Log In

Reviews

Review: Terminator: The Sarah Connor Chronicles – Ourselves Alone

Pin it

Terminator: The Sarah Connor Chronicles - Ourselves AloneSérie: Terminator: The Sarah Connor Chronicles
Episódio: Ourselves Alone
Temporada:
Número do Episódio: 26 (2×17)
Data de Exibição nos EUA: 6/3/2009
Data de Exibição no Brasil: 11/4/2009
Emissora no Brasil: Warner

Graças a Warner, nós fãs fomos privados do 16º episódio de Terminator. Para os que estavam cansados dos episódios focados no drama pessoal de Sarah, sintam-se felizes, Some Must Watch, While Some Must Sleep, o episódio que a Warner não passou, foi o encerramento dessa imersão na psique de Sarah. Para os que adoravam os episódios centrados na mamãe Connor, sinto informá-los, mas perderam um episódio delicioso de se assistir.

Mas o que realmente importa para o prosseguimento da história é que Sarah conseguiu lidar com seus traumas e principalmente venceu a dor de matar alguém. O mais interessante é que Winston não havia morrido com o tiro lá na fábrica. Não, o infeliz voltou para atormentar Sarah e ela não teve piedade. Toda a autocomiseração que sentiu nos últimos episódios foi resolvida e Sarah decidiu crua e secamente matar seu algoz.

A outra coisa digna de nota que o episódio nos trouxe foi enxergarmos um pouco mais os medos que corroem a imaginação de Sarah, e entre os maiores deles está a proximidade de John e Cameron. Uma pena que as cenas entre o garoto e a máquina tenham sido provenientes da mente de Sarah.

E agora, com o drama maior de Sarah resolvido, a série está pronta para seguir seu rumo e é isso o que vemos em Ourselves Alone. Gosto muito desse episódio, embora mais uma vez não tenha grandes cenas de ação, o que para alguns pode ser um problema. Mas e quem precisa de pancadaria e explosões quando tudo o que está na tela é de extrema qualidade?

Eu sempre gostei da Riley, mesmo quando ela se tornou quase insuportável com seus ataques depressivos. Preferia que tivessem conduzido toda a história de forma diferente e principalmente tivessem mantido a personalidade radiante que ela tinha quando apareceu na série, mas nunca cheguei a odiá-la – apesar de ter ficado triste quando a garota sobreviveu da tentativa de suicídio. Entretanto esse episódio me fez realmente sentir pela garota. Que destino cruel! Confiar cegamente em alguém como ela fazia com Jesse, até mesmo amar esta pessoa, só para descobrir que desde o início o plano da outra era vê-la morta. E não posso nem dizer que foi traição da Jesse, pois essa era sua intenção todo o tempo, a loirinha é que não tinha captado as entrelinhas do plano macabro da australiana.

Há quem critique a cena de luta entre as duas no final. Eu não sou uma dessas pessoas. Para ser bem sincera, foi um dos momentos que eu mais gostei. Riley mostrou que não é apenas uma garotinha perdida escolhida nos túneis da resistência. A loura não sobreviveu por cerca de 16 anos simplesmente fugindo das máquinas. Havia uma força de vontade em Riley que a mantinha seguindo em frente mesmo quando estava aterrorizada ou desalentada.

Tentem imaginar como foi para ela conviver por todos esses meses ao lado de John e o quanto deve ter sido emocionante saber que estava namorando o futuro salvador da humanidade, uma lenda viva em seu tempo original (bom, eu acho que ainda vivo), e mais importante ainda, suportar olhar para Cameron, conversar com a ciborgue e até mesmo desafiá-la sem poder demonstrar o medo que com certeza estava paralisando-a por dentro.

Muito boa a cena em que Cameron a leva para o galpão. O terror de Riley exalava por seus poros, e mesmo assim ela não fraquejou. E quando eu lembro a frieza de Jesse mandando-a voltar a ver John, sem se importar a mínima com os sentimentos da garota… E é por isso que eu senti orgulho de Riley quando a loura enfrentou Jesse de igual para igual. Quase torci para ser a australiana a morrer ali e não a garota. Mas se assim o fosse, tudo perderia o sentido, pois jamais entenderíamos o motivo de Jesse se revoltar a ponto de vir ao passado, sacrificar uma jovem inocente e até mesmo mentir para o homem que ama.

