Log In

Reviews

Review: The O.C. – The Avengers (episódio 77)

Pin it

cena de The Avengers
Série: The O.C.
Episódio: The Avengers
Temporada:
Número do Episódio: 77
Data de Exibição nos EUA: 2/11/2006
Data de Exibição no Brasil: 23/11/2006
Emissora no Brasil: Warner

Enquanto muitos choravam pela morte da Marissa, outros cantavam “Hallelujah” por finalmente não terem que agüentar seus dramas. Mas a maioria ficara na dúvida de como seria a quarta temporada de The O.C. sem essa grande personagem que marcou a série, nos seus bons e maus momentos. O que se pode dizer com certeza é que se The O.C. já deu o jump the shark alguma vez em seu passado, ele o fez quando a matou, nesta virada de temporada.

O episódio se desenvolve de uma forma diferente das demais seasons premiere pois o acontecido não poderá ser resolvido em um único episódio como as demais temporadas o fizeram. Além de cinco meses terem se passado desde a tragédia, temos ainda uma retorno no tempo de 36 horas para explicar todos os acontecimentos que levarão à premissa que dá título ao episódio. The Avengers é uma alusão ao clássico gibi lançado na década de 60 pela Marvel Comics. Essa referência se liga a intensa vontade de Julie, e logo após de Ryan, de se vingar de Volchok.

Durante todos os 43 minutos, vimos cada um a seu modo lidando com seus medos, culpas e frustrações tão peculiares a esse período de luto, de uma forma que os deve caracterizar por uma boa leva de episódios. Julie ataca de hiper-ativa, fazendo valer do ditado que mente vazia é morada do diabo. Summer vai para Brown e tenta seguir com sua vida deixando Newport e seus problemas para trás. Ryan sai da casa dos Cohen, arranja um emprego em um bar e começa a participar de lutas em gaiolas, não por dinheiro, mas simplesmente para apanhar. O restante dos personagens já não caracterizam problemas pelo acidente, até por que não tinham uma grande ligação com a Marissa, mas acabam sofrendo indiretamente pelas ações perturbadas de Ryan e Julie.

Ryan parece ter voltado a não reprimir sua raiva e seu ódio, coisa que ele vinha tentando aprender desde a primeira temporada. Ele sai da casa dos Cohen tentando protegê-los do que ele tinha virado. O velho Ryan estava de volta, mas em uma versão nova, mais agressiva e com um lado obscuro bem mais aflorado. Ponto positivo para a série nesse ponto, que poderá criar boas histórias a partir deste ponto.

cena de The AvengersSummer vai para Rhode Island e, enquanto se fixava, passou por uma transformação antes dada como inacreditável. Ela se preocupa agora com o meio ambiente e em libertar as galinhas das gaiolas opressoras, mas tudo isso revela o quanto ela está sofrendo pela morte de sua melhor amiga e comprova que a negação dos fatos é um dos mais comuns meios de se enfrentar problemas traumáticos. Ela tenta parecer bem para todos, tenta ser a única que conseguiu seguir com a vida, mas na verdade não é possível superar tamanho baque dessa forma. O passado é como uma sombra e às vezes esquecido basta um pouco de luz para revelar todos os segredos guardados que não queremos mais enfrentar – no caso representado pelo vulto da Marissa que Summer vê em seu quarto.

Julie é definitivamente o personagem que mais sofreu com o acontecido. Após o acidente, ela desenvolve dependência em antidepressivos, contrata um detetive particular para descobrir o paradeiro de Volchok e ainda transfere todos os seus problemas e sua dor para atividades domésticas, procurando assim manter sua mente ocupada o suficiente para não lidar com o que sobrou de sua vida. Tudo isso termina desencadeando problemas em sua relação com Dr. Robert, que acaba sendo visto por Kaitlin com sua ex-esposa, Glória, no píer. Kaitlin faz uso dessa informação para chantageá-lo visando ganhar um par de botas. As botas são usadas como recurso de ligação das histórias no episódio já que antes de voltarmos no tempo, vemos Kaitlin as vestindo e depois, enquanto Summer e Seth passeiam, vemos as botas sendo retiradas da vitrine. Além disso, a mini-Coop tem como amigos os irmão gêmeos de Luke, que a idolatram e a obedecem em tudo.

