Log In

Reviews

Review: Ugly Betty – The Lyin’, the Watch and the Wardrobe

Pin it

Ugly Betty - The Lyin', the Watch and the WardrobeSérie: Ugly Betty
Episódio: The Lyin’, the Watch and the Wardrobe
Temporada:
Número do episódio: 5
Data de exibição nos EUA: 26/10/2006
Data de exibição no Brasil: 5/12/2007
Emissora no Brasil: Sony

“Love is in the aaaair”… se não para você ou para mim, ao menos para a nossa heroína: depois de um breve período solteira (graças a Gina Gambarro e seu desejo por uma TV de plasma), Betty hoje pode se dar ao luxo de debater-se entre dois pretendentes. De um lado, um arrependido e cada vez mais apaixonado Walter, pronto para um compromisso de verdade, convida Betty para morar com ele. Do outro, o tímido, geek, mas soooo cute “Henry da Contabilidade”, leva a moça para almoçar fora e desperta nela sentimentos que ela achava que jamais teria novamente. E agora, como a tão certinha Betty vai lidar com esse conflito interno? Algo me diz que experimentar ambos ao mesmo tempo para se decidir por um deles não está em sua lista de prioridades… E já que um deles vai dançar, façam suas apostas!

E falando em amor, Amanda, quem diria?, é a típica “mulher-bonita-procura-homem-complicado”. Eu sei, isso não poderia ser mais clichê, mas quer saber a verdade? Faz algum tempo que eu aprendi a aceitar o fato de que não só a maioria das pessoas É um clichê, mas também elas no fundo GOSTAM de sê-lo. Quando eu aceitei o fato de que, como diria o Barão de Itararé, “de onde menos se espera, daí mesmo é que não sai nada”, eu passei a viver em paz. Mas enfim, onde eu estava mesmo? Ah, sim, na Amanda. Por trás daquela pose, daquele senso de estilo e daquela língua ferina, ela não passa de uma menininha com problemas de auto-estima que tem ainda um longo caminho pela frente para aceitar que é possível sim ter um relacionamento de igual para igual, onde a soma seja maior que as partes, e não necessariamente ser tratada como lixo, ou desprezar quem assim não o faça. Se fosse na vida real, não sei se ela algum dia aprenderia; sendo no seriado, eu não sei como será seu futuro. Mas espero que ela nunca perca o lado bitchy que tanto encanta e diverte.

Falando em língua ferina, finalmente conhecemos Claire Meade, esposa de Bradford e mãe de Daniel. E em um concurso de personagens com as melhores falas nesta série, ela brigaria pelo ouro. Dois dos meus momentos favoritos: o primeiro é quando Daniel vai visitá-la na clínica de reabilitação e ela reclama que confiscaram seu perfume:

Agora eu estou cheirando a gente!

O segundo é durante o almoço, quando ela pede um gole de vinho. Daniel responde que não, que ela não pode beber nada alcoólico; Claire retruca que ela pediu um prato que era à base de vinho e ele não disse nada a respeito; Daniel relembra que durante o cozimento, o álcool evapora, por isso não há problema. Claire chega à conclusão que pode sim tomar seu vinho:

É só tocar fogo em mim quando eu terminar.

No entanto, percebemos que Claire é como é por causa do comportamento infiel de Bradford, especialmente com relação a Fey Sommers: por anos e anos a então editora-chefe de Mode fez questão de esfregar na sua cara seu caso com Bradford. Some-se a isso a morte de um de seus filhos, e é fácil entender por que ela está neste estado, e por que ela quer evitar que seu filho siga os passos do pai no que diz respeito a sua vida amorosa.

Finalmente, neste episódio Wilhelmina percebe que virou uma “mulher de certa idade”. Primeiro é seu relacionamento com Jason, um rapaz anos mais novo que ela, que provoca fofocas maldosas na Fashion TV, além de, é claro, um dos melhores diálogos do episódio, quando ela conta como foi sua noite maravilhosa para Marc:

Digamos que Jason molhou seus pés no Lago Wilhelmina, e a água estava bastante morna.

