Log In

Reviews

Review: Torchwood – They Keep Killing Suzie

Pin it

Cena de They Keep Killing Suzie
Série: Torchwood
Episódio: As mortes de Suzie (They Keep Killing Suzie)
Temporada:
Número do episódio: 8
Data de exibição na Inglaterra: 3/12/2006
Data de exibição no Brasil: 23/10/2007
Emissora no Brasil: People+Arts

Suzie Costelo, a especialista em tecnologia alienígena de Torchwood, mesmo depois de morta continua exercendo influência no grupo. E cada um deles sentiu os efeitos dessa influência.

O episódio dessa terça começa com a equipe indo a residência de um casal, brutalmente assassinado. A cena grotesca parece ainda mais temerosa, ao verem o nome de Torchwood escrito em sangue nas paredes, uma declaração de que o crime era uma retaliação. A pior notícia, entretanto, foi descobrirem que o criminoso (ainda desconhecido) tinha em seu sangue traços do Composto B67 – o Retcon (substância usada pela organização para apagar a memória dos que entram em contato com seus segredos).

A lista de suspeitos é vasta. Segundo Ianto, 2008 pessoas usaram Retcon até o momento. Alegando que Torchwood é a culpada por essas mortes, Gwen consegue convencer Jack a usar a luva que ressuscita e interrogar as pessoas assassinadas. Como nenhum dos membros do grupo tem qualquer tipo de empatia com a luva, Gwen resolve usá-la e a resposta é a melhor possível.

Tudo o que conseguem descobrir inicialmente é que todas as vítimas eram membros de um grupo chamado Pilgrim, e que um deles – Max – costumava conversar com uma mulher chamada Suzie todas as semanas.

O grupo vai até o depósito onde guardavam os pertences de Suzie Costello e descobrem que ela fazia parte do Pilgrim, o que complicava ainda mais as coisas. Sem qualquer outra informação, eles decidem trazer Suzie de volta à vida. Mas as coisas não saem exatamente como o planejado, e depois de ressuscitada, a cientista não voltou a morrer logo em seguida, como todos os outros corpos.

Embora todos estivessem desconfortáveis com a presença da antiga companheira morta, ela procura ajudá-los e lhes diz que vinha falando com Max semanalmente por dois anos, e lhe dava Retcon todas as vezes, pois sentia necessidade de conversar com alguém sobre o que vivia ali na organização.

Eles capturam Max, mas ele permanece em estado catatônico, só reagindo – com extrema violência – cada vez que ouve a palavra Torchwood.
Analisando os vídeos dos interrogatórios, Tosh e Owen descobrem que a luva abre uma conexão entre o usuário e a pessoa morta. Essa conexão é rompida logo em seguida, e então o interrogado volta a morrer. Entretanto, com Suzie essa conexão não foi rompida e ela tem se alimentado da força vital de Gwen para permanecer viva.

Gwen, que vinha conversando com Suzie várias vezes desde a sua ressurreição, resolve ajudá-la a visitar o pai que estava morrendo de câncer, sem contar nada aos outros. O grupo descobre e tenta segui-la, mas ficam presos dentro da própria base que foi lacrada misteriosamente.

Como o único elemento novo na base é o prisioneiro Max, eles vão até ele e o encontram em uma espécie de transe hipnótico recitando repetidas vezes a frase “Because I would not stop for death”, parte de um poema de Emily Dickinson, e percebem que Max era um cavalo de Tróia, que acionou o sistema interno da base, selando-a. Fica claro para eles que Suzie havia planejado tudo aquilo muito antes de morrer.

Durante dois anos ela introduziu na mente de Max o comando para que ele cometesse os assassinatos se ela ficasse desaparecida por três meses. Previu acertadamente a reação dos membros de Torchwood e que a trariam de volta. E agora estava viva, solta, e roubando a vida de Gwen.

O tempo deles é pequeno. Owen prevê que Gwen deva ter ainda cerca de duas horas de vida. Então Jack telefona para a policial que havia encontrado anteriormente no local dos crimes e consegue com ela a chave para destravar o sistema da base (o número de série do livro de Emily Dickinson igual ao que pertencia à Suzie).

