Log In

Reviews

Review: Torchwood – Ghost Machine

Pin it

Cena de Ghost MachineSérie: Torchwood
Episódio: Túnel do Tempo (Ghost Machine)
Temporada:
Número do episódio: 3
Data de exibição na Inglaterra: 29/10/2006
Data de exibição no Brasil: 18/9/2007
Emissora no Brasil: People+Arts

Eu estava com plena convicção de que essa semana passaria o episódio do Ianto (até comentei no último review, lembram?), e quando começou Ghost Machine eu levei um susto. Assim que terminou, fui direto conferir se eu estava mesmo errada. E estava!!! Muito bom que, apesar do cansaço, eu tenha acordado às 3h da manhã, caso contrário teria feito o review do episódio errado.

Ghost Machine (que aqui recebeu o título de Túnel do Tempo… um título que até se encaixa, mas foi modificado sem necessidade, já que a tradução literal é perfeitamente compreensível em nosso português) começa com Gwen, Owen e Jack perseguindo um rapaz. Gwen não consegue capturá-lo, mas pega o artefato alienígena que o garoto carregava. Ao observar que o aparelho parecia estar ligado, ela aperta um botão e se vê dentro de uma cena que parecia real, mas não era, onde um garotinho perdido procurava por alguém.

O grupo descobre que o garoto atualmente já é um homem de idade e Gwen e Owen vão visitá-lo, onde verificam que a cena que ela presenciou na verdade foi o eco de um acontecimento que ele havia vivenciado muitos anos atrás.

Não muito depois, Owen também tem uma experiência com o artefato. Desta vez, ele vê o assassinato da jovem Lizzie Lewis por um rapaz chamado Ed Morgan, em 1963. Entretanto as cenas que o artefato mostra não são pura e simplesmente imagens, elas também transmitem os sentimentos que as pessoas envolvidas sentiam. Conforme Jack explica, as emoções humanas são energias, e o artefato coleta essas energias e as transmite para quem o utiliza que acaba presenciando o eco de um momento passado.

Completamente obcecado com o caso da morte da garota, cujo assassino nunca foi condenado, Owen visita o já adulto Ed Morgan e deixa claro que sabe exatamente o que aconteceu tantos anos atrás.

Quando saía da casa de Morgan, Owen encontra Bernie Harris, o garoto que o grupo havia perseguido no início do episódio e que possuía o artefato extraterrestre.

O grupo visita o rapaz e fica sabendo que aquela era apenas a metade do objeto. Quando era unida à outra metade, a pessoa conseguia enxergar o futuro. Bernie confidencia à Gwen que sente medo, pois presenciou a própria morte na frente da sua casa. Já ela, vê a si mesma com as mãos ensangüentadas e segurando uma faca.

Toshiko, que vinha monitorando Ed Morgan, avisa que ele saiu de casa, o que era incomum já que o homem tinha agorafobia. Ele se dirigia à casa de Bernie, que vinha chantageando Ed, pois também vivenciou a cena da morte de Lizzie e pretendia tirar proveito desse conhecimento inusitado.

Morgan carregava consigo uma faca, mas foi interceptado por Owen e Jack. Logo após renderem o homem, Owen toma posse da faca e ameaça Ed, pois não conseguia esquecer o que ele havia feito com a garota no passado. Gwen intervém e consegue pegar a faca de Owen, mas Morgan se lança sobre ela. Sem tempo de reagir, Gwen acaba esfaqueando o homem contra sua própria vontade, concretizando então a cena que havia presenciado com o artefato.

Cena de Ghost MachineDe volta à base da Torchwood, Gwen mostra-se abalada com a morte de Ed por suas mãos. Jack decide então trancafiar o artefato, pois esse tipo de conhecimento, do passado e futuro não foi feito para nós humanos.

*******************

Depois do meu choque inicial por não ser o episódio que eu pensava que seria, recostei na parede e aproveitei Ghost Machine. E esse episódio nos traz algumas coisas interessantes. Uma delas é a cena da Gwen em casa, usando o artefato para rever cenas dela e de Rhys no apartamento. É interessante ver a cumplicidade entre eles, principalmente quando começa a ficar visível que a rotina de Torchwood tem afetado o relacionamento dos dois. Nada mais será o mesmo, e me pergunto como Gwen lidará com a sua vida dupla e o segredo que não tem como compartilhar.