Marc faz o possível para não visualizar a cena:

Eu acho que eu não quero descobrir o que isso significa.

Depois, é seu vestido: após anos vestindo 36, ela descobre que agora só entra em um 38. É um momento difícil esse na vida de uma mulher, aquele em que pela primeira vez ela percebe que seu corpo não responde mais do mesmo modo que antes.

Ugly Betty - The Lyin', the Watch and the WardrobeEu acho que eu nunca tive “O” momento, assim como Willie (até porque eu sou no mínimo dez anos mais nova que ela, e dificilmente seria considerada uma “mulher de certa idade” — a não ser entre alunos do Ensino Médio), mas eu percebo que meu corpo precisa de muito mais atividade física hoje em dia do que precisou até os 25 anos, mais ou menos, para que eu possa manter um tamanho 38. Enfim, quando eu paro para pensar muito a respeito disso, eu entro em leve depressão; então é melhor concluir este parágrafo o quanto antes, senão eu vou ter que afogar minhas mágoas em um balde de Hägen Daaz.

Outros momentos de destaque:

* Marc imitando a lendária primeira manhã de Betty na redação de Mode, com direito a poncho de Guadalajara e tudo mais. (E a reação de Wilhelmina: “Esta é a coisa mais cruel que eu já vi na minha vida. (pausa) Alguém vai ganhar um aumento”.

* Papá Ignácio e suas “pegadinhas” de Halloween com sua família. Sério, ele é o pai mais legal da TV americana desde Keith Mars, pai de Veronica Mars. E saber no final do episódio que ele é um imigrante ilegal, capaz de perder tudo o que construiu nos últimos 25 anos de sua vida, é de cortar o coração.

* Falando em Halloween, Justin apareceu pouco neste episódio, mas ainda assim valeu à pena: que outro garoto teria a idéia de sair fantasiado de Gene Kelly em Um Dia em Nova York? (E o que mais me encanta na história dele é como a família não o julga por ser diferente dos outros meninos de sua idade. Acho esse um dos grandes achados de Ugly Betty, a série.)

* Eu falo pouco do Daniel aqui, né? Eu sei. É que eu tenho alguns problemas com aspectos do relacionamento dele com Betty, e querendo ou não eles sempre acabam interferindo no julgamento que eu faço da interação deles. Mas como eu sei que o que eu tenho a dizer provavelmente não vai agradar a maioria, me calo (pelo menos até eu sentir que é o momento de soltar os cachorros aqui na review).

E vocês, o que acharam deste episódio? (De novo, não vale reclamar que a review atrasou, hehehe; é que até o final do ano, eu provavelmente só vou ter como assistir a série na reprise. Mas não se preocupem: mais três semanas, e o ano acaba).

Séries citadas:

é jornalista, professora de inglês e autora do blog Moda Fora de Moda. Fã de The Closer, The Office e How I Met your Mother, e viúva inconsolável de Arrested Development e Lost. Tem um gato chamado Tony Soprano.

23 Comments

  1. Fabiana

    nossa cada dia que passo gosto mais de Ugly Betty…
    Só tenho medo do ator que interpreta o “Henry da Contabilidade” pq toda série que ele entra é cancelada…vai ser pé frio assim lá longe…

  2. Rô Floripa

    Este “de onde menso se espera é que não sei p* nenhuma´” é um dos meus mantras.
    Todo mundo adora clichê e se esforça para ser um. Claro, clichê é prevessível e não exige muito para ser entendido. Já faz parte até da nossa memória afetiva. (Será que viajei muito me metendo a analista? hehehe)
    Eu não sei se gosto do Daniel, mas tenho certeza que não gosto do jeito que ele trata a Betty. Especialmente naquele ep. da “traição” do especial de Natal. E~le não quer perder a assistente, faz questão de dizer isto à ela. Mas desde que ele não se comprometa, ela é que vai ter que se sacrificar para se manter. O cara é um fraco. Será que ele não pdoe aprender um pouquinho com a Betty.
    Adoro estas tiradas destes personagens. Estava faltando desde “Will and Grace”.