O que me pergunto é se o plano teria funcionado. John sabe que se for preciso Cameron mata sem pensar duas vezes. A única coisa que a impediu de matar a garota foi o apego de John pela namorada, mas se estivesse entre a vida de Riley e a segurança efetiva de John, não tenho dúvidas (e o jovem Connor também não) de que a loura seria exterminada. Então a pergunta é: se Cameron tivesse matado Riley John se voltaria contra a exterminadora?

Não sei, mas para mim, apesar de toda a frieza com a qual o garoto tratou a exterminadora durante toda a temporada, na hora H ele ficaria do lado de Cameron. Foi o que eu senti quando John perguntou a Cameron se ela tinha feito algo com Riley e a ciborgue disse que não. Inclusive, ele não pareceu gostar muito da idéia de ter a existência da sua máquina particular literalmente em suas mãos. Ou melhor, em seu pescoço.

Mas não deixa de ser interessante Cameron admitindo que está com defeito e que pode chegar o momento que John terá que desligá-la. Inclusive, achei fascinante vê-la consertando seu braço e depois sendo auxiliada pelo garoto. E a cara de ultraje dele ao perceber que ela vinha guardando pedaços de coltan de outros exterminadores durante todo esse tempo foi impagável.

Há algumas coisas na programação de Cameron e em sua missão original que me tiram o sono. Fico com medo de que a série não tenha tempo suficiente para trabalhar quem realmente é a ciborgue e qual a sua real posição diante do John do futuro.

Já Sarah foi relegada a uma posição um pouco mais secundária nesse episódio, restando-lhe o papel de falar com o pai adotivo de Riley e com uma Jesse disfarçada de assistente social. Pergunto-me se o carinho que ela disse sentir pela garota é real, mas não demonstrado por temer pelo filho, ou se ela de fato não se importa a mínima com o destino da namorada de John.

Essa história do lar adotivo só me deixou com uma dúvida. Quando saiu do hospital Riley pediu para ficar um pouco com Jesse e eu tive a sensação de que a australiana aceitou. E pensei que os pais adotivos não a quisessem mais com eles depois da briga com a mãe. Quando as coisas mudaram? Quando Riley voltou para o lar adotivo? Alguns dias se passaram desde a sua tentativa de suicídio e muita coisa pode ter acontecido fora das telas, mas fiquei incomodada com a falta de alguma frase que fizesse o retorno da garota ao lar ter mais sentido.

ter217_2Terminator: The Sarah Connor Chronicles - Ourselves AloneOurselves Alone foi um episódio centrado no plano desastroso de Jesse. As personagens de importância eram Jesse, Riley, John e Cameron. Nesse polo mora a batalha da australiana. Talvez por isso nem se deram ao trabalho de mencionar Catherine e John Henry, e as cenas com Derek tenham parecido tão vazias. Ou talvez o problema seja comigo, já que mesmo tendo reassistido o episódio, até hoje não consegui entender qual a importância do tal advogado que Derek perseguia, mas é provável que referências passadas existam e minha notória falta de memória falhou em fazer a conexão.

Seja como for, não consegui afastar a sensação de que Derek está se sentindo deslocado. Sua família não confia de fato nele, e a mulher que ama parece não confiar também. Para onde se voltará o soldado?

Agora as coisas começam a esquentar. O trailer divulgado com cenas importantes para os capítulos finais da série me deixou de cabelo arrepiado. Tenho certeza que a morte de Riley não foi em vão, o que resta saber é a quem ela irá ajudar e a quem prejudicará? E quando o núcleo dos Connor se encontrará com o núcleo da Zeira Corps? E a pergunta que mais me aflige: quanto tempo Cameron durará com esse corpo defeituoso?

Cinco episódios. É tudo o que falta. E que comece o desespero.

Séries citadas:

Michele Reis Martins, a Mica, é advogada e mantém o blog Esperando o Esperado. Fã de Arquivo X, Highlander, Buffy, Doctor Who e sci fi em geral.

8 Comments

  1. Vinícius

    Sério q vc ainda não viu o final?Não dá mais pra assisti pela warner…Tenho inveja de vc , ainda tem 5 ep. pra ver,ótimo review por sinal.