Enquanto Jack e Owen tentam alcançar as duas mulheres, Suzie reencontra-se com o pai e o mata sem maiores explicações, demonstrando apenas um grande rancor por ele. Nesse momento o ferimento que ela tinha (a entrada e saída da bala na cabeça) passa quase completamente para Gwen, e a cientista fica cada vez mais forte.

Cena de They Keep Killing SuzieSuzie tenta fugir usando uma balsa, mas é alcançada por Jack, que atira para matá-la. Os tiros não surtem efeitos e ele continua atirando, mas parece já ser muito tarde para Gwen. Sem outras alternativas, ele liga para Toshiko e ordena que seja destruída a luva, rompendo assim a conexão que havia entre as duas. Imediatamente Suzie morre e Gwen volta à vida.

De volta à base, Ianto cataloga o corpo de Suzie mais uma vez e o coloca no freezer. E Jack, com a destruição da luva, estaria satisfeito, não fosse a lembrança de Ianto de que luvas sempre vêm em pares.

***********

Esse é um dos episódios onde eu fico mais irritada com a Gwen. Acho que é devido a sua eterna culpa. Ela se culpa e aos colegas de trabalho por tudo! Essa confusão toda com a luva só aconteceu porque ela precisava amenizar a culpa que sente. O que eu não entendo é por que eles acham que Torchwood é assim tão terrível. Ou será que é a minha moral que ficou tão duvidosa quanto a dos personagens?

E ficou aqui comprovado que a luva é empática. Suzie sucumbiu à força do objeto, mas a capacidade de conectar-se com outro ser humano e procurar ajudá-lo em Gwen é muito maior e talvez por isso a luva funcione ainda melhor com ela do que com Suzie, sem sugar toda a sua bondade de uma só vez. Mas acabaria por conseguí-lo, eu tenho certeza, já que a luva era algo que viciava.

E quem diria que Suzie tinha planejado tudo desde o princípio? É claro que havia muitas variantes em seu plano, mas os únicos problemas que serviria realmente como empecilho, seriam dois: não decidirem usar a luva, ou então não terem alguém com empatia suficiente para fazê-la funcionar.

Uma coisa que eu gostei no episódio foi Ianto dando nome aos artefatos. Cá entre nós, eu gostei muito mais do nome que a Tosh chamava a luva (Ressurrection Gauntlet) do que o Risen Mitten (Luva Nascente, tradução estranha, diga-se de passagem) do Ianto. Inclusive, achei hilário quando todos olham para ele em busca de um nome para a faca (Life Knife – Faca da Vida). A cena toda pareceu um grande evento.
Outro momento interessante foi Owen caçoando de Ianto por ele estar com um cronômetro.

Dê um cronômetro para Ianto que ele fica feliz.

E a resposta bem humorada e maliciosa:

É o botão em cima.

Falando em malícia e em cronômetros, adoro o diálogo do Ianto com o Jack no final. Sutil, mas claro como cristal qual a intenção de Ianto ao mencionar as muitas coisas que se podiam fazer com um cronômetro e quais eram os planos de Jack ao mandar Ianto para a sala dele dentro de 10 minutos. Um longo passo que Ianto vem percorrendo desde a morte da Lisa e sua declaração que gostaria de ver Jack morrendo sem que estendesse a mão para ajudá-lo.

E só faz três meses desde que a Gwen entrou para Torchwood! Como aquele lugar mudou a garota em tão pouco tempo… A propósito, Suzie também foi amante de Owen. O médico pode não ser lá tudo isso em beleza, mas definitivamente não perde tempo.

Já que o assunto é romance, a primeira vez que eu assisti a série eu senti uma leve química entre Gwen e Jack, mas agora que já re-assisti pelo menos três vezes, não vejo mais isso. Alguém poderia compartilhar qual é a sua visão dos dois? Eu já não enxergo porque assisti a temporada toda por várias vezes e me foquei em outros pontos, ou é porque realmente não existe? Eu particularmente prefiro que não exista mesmo, mas…

Faltam cinco episódios para o fim, e Suzie já deu um pequeno sinal do que está por vim: algo está lá fora, na escuridão, esperando para pegar Jack, e sabe Deus quais são seus planos.

