Log In

Ficção (séries virtuais)

Série Virtual – Destination Anywhere – De Volta Para Onde Pertenço

Pin it

Série: Destination Anywhere
Episódio:
De Volta Para Onde Pertenço
Temporada:

Número do Episódio:
1×02

 

CENA 1 – EXT. RUA – FIM DE TARDE

VOICE OVER: [Jonathan Bennet] Anteriormente em Destination Anywhere.

ANNA [Criança]: Então eu posso ir?

MATT [Criança]: Hum… tá bom, Banana, você venceu.

ANNA [Criança]: Não me chama assim, seu verme! Eu salvei sua pele na escola hoje!

Matt [Criança]: Você me salvou? Eu sempre entro nas confusões por sua causa.

Os dois caem na gargalhada.

ANNA [Criança]: Verdade. [Para de rir] Quando vamos fugir?


CENA 2 – INT. CASA DOS MACKENZIE – FIM DE TARDE

ANNA: [Grita e bate o pé] Eu não vou! Não vou! Não vou mesmo, pai!

HOMEM: [Jeffrey Nordling] Você não tem escolha Mary Anna!

ANNA: Por acaso o petróleo de Tulsa acabou, papai? [Chorando] Você não pode fazer isso comigo! Eu tenho uma vida aqui!

HOMEM: Não Seja dramática. Você terá uma vida lá também. Uma promoção dessas é irrecusável. Eu vou ser diretor geral da empresa no Brasil.


CENA 3 – EXT. FAZENDA – FIM DE TARDE

PHILL [Criança]: Pensou que ia escapar de nós?

MATT [Criança]: O que você quer, seu caipira?

[CORTA]

MATT [Criança]: [Voice over] Um dia esses garotos me pagam. Eles me pagam!

[CORTA]

Mostra Anna no avião.

 

CENA 4 – INT.REDE´S – NOITE

ANNA abre a porta e vê um garoto alto, de costas. Ele segura ALEXIA pelo braço com força. ANNA franze a testa e depois olha pra ALEXIA.

MATT: Ally! Já chega. Você vem comigo, agora!

ALEXIA: [Chorando] Não grita comigo, Matt.

ANNA: Matt?

O GAROTO olha pra trás. Ele parece atônito.

MATT: Anna…

Os dois se olham surpresos e emocionados.

ALEXIA: Você conhece essa daí?

MATT disfarça olhando para baixo.

MATT: Eu vou te levar para casa.

ALEXIA: Eu ainda não acabei!

MEL: Nem eu!

MATT coloca ALEXIA em seu ombro.

MATT: Acabou sim!

ALEXIA: Matthew, me põe no chão! Matt! Isso é patético!

MELISSA ri. MATT evita olhar para ANNA ao sair da lanchonete.

 

CENA 5 -EXT. RED´S- ESTACIONAMENTO

ALEXIA debate-se no ombro do namorado, que anda em direção de seu carro. REBECCA, logo atrás, corre até alcançá-los.

BECKY: Matt! Espere!

ALEXIA: É, Matt. [Ri] Espere!

BECKY: Ninguém pode vê-la nesse estado. É melhor levá-la para a minha casa.

MATT coloca ALEXIA no chão, que apoia-se estratégicamente no garoto.

BECKY: Você vem comigo, Alley. Eu estou sozinha em casa.

ALEXIA: Então agora vocês vão esconder a loirinha problemática? [Leva as mãos ao ar, como se estivesse focalizando algo] Filha do prefeito agride ruiva concu…concu…

BECKY: Concubina?

MATT permanece sério, e lança um olhar critíco para a loira.

ALEXIA: É! Isso aí mesmo.

MATT: Alley!

O garoto segura firme no braço da namorada.

MATT: Você está bêbada, e causando confusão numa lanchonete famosa da cidade. Você tem certeza que sabe da repercurssão que isso teria? Seu pai…

ALEXIA: Me mandaria de volta para Vermont? Pppffff… Como se uma Academia elitista fosse uma prisão. [Séria] Pelo menos lá eu não tinha que fingir o que eu não sou! [Abre os braços] Liberdade!

BECKY: Ok. Chega.

BECKY destrava seu carro, um volvo prateado, com um dispositivo em sua chave. A garota pega a mão da amiga e a puxa para dentro do veículo, praticamente a jogando no banco de trás. MATT suspira cansado.

MATT: Obrigado, Becky.

BECKY: Você vem com a gente?

MATT olha par o carro, pensativo. ALEXIA abre a janela do carro.

ALEXIA: Matt…

MATT olha para lanchonete, com um olhar pensativo. Depois volta sua atenção para a namorada, fazendo um sinal positivo com a cabeça.

[ABERTURA]

 

CENA 6 – INT. RED´S

ANNA permanece boquiaberta e pálida. Seu olhar fixo na porta dava a impressão de que a garota avistara um fantasma. Seus olhos não piscam e sua respiração é acelerada.

MELISSA: [Grita] Ahh! Que raiva!! Que raiva!!!

ANNA assusta-se com os gritos de MEL. Seu estado de transe dá lugar à uma sensação de desconforto, demonstrada em seu semblante.

SAM: Calma. Mel!

MEL: [Grita] Calma? Eu não quero me acalmar! Eu quero partir a cara daquela coitada.

ANNA aproxima-se dos dois.

ANNA: O que houve aqui?

SAM: Furacão Alexia, conhece? Ouvi dizer que devastou toda a região norte do país e agora paira pelas terras áridas do deserto.

ANNA sorri.

MEL: Não é hora pras suas piadas, Sam! A garota é pirada. Saca? Pirada, louca, não é boa da cabeça. Ela acha que pode passar por cima de todo mundo só por que é filha do prefeito!