Seth trabalha agora em uma loja de quadrinhos enquanto espera por janeiro para começar na RISD. Sandy voltou para a promotoria pública e Kirsten continua não fazendo nada. Mas os Cohen tem agora como missão salvar novamente o Ryan dele mesmo, voltando a premissa original da série. Depois de várias investidas, com a ajuda de Summer e de mais um dos seus planos (alguém ai ainda se lembra do The Chrismukkah That Almost Wasn’t?!), Seth cria uma revista em quadrinhos na qual são mostradas todas as mudanças positivas que a chegada de Ryan causou a essa família e decide voltar para a casa da piscina, mas não resolvendo todos os problemas que envolvem a saída da Marissa da série.

cena de The AvengersJulie acaba encontrando o paradeiro de Volchok e, como vimos no começo do episódio, tenta convencer Ryan a ir atrás dele. Ele renega à primeira vista. Depois muda de idéia, após mais uma luta na gaiola onde ele finalmente revida – não apanhando mais por se sentir culpado ou por ser essa a única forma de conseguir sentir alguma emoção durante esses cinco meses. Ele espanca o cara com que tinha lutado anteriormente provando estar pronto para retomar o domínio de sua vida e de sua dor. No túmulo da Marissa, ele encontra-se com Julie dizendo a já famosa:

I have to do this.

Ponto para Melinda que esbanja todo o talento que possui em suas interpretações, variando da comédia (foi difícil controlar o riso na cena em que ela “cuida” do jardim) até seu lado devastado e dramático nas cenas em que conversa com Ryan dizendo:

That’s, that’s a lie. Ryan, that’s… I know you. Even if you didn’t come to her funeral, or you’ve never visited her grave, you still care.

A forma como ela diz essa última palavra simplesmente traduz toda a dor e ódio pelo qual está passando e mostra o potencial dessa atriz na série.

Temos ainda o mistério rodeando Taylor, já que a mesma foi pega mentindo dizendo estar em Paris quando estava em Newport e a adição de Ché (Chris Pratt), alusão a Che Guevara, novo amigo Hippie de Summer.

Todas essas mudanças evidenciam a qualidade da série nessa nova temporada. Josh Schwartz, em recentes entrevistas, chegou a admitir que questões como homossexualismo ou o uso de drogas foram colocados na série depois de pedidos da produtora para aumentar a audiência mas como agora, competindo com Grey’s e CSI, as esperanças de se obter altos índices são quase utópicas, abre-se espaço para episódios melhor trabalhados e bem escritos. Além disso, nas duas últimas temporadas, a abordagem de temas polêmicos foram centradas exclusivamente em problemas que a Marissa (a válvula de escape criativa e atrativa da série) passava, além de vários clichês e triângulos amorosos que eram inseridos do nada, fazendo de O.C. uma verdadeira telenovela. Agora, a trama está mais amadurecida.

Se na primeira temporada o problema era ajustar Ryan ao novo e obscuro mundo de Orange County, a nova premissa não deixa de ser menos importante pois agora vemos como ele e os demais personagens lidam com a morte do elo principal em suas vidas. Os problemas estão menos fúteis, mais centrados, mais bem elaborados. A série está mais dark, mas mantêm suas fugas cômicas, balanceando o episódio. O que eu sinto é que voltou o clima de série teen-adulta que sentíamos na primeira temporada e que a transformou em hit instantâneo em 2003. Além disso, comprova-se que The O.C. pode sim sobreviver sem a Marissa. Ela era importante? Claro! Mas a série não se baseia exclusivamente nela. O quarteto fantástico foi desfeito? Sim! Mas supere, pois melhor vê-lo destruído do que agüentar mais uma temporada vendo o Ryan e a Marissa voltando e terminando incansavelmente. Ela se foi para desencadear a definitiva evolução da série. E que Dom Pedro me permite o trocadilho, mas se foi pelo bem de todos e felicidade geral da nação, diga ao povo que ela realmente deveria ter partido.