Séries citadas:

Michele Reis Martins, a Mica, é advogada e mantém o blog Esperando o Esperado. Fã de Arquivo X, Highlander, Buffy, Doctor Who e sci fi em geral.

18 Comments

  1. Géssica

    Adorei o episódio e concordo com vc a culpa da Gwen irrita muito!! Eta garotinha chata… agora de inicio ( só no ep.1) tbém meio q. achei haver uma quimica entre o Jack e ela mas vendo depois é uma coisa nada a ver e espero q. esse artificio nunca seja usado!

  2. Mica

    Acho que há um carinho muito grande entre os dois. Ela confia nele e ele espera bastante dela como ser humano. Mas eu sinceramente torço para que nunca, nunca mesmo eles inventem de fazer rolar algo entre os dois.
    Quanto à culpa da Gwen, acho que a forma como ela encherga a Torchwood é seu maior defeito. Ela adora a organização, mas vê nela um mal à humanidade e não um bem. No fundo acho que ela não estava preparada como ser humano para deixar de ser policial e virar uma agente que as vezes precisa enfrentar o pior lado das pessoas (e dos alienígenas)

  3. Euler

    Sou muito fã dessa série, pena que ela passe em um canal como o People & Arts, que simplesmente retalha a exibição. Alguem sabe se ela vai sair em dvd aqui no Brasil?

  4. Mica

    No idea. Mas quisera eu que saísse Torchwood e Doctor Who em DVD…com todos os Confidentials e Declassifieds. (se bem que eu nunca comprei um DVD na minha vida. Será que começaria agora?)

    Eu estou morrendo de medo de retalharem Jack Harkness…amo aquele episódio mais do que qualquer outro. E falando em amar episódios, eu pensava que o próximo era o que eu menos gostava, mas aí vi na lista de episódios e lembrei de um que eu sequer lembrava! hohoho

  5. Mica

    Deixem-me aproveitar o momento para perguntar: alguém aqui já assistiu The Sara Jane Adventures? Eu mencionei o programa no meu post passado. É uma série infantil com a mais interessante acompanhante do Doutor (na minha opinião). Adoro a Sarah Jane ^_^.
    Pois é, estou falando no seriado porque consegui assisti os dois primeiros episódios (fora o piloto): A vingança dos Slitheen, que é sobre os Slitheen que ainda sobreviveram e vieram se vingar da Terra depois do Doutor ter destruído toda a família de aliens(lá na temporada 2005, ainda na época do fantástico Christopher Eccleston). Estou doida de vontade de assistir logo os próximos episódios.
    E quem se importa se é um programa para crianças!? Não eu, com certeza.

  6. Mica

    Oh meu Deus! Eu acabei de me dar conta que a atriz que interpreta a Detetive Swanson nesse episódio, é a mesma que interpreta a árvore que flerta com o Doutor na 1ª temporada (na época, Christopher Eccleston). Eu sabia que a conhecia, mas demorei séculos para sabe de onde.

  7. Olga Nogueira

    Minha opinião sobre a química entre Gwen e Jack é que sim, ela existe mas não por nenhum motivo especial, algo entre eles dois especificamente mas porque as químicas rolam soltas entre os integrantes de Torchwood, bastando que exista oportunidade para isto. Existindo a chance, eles se beijam, transam, entre si ou com pessoas de fora, estranhos ou companheiros, inclusive sem preferência por um determinado sexo… Acho que o incomum seria se eles configurassem um casal ou uma relação exclusiva entre dois deles.

  8. Olga Nogueira

    Quanto a The Sara Jane Adventures eu gostaria muito de assistir. Está passando nos EUA atualmente? E se existissem os DVDs eu compraria porque diferentemente de vc, Mica, eu não suporto assistir seriados no computador. Gosto de ver na TV e quando não tenho o canal, eu compro os DVDs. Aliás, tenho a 1ª e 2ª temp do House que quero me desfazer porque tive uma overdose dele e de sua crueldade. Se alguém se interessar e estiver em Sampa fale comigo.