SAM: Bom, eu não acho que ela pensa que pode passar por cima de todos por ser filha do prefeito. Eu acho que ela pensa que pode passar por cima de todos por que ela simplesmente… pode.

MELISSA grita assuntando SAM e ANNA.

MEL: Quer saber? Da próxima vez que aquela coisa vier pra cima de mim, eu bato nela. Eu não quero nem saber se o Matthew vai brigar comigo, vai dá chilique por causa da namoradinha ou ter um derrame. Eu cansei dessa proteção toda com ela. [Repira fundo] Quer saber? Eu preciso sair daqui!

MELISSA pega uma bolsa e um casaco e sai da lanchonete.

ANNA: Não acha melhor a gente ir atrás dela?

SAM: Não… Amanhã ela já vai ter esquecido isso.

ANNA: Mas…

SAM sorri da preocupação da garota.

SAM: Não se preocupe. A Melissa anda muito territorial ultimamente.

ANNA parece não assimilar muito bem a informação.

SAM: Ei, você está bem?

ANNA morde o canto da boca. Ela balança a cabeça negativamente.

ANNA: Eu acho melhor voltar pra casa.

SAM: [Preocupado] Você está dirigindo?

ANNA: Na verdade eu vim andando até aqui. Não custa nada voltar andando também. Quem sabe eu não esbarro com algum outro “barraco” e torno a noite mais divertida? Quem sabe a Paris Hilton e a Nicole Richie não estão bem ali na esquina?

SAM: Bom, não estou certo sobre Nicole e Paris, mas de qualquer jeito, eu vou com você. Não se pode deixar uma bela garota andando por aí a noite.

ANNA sorri.

 

CENA 7 – EXT.ESTRADA – NOITE

A estrada escura era iluminada apenas pela luz da lua e de alguns poucos carros que trafegavam por ali. REBECCA está dirigindo, enquanto MATT está no banco de trás com ALEXIA deitada em seu colo.

BECKY: Está tudo bem ai?

MATT fica em silêncio. REBECCA olha para trás e vê que ALEXIA está chorando.

BECKY: Eu vou ligar o rádio, ok? [Aperta um botão no painel do automóvel]

[MÚSICA – LOW,  KELLY CLARKSON]

ALEXIA começa a balbuciar algumas palavras. MATT aproxima sua cabeça da para escutar melhor o que ela está tentando dizer.

MATT: Para o carro!

 

CENA 8 – MESMO LOCAL

REBECCA está sentada em seu carro, estacionado no canteiro da estrada. MATT segura a cabeça de ALEXIA enquanto ela vomita.

MATT: Eu acho melhor o Phillip não saber disso.

ALEXIA: [Balbucia] Eu não quero voltar pra Vermont. Eu quero ficar aqui com vocês.

REBECCA: Nem o Phill nem o Scott precisam saber disso.

Ouve-se um toque de celular. REBECCA checa seu aparelho para ver quem está ligando. Ela faz um sinal de silêncio.

BECKY: Por falar no Phill. [Pausa] Alô. Oi! Phill. Sim, ela está aqui comigo. Aconteceu alguma coisa?

 

CENA 9 – INT. QUARTO – NOITE

PHILL: A minha mãe está me enchendo o saco. [Imita a voz da mãe] “Cadê sua irmã? Você não sabe onde sua irmã foi? Por acaso a sua irmã lembra que tem casa?” e blá, blá, blá… Você sabe como é.

 

CENA 10 – EXT. ESTRADA

BECKY: Eu entendo. Avisa para a sua mãe que a Alley está comigo. Nós estamos…estudando.

PHILL [voice over]: Eu não me importo o que vocês estão fazendo. Ela só não pode sumir desse jeito. Posso falar com ela?

BECKY: Nossa, Phill. Tinha esquecido do quanto você é gentil. Olha, a Alley foi à cozinha. E peço para ela ligar depois. Mas avisa a sua mãe que vamos demorar um pouco.

PHILL: Hum… Ok. Tchau.

REBECCA desliga o telefone, e se aproxima do casal. ALEXIA, que estava com a cabeça baixa e a mão no joelho, olha para a amiga.

ALEXIA: Eles vão me matar!

BECKY: Não seja trágica, Alley. Eu já enrolei seu irmão. Agora vamos pra minha casa, você precisa de um banho e de uma boa noite de sono.

ALEXIA levanta-se.

ALEXIA: Eu preciso de uma escova, e uma boa maquiagem.

MATT: Você e eu precisamos conversar.

ALEXIA põe a mão na barriga.

ALEXIA: Ai… [Fingindo] Eu vou…

BECKY e MATT: Morrer.

BECKY: Já sabemos. Agora, antes de morrer, querida, entre no carro.

 

CENA 11 – EXT. RUA- NOITE

[ MÚSICA – LITTLE BLACK PACKBACK, STROKE 9]

A rua vazia é o cenário para a conversa de ANNA e SAM. Os dois caminham pela calçada e parecem bastante amigáveis.

SAM: [Rindo] E tudo isso por causa de uma galinha!

ANNA: Vocês perderam o jogo por causa de uma galinha? Não acredito!

ANNA dá uma risada, mas para ao perceber que SAM a estava olhando.

ANNA: O quê?

SAM: Você riu.

ANNA: [Sem graça] Algum problema nisso?

A garota dá um sorriso meio sem graça.

SAM: Claro que não. É que você estava tão séria no Red’s e a sua risada foi do tipo “isso é engraçado, e eu não vou ocupar a minha cabeça pensando no Matthew”.

Anna para de andar imediatamente e o riso em seu rosto desaparece completamente.

SAM: Não precisa ficar triste.

ANNA: Eu não estou triste. O Matt te contou sobre mim?

