Log In

Reviews

Review: Veronica Mars – Un-American Graffiti

Pin it

Cena de Un-American Graffiti
Série: Veronica Mars
Episódio: Un-American Graffiti
Temporada:
Número do Episódio: 60
Data de Exibição nos EUA: 1/5/2007
Data de Exibição no Brasil: 16/6/2007
Emissora no Brasil: TNT

Episódio polêmico o deste sábado. A primeira vez que assisti, eu simplesmente adorei. Uma das maiores críticas minha havia sido atendida. Os coadjuvantes tiveram espaço, com direito a Max e tudo. Porém, a segunda vez que analisei o episódio, senti falta de alguma coisa, eu comecei a lembrar da primeira temporada e senti falta daquela essência. Senti que assisti os mesmos personagens, os mesmos ambientes, mas mostrados de uma forma diferente. Sem sombra de dúvida, esse foi o episódio mais teen da saga Veronica Mars, e eu particularmente não curti muito isso.

“Tentando seguir em frente” podia ser o nome do episódio, pois esse é o lema de Veronica. Na verdade, ela tenta encontrar uma forma de se acostumar com a sua nova fase: solteira, ainda apaixonada e sem um grande crime para ocupar o seu tempo. E esse vazio foi um dos motivos para ela aceitar o crime da semana.

Por falar em crime da semana, tivemos a volta de um convidado da série. Amyra é o nome da personagem e, sinceramente, não lembro ao certo de qual episódio ela participou – mas como outro colaborador do site, Lucas, foi induzido a assistir Veronica Mars desde a primeira temporada em menos de dois meses. Fico na expectativa que ele diga onde Amyra apareceu na série antes. Caso mais alguém queira se aventurar, sinta-se a vontade.

Voltando ao crime da semana, o mais interessante desse crime foi o fato de não ter sido aquele tipo de caso que coincide com a vida de Veronica. Havia sentimento envolvido, é verdade, mas é a polêmica criada foi a parte alta desse episódio. Afinal de contas, em um país com várias raças vivendo juntos, o que é ser patriota? Essa pergunta se encaixa também para nós brasileiros, afinal de contas, aqui, o país não faz muita coisa pela gente, mas basta alguém se destacar, seja no esporte, na música ou no cinema e logo batemos no peito, é brasileiro. Mas isso é patriotismo? A mesma pessoa que bate no peito, não se sensibiliza com os mais necessitados, ou rouba, e que me desculpem os mais fanáticos, a maioria está se lixando para o país, mas ainda assim se declarama patriotas.

No episódio não foi diferente, muita coragem de Rob Thomas em mostrar um árabe tentando sobreviver de forma honesta nos Estados Unidos. E este diálogo entre o americano Derek e o árabe Richard, no meio do episódio, fala por mim:

Grande coisa eu ir para a cadeia. Meu irmão está la em cima em uma cadeira de rodas, com os quatro anos que ele passou defendendo a América e o que ela representa.

O que ela representa? Você por acaso sabe o que ela representa? Dizer que ama a América é fácil. É fácil até alguém pichar “terrorista” na sua porta. É fácil até alguém te entregar um folheto que zomba do sacrifício do seu irmão. Todos nós viemos de algum outro lugar, todos nós estamos tentando fazer dar certo, sobreviver. Na América, o que quer que seja que ela representa pra você, você deve ser honesto. Isto é pelo o que seu irmão estava lutando.

Agora, vocês tiram a sua própria conclusão. O que é patriotismo? Sinceramente, antes mesmo de eu assistir esse episódio, já concordava com a linha de raciocínio de Richard, porque do que adianta levantar uma bandeira e querer o melhor pra seu país, quando o que você faz é prejudicar os outros?

Outra dúvida para vocês. Quem terá entregado Nassir para imigração? Aposto que tem dedo da Veronica. Por falar em Nassir, outra cena que valeu o episódio foi a Veronica sugerindo que estava em uma suruba com Nassir e outro casal. Desculpem-me as mulheres, mas os marmanjos, levem essa cena pra vida real, imaginem que era vocês no meio da madrugada e uma loira gata como ela aparece e te diz umas coisa dessas. É de pirar qualquer um.

Nas cenas dos episódios anteriores, Piz diz para Veronica:

Pra que se importar com algo que não é bom, só por ser algo?

Cena de Un-American GraffitiProvavelmente ele se referia ao casal LOVE. Mas e agora? Veronica se importou pelo beijo que Piz deu nela só por ser algo? Ou é a relação dela com Logan que não passou de algo sem definição? A cena final responde perfeitamente.

E o que falar de Max e Mac. O encontro dos dois trouxe uma citação a primeira temporada (quando Veronica descobre que Mac estava sobre a chantageando seus colegas com o teste de pureza e mesmo assim ficou calada. Max também não fica atrás, a pergunta dele diz tudo sobre a aproximação dele com Mac:

Ok! Falando sério, Meus amigos te contrataram?