  3. Raquel

    O Justin dando pulinhos na escada!!
    Foi meu momento preferido, amei. Adoro a série mas achei meio sem graça esse episódio.

  4. Mônica

    Fer, você tem razão. O Henry é soooooo cute…Bem melhor que aquele insosso do Walter. Pois é, tomei antipatia pelo cara. Quem manda ele trair a Betty com uma gostosona? Betty, dá uma chance por Henry!

    O episódio foi ótimo, como sempre. Morri de rir com a ‘fantasia’ do Marc. Nossa, ele é hilário! Um dos melhores da série. A Wilhelmina dando chilique por causa do vestido também foi ótimo.

    Bom, como eu disse num post anterior, lá se foi minha teoria de que a mulher misteriosa seria a mãe do Daniel. Será que Fey Sommers não morreu? Mistério, mistério…

    Então, a Amanda tem coração. E ele pertence a Daniel Meade. Uau, que frase mais clichê. E brega, diga-se de passagem. Nunca pensei que ela gostasse do Daniel. Achei que só queria subir na empresa…e claro, se divertir com ele, né?

    Ótima review, Fer. Parabéns!

  5. Fer Funchal

    Fabiaana, UB está na segunda temporada, e ainda é um dos sucessos da TV americana. acho que por enquanto a maldição dele está acabada ;-)

    sinceramente, Rô? eu não acho que ele tinha que “aprender um pouquinho” com a Betty, não. pra mim, nenhum dos dois é santo nessa história, eles têm essa dinâmica co-dependente de “generosos-egoístas” porque lhes convêm. e eu sei que vou apanhar ainda mais qdo um dia expuser o porquê, já que é tão fácil achar que a Betty é o máximo nessa situação… por isso tô me segurando, hehehe

    ah, Raquel, provavelmente é porque vc prefere o Justin; como ele apareceu pouco no episódio, ele parece sem graça.

    Mônica, quando vc descobrir quem é a mulher misteriosa… :-D

  6. Fer,
    Pensando bem, concordo contigo sobre a simbiose “generosos-egoístas”. Lembrei bem de uma pessoa que trabalhou comigo e que era uma ‘santa generosa sendo explorada pelos egoístas”, este papel fazia tão bem à ela. Mas é que eu ainda não vejo a Betty assim e é tão fácil ver o Daniel como o bandido. Ponto para UB, ninguém é de todo mal (ou mau? não tenho dicomnário agora) ou de todo bonzinho.

  7. Bia

    Eps. muito bom.
    Amei o Marc fantasiado de Betty, foi hilário!
    Ainda acho que Marc é uma das personagens mais engraçadas de UB.

    Quem diria.. Willi tem ponto fraco. Ninguém mandou, fica determinando certos padrões de beleza, mas qdo eles se tornam contra ela – a frase ‘não cuspa pro alto que pode cair na cara’ me vem a cabeça- ela tem um ataque.
    Muitissimo bem feito.

    A mãe do Daniel é tão fria, um humor tão negro que até que gostei dela.

    Começo achar que Betty é um tantinho burra.
    O namorado a trai, deixa por outra -cof cof, vizinha,cof cof- e ainda volta pra ele e se sente mal quando sente atração por outra pessoa, essa que até agora se mostrou bom pra ela?
    Alguém devia pegar essa mulher pelos ombros e dar uma boa chacoalhada.
    Ser ingênua é uma coisa, ser lesinha é outra.
    Mas ainda sim tenho fé nela [:D] hehe

    Coitada da Amanda, quase senti pena dela, por uns 2,5 segundos.