SAM: Não especificamente sobre você. Eu não sabia que você era você até quando você o encontrou na lanchonete. O Matt nunca havia me contado essa historia até hoje. Ele achou que você poderia ter voltado, por que viu uns caminhões na frente da sua casa essa semana. Bom, acho que ele estava certo.

ANNA permanece calada.

SAM: Parece que esse é um assunto delicado, né?

ANNA: Verdade. [Morde o canto da boca] É que eu não te conheço bem. Quer dizer, eu te conheci hoje, e…

SAM: Ah! Tudo bem, não precisa se justificar. Mas lembra que eu sou o melhor amigo do seu Romeu.

ANNA olha séria para SAM.

SAM: Desculpa.

ANNA: Eu moro aqui.

SAM olha o nome “Mackenzie” na caixa de correio.

ANNA: Tchau, Sam! Obrigada por me acompanhar.

ANNA entra correndo em sua casa. SAM fica olhando.

[MÚSICA FADE OUT]

CENA 12 – INT.CASA DOS MACKENZIE – SALA

ANNA passa correndo pela sua mãe, mas a garota volta na mesma velocidade ao olhar como a mãe estava vestida. A SRA. MACKENZIE estava usando uma saia de couro preta e jaqueta branca combinando com suas botas. Ela encara a mãe e rir.

ANNA: Mãe, uma vaca sentou em você?

SRA MACKENZIE: [Paula Cale] Oi! Anna. Voltou cedo!

ANNA: [Desanimada] É… não tem muito o que ver por aqui. Nada mudou na verdade.

SRA. MACKENZIE: Aconteceu alguma coisa?

ANNA: Não.

SRA. MACKENZIE: Você já encontrou aquele garoto?

ANNA: O “garoto” tem nome?

SRA. MACKENZIE: O filho da alcoólatra e do depravado.

ANNA: Que nome grande…

SRA. MACKENZIE: Não me venha com gracinhas, Mary Anna.

ANNA: Desculpa, mãe! Mas é incrível como você vê as coisas de um modo tão… tão…

SRA. MACKENZIE: “Tão” o quê? Sabe, Anna. Uma coisa boa de termos ido pro Brasil foi você se afastar daquele menino. Com certeza ele não deve ter se tornado coisa boa.

ANNA: Tá vendo? Os anos passam e você não muda nada. Eu não culpo o papai de ter te deixado!

SRA. MACKENZIE: Eu não gosto do seu comportamento!

ANNA suspira e sobe a escada que conduz ao andar do seu quarto.

 

CENA 13 – INT. CASA DOS SAWYER – NOITE

[ MÚSICA – UNWELL, MATCHBOX 20]

BECKY, ALEXIA e MATT entram na luxuosa casa de pé direito alto. Ouve-se um barulho e depois latidos agudos. Um cachorrinho poodle branco aparece correndo em direção da dona da casa, ALEXIA tampa os ouvidos e faz cara de dor.

BECKY: Shhh.. Napô, docinho, não faça barulho. [Para Matt] Vamos pro meu quarto.

MATT olha para ALEXIA.

ALEXIA: Eu já estou melhor. Eu consigo ir andando sozinha.

MATT: Tem certeza?

ALEXIA: Eu tomei um porre, não um vidro de Lexotan.

ALEXIA e BECKY riem, MATT permanece sério.

ALEXIA: Que seja…

MATT olha para BECKY e depois para Alexia.

BECKY: Ah! É… eu vou subir primeiro para preparar um banho para a Alley.

A garota sobe correndo. ALEXIA olha para MATT desconfiada.

ALEXIA: Nossa, como a Becky é sutil.

MATT: Alley…

ALEXIA: Não fala nada. Eu perdôo você, seu bobo. Achou que eu ia ficar com raiva? Eu sei que aquela galinha ruiva arrasta a maior asa pra você, mas…

MATT: A Mel?

ALEXIA: [Irônica] E qual é a outra galinha ruiva que eu conheço?

MATT: Eu não gosto quando você fala assim dos meus amigos! [Leva as mãos à cabeça] Você torna impossível qualquer conversa mais séria.

ALEXIA: Desculpa Matt…

MATT: Eu vou pra casa.

ALEXIA: Não!

MATT: É melhor pra nós dois.

ALEXIA olha assustada para ele. O garoto dá um beijo no rosto da namorada.

MATT: Diz “boa noite” pra Becky. Não vá aprontar mais por hoje.

ALEXIA: Por favor, Matt. Fica. Você nem está de carro, como você vai voltar?

MATT: Eu sei me virar, Alley. Até amanhã.

ALEXIA ainda tenta dizer alguma coisa mas MATTt vai embora antes dela conseguir formular algo convincente. Ela olha para o cachorro com uma cara de indignada.

ALEXIA: O que você está olhando?

A câmera mostra a cidade vista do alto, ao amanhecer.

 

CENA 14 – EXT. ESCOLA WILL ROGERS – MANHÃ

[PLACA SECUNDÁRIO WILL ROGERS – LAR DOS LANÇADORES]

[MÚSICA FADE OUT]

Os carros dos alunos chegam ao estacionamento. Alguns alunos estão conversando em frente ao prédio da escola. MELISSA está sentada em um dos degraus da entrada principal, ouvindo música em seu diskman. A garota acena para ANNA que descia de um carro branco grande. ANNA dá “tchau” para a mãe e vai andando até MEL.

ANNA: Você está bem?

MEL: Ah. Estou bem sim. Aquilo não foi nada.

ANNA senta-se ao lado da ruiva, que desliga o aparelho de som.

ANNA: Mas foi uma cena e tanto.

MELISSA ri.

MEL: Essa é a política da casa. Compre um sanduíche e assista um “freak show”. Estrelando: A rainha do drama, Alexia Danes.

ANNA: Você não vai muito com a cara dela… por causa do seu amigo?