Se tinha várias preocupações após a season finale da temporada passada, a maioria delas se foram após esse episódio, já um dos meus favoritos e com uma trilha sonora perfeita para cada cena. O que importa agora é manter o ritmo durante os próximos 15 e provar que a série ainda tem fôlego para sobreviver, mesmo com a gigante concorrência que ela vem enfrentando, que deu a esse episódio a pior audiência da história da série. Mas como os números não refletem em nada a qualidade da atual temporada, vamos aproveitar as histórias que esse paraíso imperfeito ainda possui para nos contar.

Séries citadas:

É jornalista, pós-graduado em Jornalismo Digital pela Pucrs e trabalha com produção de conteúdo para Internet desde 1995. É editor de internet do Jornal do Comércio, de Porto Alegre. Fundou o TeleSéries em agosto de 2002. Na época, era fã de The West Wing, The Shield, Família Soprano e Ed. Atualmente é viciado em The Good Wife, NCIS, Game of Thrones e Parks and Recreation.

40 Comments

  1. Gard

    Adorei esse episódio. Confesso que não estava muito anciosa para essa temporada de “The O.C” mas resolvi conferir esse primeiro episódio e me surpreendi. Ótima a escolha das músicas, muito bom ver o Ryan “lutando” pra esquecer a dor e amei quando todos se reunem para mostrar o quanto Ryan foi importante pros Cohen. E última coisa a série tinha imagens mais escuras nesse episódio, algo bastante comum na primeira temporada! Boa sorte “The O.C”. Ótimo review Heitor!

  2. Eudes Antonio

    Gostei da Review.Realmente este episódio foi um divisor em THE OC.Achei o episódio bem diferente dos demais.Melinda “Julie” Clark estava ótima neste episódio,mostrando que é uma ótima atriz.Achei meio ridiculo a história do Ryan e do “Clube da Luta”,mas agora vc analisou por uma outra perspectiva.Podemos ver como Summer mudou e está sofrendo com a morte de sua melhor amiga,naum conseguindo ficar em sua propria casa.Espero q THE OC continue melhorando,mesmo com audiencia baixa,q isso naum é tudo.

  3. Eric Fernandes

    Gostei do episódio. Aos poucos a série se encontra de novo. Uma coisa que me deixa irritado é esse dilema do Ryan. Porque pra fugir dos seus problemas ele tem que sair da casa dos Cohens? Cansei desse negocio de “Ryan volta pra casa”! Que saco.

    Ótimo review, Heitor.

  4. Fernando

    Ótimo texto. Acho que é isso mesmo, a série tinha que amadurecer e mostrar histórias melhores e já estava um saco aquelas histórias da problemática Marissa. Acho que os autores acertaram. E o povo deveria parar de ficar chorando pela saída de Micha Barton. Foi ótimo pra séria a morte de sua personagem, deu uma reviravolta geral a série, podendo expandir novos horizontes.

  5. Paulo Antunes

    Heitor, que saudades de ler um review de O.C.

    Confesso que estava com medo do episódio, pra mim a série já estava morta. Mas eis que o Josh Schwartz até que fez um bela limonada com os limões que lhe restaram. Eu fico impressionado como este cara tão jovem consegue ser tão criativo, sério mesmo.

    Também achei toda a ambientação das lutas do Ryan exagerada, a série podia passar a mensagem de uma forma mais simples… Mas ok, The O.C. é isto mesmo, gosta de um exagero. Ficou com uma cara de filme do Van Damme e também lembrou o Wolverine na cena inicial do X-Men.

    Quanto a crítica do Fernando, de mais uma vez a família ter que buscar o Ryan, por esta eu já esperava. Já comentei antes, The O.C. faz de repetição uma arte, é a cobra mordendo o próprio rabo. Às vezes cansa, mas é a característica da série.

    Gostei da Caitlin sacana, acho uma boa que não tenham feito dela uma Marissa B. O efeito lembrou ao da chegada da Valery no lugar da Brenda em, vocês sabem aonde!