E foi também este episódio o responsável pela famosa cena da aula de tiro. Cá entre nós, estou querendo aprender a atirar há anos, mas todos os instrutores que conheço me prometem, mas na hora H nada. Acho que preciso achar um instrutor como o Jack…. Não sei quanto aos outros, mas eu acho essa cena particularmente sexy. Fique claro que não aprovo um presente ou futuro relacionamento entre Jack e Gwen, mas é legal ver Jack sendo Jack. Eu sinto um pouco de falta dessa parte tão leve da personalidade dele.

Agora, qual a real utilidade de uma máquina que permite enxergar ecos do passado? Como eu reagiria tendo acesso a uma dessas? Acho até legal para investigações policiais, por exemplo, mas como demonstrado no episódio, abre muito espaço para chantagens e mau uso. Já o acesso ao futuro eu vejo com temeridade. Foi bem dito no episódio: a atração por mudar o futuro é maior do que nós podemos resistir, e acabamos vivendo em função de algo que pode ou não acontecer, impedindo o agora de ser vivido como se deve. O que me faz refletir na espécie alienígena que criou esse artefato. Como serão eles? Qual será o uso que dão para ele? É de uso comum ou algum objeto excêntrico e de uso exclusivo?

Artefatos a parte, pudemos ver um Owen obcecado nesse episódio. Não será a única vez, entretanto. Inclusive eu acho que de todos ali Owen é o que mais tem arroubos obsessivos, e nem sempre controláveis como nesse caso.

Já a participação de Ianto continua sendo ínfima. Mas a intenção é essa mesmo. Até agora só vimos um rapaz geralmente sério, competente, mas que tem umas tiradas sarcásticas, que ficam mais evidentes na expressão facial do que nas próprias palavras. No próximo episódio, se eu não estiver enganada mais uma vez, conheceremos um pouco do seu passado.

Séries citadas:

Michele Reis Martins, a Mica, é advogada e mantém o blog Esperando o Esperado. Fã de Arquivo X, Highlander, Buffy, Doctor Who e sci fi em geral.

29 Comments

  1. Maria

    desculpe mas tenho de comentar: não entendo seu interesse por essa série. Ela é MUITO RUIM. UMA DAS PIORES QUE JÁ TIVE O DESPRAZER DE VER (assisti a 2 episódios pra nunca mais…).Totalmente trash, vazia, sem emoção, sem conteúdo, sem personagens interessantes.
    Cada um com seu gosto mas não pude deixar de registrar minha opinião pq, no geral, gosto deste site e de seus comentários.
    Sorry.

  2. João da Silva

    Eu gostei do episódio. Gosto da série e de Doctor Who porque ambas focam na humanidade dos personagens, o que normalmente acaba gerando bons resultados.

  3. Augusto

    Esse episodio tem referencias importantes, porém não gostei muito do nivel, os primeiros pareciam melhores, vou ver o 4º agora.
    E estou desistindo de ver pelo P&A, quero versão sem censura.
    E ainda espero pelo episodio genial dessa série, como alguns que doctor who demonstra.
    Maria, não concordo com você não, assim como não concordo com alguns que dizem que rebelde é melhor que house, ou que spider man é o melhor filme da história, mas como sempre, existem pessoas que concordam com isso. E sem ofensas a ninguem, de torchwood ainda não vi, mas doctor who já, é preciso ter um certo nivel intelectual para acompanhar, ou vai passar sem entender nada do que ocorreu e principalmente as referencias e implicações.Tem gente que nem explicando ela entende.Mas esse episódio requere muito pouco…

    Bom, voltando ao assunto, vou ver os proximos e espero episodios de mais alto nivel.

  4. Thiago FLS

    Eu acho Torchwood um exemplo de como um roteiro de qualidade pode nos fazer relevar uma produção capenga. O bom trabalho e a química entre os atores também ajudam bastante.

    Outra coisa meio desconcertante para quem está acostumado a seriados de ficção científica americanos é que, com exceção do protagonista, nenhum dos atores tem cara de modelo. Talvez no contrato de John Barrowman tenha uma cláusula que proíbe os demais membros do elenco (inclusive as mulheres) de serem mais bonitos que ele.

