILL a acompanha.

PHILL: Valeu tia do Graham por me tirar dessa roubada. Esses policiais vão se ver com o meu pai.

LOU para de andar, e vira-se para o garoto.

LOU: Olha aqui, garoto! Eu vou te levar para casa agora, e apreciaria muito se você não falasse comigo durante todo o trajeto. Obrigada!

A mulher abre a porta do carro e faz um gesto para que PHILL entre.

[CORTA]

O sol timidamente vai saindo por trás das poucas nuvens que estavam no céu. Não chove mais em Tulsa.

 

CENA 28 – INT. CASA DOS DANES – SALA – MANHÃ

PHILL está no sofá. Ele põe a mão na cabeça ao acordar.

PHILL: Que ressaca.

O garoto olha em sua volta, a casa está uma bagunça. Ele parece triste, e pega o telefone. PHILL está jogado em cima de uma almofada.

PHILL: Eu acho que fiz uma besteira. Posso falar com você?

 

CENA 29 – EXT. RUA – MANHÃ

[MÚSICA – SIMPATHY, GOO GOO DOLLS]

REBECCA segura Napoleão nos braços ao ver o número da casa do SAM.

BECKY: É aqui. 505.

Ela toca a campanhia, mas ninguém responde. Ela toca mais algumas vezes. A casa parece estar vazia. A garota coloca o seu cachorro no chão e se prepara para deixar o local quando a porta se abre. SAM olha surpreso para REBECCA.

SAM: Você? Aqui?

SAM se mantém parado na porta da sua casa.

BECKY: Eu estava passeando com o Napô e quando eu percebi estava aqui.

SAM: [Suspira] Passeando com o cachorro? Não tinha coisa melhor para inventar?

BECKY: É verdade, eu juro.

SAM: Rebecca, você mora do outro lado da cidade, e seu cachorro não parece estar ao menos cansado.

Ele põe a cabeça para fora da casa como se procurasse algo.

SAM: E o seu carro está estacionado bem ali. Isso é algum tipo de pegadinha? Tem alguém te filmando ou algo assim?

BECKY: [Séria] Não. Eu só queria falar com você, é isso. Eu peguei seu endereço com o Matt, e eu resolvi vir aqui. Sam, eu quero me desculpar…

SAM: Não precisa.

REBECCA se aproxima da porta, onde SAM estava escorado.

BECKY: Mas eu te devo isso. Você me ajudou a noite toda e nem precisava.

SAM: Eu faria isso por qualquer um.

BECKY: Me desculpa por ontem, eu fui horrível com você.

SAM: [Irônico] Sabe Rebecca, eu achava que você era uma garota legal, diferente das suas amigas, mas infelizmente eu estava errado. Você é pior.

BECKY: Sam…

SAM: Eu poderia esperar algo daquele tipo da Alexia e da Christy, mas não de você.

BECKY: Eu não sou desse jeito.

SAM: Eu sei. Você é igual ao seu irmão, não passa de um clone.

BECKY: Você está enganado.

SAM: Estou?

BECKY: Está sim!

SAM: É uma pena que eu não possa ficar aqui para você me provar o contrário.

Napoleão começa a latir. MELISSA aparece por trás de SAM, com um cd na mão.

MEL: Que confusão é essa aqui fora?

BECKY: [Surpresa] Eu só estava querendo falar com o Sam.

MELISSA passa os braços ao redor da cintura do amigo, e o abraça.

MEL: Será que não dava pra você passar mais tarde, eu e o meu pompom estamos um pouco ocupados.

SAM parece incrédulo. Ele não fala nada. MEL puxa delicadamente SAM para seu lado, e passa o braço ao redor do pescoço do garoto.

SAM: É, eu estou ocupado agora. Eu acho.

MELISSA sorrir para BECKY, que parecia constrangida, e depois olha para SAM. O garoto olha para a amiga tentando entender o jogo dela e, inesperadamente, MEL o beija. REBECCA olha para baixo.

BECKY: Eu entendi. A gente se fala uma outra hora.

SAM responde com um “humhum” e continua a beijar MELISSA, que o puxa para dentro de casa e fecha a porta. MELISSA se “solta” de SAM imediatamente.

MEL: Arg! Arg!

Ela cospe no ar e bebe um copo de refrigerante em um só gole.

SAM: Foi você quem me beijou! Não faça “args”!

MELISSA continua tendo “xiliques”.

SAM: Pare! Você está me ofendendo.

MEL: Eu fiz isso pra te ajudar. Agora finja que esse beijo não aconteceu, e vamos ouvir o cd do Yellowcard.

SAM: [Ri] Você me ama.

MEL: Ew…

[MÚSICA FADE OUT]

 

CENA 30 – INT. CASA DOS MACKENZIE – QUARTO DE ANNA – DIA

ANNA levanta-se da sua cama ao ouvir o barulho de um carro estacionando em frente a sua casa. Ela abre a janela e olha para baixo.

ANNA: Hey! Vai ficar aí embaixo ou vai subir aqui?

 

CENA 31 – INT. CASA DOS MACKENZIE – SALA

PHILL: E foi isso que aconteceu. Eu não tive culpa. Tive? Ele pulou por que quis. Eu queria ao menos dizer que sinto muito, mas eu não sinto.

ANNA: Ele pulou por sua causa. Você devia ao menos pedir desculpas.

[SOM DA CAMPANHIA]

ANNA: Espera um pouco, eu vou atender a porta.

ANNA corre até a porta. Ela abre sem olhar pelo ‘olho mágico’. A garota congela.