  9. Mica

    The Sara Jane Adventures que eu saiba ainda está passando somente na Inglaterra. Nem chegou a terminar a temporada ainda (mas segundo a atriz, existe fortes indícios de que vá haver uma segunda).
    Eu também prefiro assistir na TV, e é por isso que eu geralmente reassisto depois quando passa (ou quando consigo, gravo em .avi pq meu DVD roda .avi, mas não rmvb). Se bem que atualmente eu baixo coisa alguma pois estou sem computador (estou usando o de uma amiga que está viajando esse final de semana). No caso de SJA eu assisti no youtube. (e percebi que 05 dos 09 comentários nesse tópico são meus, mas deixa quieto).

  10. Regina

    A quimica entre o Jack e a Gwen era mais forte no inicio da serie, acho que os produtores não querem um romance entre eles e por isso esfriaram um pouco as coisas, o que na minha opinião é o melhor. Não acho que seria legal um romance entre os dois. Mas não posso negar que os são muito legais juntos, como parceiros.
    Outra coisa, que pode até ser ingenuidade da minha parte, mas no final, a conversa entre Ianto e Jack me pareceu mais uma cena a la ‘Casablanca’: o inicio de uma grande amizade.
    Ainda sim, não se pode colocar a mão no fogo por nenhum menbro da torchwood.

  11. Mica

    Ingenuidade da sua parte Regina ^_^.
    Quanto ao Jack e a Gwen…eu gosto muito do carinho que ele tem por ela, a confiança que ela deposita nele. Acho a interação entre os dois maravilhosa, e no fundo gosto de ver o quanto o Jack se preocupa com sua equipe, mesmo que não demonstre isso o tempo todo.
    Mas é bem isso, companheirismo, amizade, algo bem fraternal. Eu perguntei isso a vocês justamente porque morro de medo que eles acabem forçando um relacionamento entre os dois mais para a frente e disso eu definitivamente não iria gostar.

  12. João da Silva

    Bom episódio, mesmo que acho que está ficando cansativo ver a Torchwood ficar destruindo todos esses aparelhos alienígenas (é o segundo, primeiro o aparelho da telepatia e depois a luva).

  13. Thiago FLS

    O nome “retcon” foi uma referência legal aos quadrinhos. É o termo que os leitores costumam usar para se referir a mudanças feitas no passado dos personagens.

    E Ianto continua sendo um personagem incompreensível para mim. Uma hora ele tem ódio mortal de Jack por ele ter matado o amor de sua vida, e quatro episódios depois ele dá em cima dele?

  14. João da Silva

    O retcon acontece também em séries de TV (como Star Trek e certamente Doctor Who) também.

  15. Mica

    Eu também não gosto desse negócio deles destruírem os artefatos alienígenas. Não era para eles supostamente usarem os artefatos para a Terra ter como se defender (e possivelmente conquistar outros planetas no futuro)?
    A destruição da luva eu entendo…foi a única forma de quebrar o link entre as duas, mas o colar eu não teria destruído se fosse o Jack.

    O Ianto, eu já disse, é incompreensível até para os roteiristas! Mas eu acho que ele no fundo sabia que o Jack fez a coisa certa no caso da Lisa e sua explosão foi sincera, mas motivada pela perda da mulher que amava. Aos poucos ele foi percebendo que as coisas não eram bem assim, e os sentimentos dele pelo Jack também não eram de ódio como ele pensava. Aliás, o Jack inspira sentimentos conflitantes em todos os membros do grupo.

  16. João da Silva

    Eu concordo que a destruição da luva foi necessária, mas dois episódios seguidos em que os artefatos alienígenas são destruídos é um pouco demais.

  17. Sandra

    Desde o início sempre achei que havia algo entre a Gwen e o Jack,mas depois que ela se envolveu com o Owen achei que eu estava equivocada…não que o Owen não seja interessante!Ele é interessante sim!(embora eu prefira mais o Jack).Mas também acho que a Gwen ficou tão chatinha,que já nem desejo mais que ela tenha algo com o capitão! estou gostando mais da Toshiko e do Ianto.Os dois vem crescendo como personagens, isso é bem legal.Ando temendo pelo Jack…parece que pela sequência das “ameaças” do Ianto, algo tá pra acontecer…My God, vou rezar pelo Jack! Sem ele , pra mim, o seriado perderia a graça!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account