Log In

Opinião Reviews

Review: True Blood – Strange Love

Pin it

True Blood - Strange LoveSérie: True Blood
Episódio: Strange Love
Temporada:
Número do Episódio: 1
Data de Exibição nos EUA: 7/9/2008
Data de Exibição no Brasil: 18/1/2009
Emissora no Brasil: HBO

Vocês já devem ter lido por aí (ou aqui), que a HBO vai produzir uma comédia sobre um homem que tem um pau grande. É, o plot é este, o cara tem um membro bem avantajado. Pode ser que seja engraçada, pode ser que seja brilhante, não sei, mas isto pra mim soou como um alerta. A HBO, que já foi a mais relevante produtora de seriados da TV americana, perdeu a mão.

Antes, as outras emissoras queriam ser a HBO. Agora parece que a situação se inverteu e a HBO investe em séries que parecem sub-produtos de suas concorrentes. Se esta tal de Hung remete a Californication, True Blood, que estreu neste domingo no Brasil, parece uma busca do canal por uma linguagem mais pop, coisa que Dexter faz muito bem nos últimos anos.

(Antes que alguém pense em derrubar minha tese, lembrando que a HBO ganhou sete Golden Globes na semana passada, meu contra argumento é que a HBO não ganha o prêmio de melhor drama há oito anos).

Em True Blood, a HBO dá sinais que desistiu dos dramas familiares (Amor Imenso ainda resiste) e deu um tempo dos dramas de época. Na direção oposta a série fez um thriller de suspense, com uma encantadora base de sci fi, que dá todo o charme ao seriado: um universo onde os vampiros convivem com os humanos, consumindo sangue sintético e brigando por direitos iguais.

True Blood é mais uma série de personagens amorais, sem heróis e aqui nem mesmo a mocinha (a telepata Sookie Stackhouse, de Anna Paquin) é virtuosa. Todos tem seus desvios, seus momentos de egoísmo, imbecilidade e estupidez – que parecem intensificados pelo forte sotaque cajun, típico dos moradores do interior da Louisiana.

True Blood - Strange LoveA questão de True Blood é que ela tem uma boa proposta, mas não extamente a execução que eu imaginava, ou gostaria. Apesar do tema de abertura da série sugerir um seriado de terror e de muito mistério (remetendo a saudosa Carnivale), nada nela é sugerido, tudo é muito explícito – das cenas de sexo, às cenas de violência. Foi o caminho escolhido pelo roteiros e pela produção de Alan Ball. E o caminho é legítimo, até porque nada assim foi feito antes na TV americana, e ele acaba funcionando com o decorrer das semanas.

O que não funciona é o piloto. O primeiro episódio de True Blood falha em sintetizar as intenções da série. O que é algo absolutamente inesperado para uma série do Alan Ball (eu mesmo nunca fui fã de A Sete Palmos, mas reconheço que o piloto dele é brilhante). O primeiro episódio funciona mais como o primeiro capítulo de um romance – você lê, não está convicto ainda de que é um bom romance, mas não vai desistir de ler no início logo, né? Então acaba virando para a página seguinte.

Já assisti aos 12 episódios de True Blood e posso garantir que me diverti. Com o passar da semana a série vai premiando quem acompanha ela desde o primeiro episódio, com alguns bons momentos cômicos, alguns sustos, algumas surpresas e novos personagens curiosos. Os personagens vão se desenvolvendo também e com isto os atores começam a crescer – num primeiro momento parece que a série é Anna Paquin é um monte de extras, mas aos poucos muitos deles mostrarão a que veio.

O desafio de True Blood é aceitar embarcar nesta viagem de Alan Ball. Quem está dentro?

* * *

Atenção blogueiros: A nossa intenção é fazer um rodízio de autores nas reviews de True Blood. Se você já escreveu sobre os próximos episódios da série no seu weblog mande pra cá o link para avaliação, que poderá ser reproduzida no TeleSéries nas próximas semanas. Na semana que vem a review é do Caio Fochetto.

Séries citadas:

É jornalista, pós-graduado em Jornalismo Digital pela Pucrs e trabalha com produção de conteúdo para Internet desde 1995. É editor de internet do Jornal do Comércio, de Porto Alegre. Fundou o TeleSéries em agosto de 2002. Na época, era fã de The West Wing, The Shield, Família Soprano e Ed. Atualmente é viciado em The Good Wife, NCIS, Game of Thrones e Parks and Recreation.

28 Comments

  1. Rafael

    Sinceramente esperava mais de “TB”, mas vou dar uma nova chance à série no próximo domingo…

  2. Suzana

    Por favor alguem sabe quando reprisa? Eu esqueci da estréia (bendito bbb). Obrigada…

  3. claudia braga

    HAHAHH…estou com a cabeça cheia de vampiros bonzinhos, depois de ler os livros da série Twilight, da Stephenie Meyers.Quero mais é vampiros maus.