    Justin roubou a cena de novo.
    Achei legal que mesmo ele tendo 12 anos, mais ou menos, e sapateando fantasiado de Gene Kelly, ele não é mal visto pela família.
    Muitos são por menos…

    Hum..pequena observação; só pq a Claire é rica, bêbada, ela não podia ao menos dar um jeitinho naquele cabelo dela?
    Sei lá, pra mim, parece mais um capacete.

  8. Neto Paes

    Faltou falar que a Willie tem uma filha né?! Quem diria! E eu me perguntando, “Quem diabos é Nico?!”…quanto a mulher misteriosa…perdão se pode ser spoiler, mas eu já tinha um palpite que fosse a tal Fey Sommers, visto que as fotos dela que apareceram até agora, ela parece estar fantasiada com uma peruca loira e um óculos escuro gigante, sinal de que ainda não escolheram a atriz pra viver o papel, mas aí nesse episódio, a própria mulher misteriosa fala: “Então está na hora de Fey Sommers sair da reclusão”. Então se não for ela, só pode ser uma irmã gêmea, o q não seria de estranhar, visto q a série é baseada numa novela mexicana, digo, colombiana.

  9. Mônica

    Bia, também tenho fé na Betty. Tomara que ela dê um pé-na-bunda daquele namorado tosco dela e dê (ao menos) uns beijos no Henry. O Christopher Gorham tá tão fofo de óculos.

    Poxa, Fer, você me deixou mais curiosa ainda. Mas não vou ler spoilers de jeito nenhum. Vou ter que esperar mesmo. Falta muito pro mistério da mulher misteriosa (ô redundância) ser resolvido?

  10. Fer Funchal

    Rô, no início da série eu não achava muito isso, mas tem um episódio mais pro final dessa temporada que eu achei a Betty INSUPORTÁVEL, e quase desisti de ver a série. foi aí que me caiu a ficha desse relacionamento deles, e por isso eu gosto muito da Betty (apesar de concordar um pouco com a Bia, às vezes ela é tão boazinha q é meio lesinha, heheheeh) e do Daniel (e no arco que começa hoje eu acho que já vou poder voltar a falar bastante dele) separadamente, mas quando eu vejo os dois juntos, nem sempre.

    Neto, eu deixei pra falar mais da Nico neste próximo episódio. mas concordo, podia ter ao menos citado.

    Mônica, não demora muito, não. o bom de seriado “novelão” é q os mistérios se resolvem em dez episódios, até menos, e não ficam se arrastando por anos… se não me engano, é lá no episódio 13. e não querendo criar muita expectativa, mas eu me lembro que quando eu vi pela primeira vez, eu quase caí pra trás.

  11. Mônica

    Imagina, Fer. Você não criou nenhuma expectativa. Bom, deve faltar um mês e meio ou dois pra sabermos o mistério. Tudo bem, eu espero. ;)

  12. Olga Nogueira

    Rô, um jeito fácil de saber quando usar mau ou mal é o seguinte: usa-se MAU se vc puder substituir a palavra por BOM. Na sua frase seria “ninguém é de todo MAU” porque vc poderia dizer “ninguém é de todo BOM”. MAL é usado quando puder ser substituído por BEM : Eles são do BEM então Eles são do MAL.

  13. Olga Nogueira

    Como ao enviar meu comentário ele sumiu, mando de novo:

    Rô, um jeito fácil de saber quando usar mau ou mal é o seguinte: usa-se MAU se vc puder substituir a palavra por BOM. Na sua frase seria “ninguém é de todo MAU” porque vc poderia dizer “ninguém é de todo BOM”. MAL é usado quando puder ser substituído por BEM : Eles são do BEM então Eles são do MAL.