    A cena do gibi foi de encher os olhos d´água. O Seth invisível, a Ice Queen, o Sandy carregando papeladas nas costas, foi muito bonito.

    Acho que foi um bom recomeço.

    É duro ver este Ryan Darth Vader, a Julie séria e infeliz, a Summer com profundidade psicológica e o Seth como única válvula de escape para o humor do programa. É duro, mas a vida tem dessas coisas. Que venham os próximos.

  6. Laís

    Aii Aii.. vc tem razão.. há dois lados de se ver essa nova temporada.. e isso tudo q vc escreveu fez com eu visse o outro lado! De q tbm não havia mais história pra contar do Ryan e da Marissa.. eu odeio draminhas.. mas q a Marissa ainda assim vai fazer mta falta há isso vai!! =/
    Eu fikei triste com a morte dela pelo fato de nada poderá substitui-la.. e isso vai fazer com q a série fique um pouco vazia!! Mas enfim.. vamos ver quanto a isso!!
    Eu não gostei da ideia d Ryan não fazer facul e tudo mais.. acho q ele merecia uma chance.. mas quem sabe num futuro neh?? Quando toda a raiva estiver acalmado.. se é q isso é possivel!! =/

    A Summer. .. eu concordo plenamente.. ela ficou julgando todo mundo por eles não terem conseguido seguir a vida .. mas ela tbm não.. tanto q viu o fantasma dela no quarto.. toda essa mudança dela é uma tentativa de não lembrar da Marissa e tudo mais.. o q para ela o Seth lembra tbm!! =/
    Não sei oq será desses dois.. mas eu keria a volta da Anna.. eu adoro ela..
    E o relacionamento Seth e Summer.. não sei bem!! Mas não me agrada mais!
    A taylor.. a mais engraçada de todas.. adooooro ela.. e fizeram mto bem de continuar com ela na série!!
    A julie.. ótima interpretação.. mostrando todo o sofrimento dela.. perfeito!!
    Enfim.. no geral.. até gostei dessa nova temporada.. que acaba cmo sendo uma nova serie.. na minha opinião.. Mas que pode dar certo.. é só saber acrescentar certas coisas .. Acho q ta faltando personagem sab.. sei lá.. mais torço por algo a mais!! =)

  7. danny

    Realmente, esse episódio serviu para calar a boca de todos aqueles que estavam decretando o fim da série com a morte da Marissa. Não só a série está sobrevivendo, como ganhou uma nova vida. Se tornou mais adulta e racional, começando a se aproximar do The O.C. que todos nós gostamos e amamos da 1ª temporada.

    O argumento foi brilhantemente escrito, adorei aquele o “regresso ao passado” para mostrar o que aconteceu antes do Ryan ir ter com a Julie, a realização e a fotografia estavam excelentes (ao nível da 1ª temporada) e o elenco está funcionando melhor que nunca.

    As entradas do Chris Pratt, da Willa Holland e especialmente da Autumn Reeser deram um novo fôlego para a série. Aliás, Autumn Reeser está dando um show de representação nessa temporada, sendo o grande alívio cómico da série e mostrando que é uma das melhores personagens que alguma vez “habitaram” em Orange County.

    Queria também destacar a prestação dolorosa da Melinda Clarke. E digo dolorosa porque é de ficar com um nó na garganta vendo o sofrimento que a Julie está sentindo com a morte da filha. Nos 3 primeiros episódios, a Melinda dá um show de interpretação, digna de Emmy, eu acho. :oops:

    Concordo com o Paulo. A cena do gibi foi para colocar todo o fã com uma lágrimazinha no canto do olho. Muito bom.

    Foi gostoso ver o velho Ryan regressar e ver a Summer tentando encontrar seu rumo sem a “irmã” e o que isso poderá ou não afectar o seu relacionamento com o Seth, que está voltando a ser engraçado como era na 1ª temporada.