MEL: Não! Tirando as cópias dela, o esquadrão água oxigenada nº 40, só o Matt consegue aguentar aquela garota. Nem a família dela a suporta!

ANNA: Como assim?

MEL: Eles a mandaram pra Vermont, pra um colégio interno, quando ela ainda era criança. E eu tenho certeza que ela só voltou para cá por que deve ter sido expulsa da escola…

ANNA: Sério?

MEL: Não… isso é por minha conta. Mas ela deve ter aprontado alguma coisa.

ALEXIA desce do carro juntamente com BECKY. Quem está no assento do motorista é SCOTT.

SCOTT: Olha seu irmão ali, Alexia.

PHILLIP estava encostado em uma árvore perto do estacionamento. Ele vem em direção ao carro do amigo.

PHILL: E aí, cara?

SCOTT: E aí?

SCOTT desce do carro.

ALEXIA: Oi, Phill. Tchau, Phill.

ALEXIA e BECKY tentam deixar o local, mas PHILLIP corre e pega a irmã pelo braço.

PHILL: Ei, ei ei, ei. Onde você pensa que vai? Eu tenho que falar com você.

ALEXIA: Agora não Phill. A gente tá com pressa.

PHILL: [Ri] Com pressa? Não vai me dizer que você sabe qual a aula que você está indo agora.

ALEXIA: Não enche, Phill.

PHILL: Olha aqui pirralha… [Segura a irmã pelo braço]

BECKY: Solta ela! Seu monstro!

SCOTT: Não se mete, Becky.

PHILL: Você acha que eu sou burro? Vai me dizer o que houve ontem ou não? Eu sinto que você tá me escondendo alguma coisa!

ALEXIA se solta do irmão e pega na mão da amiga.

ALEXIA: Tchau, Phill.

As duas correm em direção da escola. Elas passam por ANNA e MELISSA, que ficam olhando-as boquiabertas.

ANNA: E ainda nem são 8 da manhã…

MEL: Aquele lá é o irmão da Alexia, e aquele outro é o irmão da Rebecca.

ANNA: Phillip e o Scott.

MEL: Como você sabe?

O sinal toca.

ANNA: Vamos? Eu não quero me atrasar de novo.

 

CENA 15 – INT. ESCOLA – CORREDOR

MATT anda pelo corredor e as pessoas o cumprimentam. Ele entra em um laboratório rapidamente e se senta. O garoto olha para os lados e deita a cabeça na carteira.

HOMEM: [John Wesley Shipp] Graham?

MATT: Treinador Carter.

CARTER: Eu queria mesmo falar com você.

MATT: Algum problema, treinador Carter?

CARTER: Não, pelo contrário, tenho boas notícias. Os olheiros vem para a abertura da temporada, garoto. Eu sei que ainda falta um ano para você se formar, mas se eles gostarem de você já é meio caminho andado pra sua bolsa. Isso significa…

MATT: … que eu posso escolher a universidade que eu quiser.

CARTER: Isso mesmo, garoto!

MATT: Eu sei disso, treinador. Eu espero por isso há muito tempo.

CARTER: Mostre o que sabe e você estará dentro. Eu já recomendei você, agora é contigo!

MATT: Muito obrigado, treinador.

CARTER dá uma tapinha amistoso no ombro do aluno e sai.

MATT leva a mão à cabeça e deita-se sobre a mochila, novamente, cobrindo o rosto. Uma mão toca no ombro dele novamente, mas ele não levanta para ver quem é.

MATT: O que foi?

A câmera mostra SAM.

SAM: Você não retornou nenhuma ligação minha ontem. Fiquei preocupado, amigão. Vai me explicar o que aconteceu ontem no Red´s?

MATT: Explicar o quê? Você viu muito bem: a Alexia e os ataques de ciúmes dela.

SAM: Não é disso que eu estou falando, é da Anna Mackenzie.

MATT levanta a cabeça.

SAM: Então, a Anna é a sua amiguinha que…

MATT: … que foi embora sem dizer uma palavra; me deixou pra trás como se eu fosse um nada!

SAM: Ei. Calma. Eu já entendi! Você e a Anna eram amiguinhos, e um dia ela foi embora…

MATT: Isso! Desapareceu.

SAM: E por que isso te afeta tanto, cara? Não podia apenas superar isso? Pessoas vão e vem na vida e…

MATT: Você não entende.

SAM: Não entendo por que isso te deixa tão nervoso. Isso foi o quê? Cinco, seis, sete anos atrás?

MATT: Ela era a minha melhor amiga, pelo menos achei que fosse. E eu não estou nervoso com isso.

SAM: Desculpa, cara. Mas se ela era tão importante assim, por que você nunca me contou sobre ela antes? Você e eu somos parceiros, não somos?

MATT: Eu não contei por que não tinha nada pra contar.

SAM: Você não ficou feliz por ela ter voltado?

MATT: É como você disse, Sam: faz muito tempo. Eu não sinto mais falta dela.

MATT levanta-se.

MATT: Por favor, fica fora disso.

MATT pega a mochila e sai do laboratório. O corredor principal estava quase vazio. A maioria dos alunos já havia entrado em suas respectivas salas de aula. MATT, que vinha de cabeça baixa, nem percebe que está indo em direção de PHILL e SCOTT. O rapaz bate sem querer no irmão da namorada.

PHILL: Hey!

MATT: Desculpa, cara. Eu não te vi.

PHILL: Será que podemos conversar em particular?

[ MÚSICA – HERE IS GONE, GOO GOO DOLLS]

MATT: Pode falar. Não tem ninguém aqui.

PHILL: É sobre a Alexia.

MATT: [Olhando pra Scott] Pensei que esse fosse um assunto particular.

SCOTT afasta-se com hesitação.

PHILL: A Alexia não dormiu em casa. Ela estava com você?

MATT: Não. Ela estava na casa da Becky.

