Log In

Ficção (séries virtuais)

Série Virtual – Destination Anywhere – Esqueceram de mim

Pin it

Série: Destination Anywhere
Episódio:
Esqueceram de mim
Temporada:

Número do Episódio:
1×11

CENA 1 – INT. ESCOLA WILL ROGERS – SALA – TARDE
Um professor escreve a palavra “Natal” e uma interrogação no quadro. ANNA olha para o professor, mas não escuta nada do que ele está dizendo, ela vê a classe toda em câmera lenta. A garota sustenta a cabeça em sua mão esquerda e olha para ALEXIA, que estava sentada no fundo da sala usando um gorro de Papai Noel, depois olha para o quadro novamente.

ANNA: [Voice Over] O que é Natal para você? [Coloca a ponta do lápis na boca] O que é natal para você, Anna? Eu sempre me faço essa pergunta e nunca encontro uma resposta concreta. Minha mãe diria: “Anna, Natal é tempo de nascer” ou renascer, sei lá. Eu sempre achei que esse fosse o significado da Páscoa. Mas de qualquer modo, é engraçado que por mais que não acreditemos no senhor Noel, ou coisas do tipo, sempre esperamos uma coisa boa acontecer, um milagre de natal, digno de Dickens.
A sua voz vai dando lugar à voz do professor.

PROFESSOR: Anna?  Anna? Quem escreveu “Um conto de Natal”?

ANNA: Dickens… [Desperta] Dickens?

PROFESSOR: Isso, Charles Dickens escreveu esse conto em 1843, que foi publicado em um jornal. [Voz diminuindo]

ALEXIA fecha seu caderno e concentra seu olhar em ANNA e observa cada movimento da morena. Ela faz uma cara de nojo e volta a olhar para frente. A garota pega uma caneta e abre o caderno em uma página. Ela escreve a palavra “Natal”, e enche a página de pontos de interrogação.

ALEXIA: [Voice Over] Ninguém aqui liga para o Natal. Acho que nem Dickens ligava. Hum… Não consigo me concentrar na aula.
O professor escreve a palavra “significado” e olha para os alunos esperando alguma reação.

GAROTO: Paz!

GAROTA: Presentes.

A turma ri, mas MELISSA mantém a mesma expressão nula. A ruiva nem se dá o trabalho de fingir que não está prestando atenção. Ela encosta a cabeça na parede e fecha os olhos. O som ambiente se desfaz e volta-se para os pensamentos da garota.

MEL: [Voice Over] Será que a minha mãe vai me ligar? [Deita a cabeça sobre a carteira] Nossa, será que o Matt vai hoje ao Red’s? Será que alguém vai dizer à Alexia que ela está ridícula com aquele chapéu? [Boceja] Ai que sono.

O som da voz do professor começa a ficar mais clara.

PROFESSOR: E por último o espírito do natal futuro, que mostrou ao velho avarento as conseqüências de suas atitudes.
O sinal toca e os alunos se levantam rapidamente.

PROFESSOR: Não deixem de ler os livros durante o recesso! Tenham todos, um bom final de ano.

ALEXIA junta seus pertences, ajeita seu gorro vermelho, e sai da sala.

 

CENA 2 – INT. MESMO LOCAL – CORREDOR

Muitos alunos circulam nas dependências da escola, que está devidamente decorada pra as festividades. ALEXIA passa pelas pessoas com uma expressão dura no rosto, ao ver REBECCA parada no final do corredor, ela apressa o passo.

BECKY: [Sorrindo] Vejo que você já está no clima natalino.

ALEXIA entrega um gorro igual ao seu para a amiga, e rola os olhos.

ALEXIA: Meu pai sabe como me castigar.

BECKY: Ora, Alley. Desde quando caridade é castigo?

ALEXIA aponta para sua cabeça.

ALEXIA: Além do que, Natal é a época mais hipócrita que eu conheço… tirando as liquidações, o que nos resta?

REBECCA fica séria, e olha para a amiga como se não acreditasse no que acabara de ouvir.

ALEXIA: O quê?

BECKY passa a mão na cabeça da Alexia.

ALEXIA: O quê?

As duas andam abraçadas pelo corredor. A imagem se distancia lentamente e aos poucos vai desaparecendo.

[MÚSICA TEMA: PROMISES – LILLIX]

 

CENA 3 – INT. ESCOLA WILL ROGERS – CORREDOR – TARDE

GAROTO: [Voz saindo pelas caixas de som] [Animado] Vamos agitar ao redor da árvore galera! Aqui é o Jimmy e vocês estão sintonizados na minha, na sua, na nossa rádio W2R! A seguir um pronunciamento da nossa diretora, senhorita Christina Albright.

SRA. ALBRIGHT: [Voz saindo pelas caixas de som] Obrigada, Jimmy. [Limpa a garganta] Alô, alunos da escola Will Rogers, como fazemos todos os anos, estamos recolhendo brinquedos para as crianças menos afortunadas de Tulsa, sejam cooperativos e ajudem-nas para que todos tenham um feliz Natal. Com a cortesia do nosso prefeito Wilson Danes, entramos oficialmente em recesso. Tenham todos um feliz Natal e um ótimo ano novo.

ANNA e MEL andam juntas no corredor. Elas param em frente a um armário.

JIMMY: Isso ai, Albright! Vamos detonar nesse natal! Fiquem agora com um clássico na voz do Chris Rea. [MÚSICA – DRIVING HOME FOR CHRISTMAS, CHRIS REA] Até ano que vem!

MELISSA olha para uma caixa no alto da parede.

MEL: Ele só pode estar brincando. [Encara a caixa] Jimmy, clássico é Sex Pistols com Punk Rock Christmas, isso é clássico.

ANNA: Você conversa com caixas de som?

MEL: [Sarcástica] Às vezes. Quando elas me contrariam.

ANNA abre o armário e começa a retirar algumas coisas. Ela pega um último livro e vê que há uma carta dentro de seu armário. A garota abre a carta e ler.

ANNA: [Voice Over] Estou muito arrependido do que eu disse. Não pense que vou desistir de você tão fácil. Mesmo que jogue as minhas cartas no lixo. Me perdoa. Assinado: Phillip.

Ela amassa a pequena carta e joga fora.

MEL: O foi isso?

ANNA: Propaganda enganosa.

MELISSA parece não entender o que a morena quis dizer.

MEL: Okay. Eu tenho que ir.  Anna! Você vai ao Red’s mais tarde?

ANNA: Claro! Eu só viajo de manhã.

MEL: É uma pena você ter que ir pra Seattle amanhã.

PHILLIP e SCOTT se aproximam.

PHILL: [Para Anna] Será que eu posso falar com você?

MEL: Bom, eu já estava de saída.

ANNA lança um olhar desesperado para MELISSA, mas agora apenas sorri e deixa o local.

ANNA: Se você quer falar em particular comigo, por que o Scott está aqui?

PHILL encara SCOTT, que encara ANNA, depois volta seu olhar para o amigo, que continua o encarando.

SCOTT: Ah! Eu só estava de passagem.

SCOTT deixa o local rapidamente.

PHILL: Recebeu o meu cartão?

ANNA: Sim.

PHILL: E então?

ANNA: Não. A resposta é “não”.

PHILL: Anny, por favor.

ANNA: Meu nome é Anna. E considere eu não ter contado para todos o que você fez o meu presente de natal.

ANNA sai da escola, deixando para trás PHILLIP, inconformado.

 

CENA 4 – INT. ESCOLA WILL ROGERS – HALL PRINCIPAL

ALEXIA e REBECCA estão sentadas atrás de um pequeno balcão no hall de entrada da escola. Dois adolescentes se aproximam e entregam alguns embrulhos à BECKY, que os deposita em uma grande caixa vermelha com uma placa acima que diz: Faça uma criança feliz. ALEXIA retira um pequeno espelho de sua bolsa e começa a si olhar.

BECKY: Um feliz natal para vocês também.

ALEXIA resmunga algo que guarda o espelho.

BECKY: Alley, desse jeito você vai espantar as pessoas.

ALEXIA: Essa placa está me incomodando.

BECKY: O quê?