    Episódio excelente em que, no final, aconteceu algo que talvez não acontecia desde o final da 1ª temporada: ficar ansioso pelo próximo episódio. E vos garanto que os próximos episódios são ainda melhores, com desenvolvimentos inesperados.

    Excelente review, Heitor. :wink:

  8. Cesar

    Primeiramente, o review está excelente!

    Segundo, gostei muito do episódio! De fato, mais dark, mais adulto, menos “mexicano” – a temporada passada foi pródiga em episódios “mexicanos”, no pior sentido que isto pode ter em termos de atração televisiva…

    Ainda que algum exagero existisse – Ryan “lutando”, a idéia do gibi foi legal mas forçada (infantil, diria), mas o essencial esteve presente em todo o episódio: uma carga dramática que mal permitia o riso nas partes cômicas.

    A série foi, de fato, recriada. Espero que esta recriação se confirme nos próximos episódios.

  9. danny

    Concordo com a Laís. A Anna tem que voltar. Afinal de contas, ela também está em Brown. :wink:

  10. Victor Regis

    Achei muito deprimente essa premiere de The OC, no bom sentido, é claro.
    A impressão que tive durante todo o episódio foi que eu tambem tinha perdido alguem próximo, ainda mais com todo aquele clima sério e dark.
    Realmente a série não está mais aquela coisa divertida de se assistir como era antes, mas parece aquelas fases da vida que mesmo sendo difíceis precisamos atravessar.
    The OC amadureceu, e isso é muito bom.

  11. theo

    tive a impressao de que forçaram tanto a barra pra “recriar” O.C. que em algum momento do episódio senti um estalo. acho que foi quando o Ryan tava sendo massacrado e morrendo de rir na jaula.

    parei com O.C.

  12. João da Silva

    Logo, logo a série volta para a rotina habitual. Vão colocar alguém (provavelmente a Taylor, interpretada pela Autumn Reeser) para ser o interesse romântico do Ryan.

    Sobre a Autumn Reeser, ela é uma ótima atriz. É a maior revelação da série The O.C..

  13. Alessandro de souza

    Essa agora é uma nova série sobre moradores de OC onde uma garota popular morre em um acidente e todos começam a lidar com isso. Esse episodio me pareceu um piloto de uma nova série.

  14. Paula

    Não consigo imaginar a Taylor dando certo com o Ryan, ela sempre me pareceu super fútil…
    Eu gostei do episódio, só espero que o Ryan não seja a próxima Marissa, ou seja, um personagem que pra se encontrar, usa todos os tipos de drogas, vira homossexual por um tempo, vagaba por outro etc.

  15. Rodrigo

    Sinceramente, foi muito melhor do que eu esperava. O clima todo foi uma tristeza só. Foi perturbador. A atitude do Ryan é de se entender, mas muito exagerada. A Summer tá muito chata, quase não aguentava ver ela (e olha que ela é a minha personagem favorita). O Seth continua o mesmo.
    Assim, claro que tionha que ter todo o drama por terem perdido a Marissa, mas acho que colocaram mais em evidência a falta dela, o que pode irritar os fãs.
    Eu adorei, mas será a útlima temporada, provavelmente.

  16. alex

    tem q acabar!!!série mais chata,não é a toa q a atriz pediu para sair,sempre a mesma coisa o narigudo do Ryan brigando,já encheu, a Anna esta com cara de viciada em crack,se esta porcaria continuar não acho q ela deva voltar pois passa a imagem “estou com anorexia e na tv!” já passou da hora dos produtores colocarem episodios de qualidade e pararem de por o anão narigudo como um “Rock” do Paraguai,alguem acredita q ele bateu naquele brutamontes.

  17. Kravis

    Putz, esse episódio sozinho foi melhor do que TODA a primeira temporada, ainda mais pra mim, no momento no qual estava, acordando depressivamente sonolento de um cochilo após 3 dias solitários sem Internet…

    Foi legal ver a Julie tão deprimida. Não por algum prazer em ver a bitch triste, mas por ser uma mudança de ares interessante pra ela.