ANNA: Matthew?

MATT: Eu posso falar com você?

Ela fica parada.

PHILLIP aparece na porta.

PHILL: [Irônico] Bom dia. Vai entrar também?

MATT olha para Anna com desprezo.

MATT: Eu não sei por que ainda insisto.

MATT faz menção de ir embora, mas ANNA o segura pela mão.

ANNA: Matt, fica! [Para Phill] Vai falar com o Scott, ok?

PHILL: Mas Anna…

ANNA: Por favor, Phill! Vai!

O garoto obedece às ordens de ANNA e vai embora. MATT encara ANNA.

MATT: Eu não entendi qual o seu jogo com o Phill!

ANNA: Não tem jogo nenhum!

MATT: Ah! Então essa sua amizadezinha com ele é só pra me humilhar mesmo?

ANNA: O Phill me trata muito bem, ao contrário de você.

MATT: Esquece! Eu não devia ter vindo.

MATT se solta de Anna e se vira para rua, mas antes que ele desse o primeiro passo ANNA grita.

ANNA: O que você quer de mim?

A garota começa a chorar.

ANNA: Eu não agüento mais. Eu não agüento mais isso.

MATT fica olhando para ela sem ação.

ANNA: [Chorando] Eu estou tão cansada de me fingir de forte.

A garota se senta na varanda e põe a cabeça entra as pernas. Anna chora copiosamente.

Anna: [Soluçando] Eu sinto sua falta.

MATT respira fundo. Ouve-se um barulho de algumas crianças na rua. Um dos garotos tentava empinar uma pipa azul.

[MÚSICA – PERFECT MEMORY, REMY ZERO]

MATT observa a brincadeira dos meninos. ANNA continua a chorar. Ele caminha até a garota e senta ao seu lado. ANNA levanta a cabeça. MATT olha direto nos olhos dela. Eles se abraçam demoradamente.

 

CENA 32 – INT. CASA DOS DANES – SALA – DIA

A porta se abre. PHILL entra na sala, a casa esta uma bagunça, ALEXIA está sentada no sofá segurando uma câmera digital.

[MÚSICA BAIXA]

PHILL: Ah! Você tá ai?

ALEXIA tira uma foto do irmão.

ALEXIA: Eu acabei dormindo na casa da Becky, quando eu soube do acidente fui me certificar que não iríamos ter um homicida na família. Foi você né seu safado? Confessa!

PHILL: Ih, garota. Não sei do que você tá falando.

ALEXIA: Você deve ter empurrado ele. No mínimo!

PHILL: Você não sabe o que você tá falando.

ALEXIA: [Irônica] “Filho do prefeito empurra melhor amigo para a morte!” Já vejo as manchetes! Papai vai ficar tão orgulhoso! E como foi lá na cadeia? Encontrou algum amigo seu?

A garota tira outra foto. PHILLIP se aproxima da irmã, e lança um sorriso sarcástico.

PHILL: Se eu fosse você eu não me preocupava tanto comigo, você deve ter seus próprios problemas não? Por exemplo, o Matthew Graham.

ALEXIA: O que tem o Matt?

PHILL: Hoje de amanhã ele foi na casa da Anna Mackenzie. Eu estava lá quando ele chegou.

ALEXIA: [Ri] Sei…

PHILL: Não acredita em mim? Liga pra ele…

ALEXIA: Eu confio no Matt.

PHILLIP fica encarando ela.

ALEXIA: [Grita] Some da minha frente!

PHILLIP vai para seu quarto, rindo da irmã. ALEXIA espera o irmão sumir do local e pega o telefone.

 

CENA 33 – EXT. CASA DOS MACKENZIE – VARANDA

[MÚSICA ALTA]

MATT e ANNA estão sentados na varanda.

MATT: [Rindo] Eu não fiz regime. Eu apenas cresci.

ANNA: Eu quase não reconheci você.

ANNA olha para o relógio.

MATT: O tempo voa quando estamos felizes.

ANNA: E rasteja quando estamos tristes.

O celular de MATT toca, ele olha o nome no visor e desliga. Os dois voltam à conversar.

[MÚSICA FADE OUT]

ELENCO
Jonathan Bennett como Matthew Graham
Natalie Portman como Anna Mackenzie
Mena Suvari como Rebecca Sawyer
Lindsay Lohan como Melissa Baker
Austin O´Brian como Scott Sawyer
Joseph Gordon-Levitt como Samuel Wood
Kate Bosworth como Alexia Danes
Brad Renfro como Phillip Danes
Marisa Tomei como Lou Graham

ATORES CONVIDADOS
Paula Cale como Katherine Mackenzie
Greg Kean como David Sawyer

PARTICIPAÇÃO ESPECIAL
Heather Locklear como Carol Sawyer
Spencer Breslin como jovem Matthew Graham
Keaton Tyndall como jovem Anna Mackenzie

MÚSICA TEMA
Promises por Lillix

TRILHA SONORA

Perfect Memory por Remy Zero
Simpathy por Goo Goo Dolls
In My Place por Coldplay.
everything He Wants por Vertical Horizon

ESCRITO POR
Clara Lima
Sarah Lima

DIRIGIDO POR
Clara Lima

GRÁFICOS POR
Clara Lima

CRIADO POR
Clara Lima
Sarah Lima

DISTRIBUIDO POR
TVSN

® 2004-2006

 

Séries citadas:

Os textos assinados pela Redaçao TeleSéries são textos de autoria coletiva ou notícias escritas por um redator anônimo, mas sempre revisadas com a máxima precisão jornalística.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account