ALEXIA: “Faça uma criança feliz”? Que coisa mais boba. Essas crianças não querem carrinhos e bonecas usadas, provavelmente estariam mais interessadas em um computador, um vídeo game, ou uma roupa de marca com um tênis legal. [Suspira] Estamos em recesso e nem ao menos podemos sair da escola.

BECKY: [Incrédula] Como você pode falar assim de algo tão humanitário?

ALEXIA: Humanitário? Por que as pessoas não são humanitárias o resto do ano? Por que só no natal? Essa data me deixa enjoada. E a única coisa boa que poderia acontecer seria a minha viagem para o Colorado com o Matt, mas meu pai me obrigou a ficar servindo de Madre Tereza do Will Rogers. Espero que ele não me obrigue a entregar os presentes também.

Alguém deposita uma rosa vermelha na frente da REBECCA. A garota olha para frente e vê SAM, sorrindo. ALEXIA rola os olhos e cruza os braços.

SAM: Isso é pra você. [Mostra um embrulho] E isso é pra caridade.

ALEXIA: [Resmunga] Um playstation…

SAM: O quê?

BECKY: Não é nada. A Alley tá de mau humor.

MATT aparece no corredor, com alguns presentes na mão. ALEXIA joga o gorro para o lado e sai correndo de trás do balcão. Ela abraça MATT, que parece um pouco envergonhado com o exagero da garota.

ALEXIA: Senti sua falta.

BECKY e SAM acenam para o garoto, que acena de volta.

ALEXIA: [Pegando os presentes] Deixa isso comigo. [Recebe o pacote]

MATT: Você está bem?

ALEXIA: Sim.

MATT encara a garota sério.

ALEXIA: Quer me revistar? Eu até que gostaria [Sarcástica], mas eu não tenho nenhum Valium comigo.

MATT parece desconfortável.

ALEXIA: Me desculpa. Eu só estou de saco cheio das pessoas me tratarem como se eu fosse me atirar na frente de um carro a qualquer momento. Aquilo foi um acidente, e eu não quero tocar nesse assunto, ok? Já não basta a Rebecca me vigiando 24 horas.

MATT: Alley…

ALEXIA: Por favor, Matt. Não vamos falar sobre isso. Pelo menos não agora.

Os dois se abraçam.

MATT: Está certo.

ALEXIA: Bom, eu vou ter que voltar pra escravidão.

MATT: Acho que Papai Noel não vai te dar presente esse ano.

ALEXIA: [Sorrindo] Te vejo às 8.

A garota cruza com SAM no corredor enquanto caminha de volta para o balcão.

SAM: Feliz natal.

ALEXIA: Han-han! Certo.

[Música fade out]

CENA 5 – INT. CASA DOS DANES – SALA DE JANTAR – NOITE

O local está enfeitado discretamente com algumas guirlandas. A mesa bem posta contém algumas velas douradas e muita comida. WILSON, SALLY e PHILLIP estão jantando quando ALEXIA entra no local. A garota parece cansada.

SALLY: Está atrasada, querida.

ALEXIA tira o gorro da cabeça e passa a mão no cabelo.

ALEXIA: Mas vejo que vocês já estão jantando sem mim. Então não faz muita diferença, né?

WILSON nem ao menos levanta a cabeça.

SALLY: Não diga uma coisa dessas, filha.

ALEXIA: Olha, eu estou muito cansada. Eu vou tomar um banho, prometi ao Matt que ia encontrar com ele daqui a pouco.

WILSON: Não! Você vai sentar conosco e jantar.

PHILLIP ri.

ALEXIA: Mas papai!

WILSON: Você não vai sair hoje, Alley. Nem hoje, nem amanhã, nem…

PHILL: Nunca?

WILSON: Não se meta Phillip.

O prefeito encara o filho.

SALLY: Estamos jantando! Será que não dava para vocês ao menos terem um pouco de respeito e pararem com esse drama? O que as pessoas diriam se vissem uma cena dessas?

ALEXIA: Eu estou pouco me lixando para o que os outros vão achar. Que se danem!

SALLY: Alexia! Olha os modos! Nem parece que estudou a vida toda em uma escola privada.

PHILLIP ri novamente. WILSON pega o guardanapo do colo e joga na mesa. Todos se assustam.

WILSON: [Para Alexia] Você não vai sair. Pelo menos uma vez na vida aja como uma menina normal.

ALEXIA: Vocês são muito engraçados. Vocês nunca foram pais de verdade para mim, e agora querem impor limites? [Séria] Eu estou cansada de fingir!

WILSON fica sério.

SALLY: Querida, isso é uma acusação muito grave. Milhares de garotas gostariam de ter a educação que você teve.

ALEXIA: E ver os pais algumas vezes no ano? Tenho certeza que é isso que as crianças precisam.

ALEXIA sai da sala. WILSON ainda tenta ir atrás da garota, mas SALLY segura o marido. Todos se olham assustados.

 

CENA 6 – INT. CASA DOS DANES – QUARTO DE ALEXIA

ALEXIA fecha a porta com força e se joga na cama. A garota olha para o lado e pega o aparelho telefônico. Ela suspira pensativa, e disca um número, depois leva o aparelho ao ouvido.

ALEXIA: Atende. Por favor, atende.

JORDAN: [Voice over] Olá, aqui é o Jordan no momento eu não posso atender.

ALEXIA desliga o telefone, que toca logo em seguida.

ALEXIA: [Ansiosa] Alô. Jordan?

 

CENA 7 – EXT. RUA – NOITE

JORDAN está encostado em sua moto, com as chaves na mão.

JORDAN: Quanta demora, loirinha. Eu não tenho a noite toda.

ALEXIA: Eu tive que sair pela porta dos fundos.

A garota se aproxima do primo.

ALEXIA: Por que você não me disse que estava em Tulsa?

JORDAN: Porque eu não estou.

ALEXIA: [Rindo] Sei.

JORDAN: E aí? Como estão as coisas?

ALEXIA: Um horror, como sempre.

Os dois se entreolham em silêncio.

ALEXIA: Por que você veio aqui?

JORDAN: Eu só estou de passagem. Vim assinar uns documentos pra campanha e depois vou passar o feriado com meus pais. [Pausa] Eu ainda me sinto culpado pelo o que aconteceu.

ALEXIA: E já falei que não precisa. Aquilo foi um acidente.

JORDAN: Se algo de ruim acontecesse com você, eu não me perdoaria. Você é a minha prima mais gata, eu teria que conviver com esse peso na consciência.

ALEXIA: Você tem mesmo o sangue dos Danes.

JORDAN: Vamos! Eu quero te mostrar uma coisa.

JORDAN sobe na moto, e ALEXIA olha desconfiada para o primo.

JORDAN: Eu tenho um último compromisso na cidade.

ALEXIA sobe na moto do primo.

 

CENA 8 – EXT. RED’S – NOITE

[MÚSICA – ROCK AROUND THE CHRISTMAS TREE, BRENDA LEE]

O Red´s está todo iluminado. O clima frio pode ser observado pela roupa das pessoas que se aproximam do local. ANNA sai da lanchonete com um celular na mão. Ela fecha o seu casaco por causa da temperatura.

ANNA: Eu já entendi mãe. [Pausa] Eu não vou me atrasar. Por que eu não gostaria de ir à Seattle no Natal?  [Pausa] Eu não estou dando nenhuma festa! Você enlouqueceu? [Pausa] Eu estou no Red’s. Mãe, eu tenho que ir. Te vejo amanhã.

MATT se aproxima da garota com uma lata de spray na mão.

MATT: Tendo problemas com a mamãe?

ANNA: [Ri] Eu acho que ela pensa que estou em casa sozinha arquitetando algum plano maléfico para espantar possíveis ladrões que estão tentando invadir a nossa casa.

MATT: Só você mesmo para falar uma coisa dessas. [Ele balança a lata de spray] Quer fazer nevar um pouco?

ANNA: Claro.

ANNA toma a lata da mão do amigo, e os dois entram na lanchonete.

 

CENA 9 – INT. RED’S – NOITE

MELISSA observa tudo de longe. A garota fica parada olhando os dois irem para perto da grande árvore de natal, localizada perto do balcão. SAM aproxima-se da ruiva, que se assusta.