    É bem perceptível que a Summer é justamente a que mais não está lidando com a morte da Marissa, praticamente fugindo disso. E como melhor amiga dela, é uma pras quais isso mais pesa…

    Aqueles irmãos do Luke, meudeus, são patéticos, ainda mais o cabeludo. Que merda de cabelo é aquilo?!
    A Kaitlin é um pequeno espetáculo a parte, mas não merece toda essa santa babação de ovo não…

    Acho que, mantendo essa qualidade, o seriado deveria até ter uma temporada completa e mais, um horário competitivo, pois The OC pode voltar a ser bom como era até meiados da 2ª temporada!

  18. Gabi

    “a Anna esta com cara de viciada em crack”

    Vê-se que você realmente assiste a série hein ¬¬

  19. Brunno O'grady

    Adorei esse episodio, Heitor ótimo review, assim como vc colocou, já tinha analisado a briga do Ryan dessa maneira, a Taylor é ótima e acho que ela faria um par muito louco com o Ryan. Sobre o Seth, eu não sou muito fã dele, e acho que ele deve ser o próximo a sair. Mas torço muito por The Oc, um dos melhores seriados dos últimos tempos. E se depender de mim, ele teria ainda mais umas três temporadas. Abraços a todos. E até o próximo episódio e próximo review.

  20. Heitor Albernaz

    Brigado galera! ;]
    Eu adoro quando dão mais enfase à Julie. Principalmente quando ela sai do normal, sendo bitch sendo depressiva, tanfo faz.
    E não se assustem, o clima obscuro passa e The OC volta ao humor e às relações familiares de antes.
    It’s getting better week after week.

  21. Laís

    Ahh.. realmente.. Ryan e Taylor nada haver!
    E ahm.. esperando pelos proximos epis.. ja q eu ja vi o 4 primeiros ja! =/

    E outra.. A review ficou perfeita.. mostrando o seu ponto de vista sem contar o episodio certinho! Mto bom!! =)

  22. Kra

    Na sua primeira temporada The O.C. me impressinou, mas a partir dai comecei a deixar a série de lado, por me paracer ser mais uma novelinha juvenil. Porém qual foi a minha surpresa a assitir a esta nova temporada. Marisa? Faz falta, mas mais pela sua beleza do que pelas suas histórias. Que esta temporada seja mantida toda nesse ritmo.

  23. paulo fiaes

    rpz, episodio mais ou menos. eu acho q a serie tem vida sem marissa, mas na verdade pra mim a serie ja morreu, sera q a serie conseguirá ressucitar? essa é a minha pergunta. assisti a poucos episodios de the o.c na primeira temporada q ta passando na warner diariamente e cm eh bom lembrar como a serie era. n entendo o q aconteceu, mas ate agora a serie foi serie de uma temporada só. podem n entender pq critico tanto a serie, mas eh pq ja gostei mto e gostaria de ver o.c como eu via antes, mas enfim, espero q essa temporada deslanche, visto que eles podem se preocupar mais com qualidade do quantidade(ibope).

  24. Filipe Figueiredo

    THE O.C. PERDEU O CHARME

    Sinceramente, achei o episódio muito fraco. Um conjunto de personagens perdidos, que reagem de forma incoerente. A patética pretenção de ser engraçado de Seth Coehn. A Summer ecologista? Pelo amor de Deus! O Sandy e a Kirsten viraram dois babacas há duas temporadas atrás e continuam assim. A Julie ainda mantem uma certa coerência… Agora o Ryan seguindo esse estilo o mundo me odeia é odiável. Eta série mais sem graça, totalmente decadente. Por isso não teve boa estreia nos Estados Unidos. Não tiveram criatividade pra segurar o clima da primeira temporada, uma pena.

  25. Babi

    Quem me conhece sabe que eu defendo OC com unhas e dentes, mas…

    Será que a série vai fazer melhor do que este epi??…

    Pontos positivos: Julie Cooper que está levando a série nas costas mais uma vez. Melinda Clarke merece aumento de salário!!
    O clima dark, nosso como eu gostei!!
    O Ryan cada vez mais Russel Crowe!!