  4. Rafa Bauer

    A série é excelente, a melhor série de 2008 (incluindo as veteranas), ao lado de In treatment.

    Concordo que a HBO tem decaído, mas em 2008, ao lançar essas duas séries, mostrou mais serviço que a Showtime, que não lançou nada interessante. Essa situação já começa a mudar em 2009, com United States of Tara.

    Mas falando de True blood em específico, o que mais chama a atenção nela é o subtexto. A trama principal é bem conduzida, alternando momentos cômicos e de terror (mais aqueles do que estes), ótimos diálogos, personagens marcantes, elenco afinadíssimo.

    Apesar disso tudo já funcionar muito bem, a grande virtude da série é o seu tratamento “macro”, a questão da inserção dos vampiros na sociedade. O tema preconceito é costurado nas diversas situações apresentadas como uma metáfora dos preconceitos já trabalhados na TV antes. Por exemplo, gays e negros também têm sua representatividade no programa, mas num segundo plano, como se essas formas de preconceito já tivessem sido superadas. Mostra como a sociedade sempre elege, em diversos momentos históricos, um grupo social para ser objeto de discriminação, e a grande sacada de Alan Ball é fazer isso de uma maneira extremamente irônica, ao colocar como grupo social discriminado o dos vampiros.

    Vale a pena mesmo. E a HBO já tinha tanta confiança que já havia renovado a série para uma 2ª temporada quando da exibição do 2º episódio, e a audiência ainda era ruim.

  5. Fábio

    Também vi os doze episódios, o primeiro quase me fez desistir achei forçado, desde o sotaque as caras e bocas e todo o resto. Mas aos poucos comecei a gostar. Mas você está certo não é uma Familia Soprano, e eu preferi em termos de atuação e personagens Em terapia, a minha definição não é nem a de Dexter parece mais Buffy encontra Oz rsrsrs

  6. Lenon Fernandes

    Eu gostei muito da protagonista e apesar de ainda achar o tema meio trash (vampiros e humanos com uma mocinha telepata?) eu me diverti muito assistindo… Principalmente na cena que ele diz seu nome, Bill…

  7. Fernando dos Santos

    Eu também acho que True Blood tem uma linguagem bem pop, nunca vista antes nas produções da emissora.Mas não vejo nisto um demérito, pois achei o piloto bem divertido.
    Nos ultimos anos a pressão para realizar uma série dentro do famoso “padrão HBO” levou a emissora a cometer obras pretensiosas e fracassadas como Tell Me You Love Me e John From Cincinatti,então até prefiro algo mais simples mas bem executado como esta série vampiresca.
    Sem duvida True Blood não tem e jamais terá a importância de Oz,Sopranos,Deadwood e Roma, mas pelo menos entrete.

  8. Marcos Almeida

    Eu gostei…é bem verdade que o piloto poderia ser duplo e explicar as coisas melhores, mas deu pro gasto. Gostei e vou continuar assistindo.

  9. Raquel

    Eu gostei.
    Estou dentro.
    Alan Ball merece uma chance. Afinal, será que sem ele Michael C. Hall teria nascido para o mundo e nós o teríamos como Dexter hoje?

  10. D'uoh

    Pra mim esse piloto está entre os mais estranhos e bizarros que eu já vi.
    Mas cara depois que a série terminou e eu simplesmente não aguento mais de anciendade pela proxima temporada, simplesmente é viciante.

  11. Henrique

    Eu gostei do piloto, poderia ser melhor, é verdade. Mas me deu vontade de continuar assistindo.

  12. mariana

    A abertura e a música tema são fantásticas.
    Já vi os 12 eps. e gostei da série desde o piloto.

  13. Aline

    Não tenho HBO. Só vi uma cena no Youtube, do primeiro episódio, da Sookie falando com o Bill, olhando pra ele com cara de imbecil, numa atuação que EU julguei péssima. Tenho preconceitos em relações a série por plots bizarros como a história do sangue e plots descaradamente roubados de Twilight. Mas depois que terminar de baixar Merlin vou baixar os dois primeiros episódios de TB, pra ver se sai a má impressão. Espero estar errada em relação a qualidade da série.

  14. Lucas

    Aline, True Blood é uma série baseada nos livros de Charlaine Harris, que começaram a ser lançados em 2001, 4 anos antes de Twilight.

    O episódio piloto é ótimo, mas os próximos são melhores.
    Acho que a escolha de Anna Paquin foi a mais acertada do casting. O papel precisa de alguém que a fizesse ser irritante, trash e até certo ponto não atraente, pois é exatamente nesse mundo que ela vive.

  15. Rodrigo Coletto

    “plots descaradamente roubados de Twilight”

    Os livros que inspiraram a série True Blood foram lançados bem antes da série Crepúsculo. True Blood foi minha estréia preferida do ano passado, e aguardo ansiosamente a segunda temporada. Anna Paquin está muito bem no papel, e recomendo aos que falam mal dela que assistam ao sexto episódio, que certamente os fará mudar de opinião.