SAM: O que foi?

MEL: [Com a mão no peito] Nada. Eu só estava um pouco distraída.

SAM: Eu quero saber onde eu coloco essas luzes?

MEL: Deixa comigo.

MEL caminha até a árvore, onde estão MATT e ANNA.

MEL: Se divertindo?

ANNA: Muito.

MEL: Matt, eu posso falar com você por um segundo?

MATT: Claro, Mel!

MELISSA encara ANNA, um pouco constrangida.

ANNA: É…eu vou ajudar o Sam com as luzes.

ANNA corre até SAM, que estava perto da porta. MEL e MATT sentam-se nos banquinhos perto do balcão.

MEL: É…

MATT: O que foi, Mel? Algum problema?

MEL: Não! Na verdade, eu estou incomodada com algo que eu não sei o que é.

MATT: E em quê eu posso ajudar?

MEL: Na verdade, é com você.

MATT: Comigo?

MEL: Você não me conta mais nada. Está me pondo de escanteio.

MATT: Do que você está falando, Mel?

MEL: Da Alexia, por exemplo, você contou ao Sam, e não a mim. Agora você fica com a Anna o tempo todo, aposto que contou a ela também.

SAM e ANNA aparecem ao lado dos dois, com algumas bexigas vermelhas nas mãos.

SAM: E isso daqui eu coloco onde, Mel?

MATT: Você contou pra Melissa sobre a Alexia?

SAM: [Continua olhando para Mel] Ah, já sei. Do lado de fora.

SAM sai correndo.

ANNA: O que tem a Alexia?

MEL: Ela quase morreu de overdose.

ANNA fica abismada, e MATT permanece sério.

MATT: Eu não contei a ninguém sobre a Alley, por que isso é assunto nosso.

MATT se levanta e sai do local, deixando ANNA e MELISSA sem palavras.

MEL: Mais um ponto pra minha lista de “Natal é a pior época do ano”.

ANNA: Não fala isso. Isso deve ser delicado pra ele. Dá um tempo, tudo vai se acertar.

MEL: É fácil você falar isso, ele é seu melhor amigo.

MEL também se levanta e deixa o local pela porta dos fundos.

[Música fade out]

 

CENA 10 – INT. CASA DOS GRAHAM – SALA – NOITE

LOU entra na sala segurando uma grande xícara esfumaçante na mão.

LOU: Quente, quente, quente, quente!

A mulher coloca a xícara em cima de uma mesinha perto do sofá e sopra a mão desesperadamente. Ela se senta no sofá e liga a tv.
MULHER: [Voz vindo da TV] E uma frente fria vinda do Canadá parece predominar por uma grande parte do país, fazendo com que muitos estados preparem seus moradores para alguns centímetros de neve no quintal.

LOU prepara-se para pegar a xícara novamente quando um golpe de vento forte abre a grande janela da sala, fazendo com que as cortinas esvoacem e um vento frio entre no local.  A mulher olha para janela e se enrola em um lençol. .

LOU: Frio, frio, frio!

LOU está toda coberta. Ela corre até a janela para fechá-la e fica imóvel ao ver um carro estacionado alguns metros do seu jardim. A mulher se esconde atrás de uma cortina e observa com cuidado o lado de fora. Um homem desce do carro, e LOU franze os olhos como se tentasse enxergar melhor. Ela faz uma expressão de surpresa, e põe a mão na boca.

LOU: [Baixinho] Ai meu Deus. É o James.

 

CENA 11 – EXT. CASA DOS GRAHAM – NOITE

JAMES CARTER caminha alguns passos na direção da casa dos Graham, mas logo para e volta para o carro. Ele abre o automóvel e pega um buquê. LOU sorri. O treinador chega até a entrada do jardim e para novamente, ensaia algumas palavras e dá um passo, mas desiste, voltando para o carro logo em seguida. LOU fica triste. O homem fala alguma coisa para ele mesmo e caminha novamente até a caixa de correio. LOU observa curiosamente o próximo passo do treinador, e quando ele dá indícios de que vai desistir outra vez ela grita.

LOU: Ora, vamos! Eu não tenho a noite toda.

CARTER se assusta e olha para a janela.

LOU: Entra logo! Eu tô com frio.

CARTER sorri timidamente e caminha até a porta, que LOU abre logo em seguida. A mulher faz um gesto para que ele entre e o treinador obedece imediatamente. LOU fecha porta e treme de frio.

LOU: Pensei que íamos morrer de frio.

CARTER: Íamos?

LOU: Eu e as flores.

Ela aponta para a mão de CARTER.

CARTER: Ah, desculpa. São pra você.

Ele entrega as flores.

LOU: Quer beber alguma coisa? Um uísque? Uma cerveja?

CARTER: Não, obrigado. Eu não bebo.

LOU: É mesmo, você é a parte saudável da relação. Que tal um suco ou um refrigerante?

CARTER: [Sorrindo] Não precisa se preocupar, eu estou bem, Louise.

LOU: Ok. Espera aqui. Eu vou colocá-las [Aponta para o buquê] em um vaso, e volto já.

LOU sai correndo para a cozinha e CARTER fica observando o local. Ele olha alguns porta-retratos, depois olha para a xícara de café e para a tv. LOU volta para a sala, ainda recuperando o fôlego.

LOU: Então. [Respirando e sorrindo] Onde estávamos?

CARTER: O Matt está em casa?

LOU: [Surpresa] Não vai me dizer que as flores eram pro Matthew?

CARTER sorri.

LOU: O Matt não está em casa.

CARTER: Então eu acho que vou direto ao assunto.

LOU sorri.

LOU: Pode dizer.

CARTER tira uma carta do bolso.

CARTER: Eu achei essa carta nas minhas coisas.

LOU: E de quem é essa carta?

CARTER: Do Scott Sawyer.

 

CENA 12 – INT. LOCAL DESCONHECIDO – NOITE

JORDAN e ALEXIA entram em uma sala branca.

ALEXIA: Que local é esse? Um sanatório?

JORDAN: Você me comove, Alley.

JORDAN se prontifica na frente de uma mesa, onde uma senhora verifica uma papelada.

SENHORA: Está tudo aqui.

Ela lhe entrega os papéis, e o garoto os verifica.

JORDAN: Onde é que eu assino?

A mulher aponta para uma lista que estava na mesa. Ele assina prontamente.

SENHORA: Tenha um feliz Natal, senhor.

ALEXIA olha para o primo, espantada.

ALEXIA: Pronto? Acabou? Era só isso?

JORDAN ri, enquanto guarda os documentos em uma pasta.

JORDAN: Você ainda não percebeu onde você está?

ALLEY olha ao redor.

ALEXIA: Além do mais gosto pra decoração, eu não consigo prestar atenção em mais nada.

JORDAN: Sua sensibilidade me comove.

Os dois riem.

SENHORA: A menina deveria está muito orgulhosa do seu pai. Ele nos tem ajudado há anos.

ALEXIA olha para a mulher, constrangida.

JORDAN: Será que nós poderíamos dá uma olhada no local?

SENHORA: Claro. Fique a vontade.

 

CENA 13 – EXT. RED´S – NOITE

MELISSA está encostada na parede de um corredor escuro, por trás da lanchonete. Ela parece bastante chateada. Um carro antigo e preto está parado perto do local, observamos que há alguém dentro do veículo olhando em direção da garota.  MEL chuta a lata de lixo com raiva, e ao virar-se para a rua, percebe que tem alguém dentro do carro. A garota observa com cautela, e se aproxima do carro.

MEL: Está perdido?

O vidro do carro é baixado.

MEL [Surpresa]: Mãe? Nossa! Que surpresa boa.

MÃE: Oi! Filha.

MELISSA se inclina na porta do carro e sussurra.

MEL: Aconteceu alguma coisa? O que você está fazendo em um beco escuro?

MÃE: Eu queria te ver.

MEL: Bom, não são todos os dias que eu frequento becos escuros.

A mulher sorri e desliga o carro.

MEL: Eu pensei que você estava em Nova Iorque.

MÃE: Eu estava, mas eu precisava te ver. Desculpa aparecer assim, eu não sabia se seria uma boa idéia.