    Regrinha básica: LOBO BOM – LOBO MAU

    LOBO DO BEM — LOBO DO MAL

  14. Olga,
    O pior é que eu sei esta regrinha e me ajuda muito (quando a cabeça não atrapalha), mas na hora deu um branco total. E quanto mais eu tentava raciocinar sobre isto, mais confusão fazia. Daí nestas horas eu apelo para meus oráculos (dicionários e manuais) mas eles estavam na hora do intervalo. Daí, o melhor mesmo é assumir que não se sabe e registrar a dúvida.
    Mas valeu pela ajuda, acho que agora eu registrei de um jeito melhor – Lobo do Bem – Lobo do Mal. Abraços,

  15. Mônica

    Fer, me responde uma coisa, por favor. Uma amiga que também assiste a Ugly Betty disse que leu por aí que a 2ª temporada só vai er 13 episódios. É verdade?

  16. Fer Funchal

    Mônica, sim e não. Sim, só 13 episódios foram gravados até agora. Mas não, esse não é o plano, o plano é uma temporada completa, com 22 episódios. O que tá empacando é uma tal de greve dos roteiristas, ouviu falar? ;-) Enfim, se a greve se arrastar por mais semanas, ou até meses, é capaz de eles pararem a temporada em 13. Rezemos pra que isso não aconteça, e pra que a greve termine o quanto antes…

  17. Marcelo

    Há duas semanas,escrevi neste espaço que assistiria apenas mais um episódio da série,pois não vinha gostando do que via.Seria a minha última chance para “Ugly Betty”.E os dois últimos episódios foram muitos bons,principalmente o último.A série começa a ganhar ritmo e os personagens já estão bem mais definidos.Neste episódio,achei que Amanda e Betty começariam uma amizade,quando a primeira soltou:”Isto nunca existiu”.Abraços,Marcelo.

  18. Mica

    Criar expectativas? Imagina…
    Já estou até imaginando que a mulher misteriosa é a própria mãe do Daniel!

  19. Mica

    Posso dizer só uma coisinha sobre o episódio dessa noite? Não gostei da personagem da Salma Hayek. Talvez até venha a gostar no futuro, mas no momento ela não me tocou. Orgulhosa, arrogante, acha-se a tal. Não é nem que eu não goste desse tipo de personagem, mas achei tão cliché (mais um! hehehe) que me irritou cada vez que eu a vi em tela.

  20. Mônica

    Ouvi sim, falar da greve dos roteiristas. Vamos torcer então que acabe logo.
    Valeu, Fer.

    Mica, também não descartei de todo a possibilidade da mulher misteriosa ser a mãe do Daniel. Afinal, ela tem motivos de sobra pra querer se vingar do Bradford.

  21. Rafaelly

    Em primeiro lugar, parabéns pelas sempre ótimas reviews, Fer!

    Não pude resistir e li a review mesmo sem ter visto o episódio.Aliás tenho dois episódios atrasados de UB pra ver…

    Quanto à dinâmica Daniel Betty é o que podemos chamar do famoso ganho secundário. Betty ganha algo sendo do jeito que é(extremamente boazinha, beirando a leseira total…hehehe)…E isso pode não ser consciente, mas que ela ganha, isso ganha!
    Um alimenta o ego do outro ali.

    Aliás, Fer, estou curiosíssima pra que vc fale um pouco nas suas reviews sobre as suas impressões sobre a amizade entre o Daniel e a Betty.

  22. Taynara

    Ótima review!!!
    Para quem, como eu, ta revendo a 1a temporada e vendo a 2a, é legal ver a expectativa do pessoal quanto ao grande mistério, quanto a todo o desenvolvimento da história.
    Digo e repito: só melhora!!!
    Sobre o grande mistério: é incrível mesmo! Mas eu consegui adivinhar…acho q um ou dois epis antes da revelação, mas mesmo assim não perdeu o impacto qdo descobri…

  23. caroline

    Amoo Ugly Betty , não perco nenhum episódio
    mas esse último episódio foi o mais legal , que a Amanda disse que gosta do Daniel foi tão lindo . Tomará que ele goste dela também e pare de ser um galinha… eu espero que a Betty fique com o Water no final e o Daniel com a Amanda , porque ela merece coitada, eu torço pra que isso aconteça , só assisto Betty pra ver o Daniel ele é lindo …
    Beijos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account