  5. Gilberto

    Achei esse seriado tão trash quanto Dr. Who. Ele tem suas qualidades mas esta longe de ser bom.

  6. Eric Fernandes

    Acho que as pessoas não sabem o que é uma sci-fi. Torchwood até agora só teve episódios ótimos justamente por ousar e apresentar coisas nada convencionais que, no posto de vista do telespectador “comum” ou exigentes, é trashs ou lixo. As relações humanas entre os personagens é o atrativo da série, mas as pessoas não percebem pois se deixam levar pelos eventos extraordinários do episódio. É uma pena.

  7. Luis Trigo

    Mica

    Como sempre um ótimo review.
    Quanto a discussão desta série ser boa ou não; depende do gosto de cada um.
    Particularmente me espantei com a qualidade das séries britanicas. Dr Who, Torchwood e Life on Mars são um exemplo que “qualidade” não se prende a quantidade de dinheiro gasto com figurinos ou efeitos especiais.
    Estamos “bitolados” com a visão americanizada das séries que acompanhamos.
    De vez em quando é bom mudar um pouco de canal, e aprender um novo ponto de vista.(Por exemplo a série Epitáfios).

    Mudando de assunto, ontem me assustei quando reconheci John Barrowman (Jack) ; loiro , vestido de oficial nazista, cantando no musical dentro do musical “Os Produtores”.Hilário:)

    Quanto ao fato dos colegas atores serem “feios” comparados ao John Barrowman; eu só não aguento é a falha nos dentes da frente da Gwen.

  8. Eric Fernandes

    Quanto ao fato dos colegas atores serem “feios” comparados ao John Barrowman; eu só não aguento é a falha nos dentes da frente da Gwen.

    uhauhauhauhauhauhauhahuuha

    Os dentes separados dela é o que mais me incomoda no show. Me dá até um nervoso.

  9. Thiago FLS

    O Reino Unido é assim mesmo. Se até os príncipes William e Harry têm dentes mal cuidados, não podemos esperar outra coisa dos atores de televisão.

  10. Olga Nogueira

    Quanto à falha nos dentes da frente da Gwen incomodar, também concordo. É ruim ver. Tão ruim quanto ver a falha nos dentes da Sara de CSI.

  11. Luciano Cavalcante

    Concordo com o Thiago, um bom roteiro faz com que a gente nem perceba que os efeitos especiais não são dos melhores, ou que o cenário é capenga; nem sei se alguém lembra, mas houve uma série chamada “Elo Perdido” que tinha dinossauros de massinha e cenário de papelão…mas que histórias” Houve uma – acreditem! – sobre uma sopa feita de pedras…basta imaginação e talento para escrever.

  12. Mica

    Luiz Trigo, vc falou exatamente o que eu penso. É claro que eu sei que há gosto para tudo e noções diferentes de qualidade, mas acredito que o maior motivo das pessoas não aceitarem Doctor Who e Torchwood muito bem, é porque estão acostumadas com o estilo americano. É difícil um fã de cinema americano gostar de filmes ingleses, franceses, orientais, etc e tal. Com as séries é a mesma coisa. É claro que há exceções…mas, como o nome já diz, são exceções.

    O que eu acho legal nessas séries inglesas, é justamente o fato de não se prenderem ao conceito geral de beleza. Eu vejo seriados ingleses (os meus preferidos, como Doctor Who, Torchwood, Life on Mars, Spooks) e todo mundo é como eu (ou quase, hehehehe). Pessoas comuns, com defeitos físicos, alguns simpáticos, outros não, mas são pessoas que você poderia muito bem encontrar pela rua.
    Não acho o cast de Torchwood feio. É claro que o mais bonito de todos é o John Barrowman, mas eu acho a atriz que faz a Toshiko linda! E o Gareth é uma graça também. Já a falha nos dentes da Gwen, para mim foi incômodo nos primeiros minutos, depois já achava até charmoso. Tem vezes que os defeitos se destacam e viram qualidades para mim…vá entender! :/

    Torchwood tem alguns episódios primorosos e outros nem tanto. Um que eu particularmente não gosto é um que virá mais para frente, centrado num garoto que sofre um acidente. Mas no geral eu gosto muito do roteiro da série e da forma como todos eles interagem. Isso sem falar que eu vejo qualidade na atuação do povo, e isso para mim é importante.