    Infelizmente os pontos negativos são muitos: a chata da Summer (ela sofre de múltipla personalidade??): a atriz é sofrível!! A Taylor que força uma barra pra ser engraçada, mas pelo menos pra mim não cola!!… O casal Cohen apagadinho… Puxa,e eu gosto tanto deles!!

    E claro, a falta que a Marissa faz porque os redatores colocaram todos os problemas da série em cima da personagem (sexo, drogas e muuuito videotape !!) e de uma hora pra outra ela desaparece. Já que estavam querendo detonar com alguém, que ela fosse tirada aos poucos da berlinda e por final sacrificada com sua morte. Aí sim seria mais coerente!!

    Ainda torço pra OC, mas também não estou otimista!!

    Ah e pelo amor de Deus: Ryan e Taylor não!!

    Ótima review!!

  26. danny

    Pessoal, os próximos episódios são ainda melhores e Ryan e Taylor podem não fazer muito sentido como casal agora, mas esperem mais alguns episódios e vão ver que vão começar a torcer por eles.

    Mais uma vez, ótima review, Heitor.

  27. Lucíola

    ODIEI é a palavra certa,eu que sempre acompanhei a série desde o inicio ja posso ver que será um “saco” esta témporada! Matar a protagonista??´Isso é um dos erros maiores que a série cometeu fora que o RYAN com aquela pose de lutador “fajuto” nao ta com nada.Estragou a serie e vai ser cancelada com certeza EU vou deixar de assistir logo!!!

  28. Rachel

    pow cara…
    eu gostei bastante desse episódio… mas confesso q foi um choq a mort da Marissa…
    eu pensei q ela tinha soh sofrido um simples acident… mas assim tah melhor… o Ryan merece coisa melhor… huahauauahau
    vlw
    ah… qm kiser me add no msn pra gent conversar sobre the oc…
    rachel.cavalcante@hotmail.com
    vlw!

  29. bibiana

    Não concordo que marissa e Ryan não tinha mais nada para viver…acho que a história conseguiria dar continuidades com a personagem da Marissa..se ela ficasse um tempo com o pai e desaparecesse até a historia dela e do Ryan ficasse um pouco esquecida..e depois de muuito tempo os dois mais maduros porderiam se encontrar e viver uma relação mais concreta e apaixonante!!
    ahh curti mais ou menos os primeiros capitulos..!!

  30. gil

    Sei lá a série ja deu o que tinha de dar a 3 temporada foi um porre com marissa no seu drama de sempre. Essa 4 temporada começou mau e não sei se vai melhorar duvido muito ainda com a concorrencia com greys anatomy vaiser difil, ficou na mesmice com alguns altos e baixo dos personagens, qdo uma serie fica assim é indicio do seu fim mesmo.

  31. Mari

    Eu quero a Coop de volta……Mas vamos ao assunto é realmente compreensivo a atitude cada um dos personagens:Ryan descontando sua raiva socando os outros ,Julie se embriagando com remédios e claro Summer tentando fugir de todas as formas do fim trágico de sua melhor amiga!!!!!!

  32. evandro barreiros

    bom esta 4 temporada nao foi tao boa quanto as outras the o.c marcou a minha vida esta historia q a serie passa para a gente. nos mostrando q devemos estar sempre preparado para tudo quando vi o ultimo episodio da terceira temporada eu fiquei tao abalado com a morte da marissa q me sentia como se estivesse vivendo aquele momento em minha vida estava agora vendo ao dvd da 1 temporada e me lembrando d quando ryam conhece marissa e eles se apaixonao um pelo outro cimceramene acho q the o.c poderia voutar e ryam terminar feliz mesmo com outra

  33. elton

    eu adorava a marisa mais com a sua morte pra min não mudou em nada a quase nada eu continuei assistindo pena que o sbt não rodou toda a serie que chato tive que assistir na casa da minha amiga o rwtante so assitir quando o caro da marisa vira so

    obrigado

  34. vitoria

    eu estou a acabar de ver a 3º temporada e acho que fica mesmo mal se a marissa morrer

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account