PHILL: Com você?

MATT: Não.

PHILL: Hum..

MATT: Acabou o interrogatório?

PHILL: Eu não confio em você.

MATT: Nem eu em você… mas… a gente tem que se aguentar, não é, cunhado?

PHILL: Você se acha tão esperto, baleia. Um dia a minha irmã vai cair em si e ver que você só está com ela pra me atingir.

MATT ri.

MATT: [Irônico] Eu realmente estou fazendo esse sacríficio enorme por causa de uma vingança de criança.

PHILL: Some da minha frente.

MATT: Só por que você está mandando.

MATT ajeita a mochila e sai do local.

[MÚSICA FADE OUT]

 

CENA 16 – INT. CASA DOS GRAHAM – SALA – DIA

O telefone toca na sala. LOU está no andar de cima.

LOU: [Grita] Já vou!!

O telefone continua tocando.

LOU: Já estou indo!

LOU vem descendo a escadas correndo, com uma toalha na cabeça.

LOU: Já estou chegando!

O telefone para de tocar.

LOU: Aaah!! Não brinca!

A mulher encara o aparelho, que volta a tocar. Ela atende rapidamente.

LOU: Louise Graham. Ah! Claro. Posso sim. 3:30 está bom para ele?

Ela anda pela sala tentando achar coisa.

LOU: Só um minuto.

Ela pega ma caneta e entra em um cômodo. Aparentemente é um escritório. Há livros por toda parte, uma mesa e vários relatórios. Alguns quadros com fotos da fazenda, e um foto dela com o MATT e uma outra mulher. LOU pega um bloco que está em cima de sua mesa e anota alguma coisa.

LOU: Está marcado. 3:30 na prefeitura.

Ela olha para os relatórios, tira a toalha da cabeça e senta-se em uma cadeira grande e azul.

 

CENA 17 – INT. ESCOLA – REFEITÓRIO – TARDE

[ MÚSICA – DISEASE, MATCHBOX 20]

SAM carrega sua bandeja pelo refeitório. Ele olha pra comida com um ar de reprovação. O garoto procura por alguém e vê MELISSA e ANNA sentadas perto da máquina de refrigerante. Ele sorri, segura a bandeja com uma única mão e acena. As garotas acenam de volta. Ele caminha na direção delas, mas antes que chegue em seu destino sua atenção é desviada quando ele percebe que alguns metros na frente REBECCA SAEYER está sentada com a sua turma. 5 garotas impecavelmente vestidas, que pareciam chamar a atenção de todo o local.

BECKY: É claro que eu não vou usar um casaco de peles.

GAROTA 1: Becky! Não dá pra ser “certinha” quando se estar em Denver.

ALEXIA: A Becky não é “certinha”, ela é “politicamente correta”!

Todos da mesa riem. Sam que estava passando pelo local, para perto das garotas e ri também.

GAROTA 2: Você está com algum problema?

SAM fica sem graça.

ALEXIA: [Rindo] Eu sei qual é o problema dele. Aliás, um dos problemas, por que com certeza ele deve ter muitos.

GAROTA 1: Amigas, não se deve rir de um nativo americano… não é “politicamente correto” !

SAM olha sério para as garotas. Todas elas estão rindo, menos BECKY.

ALEXIA: Não é Becky?

BECKY: É, Alexia.

ALEXIA: Uh!

SAM: Me dêem licença.

GAROTA 3: Claro, amorzinho. Pode voltar pra sua turminha.

As meninas riem. Sam anda apressado até a mesa das amigas.

MEL: O que foi aquilo? Problema com o “Esquadrão Pompom”?

SAM: Eu acho que meu braço esquerdo está dormente… não consigo sentir meu braço esquerdo! Acho que vou ter um derrame.

ANNA ri.

MEL: Isso não é incrível? Não importa onde você esteja, sempre há os mesmo tipos de pessoas, os mesmo grupos, os mesmos problemas. Não é óbvio que elas ajam desse jeito?

Os três continuam conversando enquanto a mesa de trás era ocupada por SCOTT e PHILLIP. ANNA está de costas para os meninos.

SCOTT: Olha lá a novata. Já se juntou com a turminha da baleia.

PHILL olha para ANNA.

PHILL: Até que ela parece ser bonitinha.

PHILL faz sinal de silêncio para o amigo, e se senta em uma cadeira mais próxima da garota.

MEL: Sam, o Matt não vem?

SAM: Não vejo o Matt desde o primeiro período.

ANNA fica calada olhando para baixo.

MEL: Ele sempre fica sensível quando briga com a Alexia. [Para Anna] E o pior é que ele fica com raiva de mim! Eu só me defendi quando a Alexia chegou bêbada dando escândalo lá na lanchonete. Além de ter espantado quase todos os clientes, eu nem tive a oportunidade de dizer o que ela precisa ouvir. Por que os homens são tão domináveis?

PHILLIP se levanta olhando para MELISSA.

PHILL: Minha irmã fez o quê?

MELISSA leva um susto. PHILL vai em direção a irmã. SCOTT vai junto.

PHILL: Você bebeu?

As meninas olham para ALEXIA.

ALEXIA: O quê?

PHILL: Você bebeu ontem e fez um escândalo no Red’s!

BECKY: Calma, Phill. Você que está fazendo um escândalo aqui.

PHILLIP pega a irmã pelo braço e sai levando-a até o lado de fora do refeitório.

PHILL: Você bebe, não dorme em casa, mente. Qual o problema com você?

ALEXIA: Qual o problema com você? Eu não tenho mais 12 anos!

PHILL: Aquele marginal tá transformando você.

ALEXIA: Essa conversa de novo? Se você não gosta do Matt, o problema seu! Agora, para de culpar ele por tudo que eu faço.