  13. Mica

    A propósito…vi que Os Produtores estava passando na TV, mas não parei para assistir :-( Se eu soubesse que o JB estaria por lá, teria visto (nem que fosse para saber como ele fica louro! hehehehe)

  14. Maria

    Bom… eu gosto e muito do estilo inglês. Filmes de época ingleses são imbatíveis, o humor de uma série como Mr. Bean, idem. Até andei curtindo bastante o recente ‘The It Crowd’, por exemplo, que me fez dar boas gargalhadas em alguns momentos.
    Os ingleses têm uma sutileza, um jeito de se expressar e um senso de humor que me agradam muito. Não faço comparações com o estilo americano. Há coisas boas e ruins em ambos e não discrimino um ou outro de forma generalizada.

    Nada sei sobre Dr. Who ou Life on Mars, pois nunca os assisti. Mas continuo achando Torchwood ABOMINÁVEL: roteiro, efeitos, personagens…tudo, enfim. E isso nada tem a ver com meu “nível intelectual” que, aliás, vai muito bem, obrigada. E muito menos tem a ver com a “aparência física” dos atores – aspecto, aliás, que nunca interferiu em nada nas minhas preferências.

    Enfim, gosto é algo muito subjetivo mesmo.
    Abraço para todos.

  15. Regina

    Gosto inglês não é para qualuqer um! E concordo com a Mica, muitas pessoas estão acostumadas com o conceitos de beleza americano, e não conseguem se adaptar a produções ‘internacionais’.
    Uma outra serie inglesa muito boa era Afterlife (não lembro o nome que recebeu no BRasil) que passava na P&A, e a propagonista não era nunhuma modelo. Mas é uma atriz muito boa.

  16. Mica

    Concordo com você, Maria, filmes de época ingleses são imbatíveis. Talvez pq geralmente as coisas de época se passem na Inglaterra, hehehehe.
    Se vc não gosta de Torchwood, provavelmente não iria gostar de Doctor Who também. Tem o mesmo estilo meio trash…mas um pouco mais leve, pois é para todo o tipo de público (Torchwood não).
    Agora, se vc nunca assistiu Life on Mars ou Spooks, vc perdeu! Life on Mars é uma série fantástica e com excelente roteiro (pode confiar…nunca vi uma única pessoa que assistiu algum episódio dizer que não gostou). Já Spooks (aqui no Brasil é apresentada com o nome de Dupla Identidade) é uma série de espionagem (MI-5) que não tem medo de dizer a que veio. Uma pena que seja tão desconhecida no Brasil….e que passe dublada (People & Arts em horários sempre malucos).

    Quanto ao nível intelectual, na verdade o que eu acho é que para entender todas as referências que as duas séries fazem (especialmente Doctor Who), o que a pessoa precisa mesmo é ter conhecimento de certas sutilezas do mundo, da história e da vivência inglesa. Não que desconhecer essas coisas atrapalhe (eu mesmo sou um zero a esquerda nesse sentido), mas fica mais interessante quando se pode fazer as co-relações.
    Era o caso de Life on Mars. Eu sei que a série era recheada de referências às décadas passadas, mas como sou um poço de desatenção, eu perdia quase todas elas, hehehe.

  17. Augusto

    Maria, aconselho então a assistir doctor who(uma das poucas séries a ter episodios com nota 10 na ign[são menos de 15], o maior e mais conceituado no mundo em entreterimento e tambem com boa aceitação de publico e ranking no imdb), antes de torchwood, alias, aconselho a todos senão torchwood perde bastante do sentido.
    E doctor who é muito superior, ao menos por enquanto…john borrowman disse que a segunda temporada de torchwood esta com roteiros brilhantes.
    E a questão não vai tanto pra area de gosto inglês somente(eu sinceramente, acho pouca diferença,atualmente os melhores roteiros vem de doctor who) mas sim com gosto por sci-fi, se não tem nenhum dos dois é a mesma coisa de falar pra um fã die hard de produções de baixo nivel assitir star trek ou house, é algo que não ocorre facilmente.
    Já aos episodios, esse 3º foi o mais fraquinho, o 1º foi bom para um começo e o 2º uma boa sequencia embora a própria historia não seja tão forte, mas as implicações e a cena da alien na rua foram boas, além de algumas outras partes e um certo inicio comico.
    Devido ao fato de torchwood passar alguns dias antes no brasil que nos estados unidos (já pensou se ocorre-se com outras séries tambem, hehe?), não temos as ideias da critica de lá e aqui no brasil são poucos criticos sérios, muitos estão aqui nesse site. Já na inglaterra e região, não preciso nem dizer que foi bem recebida por publico e critica, mas não no nivel de doctor who ainda, só alguns episodios.

