Log In

Reviews

Revolution – The Plague Dogs

Pin it
Série: Revolution
Episódio: The Plague Dogs
Número do episódio: 1×04
Exibição nos EUA: 08/10/2012
68.8
3.4
5

No seu quarto episódio da primeira temporada, Revolution mostrou a que veio para o espectador que teve sangue no olho e seguiu a série até aqui. Depois de um início com alguns bons momentos, mas em meio a episódios sem ritmo e personagens pouco cativantes Revolution mostrou que tinha sim lenha para queimar e porquê conseguiu confirmar sua temporada completa na NBC.

Quando li o nome do episódio, The Plague Dogs, achei que não era dessa vez que Revolution revolucionaria finalmente, mas foi. Praticamente todos os plots e núcleos da série estiveram presentes no episódio, tudo isso para alavancar a série de uma forma que eu não achava mais possível. Finalmente começamos a nos importar com a jornada de Charlie, ganhamos uma rica de uma personagem que foi Maggie que apesar de morrer contou uma ótima história no seu último episódio e Miles ganhou o que faltava no seu personagem: humanidade. Os mais durões vão dizer que foi um cisco no olho, mas deu para chorar com The Plague Dogs.

Com um ritmo constante do início ao fim do episódio Revolution mostrou não apenas a humanidade em Miles, mas a humanidade em torno de todos os personagens do seriado. Até o capitão Neville abriu seu coração ao falar de seu filho para Danny. Conhecemos a trajetória de Maggie tentando voltar para a Inglaterra e ver os filhos. Maggie e Nora ainda funcionaram como ótimas personagens espelho, fazendo Miles repensar no que estava fazendo. Deu até para rir pela primeira vez com Charlie falando com Miles: “Toda pessoa que conhecemos quer capturar você, matar você, nos matar por conhecê-lo ou sair correndo com medo de você”.

Revolution conseguiu fazer os espectadores refletirem sobre como ficou o mundo após o apagão e nos deu mais dicas sobre o motivo de tudo que aconteceu. Ben era um professor de álgebra que acabou trabalhando, com acesso total, no Departamento de Defesa dos Estados Unidos. Monroe sabe disso e está decidido a fazer Rachel falar. Agora sim ficou mais claro a importância de Danny e ele também ganhou corpo como personagem nesse episódio. Suas cenas com Neville fazem bem mais sentido do que ele sendo boneco de tortura de um soldado da milícia que ficou magoadinho por Danny ter matado um outro soldado enquanto tentava defender seu pai – como ocorreu no episódio anterior.

The Plague Dogs teve ótimas cenas quando Miles e Nate foram atrás de Charlie, que havia sido levada pelo maníaco dos cachorros. Logo depois a cena da morte de Maggie mostrou um Miles que até então não conhecíamos e logo depois Revolution brincou com nossos corações e mostrou uma cena em que Rachel se entrega a milícia a pedido do próprio Miles. E agora? Agora aguenta coração.

Por uma infeliz coincidência sugeri na review passada que vocês analisassem qual dos personagens de Revolution poderia morrer que você não sentiria nenhuma falta. Infelizmente se fosse uma votação de Big Brother poderíamos considerar que a eliminação foi nesse episódio. Maggie foi eliminada, justamente quando mostrou sua importância na história da série. No entanto sua participação cumpriu seu objetivo, a cena da sua despedida foi linda, ela fechou seu ciclo e completou sua tarefa no seriado. Depois de The Plague Dogs meu voto certamente não iria para Maggie e só por esse fato sua presença já valeu a pena.

PS: Parques de diversões por todos lados, parques de diversões em tudo que eu vejo.

Séries citadas:

é Jornalista, Publicitária, Gaúcha, Capricorniana de 84. Além de escrever no TeleSéries, trabalha como coordenadora de imprensa na Prefeitura de Taquari e assessora de imprensa no Campeonato Gaúcho de Rally 4x4. Fã de cinema, esportes, literatura, música e séries de televisão. Começou a assistir seriados com E.R. e Arquivo. X. Gostaria de ter estudado em Hogwarts, jogado quadribol e tomado cerveja amanteigada, mas se contenta com um gol do Grêmio e uma Heineken. Nunca ganhou um prêmio importante, mas já levou pra casa um Kikito de chocolate de Gramado/RS.

Website: http://www.alineben.blogspot.com

4 Comments

  1. biancavani

    Bem, como o abraço entre Charlie e Milles parece sinalizar compreensão daqui para frente, quem sabe seja eliminada aquela linha Charlie-revoltada-contra-o-tio. Mas e melhor não comemorar muito, pois, antes do tio, Charlie era revoltada contra Maggie, então está parecendo mais que ela seja uma pain in the ass incorrigível.

    Exato! Aquela cena do Neville com Danny foi maravilha. Como Esposito representa bem o impiedoso total e simultaneamente o coitado-produto do meio!

  2. Aline Ben

    Olha, mesmo passando a me importar um pouquinho com a Charlie agora espero que Revolution não trabalhe muito em cima dela… hehehe, tu tens razão, muito cedo pra comemorar! Hehehe.

  3. Pingback: Revolution – Nobody’s Fault But Mine

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account