Log In

Reviews

Rookie Blue – Different, Not Better e The Kids Are Not Alright

Pin it
Série: Rookie Blue
Episódios: Different, Not Better e The Kids Are Not Alright
Número dos Episódios: 4x03 e 4x04
Exibição nos EUA: 27/06 e 11/07/2013
88
4.4
1

Dois episódios bacanas, que trouxeram o desenvolvimento de algumas histórias. E de uma forma beeeeem legal. Ok, não foram dois episódios de tirar o fôlego. Mas cumpriram bem o papel de entreter em nível elevado. Rookie é uma das delícias da Summer Season e eu não paro de desejar a renovação do seriado para uma 5ª temporada.

Sandy. Quero meu ship de volta, produção. Tem como agilizar isso pra mim? Nunca, nessa temporada, estivemos tão longe de um retorno, e isso me angustia. 13 episódios passam rápido, e quando eles voltarem (falo quando, e não se, porque pra mim isso é um fato dado. Não me desapontem!!) a temporada vai acabar. Ou seja, poucas cenas iguais àquelas de On The Double. Tristeza.

Em Different, Not Better, Andy teve que aprender a lidar com Marlo, a nova namorada de Sam. Ok, ela não é má pessoa (só é um pouco malinha), mas não tem como desejar que a moça continue na série. Por isso fiquei felizona quando Cruz falou para Dov, já em The Kids Are Not Alright que nunca tinha precisado puxar o gatilho em 13 anos de Swat, e que a morte da senhorinha problemática de Different a afetou. Pra mim, isso é um indicio de que ela pode não agüentar o rojão e sair da 15ª. OREMOS!

Mas Andy – e seu coração mole – ficou agradecida pela cobertura de Marlo, e teve uma conversa chateante com Sam. Se Shaw tinha convencido a garota de que ela não é do tipo que desiste, ela mudou de ideia e disse para Sam que sua maior qualidade é saber a hora de desistir. Quase entrei na tela para segurar Andy e não deixar que ela partisse. E o chamado do Sam, aquele “até amanhã”, foram quase uma súplica para que ela não entregasse os pontos. Mas né, Swarek continua com a latina, então não sei como isso vai acabar. Só torço pra que seja logo.

Enquanto isso, me contento com os momentos paspalha da Andy, como ela falando pra ele que o jeans e a camisa caíram muito bem nele e tendo que ser resgatada por Gail e Traci antes que a baba escorresse do canto da boca. Foco, Andy!!

E já que falei da Gail, confesso que TIVE que rir da loira no final de The Kids Are Not Alright. Ela sabe ser uma bitch como ninguém, e pela primeira vez alguém conseguiu deixar a loira sem resposta. Boa, Chloe. Mas também tive pena dela, já que Nick (como havíamos falado nos comentários de Homecoming) está mesmo caidinho por Andy, e cada vez mais fica evidente esse interesse. Agora que a loira tá sabendo de “tudo”, nem beber aquele líquido verde repugnante vai salvar Collins da ira de Peck. Aguardem fortes emoções.

Fortes emoções. Acho que é isso que falta pra história de Traci ficar mais interessante. É claro, depois do drama do Barber não dava pra pesar a mão na história dela. Mas acho que ela merece casos mais instigantes pra investigar, no mínimo. Não que eu tenha achado os casos desses últimos episódios ruins, longe disso. O caso do garoto-que-é-garota foi bem interessante, mas não exigiu muito de Traci. O destaque todo ficou com Andy, nesses dois episódios. Aliás, na quarta temporada toda tem sido assim.

Dov também não está com um desenvolvimento brilhante. Mas gosto mais dele com a Chloe por perto, apesar da garota ser absolutamente perturbada. E foi interessante ver Oliver dando um toque para o policial, e ele finalmente compreendendo que agora Chris tem suas responsabilidades. Ou seja, apesar de Chris ter virado um chato que só fala do filho, ele é o cara que segue sempre as regras, e fazer o relacionamento dele com Denise dar certo por Christian é uma delas. Então, achei bonita a atitude de Dov (que também foi super querido com Marlo). Assim como com Traci, espero que Dov volte a ganhar destaque. E se possível (sonho meu), que Sue volte. Ele era um SUPER cara perto dela.

Como já estamos quase na metade da temporada, acho que podemos esperar por alguns episódios mais tensos e com casos mais bombásticos. Enquanto isso, vamos torcendo pela renovação e pela certeza de acompanhar as tramas dos “novatos” mais queridos das telinhas por mais uma temporada.

Até a próxima review.

P.S.1: como tem passado o tempo nessa temporada! Foram seis meses entre o final da 3ª e o início dela. Logo depois, umas duas semanas entre o primeiro episódio e o segundo (não lembro com exatidão quanto tempo foi). Agora, mais duas semanas entre  Different, Not Better e The Kids Are Not Alright. Já faz muito tempo que Sam e Andy romperão! Junte-os logo, produção, plmdds!

P.S.2: AMEI o paintball e o acampamento. Por menores que as cenas sejam, é sempre legal vê-los como um grupo de amigos.

Séries citadas:

Editora Chefe do TeleSéries, gasta boa parte da sua semana com séries. Sua estréia foi com ER, e atualmente assiste - entre várias outras - Grey's Anatomy, Game of Thrones, Suits, Castle e Rookie Blue. Ainda assim, arrumou um tempinho para maratonar Friends, The X Files e Chuck - pela qual se apaixonou, recente e irremediavelmente. Está saindo da crise de abstinência de Fringe graças à Orphan Black.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account