  18. Augusto

    Complementando:
    Mica, no caso do próximo episódio de torchwood, está conectado com army of ghosts/doomsday(este foi o que recebeu 10 na ign e realmente é ótimo) que por sua vez está conectado a sequencia do universo paralelo e ao 2º episodio da 2ª temporada do doctor who aonde vemos o motivo da criação de torchwood( o que depois é referido como torchwood1, que é o de army os ghosts).
    E obviamente, na 1ª temporada temos o link do captain jack, dos daleks e tudo mais e o inicio da própria série doctor who 2005[que é sequencia da doctor who classica].
    Já relacionado ao trash temos confusões. Doctor who e torchwood pelo que vi tem um certo ar trash, mas tem muitos episodios com 0% trash e são os que recebem melhores reviews.
    Voltando ao assunto sobre trash, hoje em dia tentam dar um ar muito cool ao personagem que acaba gerando cenas trash. Em house e csi miami vemos cenas assim,heroes já vi tambem, tem gente que não suporta ve-las e reclama, já outros encaram pro lado de um certo humor e de achar o personagem cool, que era justamente o objetivo da cena.

    E só pra completar um pouco mais, apesar de recebermos a série antes dos eua, nós recebemos apenas na edição de definição comum, lá eles estão com opções digitais já.

  19. Mica

    Quem diria que Torchwood viria para cá antes de ir para os EUA, né?
    Mas vc fez a correlação dos episódios antes do meu review, Ausgusto! Eu estava esperando ansiosamente para correlaciona-los, hehehehe (vixe! Correlação? ou co-relação? Nunca sei como usar palavras compostas)

    Já sobre qual é melhor, DW ou TW, eu particularmente gosto mais de DW…mas prefiro a falta censura de TW (bom, pelo menos na Inglaterra). DW seria bem mais interessante se pudesse ser um pouco mais sério. Mas conheço inúmeras pessoas que gostam bem mais de TW do que de Doctor (e que só assistem Doctor nos episódios que o Jack aparece).

    E falando nos cybermen…o que aparece lá no museu na temporada de DW de 2005 é um ds cybermen do nosso universo e não o do universo paralelo, né?

  20. Darth Cesar

    As produçoes inglesas são fantasticas, Coupling, Doctor Who, Orgulho e preconceito, Monty Phiton e por ai vai, mas Torchwood fica muito abaixo, justamente pro padrão ingles.

  21. Mica

    É necessário entender que a premissa de Torchwood é diferente. É um sci-fi interessantíssimo, mas nem de longe o mesmo tipo de sci-fi de Battlestar Galactica (que eu amo de paixão) por exemplo. Não acho que seja abaixo do padrão, eu vejo como uma intenção diferente.
    Mas sei lá…cada qual com sua visão das coisas. As vezes eu me apaixono pelo trash (vide a quantidade de vezes que eu assisti Twister, hehehe), então não sou lá a rainha dos parâmetros :D

  22. Augusto

    Bom, com episodios bons nada surpreendente. Vi o 4º (próximo, do qual o review vai ter os links que eu spoilei :P] e é muito superior, porém é violento mesmo e tem uma cena ‘comentada’ do beijo que tambem não sei o quanto do episodio o P&A vai cortar.
    Mas voltando aqui um pouco, o entendimento desse episódio depende um pouco de ter visto a doctor who season 2.