E Keith nesse episódio se mostrou bastante linha dura e logo percebemos porque ele é tão bem sucedido nas suas investigações enquanto Lamb… Talvez seja besteira, qual a diferença de 18 para 21? Pelo que eu bem lembro de minha vida, eu era idiota aos 18 e continuava idiota aos 21. Mas também sei que três anos fazem muita diferença. Eu não sei no restante do país, mas aqui, onde moro é normal meus amigos saírem para beber e depois dirigir. É um erro grave, mas não nos importamos, pois o que vale a pena é se divertir. Ledo engano, a verdade que devemos agradecer a Deus cada vez que uma loucura dessas é feita e ninguém sai ferido. E devemos aprender com o erro, ou alguém aqui quer esperar para ter um acidente por estar alcoolizado para perceber que bebidas em exagero causam risco de morte. Dois temas polêmicos são abordados no episódio e os dois muito bem trabalhados.

E dessa vez foi Keith que se desapontou com Veronica, e pelo tanto que ela exige dele como pessoa, ela não podia cometer um vacilo desse. Mas o que se pode fazer, somos humanos.

Engraçado que comecei a review dizendo que quando revi o episódio, não gostei muito dele, mas depois de escrever tudo isso, como não gostar de um episódio desse?? Bom, eu sou humano…

Séries citadas:

7 Comments

  1. Paulo Fiaes

    esqueci de comentar na review obre Logan e Parker. sinceramente, eles formam um ótimo casal, mas as coisas estão corrida de mais. e fica na cara que parker é uma substituta, Logan e Veronica nã estão juntos, porque não conseguem lidar um com o outro, mas fica claro q um ainda tem sentimento pelo outro. tanto no começo do episodio como no fim, houve duas cutucadas de ambas as partes falando sobre um gostar do outro. Acho que esse niver de Parker deveria ser explorado em outro momento, mas estamos no fim. as coisas tem que ser corrida mesmo.

  2. Paulo Antunes

    Eu temi muito por esta última fase, sem arcos, de Veronica Mars. Mas, felizmente, o medo foi em vão.

    Achei o episódio ótimo, incrível, um dos melhores da temporada – só perde pra revelação do estuprador barbeiro.

    Gosto muito da forma natural como Veronica Mars aborda uma questões espinhosas – neste caso, como o Paulo observou nem foram uma mas duas questões.

    Paulo, sobre a Veronica decepcionar o pai, acho que não é por aí. Ela é uma teenager. Na verdade ela tinha até que pisar na bola mais vezes, porque seria mais realista – não tanto quando a filha do Shark, que é incrivelmente estúpida, mas uma pisadinha ou duas por temporada deveria ser normal. Quem acompanha a série sabe o motivo da Veronica ter distribuídos as “fake ids” pro Piz, pro Wallace e pra Mac, foi para investigar os estupros no campus…

    A cena final foi demais. Agora que sou adulto, eu meço a qualidade de uma série teen pela capacidade de me transportar para a adolescência. Os diálogos do Wallace com Piz, a metáfora do pôquer, levando o Piz a arriscar o “all in” com a Veronica, tudo me transportou pros meus tempos de universitário. E se eu tivesse assistido Veronica Mars naqueles tempos estaria tão em transe que teria arriscado um “all in”. Foi incrível.

  3. Fer Funchal

    Paulo, no final das contas eu me enrolei, me enrolei com os últimos episódios de V-Mars, mas… acabei assistindo os cinco neste fim de semana e adorei! que droga, tudo o q eu achava de errado na terceira temporada foi consertado nessa finaleira, e agora eu tô com uma dor no coração de saber que a série terminou :-(

  4. Paulo Fiaes

    Como disse, esses últimos episdodios foram polemicos, eu particulamente gostei muito. s coadjuvantes, mas a propria Veronica sao melhores trabalhado. porem é uma relação amor e odio. ouço pessoas falarem q nao gostaram, mas normal, sao os saudosistas da primeira temporada.

    eu ate comparei a série com a primeira temporada, mas no final falei que ao comentar o episodio. impossivel nao gostar. houve tantas coisas tabalhada. a unica falha tinha sido de Logan e Parker, q acabou acontecendo rapido demais. mais ate nisso a série é real, qntos relacionamentos sao assim? eu vejo varios.

    e Paulo,eu q provavelmente seja um eterno adolescente, me identifico com situações como essa. e em Veonica Mars, as coisas sao bem trabalhada. realmente, talvez esteja precisando ir “all in”

    Fer,

    e vc sumiu. manda noticias por email algum dia desse. e agora é a contagem regressiva, faltam 4

  5. Thiago FLS

    Esse novo formato com mistérios “stand-alone” começou muito bem nesse episódio. Pena que Rob Thomas não fez isso logo após o fim do mistério do estuprador, que foi o episódio mais visto da temporada.

  6. Vanessa Brdo

    Eu vou contra a maioria: achei esse crime da semana péssimo. Nunca pensei que Rob Thomas lançaria mão desse clichê sobre a guerra do Iraque. Não que não seja um tema válido, mas teria tantas outras formas de tratar esse assunto e ele escolheu o caminho mais óbvio. Já vimos essa mesma história sendo tratada em outras séries. Não que seja problema ser clichê, mas para VMars esse clichê foi bem fraco para o que costuma fazer.
    O que salvou foram as outras histórias. Foi bom ver O Wallace e a Mac. Aliás, a conversa entre ela e o Max foi hilária. Acho que eles fariam um casal bacana.
    Não é só vc não, Paulo. Tb achei esse episódio meio estranho. Mas teve pequenas coisas que foram muito legais, como vc descreveu no texto, que salvaram o episódio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account