PHILL: Nosso pai é prefeito dessa cidade, e você fica fazendo escândalos por ai? Não foi pra isso que o papai te trouxe de volta!

ALEXIA: Sabe por que o papai me trouxe de volta? Pra sair por ai posando de família perfeita e unida. Eu sou apenas parte do retrato perfeito que ele criou.

PHILL: Você quer que eu tenha pena de você?

ALEXIA: Não, mas você pode ter de você próprio.

PHILL faz menção de bater em sua irmã.

ALEXIA: Vai em frente, filho do prefeito.

PHILL sai pisando forte pelos corredores da escola. Seus punhos estão fechados, e ele está vermelho de raiva.

PHILL: Eu vou separar vocês dois, irmãzinha. Pode ter certeza disso.

[MÚSICA FADE OUT]

 

O sinal toca e as pessoas começam a voltar para sala. ANNA se despede de MEL e SAM e vai andando em direção do banheiro. Ela dobra o corredor e dá de cara com PHILL, que vinha de cabeça baixa. O garoto esbarra nela, e derruba sua bolsa no chão.

ANNA: Isso já tá se tornando pessoal.

ANNA se baixa para pegar a bolsa, e PHILL pega alguns papéis que caíram junto com a bolsa.

PHILL: Foi mal, gatinha. Eu não vi você.

PHILL olha pra ANNA.

PHILL: Isso é seu.

Ele olha para os papéis, e em um deles estava escrito: “Nome: Mary Anna Mackenzie”.

ANNA: É… obrigada.

PHILL: “Banana”?

ANNA: Muito criativo…

PHILL: Quer dizer, Anna! Nossa, que surpresa.

O garoto olha com admiração para ela.

PHILL: Como você cresceu!

ANNA: Nem tanto…

ANNA ri.

ANNA: Eu tenho que ir.

PHILL: Bem vinda de volta, Anna Mackenzie! Anna Mackenzie…

ANNA olha estranho para PHILL.

ANNA: Não sabia que você gostava tanto assim do meu nome…

PHILL: Anna Mackenzie… ótimo te rever! Temos que nos encontrar pra relembrar os velhos tempos!

ANNA: Hum… Phillip. A gente não era assim tão amigo…

PHILL: Então nós precisamos nos encontrar pra não lembrar dos velhos tempos.

Ele sustenta um sorriso maroto, e olha a garota dos pés a cabeça.

ANNA: Ah! Uh… claro. Te vejo depois.

ANNA entra no banheiro e PHILL fica olhando, com o mesmo sorriso de antes.

PHILL: Achei a minha vingança perfeita.

SCOTT vai até o amigo, que estava hipnotizado olhando para o banheiro. Ele olha para PHILL e depois para a porta do banheiro.

SCOTT: O que foi?

PHILL: Ganhei na loteria…

SCOTT: Nossa! Sério???

PHILL olha pra SCOTT com desprezo.

PHILL: Claro que não, seu retardado. Mas aconteceu algo que você não vai acreditar.

Os dois caminham em direção à sala de aula.

 

CENA 18 – INT. ESCOLA VESTIÁRIO – MAIS TARDE

ALEXIA abre seu armário e tira uma toalha. BECKY senta em um banco próximo da amiga, e começa a tirar o tênis. ALEXIA coloca a toalha em volta do pescoço.

ALEXIA: Becky.

BECKY: Sim?

ALEXIA: Ah! Deixa pra lá.

BECKY: O que foi?

ALEXIA: Eu ainda não vi o Matt hoje.

BECKY: Nossa, tava demorando falar nele, hein?

ALEXIA: Você acha que ele tá com raiva?

BECKY: Por que você não pergunta pra ele, amiga?

ALEXIA: Eu não quero parecer desesperada…

BECKY: Mas você é, Alley.

ALEXIA: Vadia!

As duas riem.

ALEXIA: Eu vou ligar pra ele.

O telefone toca, mas ninguém atende do outro lado. MATT assiste TV quando seu celular toca, ele olha no visor do aparelho o nome da namorada e desliga.

ALEXIA: Caiu a ligação. Vou ligar pra casa dele.

 

CENA 19 – INT. CASA DOS GRAHAM – SALA – TARDE

O telefone toca e LOU, que estava passando pelo local, atende.

LOU: Oi, querida, tudo bom? [Ela afasta o telefone da boca] É a Alexia…

MATT faz um sinal de “não” pra tia.

LOU: O Matthew? Ele ainda não chegou. Claro, aviso sim. Tchau.

LOU encara o sobrinho, como se exigisse alguma explicação, mas ele desvia o olhar e volta a se concentrar na TV. A mulher senta ao lado do garoto e passa a mão na cabeça dele.

MATT: Lou…

LOU: Matt…

MATT: Eu posso falar com você um instante?

LOU: Claro! O que foi que houve dessa vez? O problema é sentimental ou sexual?

MATT: Tia…

LOU: Tá bom. O que houve?

MATT: Bom, acontece que você gosta de uma pessoa, mas essa pessoa tem um irmão, e ele vive ameaçando tirar essa pessoa de você. Tudo o que você queria na vida era bater nesse cara, pra valer sabe? Mas você não faz por causa dessa pessoa que você gosta. Você se sente tão humilhada, tão impotente, tão chateada que não consegue deixar de pensar si tudo isso vale a pena. Você me entende?

LOU: Olha, garoto, primeiramente eu jamais pensaria em bater no irmão da pessoa que eu gosto, mesmo se quisesse, eu sou uma dama, e damas não fazem esse tipo de coisa, especialmente se o cara for maior que eu. E depois você tem que parar com essa mania de falar em códigos! Pode abrir o jogo comigo, mesmo si o assunto for a “loirinha”. Você sabe que eu acho que ela não é a garota certa pra você, mas já que você gosta dela do jeito que você diz que gosta, ignora o irmão dela! Imagina que você tem uma balança gigante, ai você coloca a maluquinha de um lado, e o garoto do outro lado. Quem que pesa mais? Metaforicamente falado, é claro. Por que a Alexia não deve pesar mais que uma espiga de milho.