    Mas vamos deixar os comentarios pro próximo review.
    Mica, os ciberman aparecem na 2ª temporada em 2 arcos, um totalmente no universo paralelo e um ‘nesse’ universo. O doctor só vai ao paralelo uma vez, hehe.
    Outra coisa interessante de notar é que a série é polêmica, atraiu um numero razoavel de anti fans com preconceitos por isso, o fato é que a tv americana não mostrou nada nesse nivel de ‘sem censura’, em filmes já, mas séries da tv ainda são meio travadas pela censura lá.
    E torchwood não é tão da nova temporada :P, é que nos eua ele foi deixado pra estrear junto com as outras séries…e recebeu boas ratings, exceto de um ou outro que não entendeu ou põe sua opinião pessoal acima da responsabilidade de fazer um review…um dos que falou mal literamente começa e termina com piadas?não me parece profissional. Bom, se ign não demorasse tanto saberiamos a opinião da critica…

  23. Cláudio Schon

    Em matéria de atores feios nada suplanta a detetive gordinha de “Blue Murder”, série britânica exibida esporadicamente no Hallmark Channel. Aliás as séries européias são geniais porque, salvo raras e infelizes excessões, exigem um pouco de inteligência por parte do espectador. Tendo vivido na Alemanha (e sendo fã deste gênero de séries) eu morro de saudades de algumas jóias como “Tatort” e “Poirot”. Pena que nossa indústria televisiva seja tão colonizada pelos americanos. Com relação a Torchwood, bela série! Divertida, inteligente e sem medo de discutir temas polêmicos. Parabéns para quem gosta.

  24. Mica

    Augusto, eu sei que os Cybermen aparecem em dois arcos durante a 2ª temporada de Doctor Who, mas a minha dúvida era sobre o capacete que aparece na 1ª temporada, naquele museu (em 2014) do ‘dono’ da Internet que o Doutor e a Rose visitaram, lembra? Queria saber se era dos cybermen do nosso universo mesmo (o capacete era igual…por isso a minha dúvida).

    Quanto a séries européias, eu gostaria de ter acesso a outras. Uma pena mesmo que os horários sejam geralmente ingratos ou os canais não divulguem. Eu adorava uma chamada Murder in Suburbia…e outra que não lembro exatamente o nome, mas era parecido com Inspector Linsley…ou algo assim, hehehehe. Nunca vi o final delas :-(

  25. Luis Trigo

    Mica

    Aquela “cabeça” é uma homenagem ao Dr Who antigo.
    Se você conseguir assistir algum velho episódio você vai ver por que.
    E se você gosta de Dr who , Torchwood, recomendo baixar “Dr Who Confidential” e “Torchwood Declassified” que são programas de entrevistas , making of e curiosidades das séries.

  26. Bianca

    Gostei do episódio, nada de mais, mas mesmo assim vi.

    Acho que o que mais destacou foi o comportamento do Owen – que foi um show a parte- e a cena de aula de tiro.
    Há quanto tempo esperava pra ver essa cena na TV nem sei mais. É impressão minha ou cortaram algumas cenas novamente?

    “Quanto ao fato dos colegas atores serem “feios” comparados ao John Barrowman; eu só não aguento é a falha nos dentes da frente da Gwen. ”

    Isso ainda me incomoda.. mesmo que esse lado mais natural dos atores seja exposto, e todo aquele estereótipo de pessoa-perfeita não seja presente, os dentes dela são muito estranhos.
    Até esqueço da falta de pescoço do Owen (ou isso ou ele anda entrucado)quando Gwen sorri.

    Spooks é ótima, eu amava o Tom, mas parece que P&A não segue um hr. certo.
    Não dá pra acompanhar direito; sem falar que ora a série é dublada, ora não.
    Odeio qdo não ouço o sotaque do Adam,é tão fofo.

    Outra série que acho boa e não tem muito destaque é Hotel Babilônia.
    Não é tão séria qto Spooks, muito menos parecida com Dr. Who ou Torchwood, mas mesmo assim gosto.

  27. Augusto

    Ah sim, mas é claro que o doctor foi ao universo alternativo 1 vez apenas, nas duas temporadas.
    E o capacete é relacionado as séries antigas.
    Falando nisso, vai começar agora o 4º episodio, já vi mas vou ver novamente e obviamente, quero ver o que vão cortar(e esse tem coisas pra cortar viu?)
    Já a questão de beleza comparada com john borrowman, iam chamar quem pro resto do elenco?Gisele bunchen,tom cruise,scarlett johansson pra cima?
    Hehehe…olha o 4º aí

  28. Alex Jeorge

    Excelente torchwood!Estou cansado de assistir as eternas séries americanas.Em torchwood vemos as relações humanas a flor da pele,sem falar dos temas de suicídio,homossexualismo por trás da trama.Brilhante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account