Log In

Reviews

Rizzoli & Isles – Remember Me

Pin it

Série: Rizzoli & Isles
Episódio: Remember Me
Temporada:
Número do Episódio: 2 x 10 (Summer Finale)
Datas de Exibição nos EUA: 12/09/2011

Antes de Rizzoli & Isles entrar em hiato, David J. North e Janet Tamaro (que escreveram o episódio) resolveram dar um super presente para os fãs da série. Remember Me foi ótimo.  Teve o retorno de Hoyt. Teve ação e uma boa trama. Teve suspense. Teve diversão. Enfim, foi fácil ficar 41 minutos assistindo o episódio. Difícil vai ser esperar até 28 de novembro pelas próximas emoções.

Em Remember Me, Jane e Maura são chamadas em uma penitenciária. Um detento, que estava de saída – após ter sua fiança paga por um “anjo” –, é atacado a golpes de “faca”. As parceiras correm até o local, na esperança de interrogar a vítima, mas quando chegam o rapaz já está morto. Nesse momento, o primeiro reencontro do dia: o diretor do presídio é um ex-advogado de defesa, que tem problemas pessoais com os detetives, e não faz nada para facilitar a vida deles.

Maura começa a examinar o corpo. É quando ouvimos uma voz conhecida. Hoyt, o “bicho-papão” de Jane, está de volta. Apesar de merecer o isolamento em algum presídio de segurança máxima, ele está na enfermaria por que tem câncer, em estágio terminal. E, apesar de Korsak e Jane duvidarem da doença (depois da falsa apendicite, era de duvidar mesmo), Maura a confirma (após “furtar” amostras de sangue).

Mas, mesmo enfraquecido, e aparentemente à beira da morte, Hoyt quer jogar um último jogo. Ele resolve “confessar” para Jane coisas muito ruins que teria feito. E solta um monte de frases “sem sentido” para cima dos detetives.

Tudo começa a mudar quando Isles encontra um pequeno saco com 4 dentes dentro do intestino da vítima (sim, você leu bem. Dentes). Jane liga o fato com as frases de Hoyt, e resolve procurar por mais pistas em casos encerrados. Após conversar com a mãe do ex-detento morto (e descobrir sobre o pagamento da fiança e a escola de Direito), Korsak se junta à Jane na ingrata tarefa de remexer nas caixas do porão. Achei bem simbólica essa cena. Fica evidente que, apesar de não acreditar que a busca dará resultados, Korsak quer sinalizar à Jane que ela não está sozinha.

Depois de passar a noite procurando nos arquivos encerrados, Rizzoli acaba encontrando o caso de uma família desaparecida: os pais e as duas filhas sumiram sem deixar rastros. Com base na amostra de DNA cedida pelo filho “sobrevivente”, Maura confirma que os dentes são dos desaparecidos. E há provas que ligam a família à Hoyt e ao detento morto, o que leva os detetives a acreditarem que a vítima era o novo “aprendiz” do ‘serial killer’.

As frases de Hoyt levam os detetives a procurar pelo corpo em um parque. Mas as buscas revelam-se infrutíferas. Quando, aparentemente, Jane volta a estaca zero, uma conversa com Maura clareia suas idéias, e os corpos são encontrados no fundo de um lago.

E enquanto Frost e Korsak buscam por impressões digitais no dinheiro utilizado para pagar a fiança do detento morto, Jane e Maura vão até a enfermaria, já que Hoyt está morrendo e deseja conversar com Rizzoli pela última vez.

Acreditando na promessa de que terá os nomes de todas as vítimas de seu torturador (um pouco de inocência, certamente), Jane resolve se encontrar com Hoyt. E o moribundo assassino demonstra que não estava tão frágil assim: ele domina Jane, avisando que nunca deixa um trabalho inacabado. Ou seja: seu presente de aniversário para a detetive alvo de sua fixação será a morte. Com a ajuda de Mason, o guarda da prisão que é, na verdade, seu novo “aprendiz” (por prazer e diversão); Hoyt começa a torturar Jane, sob o olhar aterrorizado de Maura.

Mas, quando a tortura passa a ser praticada na amiga, Rizzoli reúne as forças que lhe restam e domina Hoyt. Depois de uma curta luta corporal, ela acaba matando seu torturador com um bisturi. E Mason é alvejado por Korsak, que chega na hora (santas impressões digitais!). Rizzoli desaba. Finalmente, ela não precisa mais temer Hoyt.

No final do episódio, Rizzoli ganha sua merecida recompensa: uma festa “supresa”, toda decorada com pôneis. E dois grandes presentes: a aprovação, com louvor, de Frankie Jr., na prova para detetive; e a ida para uma escola de corrida (devidamente paramentada com os sapatos), de Maura. Um clima ameno e feliz, para encerrar um dos episódios mais tensos da temporada.

Agora, serão dois meses de espera pelo próximo episódio da série. Mas, podemos esperar tranqüilos. Afinal, Rizzole & Isles não tem apresentado nada abaixo de muito bom nessa temporada. Até lá!

P.S.1: Hoyt menciona que adora livros de mistério. O livro que aparece ao lado da sua cama, The Silent Girl, foi o último lançado por Tess Gerrits, autora da série de livros nos quais Rizzoli & Isles é inspirada.

P.S.2: E Frankie Jr.? São músculos, ou ele está gordo?

Séries citadas:

Editora Chefe do TeleSéries, gasta boa parte da sua semana com séries. Sua estréia foi com ER, e atualmente assiste - entre várias outras - Grey's Anatomy, Game of Thrones, Suits, Castle e Rookie Blue. Ainda assim, arrumou um tempinho para maratonar Friends, The X Files e Chuck - pela qual se apaixonou, recente e irremediavelmente. Está saindo da crise de abstinência de Fringe graças à Orphan Black.

5 Comments

  1. Anônimo

    nossa, que episódio tenso! comecei a ver na 2a temporada, que só tinha tido episódios leves mesmo quando o crime era hediondo. fiquei na ponta da cadeira o tempo todo!

    a participação da personagem da sasha alexander foi menor desta vez, tanto no tempo de tela quanto em relevância – só foi diferencial no furto da amostra de sangue e para servir de motivo pra reação da jane. mesmo assim, TENSO!

    agora é esperar novembro…

  2. Anônimo

    Bela review, Mari. Pena que eu não vejo a série. É mto moderna pra mim. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account