MELISSA vai até a outra porta, e entra no carro.

MEL: O papai está no escritório, não sei se ele encararia como presente de Natal te ver por aqui.

MÃE: Podemos dar uma volta?

MEL: Claro. Eu estava precisando mesmo falar com alguém.

A mulher liga o carro.

 

CENA 14 –  INT. ORFANATO – JARDIM – NOITE

JORDAN e ALEXIA sentam-se em um banquinho. Os dois se olham em silêncio.

JORDAN: No que você está pensando?

ALEXIA: Em muitas coisas.

JORDAN sorri e se aproxima da garota. Ele passa o braço em volta do pescoço da prima, a puxando para perto.

ALEXIA: Acho que a vida na Academia de Vermont não era tão ruim quanto em pensava.

JORDAN: A vida pode ser uma porcaria às vezes. Mas depende só de nós mesmos, pra que as coisas mudem.

ALEXIA: Por que você está me dizendo isso?

O celular da garota toca. Ela o procura rapidamente em sua bolsa, e checa o visor antes de atender.

ALEXIA: [Levantando-se] É o Matt. A gente tem que ir.

JORDAN se acomoda na cadeira.

JORDAN: Logo agora que a conversa ia ficar interessante?

ALEXIA puxa o garoto para que ele se levante.

ALEXIA: Muito obrigada pelo passeio, mas eu tenho que ir.

JORDAN: Ok, ok. [Levanta-se]

 

CENA 15 – INT. CASA DOS GRAHAM – SALA – NOITE

[MÚSICA – O HOLY NIGHT, JEWEL]

LOU e CARTER estão sentados no sofá.

CARTER: Eu sabia que ele iria fazer isso. Eu pensei que com uma conversa ou algum tipo de pressão psicológica o garoto esqueceria esse assunto, mas eu tenho certeza de que ele não está sozinho nisso.

LOU: Você não poderia falar com a diretora?

CARTER: Não. Ela não liga para as ameaças de um aluno. Principalmente quando esse aluno é rico e dá dinheiro para a escola.

LOU: Eu não acredito nisso!

CARTER: Eu sinto muito. Eu só queria que você soubesse disso antes.

LOU: Antes de quê?

CARTER: Você sabe. Se descobrirem que nós estamos saindo, as pessoas podem dizer que eu estou favorecendo o Matthew. Já pensou se ele perde a bolsa da UOC?

LOU: [Triste] Isso não seria bom.

CARTER: Eu sinto muito, Lou.

Ele se levanta.

CARTER: É melhor eu ir agora. Feliz Natal.

LOU: Obrigada pelas flores.

LOU fica encarando o treinador. Ele caminha até a porta.

LOU: James?

Ele olha para trás, e LOU corre até ele. Os dois se abraçam.

 

CENA 16 –  EXT. CASA DOS DANES – NOITE

MATT está encostado em seu carro. Ele olha impaciente para o relógio. Uma luz, na rua, se aproxima do local. Ouve-se um barulho, e a motocicleta de JORDAN desponta na escuridão. MATT observa o veículo, com dois passageiros. ALEXIA tira o capacete, e o devolve para o primo. A garota desce da moto e corre até o namorado.

ALEXIA: Desculpa pelo atraso.

MATT: [Sério] Você pode me explicar o que você estava fazendo com o Jordan?

JORDAN: Aí, cara. Isso é uma coisa pessoal. Minha e da minha priminha.

ALEXIA: Jordan! Não complica as coisas.

MATT: [Com raiva] Eu acho melhor ir pra casa. Tô perdendo meu tempo aqui.

ALEXIA: Não! Espera! [Olha para o Jordan] Jordan? Você não estava de saída?

JORDAN: Sim. Fale aos seus pais que eu não pude ficar. [Beija Alexia na bochecha] Se cuida, priminha. [Sorrir] Feliz Natal.

ALEXIA: Obrigada….. por tudo.

JORDAN: Não foi nada. Quando precisar [Coloca o capacete] é só ligar. Até mais, Alley.

O garoto liga sua moto e vai embora.

MATT: E então, para onde vocês foram?

ALEXIA: Eu… eu não posso dizer agora.

MATT: Eu não estou gostando disso?

ALEXIA: Você está com ciúmes?

MATT: Não! Eu estou preocupado. Não confio nesse cara.

ALEXIA: [Com raiva] Ou você não confia em mim?

MATT: [Nervoso] Não é isso Alley.

ALEXIA: Matt, eu não quero brigar com você, não hoje. Acho melhor você ir embora. Amanhã agente se fala.

MATT: Ok.

MATT entra no carro e rapidamente deixa o local. ALEXIA apenas o observa, com uma expressão pensativa.

[Música fade out]

CENA 17 – EXT. TULSA – AMANHECENDO

A cidade ainda é iluminada artificialmente quando o sol aparece timidamente por trás das nuvens. Em uma rua, as árvores e casas estão enfeitadas com luzes que piscam nas cores vermelhas e verdes.

 

CENA 18 – EXT. CASA DOS SAWYER – DIA

REBECCA e ALEXIA andam na direção de um carro.  BECKY parece bastante sonolenta, ao contrário de ALEXIA.

ALEXIA: Vamos, vamos logo.

As duas entram no carro.

BECKY: Eu estou me sentindo em um episódio especial de Nip/Tuck. Trocaram o cérebro da minha melhor amiga.

ALEXIA ajeita seus óculos escuros no rosto.

ALEXIA: Engraçada.

REBECCA boceja.

BECKY: Desculpa, Alley. É que até ontem eu pensei que você seria capaz de atropelar um Papai Noel, e hoje…

ALEXIA: Só por que eu quero te ajudar?

REBECCA boceja novamente.

ALEXIA: Se eu soubesse que você estaria nesse estado, eu teria ido sozinha.

BECKY: [Sonolenta] Eu fui ao Red’s ajudar o Sam, e…

ALEXIA: “Ajudar o Sam”, “O Sam vai fazer isso”, “O Sam me disse aquilo”. Deus, Becky! Acho que trocaram meu cérebro pelo seu.

BECKY parece constrangida.

ALEXIA: Ai! Desculpa amiga. Eu não quis dizer isso. Você sempre me aguentou falando do Matt. Você tem todo direito de falar do Sam.

BECKY: Não, você está certa. Você está passando por tantas coisas e eu só fico pensando no Sam, falando nele. Desculpa. [Dá partida no carro] Vamos!

 

CENA 19 – INT. CASA DOS GRAHAM – COZINHA – DIA

LOU e MATT estão tomando café em silêncio. Os dois parecem aborrecidos.

LOU: Passa a manteiga de amendoim, por favor.

MATT entrega a manteiga de amendoim para a tia. Os dois tomam café em silêncio, olhando apenas para seus pratos.

MATT: Posso experimentar um pouco do suco?

LOU passa o suco para o sobrinho. MATT olha para a tia, desconfiado.

MATT: Aconteceu alguma coisa, Lou?

LOU: Não foi nada. Eu estou apenas pensando na ceia. Faz tanto tempo que não fazemos algo digno, eu quero dizer. Uma ceia grande com bastante gente. Você poderia convidar seus amigos, até mesmo a Alexia ou treinador Carter.

MATT baixa a cabeça.

LOU: Há anos que somos só nós dois.

MATT: E qual o problema nisso? Eu gosto da sua companhia.

LOU: Vamos, Matt!

LOU lança um olhar piedoso para o sobrinho, ela encosta a cabeça para o lado, como se implorasse por uma resposta positiva. MATT responde com um sorriso, e LOU se levanta para beijá-lo.

LOU: Vamos fazer algo divertido.

MATT olha no relógio e levanta-se.

MATT: Uh, eu tenho que ir. Vou levar a Anna no aeroporto.

LOU: Eu ainda não acredito que a Katherine deixou a menina sozinha.

MATT: É… na verdade foi idéia da Anna. Ela não queria perder aula.

MATT fecha os botões de sua jaqueta, e beija o rosto da tia.

MATT: Eu vou avisar ao pessoal sobre a ceia.

LOU: Eu convido o Carter.

MATT: Até mais, tia.

