Log In

Reviews

Rizzoli & Isles – Crazy for You e Cuts Like a Knife

Pin it

Série: Rizzoli & Isles
Episódios: Crazy for You e Cuts Like a Knife
Número dos Episódios: 3×07 e 3×08
Exibição nos EUA: 17/07/2012 e 24/07/2012

Ao me preparar para escrever essa review, me peguei pensando nos oito episódios já exibidos nessa temporada. E cheguei a seguinte conclusão: posso procurar, e não acho um episódio ruim de Rizzoli & Isles. Não me canso de dizer o quão impressionada fico com a regularidade da série, a excelência da mesma. Tem muita série por aí que é regular. Mas poucas conseguem tal regularidade enquanto mantem um alto nível. E R&I consegue fazer isso, sem sombra de dúvida.

E os dois episódios objeto dessa review ilustram bem o que eu quero dizer. Crazy for You foi um episódio redondinho, instigante, com um caso bem construído, que me deixou com o coração na boca antes do seu desfecho. Era natural que o nível caisse um pouquinho no episódio seguinte. Mas não. Cuts Like a Knife conseguiu ter um caso ainda mais instigante e interessante. Ainda mais bem construído. Por isso tudo digo e repito que a série merece a audiência que tem, e a renovação mais uma vez obtida bem cedo.

Em Crazy for You, enquanto Maura se entertia com uma reunião nada convencional de médicos legistas – com direito à declaração de amor do Dr. Pike e tudo -, Jane corria risco de morte ao ser aprisionada pelo seu amoroso esposo.

Pessoas, o que foi aquela reunião? Um médico mais excêntrico que o outro. Dos convidados, só se salvava o texano. De resto, insanidade e bebedeira.

Pra mim o desfecho do caso foi uma surpresa, já que nunca imaginei que o amável e atencioso padeiro era um lunático obcecado por Jane. Muito muito assustadora a obsessão do cara, a reconstrução do quarto, as fotos-montagem na parede, Jane vestida de mulherzinha. Enfim, um caso bacana, bem sólido, com uma reviravolta final. Ponto para os roteiristas de Rizzoli & Isles, novamente.

Ah, não posso esquecer de Angela e de seu super carro, que propiciaram o encontro dela com a ex-noiva de papai Rizzoli e ex-peguete de seu filho problema. Será que vem um netinho para a cômica mamãe Rizolli, ou Jane ganhará um irmãozinho? Aguardemos as cenas dos próximos episódios.

Em Cuts Like a Knife, mais um super caso.  Adorei a discussão sobre a imigração de jovens garotas, em busca de uma vida melhor, e o desenvolvimento da trama de aprisionamento sexual das mesmas. Acho legal mexerem com essas questões polêmicas e controvertidas, inclusive tocando no aspecto das falsas agências de caridade.

O caso era tenso, dramático mesmo. Mas foi bem contrabalanceado pelos momentos “sonho” de casamento de Isles (nossa superculta poliglota) e de – forçadamente – Jane. O sonho dela não é perfeitamente compatível com sua personalidade? Adorei.

E também achei uma comédia a trama envolvendo Frost e Frankie. Quem diria que o Código dos Homens seria tão engraçado? Dividir a mulher pode, mas um guarda-chuva nem pensar? Diversão pura, especialmente por ver Maura tão interessada, antropologicamente, no tal código.

E quem diria que um policial e um detetive poderiam ser tão “espertos”, e cair tão, mas tão fácil na lábia da traficante de drogas? Aparentemente, o vacilo custou mais caro para Frankie, que viu suas chances de ser detetive diminuirem consideravelmente, apesar de todo o lobby de Angela com o chefe – ainda acho que rolará algo quente entre eles.

Agora, estamos pertinho do 10° episódio. E provavelmente teremos um grande hiato antes da exibição dos últimos cinco episódios da temporada, assim como no ano passado.

A única certeza, nesse ponto, é que sentirei falta da série, quando esse momento chegar. E de que antes de nos despedirmos dessa temporada, ainda veremos mais 7 ótimos episódios. Alguém discorda?

Séries citadas:

Editora Chefe do TeleSéries, gasta boa parte da sua semana com séries. Sua estréia foi com ER, e atualmente assiste - entre várias outras - Grey's Anatomy, Game of Thrones, Suits, Castle e Rookie Blue. Ainda assim, arrumou um tempinho para maratonar Friends, The X Files e Chuck - pela qual se apaixonou, recente e irremediavelmente. Está saindo da crise de abstinência de Fringe graças à Orphan Black.

2 Comments

  1. Márcia

    puxa, gosto muita da série mas você Mariela, acho que gosta mais!!

  2. miriam

    Alguém pode me dar uma dica de onde comprar a primeira e segunda temporada sem ser pirata podendo ser dublada ou legendada já pelo que parece a série não vai ser lançada aqui no Brasil!aceito sugestões .(não tenho como baixar ) se alguem for dar essa dica .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account