Log In

Reviews

Rookie Blue – Poison Pill

Pin it
Série: Rookie Blue
Episódio: Poison Pill
Número do Episódio: 4x05
Exibição nos EUA: 18/07/2013
92
4.6
1

Rookie Blue foi renovada! Aeeeeeeee. Muitos motivos para comemorar. Acompanharemos nossos ‘novatos’ favoritos por mais uma temporada. E teremos mais tempo para ver a pegação Sandy – se os roteiristas cooperarem (nota: como vocês verão a seguir, tô com o coração dividido em relação a esse assunto).

Dito isso, vamos falar de Poison Pill. Outro episódio bem bacana nessa temporada, bem regular em se tratando da qualidade. E quando digo regular, digo constante. Porque de medianas as tramas não tem nada.

Nesse episódio, por exemplo, vimos o desdobramento de várias histórias. E gostei de QUASE todas elas. Só queria mais interação de Sam com Andy – ele mal se preocupou com ela, e o fato de Swarek nem ter dado um “confere” na situação dela quando McNally voltou pra delegacia me incomodou.

Então, vamos começar falando dos casais. Sandy, como todos sabem, não existe mais. E isso desde a reta final da 3ª temporada. Como eu comentei na review passada, um longo tempo se passou. Logo eles estarão separados há um ano, pelo menos. Tempo demais. E apesar de pra mim ainda estar bem claro que eles se amam (acho que ninguém duvida disso), acho que a situação de Swarek pode se complicar em breve. Há outra pessoa na jogada, e com uma química gigantesca com Andy.

Nick. Eu gosto muito da trama que estão dando pra Collins. E a cada dia é mais evidente a queda dele por McNally – especialmente agora que soubemos que no final de semana “de folga” dos dois, ao invés de voltarem para casa, eles decidiram passar um tempo “de qualidade” juntos. FOFO!! Da parte dela, porém, ainda não há sinais de uma paixão pelo amigo. Peck (tive peninha dela, mais uma vez) já sacou tudinho. Claro, ela precisou daquela ajudinha muy amiga da Chloe, e agora os sinais tão escancarados na sua frente. E o fato de Nick estar beeem desinteressado na namorada – o que foi aquela tentativa de ser fofo fazendo um desastre de café da manhã? – também não ajuda. Mas nem mesmo a rispidez de Gail impediu Collins de dar o omelete para Andy, o que confirma nossas suspeitas de que o café da manhã foi feito sob medida pra McNally.

Ok, eu shippo Sam e Andy. Ainda. Mas talvez seja hora de Andy se envolver com outra pessoa, especialmente se Sam continuar com Cruz. E quem mais apropriado do que o fofíssimo do Nick? Minha opinião sobre esse assunto ainda está meio nebulosa, mas confesso que os momentos que os dois gastam juntos – e a fofura que Collins teve com Andy quando ela voltou pra delegacia – me fazem querer vê-los como um casal. Meu coração shipper está dividido, já que Gail e Nick também me agradam demais. Veremos o que acontecerá na sequência.

E por falar em casal, Dov mais uma vez meteu os pés pelas mãos e resolveu não se envolver com a “complicada” Chloe. O vacilão pisou feio na bola ao desmarcar o filme por causa da bipolaridade dela.

Mal sabia ele que a bipolar, na verdade, é Cruz. Aliás, bacana ver ela se abrindo para Andy. Mas tenho certeza que essa história vai dar muita dor de cabeça para elas, ainda. Marlo vai perder – quem sabe – o emprego e – quase certo – o namorado. E Andy vai ser penalizada – tomara que não – por ter conhecimento do transtorno da colega e por não ter reportado aos superiores.

Sobre o caso, acho que ele tinha potencial pra ser bem mais dramático. Mas, ainda assim, foi interessante, e achei o desfecho bem imprevisível. E as investigações envolveram quase todos os policiais – e detetives -, cada um a sua maneira, o que também foi bacana. Ressalva: Nash até que participou bastante. Mas não sei, ainda sinto falta de alguma participação mais marcante dela. Tomara que logo vejamos algum destaque para Traci.

Do que não gostei, além do “descaso” de Sam com Andy? Do encerramento da história do Chris. Juro pra vocês que mesmo eu – que ficava insistindo que a enrolação deveria acabar – fiquei chocada quando, no final do episódio, ele se despede de Oliver. Sério, Chris? Assim? Sem nem uma despedida apropriada dos amigos, especialmente de Dov? Aparentemente, foi mesmo o último episódio de Travis Milne. Se for isso mesmo, uma pena que tenha encerrado sem um tchau apropriado. Especialmente porque o personagem, apesar do fraco final da 3ª temporada e do desperdício dessa quinta, foi um dos meus favoritos.

Hoje mais um episódio será exibido nos EUA. E parece que vem fortes emoções por aí. Até a review! =)

Séries citadas:

Editora Chefe do TeleSéries, gasta boa parte da sua semana com séries. Sua estréia foi com ER, e atualmente assiste - entre várias outras - Grey's Anatomy, Game of Thrones, Suits, Castle e Rookie Blue. Ainda assim, arrumou um tempinho para maratonar Friends, The X Files e Chuck - pela qual se apaixonou, recente e irremediavelmente. Está saindo da crise de abstinência de Fringe graças à Orphan Black.

4 Comments

  1. Patricia Emy

    “Shippando” Andy e Nick com força, hahahaha. Estou gostando da forma como os arcos estão se desenvolvendo. Gosto da Gail, mas essa química que surgiu entre McNally e Collins está me conquistando. Algo que me diz que o arco da Cruz não passa dessa temporada, mas dos roteiristas dá pra esperar tudo (joguem pedras, gosto dela, hehehehe, mas ainda acho que Sam merece mesmo é ficar sozinho pra largar de ser besta :P )

  2. Anderson Narciso

    Gostei da review Mariela. Tambem estou muito dividido. E acho que a Andy tem que ter um novo relacionamento. Ficar esperando o Sam decidir a vida dele não dá. E convenhamos, o Sam foi meio babaca nos ultimos tempos.

    Acho bacana a Andy se envolver com o Collins, e estou torcendo para isso acontecer. Mas ao mesmo tempo, fico com pena de desmanchar Gail e Nick que é também um excelente casal.

    Agora um que não suporto mais é o Chris. Já vai tarde!
    O personagem dele tava um porre…

  3. Mariela

    Verdade, tava um porre mesmo. Uma pena, pq sempre gostei muito do personagem.

    To quase torcendo pra Nick e Andy, mesmo com uma peninha de largar Sandy! =P

  4. Mariela

    Eu não gosto muito da Cruz pq acho que ela não acrescenta muito. Gostava muito mais da Sue (a ex-do Dov), por exemplo, e ela aparecia bem menos. Mas não me importo da personagem ficar na série.

    To bem inclinada a pensar que Sam tem que ficar sozinho, mesmo! Ele tá muito jackass pro meu gosto. E sim, a química de Nick com Andy só aumenta. Quero só ver onde isso vai dar! =)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account