 

CENA 20 – EXT. CASA DOS MACKENZIE – DIA

[MÚSICA – HAVE YOURSELF A MERRY LITTLE CHRISTMAS, CHRISTINA AGUILERA]

Aparece uma caixa de correio branca com o nome “Mackenzie’s” escrito em azul. ANNA puxa uma mala porta a fora. A garota respira fundo ao ver que a mala está na varanda. Ela fecha a porta com a chave e se senta em uma cadeira. ANNA olha o relógio e ajeita o cachecol no pescoço. PHILLIP observa a garota do outro lado da rua. Ele tira um papel do bolso e vai em sua direção. Ela se levanta ao vê-lo se aproximando.

PHILL: Antes que você me expulse do seu jardim eu queria que você me ouvisse.

ANNA: Eu acho que já ouvi o bastante.

PHILL: Droga! Anny! Me escuta, por favor.

ANNA cruza os braços. PHILLIP se posiciona no degrau da varanda. Ele segura o papel na mão e ler.

PHILL: Anna, se a vida fosse um conto eu seria com certeza aquele cara que tem o passado, o presente, e o futuro mostrado por espíritos e tal. Por que no passado eu era um “garoto sem limites”, e agora eu estou pedindo socorro, para que o meu futuro não seja tão ruim como eu sei que ele vai ser, se você não acreditar em mim. Anny, por favor, me transforma em alguém melhor. Eu posso ter falhado várias vezes, mas o que eu sinto por você [Pausa] é verdadeiro.

ANNA: Para, Phill! Não precisa fazer isso!

PHILLIP se levanta.

PHILL: Posso ir com você ao aeroporto?

ANNA: Melhor não. Eu preciso pensar sobre tudo o que aconteceu.

PHILLIP baixa os olhos, parecendo confuso, como se procurasse algo para falar.

PHILL: Eu não sei o que dizer. Eu fui um idiota, ambos sabemos disso. Eu só esperava que você me perdoasse. Poxa! É isso que os amigos fazem, perdoam.

ANNA permanece calada.

PHILL: Por que você não quer me perdoar?

O carro de MATT estaciona na frente da residência da garota. PHILLIP olha para trás e dá um sorriso irônico.

PHILL: É por isso, né? Feliz Natal, Anny.

O garoto anda na direção do portão.

ANNA: Phill…

PHILLIP passa por MATT, e esbarra no garoto propositalmente, deixando o local com uma feição de raiva.

MATT: [Caminhando em direção da varanda] Algum problema?

ANNA: Não.

MATT pega a mala da amiga.

MATT: Eu ouvi no rádio que está uma nevasca terrível no norte.

 

CENA 21 – INT. AEROPORTO INTERNACIONAL DE TULSA – DIA

ANNA: Como assim os vôos estão cancelados? É véspera de Natal!

A mulher no guichê olha para a fila que se forma atrás da menina.

MULHER: A senhora pode aguardar no salão de embarque, talvez eles reabram os aeroportos ainda hoje.

ANNA: [Nervosa] Talvez? Talvez?

A multidão que se forma no guichê começa a reclamar. MATT puxa a amiga de lado.

MATT: Anna, a pobre mulher não tem culpa do mau tempo em Seattle.

ANNA fica sem fôlego.

ANNA: Eu preciso falar com a minha mãe. Ela vai ter um surto.

[Música fade out]

 

CENA 22 – MESMO LOCAL

MATT coloca a mala da garota em um carrinho de suporte.

ANNA: [Ao telefone] Eles não sabem quando o aeroporto vai abrir!

KATHERINE: [Voice Over] Como assim eles não sabem?

ANNA olha para o placar eletrônico e vê que mais vôos foram cancelados.

ANNA: [Desanimada] Desculpa, mamãe.

KATHERINE: [Voice Over] Eu vou ligar pro seu pai agora! Ele tem que fazer algo! Você não pode ficar aí sozinha! Já sei, o jatinho, ele vai ter que liberar o jatinho.

ANNA rola os olhos, impaciente. Matt sorri.

ANNA: O pessoal da Delta está orientando os passageiros a voltarem para casa. Eles avisarão pelo site o status do vôo. Mas… eu acho que vou esperar aqui.

KATHERINE: [Voice Over] Você tem certeza de que não quer o jatinho do Edward?

ANNA: Claro que não, mamãe. Eu vou ficar bem. Feliz Natal.

KATHERINE: [Voice Over] Te amo.

ANNA: Eu também.

A garota desliga o telefone.

MATT: Se você quiser, posso ficar com você.

ANNA: Seria muito bom, mas você tem que ajudar a sua tia hoje. Além do mais, você deve querer se encontrar com a Alexia.

MATT: [Sorri] Vê se não apronta nada por aqui.

ANNA: Pode deixar. Eu não vou fazer nenhuma loucura.

MATT abraça a amiga.

MATT: Qualquer coisa me liga.

ANNA: Ok.

 

CENA 23 – INT. CASA DOS SAWYER – QUARTO DE SCOTT – DIA

SCOTT se encontra vestido ainda de pijama, com a cara inchada de sono. PHILLIP anda de um lado para o outro.

PHILL: E eu passei a noite escrevendo isso para ela. “Me transforma em alguém melhor”? [Ri] “O que eu sinto por você é verdadeiro”? [Ri]

SCOTT tenta rir, mas acaba abrindo a boca.

PHILL: Que patético!

PHILL balança a cabeça negativamente.

PHILL: Se alguém falasse isso pra mim, eu daria uma chance, você daria uma chance, não daria?

SCOTT: [Sonolento] Sim.

PHILL: Ela sempre se achou o máximo. Ela e aquele gordo mestiço delinquente.

SCOTT: Cara, é manhã de Natal, pega leve.

PHILL: Se ela não cai na minha é por que…

SCOTT: Comprometida?

PHILL: Ah! Que nada! A Anna deve está de planinho com o Matt.

SCOTT ri.

SCOTT: Ah. Eu acho que sei o que está havendo.

PHILL: Sabe?

SCOTT: Hum-hum. Phillip gosta da pirralha. Phillip ama a pirralha. [Cantando] Phillip e Anna debaixo da árvore.

PHILL pega um travesseiro e joga na cabeça do amigo, que para de cantar imediatamente.

 

CENA 24 – INT. ORFANATO – REFEITÓRIO – DIA

O local está descorado com estrelas e guirlandas. ALEXIA e REBECCA ajudam outras pessoas com uma grande mesa posta no meio do refeitório, farta de frutas, pães, bebidas, e bolos. Algumas crianças já sentam à mesa, e outras apenas observam. ALEXIA ajeita um arranjo de flores no centro da mesa e olha para a amiga.

ALEXIA: É só isso que vocês fazem?

BECKY: Nós servimos a comida também, e depois distribuímos os presentes.

ALEXIA: E depois?

BECKY: Eu gostaria de poder ajudar mais, mas são muitas crianças.

ALEXIA observa que uma menina loira, aparentando ter 6 anos de idade, de vestido branco, olha em sua direção. A grotinha se aproxima da filha do prefeito com receio.

GAROTA: Oi.

ALEXIA estranha a presença da menina, e olha para REBECCA desconfiada. BECKY encoraja a amiga com um sinal positivo com a cabeça.

ALEXIA: Oi.

GAROTA: Você é muito bonita.

ALEXIA curva-se para ficar do tamanho da menina.

ALEXIA: Você também.

GAROTA: Qual o seu nome?

ALEXIA: Alexia. E o seu?

GAROTA: Amanda. [Pausa] Você parece uma estrela de cinema.

A menina parece um pouco envergonhada. ALEXIA sorri e se põe de joelhos.

ALEXIA: O que você gostaria de ganhar nesse Natal?

A menina faz uma expressão pensativa e sorri.

AMANDA: Um estojo de maquiagem! Eu pedi ao Papai Noel ano passado, mas acho que era muito criança para usar essas coisas, por que ele me trouxe uma boneca.

ALEXIA: Boa escolha. Aposto que o Papai Noel vai te escutar esse ano. Você ficaria linda com um tom rosa [Aponta para as bochechas e boca da menina].