  2. Mica

    Na verdade já assisti Vinícius, inclusive comentei no Semana Lá Fora (e estou boquiaberta até agora e cada dias minhas teorias mudam, hehe), mas quando escrevo o review eu penso (ou pelo menos tento, não é lá muito fácil) no episódio como se não conhecesse o que vem depois. Inclusive corro atrás dos comentários que fiz na época no orkut, nos outros sites e afins, que é para captar exatamente o que eu estava sentindo quando assisti pela primeira vez.

  3. Pedro

    Eu gostava da Riley, e continuei mesmo ao saber q ela veio do futuro com um tipo de missão em relação a jonh. Nunca me passou pela cabeça que ela poderia fazer algo mal contra ele ou sarah.

    Prefiria mil vezes ve-la do que o chatissimo núcleo de Catherine e Ellison.

    Lamento que Riley tenha morrido.

    A proposito..Como andam os rumores? Terminator tem chances de ser renovada?

  4. Mica

    Os rumores são os piores possíveis, só faltando mesmo a nota oficial. Mas como todo fã é meio cego e crente, eu só desisto quando não tiver mais jeito nenhum.

    Quanto a Riley, como eu disse, eu gostava muito da personalide radiante dela. Dava um toque mais natural, mais jovem ao John. Por isso impliquei tanto quando ela começou a ficar pensativa e amargurada demais. Foi como se ela tivesse perdido a função essencial dela para mim.
    Também não achava que ela quisesse algum mal para os Connor, mas esperava que sua missão fosse um pouco mais elaborada. Agora, confesso, seria muito legal se ela e Jesse fossem uma facção humana a favor das máquinas ^_^. Só que aí não teria sentido querer separar John de Cameron, a menos que seja a exterminadora quem o impede de sucumbir à Skynet.

  5. Juninho

    É uma pena mesmo a warner não ter exibido 16° episodio,eu gostei dele,estava quase certo que as cenas reais eram as que Sarah estava numa clinica,mas me enganei,foi bem legal esse lance de sonho e realidade e a forma que o episodio brincou com o telespectador.

    Agora sobre esse episodio,nunca gostei muito da Riley,mas nesse episodio ela arrebentou;e como alguém pode não ter gostado da cena de luta,a garota teve muita garra,e espancou a Jesse(claro que também apanhou bastante),fiquei triste pela sua morte,mas pelo menos o episodio de despedida da personagem foi muito bom.

    E Quando a Cameron entregou o colar para o John fiquei meio na duvida se realmente ela tinha colocado explosivos na propria cabeça,e as cenas dela abrindo o braço e sendo auxiliada pelo John no concerto foi bem legal mesmo,na verdade gosto muito quando a Cameron aparece em cena,todas as suas cenas na minha opinião são ótimas.

  6. Juninho

    E Sobre os rumores,saiu essa materia no site Omelete

    “Site diz que série de TV de Exterminador do Futuro foi cancelada

    Em outubro passado circularam boatos sobre um possível cancelamento de Terminator: Sarah Connor Chronicles, e parece que o derivado televisivo de O Exterminador do Futuro vai mesmo ter um fim prematuro.

    Segundo a Entertainment Weekly, que cita mais de uma fonte anônima, a Fox não vai renovar a série para a terceira temporada – apesar do episódio, elogiado pelas poucas pessoas que ainda acompanhavam as exibições nos EUA, que encerra o ano dois e amarra a maioria das pontas soltas da trama.

    A baixa audiência é, segundo o site, um dos motivos para o cancelamento. “Os envolvidos já sabem da notícias há algumas semanas. Considere cancelado”, disse uma das fontes. “A decisão oficial será tomada ainda. Nós anunciaremos a grade 2009/2010 completa do canal no dia 18 de maio”, completa o informante.”

    Mas vamos esperar mesmo a confirmação,antes de derramar nossas lagrimas,rsrsrs

    http://www.omelete.com.br/teve/100019190/Sarah_Connor_Chronicles.aspx

  7. valdeci de oliveira

    o que q vcs me dizem do horario da serie no canal warner? para mim foi uma falta de respeito com o assinante, horario de 1 e 30 de ammanhã é coisa de louco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account