MATT: É… eu acho que entendi.

LOU: A garota é muito magra!

MATT: Tia….

LOU: Se der um vento mais forte ela voa, sabia?

MATT: Tia…

LOU: E se ela ficar de lado então….

MATT: Tia, não tem graça.

LOU sorri.

LOU: Você é um garoto legal Matthew. Não merece ficar triste por causa desse tipo de gente.

MATT: “Esse tipo de gente” é minha namorada.

LOU: Eu não quis dizer isso.

MATT: Semana que vem completamos um ano de namoro.

LOU: Parabéns. Eu te daria um troféu por isso…

MATT sorri timidamente.

MATT: Eu sei que ela é um pouco dramática, mas ela me faz feliz. Muito feliz.

LOU: Então se ela te deixa muito feliz, dane-se o resto.

MATT: Brigado, Lou.

LOU: Olha, querido, eu poderia ficar a tarde toda aqui, mas eu não posso. Tenho uma reunião importantíssima com o pai da sua “loirinha”, ás 3:30.

MATT: Algum problema com a fazenda?

LOU: Não, não… apenas coisas burocráticas. Agora me diz, eu estou bonita?

MATT: Está linda!

LOU: Se meus argumentos falharem, eu preciso ter uma segunda opção.

MATT parece envergonhado.

LOU: Agora vá atrás da sua loirinha.

MATT: Certo!

 

CENA 20 – EXT. HARAS DOS SAWYER

O sol está se pondo em Tulsa. SCOTT está montado em um cavalo preto no haras de seus pais. O garoto observa a irmã desenhando em baixo de uma árvore e desce do animal, segurando sua rédia, indo em direção da irmã.

SCOTT: Becky. Você quer tentar montar?

A garota demonstra uma expressão de medo.

BECKY: Obrigada Scott ! [Triste] Mas não tenho coragem.

SCOTT: Você precisa superar esse trauma, Rebecca.

BECKY: Eu sei. Eu adoro montar, mas toda vez que eu tento subir em um cavalo, só consigo lembrar do meu acidente.

SCOTT: Mas já faz tanto tempo, maninha !

A garota baixa a cabeça.

SCOTT: Vamos ! Eu te ajudo.

BECKY: Quem sabe um dia eu volto a montar. [Triste] Agora me deixa pintar.

SCOTT sobe no seu cavalo e vai em direção ao campo.

 

CENA 21 – INT. RED´S

SAM e MEL estão sentados em uma das mesas do Red’s, conversando.

SAM: Mel, desse jeito a gente não vai sair dessa questão.

MEL: Eu não consigo esquecer o que aconteceu ontem. Ai que raiva !

SAM: Melissa, esqueci isso! Você já conversou com o Matt?

MEL: Não. Ele sumiu hoje! Mas para que falar com ele. Se ele vai pedir desculpas pela loira oxigenada e depois vamos fingir que nada aconteceu.

SAM: É melhor agente estudar, antes que você dê outro chilique.

MEL: [Suspirando] Você tem razão.

A garota abre o livro.

SAM: Então, você entendeu o que é frequência?

MEL: Sim.

SAM: Se um corpo sofre uma pertubação de 50 clicos por 5 segundos, qual a frequência?

MEL: O corpo pode ser a Alexia?

SAM faz uma expressão séria e negativa.

 

CENA 22 – INT. CASA DOS DANES – QUARTO DA ALEXIA

[ MÚSICA- PERFECT, SIMPLE PLAN]

MATT e ALEXIA estão sentados na cama, um ao lado do outro, em silêncio. E assim permanecem por alguns segundos. MATT olha para a namorada, mas logo em seguida volta a olhar para frente.

ALEXIA: Eu pensei que você queria falar comigo.

MATT: Eu quero. Mas ultimamente eu sinto que qualquer coisa que eu faça, eu posso magoar você.

ALEXIA baixa a cabeça. MATT se aproxima.

MATT: Olha pra mim.

A garota obedece.

MATT: Deixa eu te contar uma história. Há muito tempo atrás, em um verão típico daqui. As ruas vazias e quente logo denunciavam que todos tinham algum lugar para ir. Sería como todos os anos, mas para um garoto, praticamente tudo mudou.

ALEXIA sorri.

MATT: Um dia ele foi fazer uma entrega, em um haras perto daqui. Foi quando o garoto a viu. Era a menina mais…

ALEXIA: Bonita? Maravilhosa?

MATT: Hum… incrivelmente insuportável.

ALEXIA: Então quer dizer que ela não chamou a atenção dele?

MATT: Sim. Mas, digamos que de um jeito negativo. [Ri]

ALEXIA rola os olhos.

MATT: Ok. Ela era muito bonita.

ALEXIA: Bom, pelo menos cego ele não era. [Sorri]

MATT: Mas não demorou muito para ele mudar de idéia, sobre o que ele achava dela.

ALEXIA: E o que te fez mudar de idéia? Quer dizer, o que fez ele mudar de idéia?

MATT: Uma noite, estava chovendo, o garoto havia terminado a entrega daquele dia, e pouco antes dele partir, escuta alguém chamar desesperadamente por socorro. Ele correu em direção ao campo, e viu a garota perto de um cavalo branco, que estava com uma das patas traseiras presa em um buraco. Ela tentava puxar o cavalo, mas claro que ele nem ao menos se movia.

ALEXIA presta atenção. olhando atentamente para MATT, que conta a história fitando os olhos da namorada.

