Log In

Reviews

Rizzoli & Isles – Brown Eyed Girl

Pin it

Série: Rizolli & Isles
Episódio: Brown Eyed Girl
Temporada:
Episódio: 2×04
Data de exibição nos EUA: 01/08/2011

Ainda não achei a palavra certa para definir esse episódio de Rizzoli & Isles, mas posso afirmar que gostei muito do episódio. Todo o drama da garota raptada, a história de correr contra o tempo para localiza-la ainda viva, e a comoção pela menina que morreu para proteger Mandy conseguiram prender muito bem a atenção.

Em Brown Eyed Girl Mandy, filha de um ex-parceiro de Jane, foi raptada. Procurados pela mãe da garota, Rizzoli, Isles, Frost e Korsak unem-se para localiza-la rapidamente.

Todas as pistas são fornecidas por Joey, o irmão caçula de Mandy, que viu a irmã ser levada. Com base nas informações que o garoto fornece, os detetives começam as investigações. E o fato da família de Mandy e Joey estar um pouco desestruturada – com pais separados culpando-se mutuamente pelo sequestro –  não auxilia nas buscas pela menina.

O clima, que já era tenso, piora quando é encontrado o corpo de uma menina que tem as mesmas características de Mandy. Felizmente, o corpo não era da garota. E, a partir daí, Maura se dedica a ligar a morte da “Joana Ninguém” ao sumiço de Mandy, buscando evidências que levem os detetives ao seu cativeiro.

As investigações evoluem, e os detetives trabalham em três frentes diferentes: a autópsia do corpo da “Joana Ninguém”; os dados do telefone e das redes sociais de Mandy; e os dados fornecidos por Joey. E foi com base nos desenhos do caçula que Jane e Frost conseguiram localizar o veículo da sequestradora. Mas um erro policial estraga a tocaia de Korzak e Rizzoli (achei hilária a expressão do policial que estragou toda a operação. Acho que nem ele mesmo entendeu o que ele fazia por ali).

Mas Jane não se deu por vencida, e continuou nas buscas por Mandy. E foram as fotos de Sophie (a “Joana Ninguém”) que ajudaram a chegar ao criminoso: um fotógrafo. O final do episódio foi muito bem produzido: a cena da invasão da casa do criminoso deixou evidente como os detetives estavam tensos com a possibilidade de um desfecho trágico. E nem a esquisitice do criminoso correndo enlouquecido com um machado na mão conseguiu diminuir os êxitos do episódio. No final, o bom trabalho de todos os detetives levou a um desfecho feliz.

E pra finalizar, preciso dizer que esse ótimo episódio foi brindado com a maior audiência da temporada: cerca de 6,45 milhões de espectadores. Agora, é esperar a renovação da série, assim como as próximas emoções da temporada.

P.S.1: mais uma vez, Angela esteve ótima no episódio. Suas participações são pequenas, mas sempre importantes. E nesse episódio, foi essencial o apoio que ela forneceu à família da garota raptada.

P.S.2: achei ótima a forma como o drama envolvendo sequestros foi trabalhado nesse episódio. Palmas para as participações de Annie Wersching e, especialmente, de Max Martini, que interpretaram os pais de Mandy.

Séries citadas:

Editora Chefe do TeleSéries, gasta boa parte da sua semana com séries. Sua estréia foi com ER, e atualmente assiste - entre várias outras - Grey's Anatomy, Game of Thrones, Suits, Castle e Rookie Blue. Ainda assim, arrumou um tempinho para maratonar Friends, The X Files e Chuck - pela qual se apaixonou, recente e irremediavelmente. Está saindo da crise de abstinência de Fringe graças à Orphan Black.

3 Comments

  1. Pingback: TNT renova Rizzoli & Isles

  2. Anônimo

    só assisti agora [passei uma semana presa com os bórgias, lol], mas adorei esse episódio. chorei um monte, é verdade.

    e eu surtei ou rolou uma olhadinha do korsak pra mãe da jane?

  3. Mariela Assmann

    Lu, to começando a achar que sempre rola essa olhadinha. =)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account