BECKY: [Repreendendo] Alley…

ALEXIA levanta-se.

ALEXIA: Foi um prazer te conhecer, Amanda.

A garotinha sorri vividamente e sai na direção de outras crianças. ALEXIA olha pra BECKY.

ALEXIA: Eu acho que eu tive uma idéia. Eu… eu volto já, Becky.

BECKY: Aonde você vai?

ALEXIA: Eu vou ao shopping!

A garota sai correndo do refeitório. REBECCA balança a cabeça negativamente e sorri.

 

CENA 25 – EXT. RUA – DIA

LOU observa, em seu carro, a entrada do prédio onde o treinador mora. A mulher parece apreensiva, e resolve sair do veículo. Ela hesita em atravessar a rua. CARTER aparece na entrada do edifício, com uma sacola na mão. Ele fica surpreso ao ver LOU do outro lado da rua. O treinador caminha ao encontro da mulher, que fica cada vez mais apreensiva.

LOU: [Constrangida] Oi…

CARTER: Oi….

LOU: O que você está fazendo por aqui?

CARTER: [Sorrindo] Eu moro aqui.

LOU: Nossa que coincidência!

CARTER: Só você para me fazer rir nesse momento.

LOU: Eu não consigo parar de pensar em você.

CARTER: Eu também. Lou, eu pensei muito ontem em tudo o que está acontecendo e decidir viajar durante o recesso. Preciso de um tempo, ficar sozinho.

[MÚSICA – BE LIKE THAT, 3 DOORS DOWN]

LOU: Eu vim aqui, por que vai ter uma ceia lá em casa e o Matt me pediu para convidá-lo. [Abaixa a cabeça] Você é muito importante para ele.

CARTER fica sem saber o que dizer. LOU percebe o constrangimento do treinador.

LOU: Começa às 7:00 horas, apareça.

 

CENA 26 – EXT. TULSA – TARDE
Observa-se uma grande movimentação de carros em uma imagem área do centro da cidade. O Shopping Center de Tulsa fica em evidência.

 

CENA 27 – INT. SHOPPING CENTER

[MÚSICA AMBIENTE]

O local está incrivelmente lotado de pessoas com muitas sacolas e aparentemente animadas. MELISSA sai de uma loja de cd´s com algumas sacolas na mão. A garota está acompanhada de sua mãe que demonstra grande felicidade.

MEL: Toda coleção do U2! [Grita] Ah! Muito obrigada, Lauren.

LAUREN: Eu preferia que você me chamasse de mãe.

MEL: Desculpa, é que às vezes eu me esqueço.

LAUREN: [Preocupada] Você não acha muito arriscado estarmos aqui?

MEL: Claro que não. O papai não gosta de shoppings, muito menos nessa época. [Sorrindo] Não lembra mais de como ele é?

LAUREN: [Constrangida] É impossível esquecê-lo.

MELISSA percebe o constrangimento de sua mãe e muda de assunto.

MEL: Bom! Eu vou comprar um presente para um amigo meu.

LAUREN: Para seu amigo, o Matt Graham? Eu gostaria muito de conhecê-lo.

MEL: [Com vergonha] Ah!Mamãe. Não começa.

LAUREN: Filha, eu estou com fome. Que tal você me encontrar na praça de alimentação.

MEL: Ok. Eu vou comprar o presente e te encontro lá.

MELISSA se vira e esbarra em alguém. Ela olha para frente para pedir desculpas.

MEL: Foi sem querer. [Surpresa]

ALEXIA: Você só pode está brincando?

MEL: Qual é o seu problema?

ALEXIA: [Suspira] Eu não vou perder meu tempo batendo boca com você.

ALEXIA se prepara para deixar a cena.

MEL: Eu também não quero brigar com você. Sabe por quê? Eu não gostaria de carregar o fantasma da sua morte, caso você tentasse se matar de novo.

ALEXIA abre a boca surpresa. Ela parte pra cima da MELISSA.

ALEXIA: Você não sabe do que está falando.

MEL: Eu tenho pena de você.

ALEXIA: E eu tenho mais ainda de você.  Você não percebe que o Matt sempre será meu, e que você sempre vai ser a amiguinha dele. Você é apenas uma sombra na minha vida.

MELISSA fica calada.

ALEXIA: [Irônica] Tenha um feliz ano novo.

ALEXIA vai embora. MELISSA vai em direção à praça de alimentação.

LAUREN: Quem era aquela garota que você estava conversando?

MEL: Aquela é a namorada do Matt. A Alexia.

MELISSA demonstra uma feição de raiva.

LAUREN: Ela é muito bonita.

MEL: Ela é insuportável!

LAUREN: [Sorri] Porque você gosta dele?

MEL: [Envergonhada] Não, mãe. Eu não gosto dele. Ele é meu amigo.

MELISSA olha para os lados, como se tivesse percebido algo.

[Música fade out]

 

CENA 28 – MESMO LOCAL

[MÚSICA – ALL I WANT TO CHRISTMAS IS YOU, OLIVIA OLSON]

ALEXIA entra em uma loja de cosméticos.

VENDEDORA: Pois não? A senhorita deseja alguma coisa?

ALEXIA: Eu vim pegar meu pedido. Eu liguei agora a pouco.

VENDEDORA: Ah, sim! Senhorita Danes. Eu vou buscar sua encomenda.

MATT entra no local e cobre os olhos de sua namorada, surpreendendo a garota.

ALEXIA: [Surpresa] O que você está fazendo aqui?

MATT: Aonde eu poderia encontrá-la no dia das maiores liquidações natalinas.

ALEXIA sorri.

MATT: Brincadeira! A Becky me disse que você estaria no shopping, eu deduzi que você estivesse aqui.

ALEXIA: Eu acho que eu te devo um pedido de desculpas. Ontem à noite eu fui com o Jordan em um orfanato. Eu tava confusa, não sabia o que fazer. Então percebi que a minha vida está uma droga e que nem tudo é minha culpa, mas que eu posso mudar isso.

MATT: Não se preocupa, Alley.

ALEXIA se aproxima do garoto.

MATT: [Abaixa a cabeça] É que eu não suporto aquele cara.

ALEXIA: [Passa a mão na cabeça de Matt] Mesmo adorando ver você com ciúmes, você não tem com que se preocupar, ele é apenas meu primo. Nada mais.

MATT: O que vocês estavam fazendo em um orfanato?

ALEXIA: Coisas do prefeito Wilson Danes. Mas… eu sei que as razões do meu pai são muito mais “olhem o que eu estou fazendo” do que qualquer outra coisa, apesar disso, eu senti uma vontade imensa de ajudar. Eu… me identifiquei com aquelas crianças, eu sei, eu sei que não é como se elas estudassem no melhor internato da Nova Inglaterra, mas… eu era tão sozinha quanto elas.

MATT presta atenção nas palavras da namorada, admirado. Alexia interrompe seu discurso, envergonhada.

ALEXIA: O que foi?

MATT a abraça.

MATT: A Lou resolveu dar uma grande festa hoje à noite. Eu queria que você viesse. Você é parte da minha família.

ALEXIA: [Sorrindo] Eu adoraria…

MATT: Mas…?

ALEXIA: Eu vou ficar com meus pais esta noite.

MATT: [Incrédulo] Ok, certo.

ALEXIA: Eu estou falando sério. Além do mais, faz parte do acordo, ou o Todo Poderoso cancela meu cartão de crédito.

MATT: E esse acordo inclui a noite de Ano Novo?

ALEXIA: Infelizmente. Mas não inclui os outros dias do recesso.

A vendedora se aproxima com alguns embrulhos. ALEXIA recebe os embrulhos e vai até o caixa.

MATT: Deixa que eu te ajudo.

MATTHEW segura todos os pacotes, enquanto ALLEY paga a conta.

[Música fade out]

 

CENA 29 – EXT. ORFANATO – TARDE

ALEXIA e MATT se beijam encostados no carro da REBECCA.

MATT: Eu tenho que ir.

ALEXIA: Não…

MATT: Alley, eu tenho que ajudar a minha tia.

O telefone do garoto toca.

MATT: Viu só, deve ser ela.

Ele olha no visor, e aparece o nome “Anna”. Ele disfarça.