MATT: Estava ventando e chovendo muito, mas ela disse que aquele era o cavalo da sua melhor amiga, e que ela não iria sair dali sem ele. Eles tentaram puxar o cavalo, por várias vezes sem sucesso. O animal não se movia. Até que um trovão o assustou, ele saiu do buraco sozinho, derrubando os dois no chão.

Os dois riem. Matt para por um instante, e coloca uma mecha de cabelo que insistiam em cair no rosto de sua namorada, delicamente, atrás de sua orelha.

MATT: Foi nesse instante que ele se apaixonou por ela.

ALEXIA: Quer dizer que toda a minha produção de menina do interior não te impressionou, e no dia que eu estou suja de lama, com o cabelo horrivel, você começou a gostar de mim? Você é muito inusitado.

MATT: Eu? Quem disse que o garoto sou eu? [Ri] Alley, por favor, esquece tudo o que tem acontecido últimamente. Não é sua culpa, não é minha culpa.

ALEXIA: Não! Matt! Você precisa parar de querer justificar as minhas atitudes. Eu sinto muito pelo o que aconteceu ontem. Talvez isso seja a coisa mais séria que você vai me ouvir falar. [Sorri] Eu sei que eu exagerei, e posso até ter motivos para Isso. Mas nada justifica por em risco o que a gente sente um pelo outro. [Suspira]

MATT à abraça cariosamente, enquanto ALEXIA encosta sua cabeça no ombro do garoto.

ALEXIA: Se você quiser eu peço desculpas à Melissa.

MATT se desvencilha rapimente, surpreso com o que a garota dissera.

MATT: Mesmo?

ALEXIA: Humm.. não mesmo. [Ri]

Os dois se aproximam lentamente.

MATT: Tudo vai ficar bem, ok?

ALEXIA: Ok.

ALEXIA fecha os olhos, e os dois se beijam. A câmera se afasta lentamente.

 

CENA 23 – EXT. CASA DOS MACKENZIE – FIM DE TARDE

ANNAa está sentada em um batente na varanda de sua casa, apoiando em seu colo, um diário, e segurando uma caneta azul. A garota parece pensativa, cativando um olhar disperso. Ela começa a morder a tampa da caneta, transformando sua expressão dispersa em um certo nervosismo. ANNA levanta-se, com um impulso, levando consigo seus objetos, caminhado pelo gramado da propriedade até parar em frente à uma caixa de correio coberta por um plástico. A garota analiza o objeto em sua frente por alguns segundos, e retira o plástico, revelando o nome “Mackenzie” escrito de preto. Ela sorri, e continua andando por mais alguns metros até se deparar com uma árvore. A garota faz um expressão intrigrada, como se a reconhecesse.

[FLASHBACK]

ANNA ri, enquanto o garoto tenta recuperar o fôlego.

ANNA: Corre, Matt!

MATT: Eu estou correndo, Anna!

ANNA: Ali, sobe na árvore!

MATT: O quê? Você tá maluca, eu não consigo subir em uma árvore!

ANNA: Qual é Matt? Eu te ajudo.

A garota sobe rapidamente na árvore. Olha para baixo e estira a mão para o amigo.

MATT: Eu não consigo. Sou muito pesado…

[FIM DO FLASHBACK]

Ela muda seu seblante, parecendo triste, logo em seguida, senta-se embaixo da árvore e começa a escrever em seu diário.

ANNA: [voice over] Eu nunca permiti que a vida me levasse para caminhos tortuosos. Sempre que algo de muito ruim acontecia, eu sempre dava um jeitinho, e é assim que eu sou. Sinceramente não posso deixar de dizer que dessa vez eu não sei o que fazer… você sempre imagina como vai ser quando esse dia chegar, e eu espero por esse dia há 7 anos. Passei da minha infância à adolescência imaginando o que poderia ter acontecido, formulando mil teorias, fazendo perguntas para as quais eu nunca obtive resposta, e eu sei que isso tudo está perto de acabar, mas a Anna que já não é mais tão corajosa e tão marota como um foi um dia, está com medo. Hoje faz 1 semana que voltei para Tulsa, hoje faz 1 semana eu tenho medo. Apesar de tudo, estou de volta onde pertenço.

Anna fecha o diário.

[MÚSICA FADE OUT]

 

ELENCO
Jonathan Bennett como Matthew Graham
Natalie Portman como Anna Mackenzie
Mena Suvari como Rebecca Sawyer
Lindsay Lohan como Melissa Baker
Austin O´Brian como Scott Sawyer
Joseph Gordon-Levitt como Samuel Wood
Kate Bosworth como Alexia Danes
Brad Renfro como Phillip Danes
Marisa Tomei como Lou Graham

ATORES CONVIDADOS:
Paula Cale como Katherine Mackenzie
John Wesley-Shipp como James Carter

PARTICIPAÇÕES ESPECIAIS
Logan O’Brien como jovem Scott Sawyer
Justin Riordan como jovem Phillip Danes
Keaton Tyndall como jovem Anna Mackenzie
Spencer Breslin como jovem Matthew Graham

MÚSICA TEMA
Promises, Lillix.

TRILHA SONORA
Little Black Backpack, Strooke 9
Perfect, Simple Plan
Unwell, Matchbox 20
Desease, Matchbox 20
Here Is Gone, Goo Goo Dolls

ESCRITO POR
Clara Lima
Sarah Lima

DIRIGIDO POR
Clara Lima

GRÁFICOS POR
Clara Lima

CRIADO POR
Clara Lima
Sarah Lima

AGRADECIMENTOS ESPECIAIS
Rafael Pires
Camila Martins

DISTRIBUÍDO POR
TVSN

® 2004-2006.

Séries citadas:

Os textos assinados pela Redaçao TeleSéries são textos de autoria coletiva ou notícias escritas por um redator anônimo, mas sempre revisadas com a máxima precisão jornalística.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account