  16. Mariana

    Vale lembrar que a série é baseada na saga de livros “The Southern Vampire Mysteries – Sookie Stackhouse”, comprei os quatro primeiros livros importados porém só li o primeiro. Parcialmente é bem fiel a históriamas no fim ela muda totalmente talvez para ter ganchos com o segundo livro!
    Mas pelo que vejo True Blood veio para ficar até por sua premissa.
    Sempre fui ligada ao universo vampiresco e algo que vemos cruamente na série de Alan Ball é o sexualismo sem tarja preta de censura e o desejo sanguinário não só de vampiros mas também de humanos!
    E algo que condeno piamente na escrita “comedida e pastelona” de Stephenie Meyer, creio que óbvio ela quer atingir um outro público com outra temática, porém ela ultrapassa os limites com certas “mulitações do mito do vampiro” e pra mim a história não passa de uma fanfic que deu sorte de ser publicada.
    Não adianta eu sempre seguirei ao bom e velho clássico vampiresco. Isto nem True Blood,Buffy,Angel e nenhum outro talvez tenha se aproximado,porém tudo hoje em dia tende a ser contemporanizado e não vejo mal algum nisto.
    Eu sinceramente desisti de True Blood no segundo episódio, porém resolvi dar outra chance a série depois de tantos amigos meus me “infernizarem” para beber o tão desejado “V”.

  17. Aline

    Não adianta, não gosto nem nunca gostarei de vampiros. Não gostei deles em Supernatural, não gostei deles nas novelas da Globo e não estou gostando deles em True Blood. Cansei desses plots bizarros e trash. A minha infelicidade é que, enquanto séries assim atraem milhões de espectadores, histórias leves e divertidas não atraem mais de um.

  18. Giselle

    Eu curto histórias de vampiros e gostei do primeiro episódio. Vou acompanhar.
    Nada contra a Anna Paquim até gosto dos trabalhos dela . E aquele ator que faz o irmão da
    Sookie me lembro dele em Summerland.

  19. Silvia_05

    Parei no piloto, no 2o., no 3o. episódios. Tá difícil de continuar e não foi por falta de tentativa.

    Não gosto de vampiros e cada vez que as presas sobem e descem igual a um portão de casa, eu desisto.

    Algumas coisas até acho interessante, mas a Anna Paquin=Ronaldinho Dentuço em close-up não dá. Aquele sotaque também irrita um pouco porque acho forçado demais.

    Só gostei daquele irmão dela meio-idiota. Como não vi o resto, não sei se ele melhora ou piora.

  20. ELAINE DAS GRAÇAS TONACIO

    Paulo, Adorei seu comentário. True Blood vale cada segundo de investimento.
    É a melhor estréia de 2008 e é baseada nos livros da Charlaine Harris. São 9 livros e a série terá 7 temporadas. Esta primeira temporada é baseada no primeiro livro “Morto até o anoitecer”, único livro traduzido disponível no Brasil. Pretendo ler todos os nove livros pois sou apaixonada por Vampiros e coisas sobrenaturais. Também adorei a maneira como o preconceito é tratado.

  21. marilia

    a série só meio queimação de ver em fanília, pq a putaria come solta… aí já sabe, somos todos adultos e tal.. mas sempre rola aquele desconforto…

    fora isso (não me incomoda de fato, pq pelo que entendi o sexo é muito importante para o roteiro… tentação dos humanos preconceituosos e tal..) já gostei da série dese o inicio.

    Sookie um amor, sua amiga é aquilo que todo mundo quis ser pelo menos por um dia e lafayette… é divertidíssimo.

  22. João da Silva

    o episódio piloto foi meio fraquinho.

    Os vampiros não convenceram muito.

    Ao menos essa série vai durar mais que Blade, que foi cancelada cedo demais.

  23. Nayara

    Como uma eterna apaixonada pela serie de Crepusculo…não gostei da serie True Blood à primeira vista. Começei a ver o seriado com meu irmão e foi um tanto incomodo quando nós percebemos que o seriado era pura putaria. Aos pocos foi melhorando com a vontande de entender melhor como ocorre as transformações e quem era o assassino. As vezes foi bem obviu descobrir algumas das coisas bizarras que ocorriam no seriado…logo vi que sam era um cachorro so n entendia o porque e acabei descobrindo quase no final da 1 temporada foi ai que perdi o total tesão, pq era isso, a unica coisa q me motivava a continuar a ver à serie. Talvez veja a 2ª temporada, não custa dar mais uma chance.

  24. Nadjla

    pelamor de deus … nao aguento mais crepusculo… vampiros q tomam sangue de animais… sao bonzinhus e bla bla bla bla bla… so mais o eric northman… pelamor… vampiro q num morde pescoco nao eh vampiro… e essa coisa de putaria… i dai…qual eh o problema…e uma das melhores partes… finalmente mostrando oque agente queria ver num vampiro….vai dizer q vcs nunc torceram pro dracula morder a mina????? ahhhhh vai…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account