MATT: Eu vejo você amanhã.

ALEXIA: Ok. [Beija Matt] Feliz Natal.

MATT: Pra você também, Alley.

MATT vai até seu carro, que estava estacionado do outro lado da rua, espera a namora se distanciar um pouco e atende ao telefone, ansioso.

MATT: Anna? [Pausa] Ok. Eu estou indo.

 

CENA 30 – INT. AEROPORTO INTERNACIONAL DE TULSA – MAIS TARDE

[MÚSICA – SILENT NIGHT, JEWEL]

MATT: Anna!

ANNA: Matt!

A garota corre até o amigo e o abraça.

MATT: Você está bem?

ANNA: Sim, não sou nenhum Tom Hanks, mas eu consegui me virar por aqui. [Sorrir] Obrigada por vir, eles cancelaram todos os vôos, a nevasca piorou.

MATT: Eu sinto muito você não poder ir para Seattle. Mas, você sabe?

ANNA: O quê?

MATT: Podemos passar o natal do lado de quem gostamos.

ANNA: Você acha que eu tenho chances de encontrar o Tom Hanks por aqui?

ANNA ri.

MATT: Vamos…

MATT puxa ANNA e os dois caminham para fora do aeroporto.

 

CENA 31 – INT. ORFANATO – MAIS TARDE

O refeitório está cheio de gente, e crianças correndo por todos os cantos. Um homem vestido de Papai Noel conversa com algumas crianças, enquanto outras estão recebendo comida de alguns ajudantes. REBECCA é uma dela, a garota está atrás da grande mesa, distribuindo algumas bandejas. ALEXIA está do outro lado da sala, em um camarim improvisado, maquiando algumas meninas, sentadas ao seu redor. Ela parece bastante feliz, e as crianças também. AMANDA se aproxima da líder de torcida com um sorriso enorme no rosto.

AMANDA: Olha, só! [Mostra o presente] Olha o que o Papai Noel me deu! Uma caixinha de maquiagem!

ALEXIA sorri.

AMANDA: Obrigada.

ALEXIA: E sabe o quê? Eu falei com a supervisora, e ela permitiu que eu levasse você para a minha casa hoje à noite. Você quer ir?

AMANDA: É claro!

ALEXIA se surpreende com o abraço da garota.

 

CENA 32 – EXT. RUA – ANOITECENDO

MEL: Eu nem sei o que dizer. Hoje foi um dia muito especial pra mim.

LAUREN: Pra mim também. Eu esperei anos para ter esse momento com você.

MEL: [Triste] Nem acredito que você tem que ir embora hoje. [Animada] O Matt nos chamou para ir a casa dele mais tarde. Talvez você possa ir.

LAUREN: Eu adoraria, mas se seu pai souber iria ficar furioso. Antes eu preciso conversar com ele, a gente tem que se entender. Não quero prejudicá-la.

MELISSA fica séria.

LAUREN: Não fique assim! Eu volto outro dia, e você me apresenta seus amigos. Principalmente o garoto do olhar profundo.

MELISSA fica envergonhada.

MEL: Eu vou sentir a sua falta.

LAUREN: Eu também.

MELISSA abraça sua mãe.

MEL: TCHAU, mãe.

LAUREN: Tchau, filha.

 

CENA 33 – INT. CASA DOS GRAHAM – SALA – NOITE

O local está todo decorado com guirlandas e enfeites luminosos. MATT, ANNA, e LOU observam a decoração.

LOU: Bom trabalho!

MATT: Concordo!

ANNA: Formamos uma bela equipe.

MATT: Eu convidei o pessoal, temos uma sala decorada, comida para um batalhão.

ANNA: A ceia dos Grahams pode virar uma tradição.

LOU: Podemos até cobrar ingressos no próximo ano.

MATT sorri. ANNA olha pra árvore de Natal e sua expressão de felicidade dá lugar a uma expressão de desconforto.

ANNA: Bom, eu vou tomar um banho. Trocar de roupa.

LOU: Você está bem?

ANNA: Sim, só estou um pouco cansada.

ANNA corre até a escada, que leva ao andar superior. Lou volta a olhar para a decoração e sorri satisfeita.

LOU: Obrigada!

MATT: Não foi nada.

A mulher abraça forte o sobrinho.

 

CENA 34 – INT. MESMO LOCAL – QUARTO

ANNA está usando um vestido branco e detalhes vermelhos. A garota encara o espelho enquanto prende o cabelo. Alguém bate na porta. A garota vira-se.

ANNA: Pode entrar.

MATT entra no local, e olha para a garota em frente ao espelho.

MATT: Uou… que vestido… quer dizer, você está… seu vestido é muito bonito.

ANNA: Se você quiser usá-lo eu te empresto depois. Mas já vou avisando que meu tamanho é P.

MATT sorri envergonhado.

MATT: Eu quis dizer que você está bonita.

ANNA: Obrigada.

MATT: Ei… eu trouxe algo para você.

ANNA: Ah! Matt, não precisava.

O garoto mostra uma caixinha de veludo azul.

ANNA: Nossa…

MATT: É pra você.

O garoto entrega a caixa para a amiga, que ao abrir fica sem palavras. Ela retira uma medalhinha dourada com o número 7 e escrito a palavra “amizade”.

ANNA: O meu amuleto da sorte.

MATT: Você me deu no meu primeiro jogo. Agora eu quero que você fique com ela.

ANNA: Mas eu a dei pra você. Ela é sua.

MATT: Eu acho que você precisa mais dela do que eu.

ANNA: Eu não acredito que você guardou isso.

ANNA abraça o amigo, e permanecem desse jeito por alguns segundos. Ouve-se uma campanhia. Os dois se desvencilham, ANNA está com lágrimas nos olhos.

ANNA: Obrigada.

 

CENA 35 – INT. MESMO LOCAL – SALA

LOU ajeita o decote do seu vestido preto, e calça a sandália antes de atender a porta. A mulher não consegue disfarçar seu olhar de decepção ao ver que era MELISSA. A garota está usando um vestido até os joelhos, rosa com detalhes brancos e botas. Ela entrega uma cesta para Lou.

MEL: Feliz Natal, tia Lou.

A mulher sorri e abraça a menina.

LOU: Seja bem vinda à ceia especial de Natal dos Graham!

MATT e ANNA aparecem atrás da fazendeira.

MATT: Mel! Uou… você está… quer dizer…

ANNA lança um olhar inconformado para o amigo.

ANNA: Ele quer dizer que você está gostosa.

MATT: Eu não quis dizer isso!

MELISSA fica constrangida. ANNA e LOU riem.

MATT: Eu quis dizer que você está bonita.

MATT sorri envergonhado.

LOU: Vamos, entre!

MATT recebe MELISSA com um abraço.

ANNA: Oh, no…

LOU: Vocês estão embaixo da guirlanda.

MELISSA olha para ANNA com desespero.

ANNA: Você sabe o que isso significa?

LOU: Um beijo natalino!

MATT: Ora, gente…A Mel é a minha amiga.

MEL: Eu não quero beijar o Matthew.

MATT: [Finge estar ofendido] Obrigada, Mel.

ANNA: Vocês vão desrespeitar o Natal? Acho que isso é pecado.

MATT se curva para beijar MELISSA, mas a garota vira um pouco o rosto, fazendo com que o garoto beije somente o canto de sua boca.

MATT: Feliz Natal.

MEL: Me desculpa por ontem.

MATT: Não foi nada.

ANNA abraça os dois.

ANNA: Agora podemos ter um Natal perfeito.

Os três sentam em um sofá.

MEL: [Para Anna] Você não ia pra Seattle?

 

CENA 36 – INT. CASA DOS DANES – SALA – NOITE

O local está luxuosamente arrumado. Na casa dos Danes ocorre uma festa, onde algumas pessoas circulam com taças de champanhe na mão. SALLY e WILSON estão na entrada da casa recebendo os convidados, quando são surpreendidos com a chegada de ALEXIA. A filha dos Danes aparece com uma menina com aproximadamente 6 anos.

ALEXIA: Mamãe, papai, eu tenho uma surpresa para vocês. [Mostra Amanda] Essa é a Amanda. Ela veio passar o Natal com a gente. [Sorri, observando a reação surpresa dos pais] Não vão cumprimentar a menina?

WILSON: [Para Sally] Você tem algo haver com isso?

SALLY: [Para Wilson] Não, Will.

WILSON: [Para Sally] Eu vou falar com a Alexia. E você cuida da menina.

SALLY: [Para Amanda] Oi, querida. Que vestido lindo você está usando.

WILSON chama ALEXIA para conversar na sala ao lado.

 

CENA 37 – INT. MESMO LOCAL – SALA

O prefeito puxa a filha pelo braço.

WILSON: Que palhaçada é essa? Quem é essa menina?

ALEXIA: Ora, papai. Eu já disse, o nome dela é Amanda.

WILSON: E de onde é essa Amanda?

ALEXIA: Do orfanato. Espero que o senhor não se importe; eu disse para a supervisora que tinha sido ordens sua, e o Jordan confirmou.

WILSON: O Jordan?!

ALEXIA: Sim. Eu liguei para ele, e perguntei se isso seria uma boa idéia. Bem, nós concordamos que isso seria uma boa publicidade para a sua campanhia.

WILSON: E o que você ganha em troca com tudo isso?

ALEXIA: Eu só quero que você a trate bem hoje. Pelo menos alguém aqui precisa saber como é ter uma família.

WILSON: Você é muito esperta.

ALEXIA: [Séria] Eu sei.

WILSON e a filha voltam para a sala de jantar. Alguns fotógrafos tirem fotos dos dois. PHILLIP se aproxima dos dois.

PHILL: Você me surpreendeu.

ALEXIA sorri e volta a sua atenção à menina, que se aproxima.

AMANDA: Alexia.

ALEXIA: Oi, querida.

Percebe-se alguns flashes quando a filha do prefeito se curva para falar com a menina.

AMANDA: Todo mundo está olhando pra mim.

ALEXIA: É por que você é muito bonita. Não se preocupe com eles. Você quer bolo?

AMANDA: Obrigada, mas eu comi bastante na festa.

ALEXIA: Então fica comigo. Hoje eu preciso de companhia. [Sorri para a menina]

ALEXIA olha ao redor, e depois para a garotinha.

 

CENA 38 – INT. CASA DOS SAWYER – SALA – NOITE

A casa dos Sawyers está cheia de gente. Percebesse a alegria que contagia as pessoas. O local está todo decorado com enfeites natalino e tem uma grande mesa com comidas típicas da festa de Natal. REBECCA está falando ao telefone, ela parece muito feliz. SCOTT observa sua irmã de longe.

BECKY: Hoje o dia foi muito corrido. Eu fui pro orfanato com a Alexia, fizemos uma ceia e entregamos os presentes que arrecadamos. [Ri] Dá pra acreditar?

SAM: [Voice over] Só se for em um episódio de Além da imaginação.

BECKY: Sam! Eu estou tão cansada que nem posso rir. O pior é que eu tenho que ficar aqui em casa por causa da festa que meus pais estão dando.

SAM: [Voice over] Que pena. Eu queria tanto te ver hoje.

BECKY: Eu também, ursinho. Estou com muitas saudades. Prometo que amanhã a gente passa o dia juntos.

CAROL se aproxima da filha.

SAM: [Voice over] Ok. Eu estou indo pra casa do Matt agora.

BECKY: Eu tenho que desligar. Então até amanhã.

SAM: [Voice over] Feliz natal.

BECKY: Feliz Natal. [Voz baixinha] Sonhe comigo.

A garota desliga o telefone.

CAROL: Quem era filha?

BECKY: [Nervosa] Não era ninguém, mamãe.

CAROL: Como assim? Ninguém? Você ficou conversando um bom tempo no telefone.

SCOTT se aproxima ao ver sua irmã nervosa.

SCOTT: Mamãe! Eu já disse como à senhora está linda hoje.

CAROL: [Sorri] Ah! Filho, obrigada. Você sempre é tão gentil comigo.

REBECCA se prepara para sair do local. DAVID acena para CAROL.

CAROL: Seu pai está me chamando. [Para Becky] Depois a gente conversa sobre esse telefonema misterioso.

REBECCA fica calada.

SCOTT: Becky, você tem que contar a mamãe sobre seu namoro com o nerd. Um dia eles vão descobrir e vai ser pior.

BECKY: Eu sei Scott, mas eu fico pensando como vai ser minha vida depois que a mamãe descobrir que a sua filhinha namora o filho de um carpinteiro.

SCOTT: Você fez sua escolha, maninha. Agora aguente as consequências.

BECKY: Desde quando você ficou tão esperto. [Sorri] Está passando bem?

SCOTT: Eu tenho meus truques!

BECKY: Obrigado.

SCOTT: Não vai se acustumando não viu!

BECKY: Acostumando! Scott!

SCOTT: Há! Quem liga. Eu vou ali, maninha, naquela gatinha.

REBECCA balança a cabeça negativamente e sorri.

 

CENA 39 – EXT. FAZENDA GRAHAM – NOITE

[MÚSICA – THE CHRISTMAS SONG, MICHAEL BUBLE]

Uma enorme fogueira ilumina o local. Há uma grande mesa enfeitada com velas vermelhas, e muitas frutas.

LOU: Foi uma grande idéia fazer a ceia aqui fora.

SAM e MATT contribuem com lenha para que a fogueira aumentasse de tamanho.

MATT: Concordo, mas da próxima vez eu tenho que lembrar de comprar a lenha.

Um carro preto de aproxima do local.  LOU sorri. JAMES CARTER sai do veículo com um grande saco na mão.

CARTER: Era aqui que estavam precisando de lenha?

MATT sorri aliviado.

MATT: Treinador Carter!

MATT aperta a mão do treinador com satisfação.

MATT: Obrigado por vir!

O treinador coloca a lenha perto da fogueira e entrega um pequeno embrulho para LOU.

CARTER: Minha contribuição.

LOU APENAS sorri, olhando fixamente para o treinador. ANNA e MELISSA, que estão sentadas à mesa, riem e conversam. SAM junta-se as duas. MATT se aproxima por trás.

MATT: De que vocês estão falando?

ANNA e MEL riem novamente. O garoto fica desconcertado. LOU e CARTER conversam perto da fogueira.

ANNA: Esse é o meu melhor natal!

A garota abraça seus amigos. A imagem vai se distanciando lentamente.

[Música fade out]

 

ELENCO
Jonathan Bennett como Matthew Graham
Natalie Portman como Anna Mackenzie
Mena Suvari como Rebecca Sawyer
Lindsay Lohan como Melissa Baker
Austin O´Brian como Scott Sawyer
Joseph Gordon-Levitt como Samuel Wood
Kate Bosworth como Alexia Danes
Brad Renfro como Phillip Danes
Marisa Tomei como Lou Graham

ATORES CONVIDADOS
Alley Walker como Christina Albright (voz)
Paula Cale como Katherine Mackenzie (voz)
John Wesley Shipp como James Carter
Travis Fimmel como Jordan
Todd Field como Wilson Danes
Sharon Lawrence como Sally Danes
Greg Kean como David Sawyer
Heather Locklear como Carol Sawyer
Tatum McCann como Amanda

MÚSICA TEMA
Promises por Lillix

TRILHA SONORA
Driving Home For Christmas, Chris Rea
Rockin’ around the Christmas Tree, Brenda Lee
Have Yourself A Merry Little Christmas, Christina Aguilera
Silent Night, Jewel
O Holy Night, Jewel
All I Want For Christmas Is You, Olivia Olson
The Christmas Song, Michael Buble
Punk Rock Christmas, Sex Pistols

ESCRITO POR
Clara Lima
Sarah Lima

DIRIGIDO POR
Clara Lima

CRIADO POR
Clara Lima
Sarah Lima

AGRADECIMENTOS ESPECIAIS
Thales Brandi
Luciana Rocha

DISTRIBUIDO POR
TVSN

Séries citadas:

Os textos assinados pela Redaçao TeleSéries são textos de autoria coletiva ou notícias escritas por um redator anônimo, mas sempre revisadas com a máxima precisão jornalística.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account