Log In

Reviews

Review: Terminator: The Sarah Connor Chronicles – Heavy Metal

Pin it

Terminator: The Sarah Connor Chronicles
Série: Terminator: The Sarah Connor Chronicles
Episódio: Heavy Metal
Temporada:
Número do Episódio: 4
Data de Exibição nos EUA: 4/2/2008
Data de Exibição no Brasil: 27/5/2008
Emissora no Brasil: Warner

Quando é hora de uma mãe olhar para o filho e soltá-lo para o mundo? Quando é o momento de permitir que a sua criança, aquele que veio de dentro de você e por quem você daria a própria vida, pratique seus próprios erros e comece a pagar por eles?

Esse episódio teve seus altos e baixos mas demonstra exatamente o dilema pelo qual Sarah tem passado. Ela sabe o que o filho deve ser no futuro, o que não a impede de tentar segurá-lo ao seu lado o máximo possível. Por vezes tenho a sensação que ela chega a se ressentir do John do futuro. Também pudera, até agora ela tem convivido com um garoto doce e até certo ponto inocente, apesar de sua força interior e capacidade de coisas extraordinárias nos momentos certos. Mas o John do futuro demonstra ser um homem frio, capaz de usar as pessoas ao seu lado sem titubear desde que isso signifique um passo à frente em sua luta contra as máquinas. Sara sabe que tem criado o filho exatamente para isso, o que não torna mais fácil enxergar o fruto de sua criação.

Gosto muito da atitude de John neste episódio. Lutar quase sempre é melhor do que fugir. Ele precisa começar a enfrentar o seu futuro de frente e não correr a cada dificuldade que surge, mesmo que essa atitude acabe levando à sua morte. Naquele momento em especial onde ele discute com a mãe por ela desistir de atacar a máquina ao ver que não era Cromartie, foi muito importante para a sedimentação da personalidade de John como líder. Aquela recusa que inicialmente parecia apenas birra de quem estava cansado de não tomar atitude e desgostoso por não ter impedido a garota de se jogar do prédio, era na verdade algo muito mais profundo. Eles só têm mais quatro anos até a rebelião e é hora de fazer o que for preciso. Como mãe Sarah tem medo e, eu provavelmente também teria se estivesse em seu lugar, mas ela é muito mais do que mãe de John, ela é a pessoa que deve conduzir o garoto à sua posição de líder e salvador da humanidade. Por isso a conversa entre Sarah e Cameron teve um certo gostinho de “é o que eu vivo dizendo”.

Sarah:

Você tenta abrir um pouco a mão e é muito cedo.

Cameron:

É mesmo? O mundo vai acabar em quatro anos.

Nada é muito cedo na vida de John Connor e é bom ele descobrir quais são suas falhas para poder se aprimorar. E, cá entre nós, tirar aquela chave do pescoço de Carter exigiu um sangue-frio que eu com certeza não teria.

Mas o que eu realmente gostei foi da Cameron no quarto com a barra de Coltan. Faz-me pensar no que realmente move essa exterminadora. Até onde ela seguirá as ordens de sua programação?

E embora Cromartie não fosse o responsável pelo roubo do Coltan, o Exterminador tem seguido sua diretriz básica de se auto-regenerar. Infelizmente para mim, não gosto do ator que interpreta o novo Cromartie. Owain Yeoman, o Exterminador no primeiro episódio pode ter feito uma participação pequena, mas eu simpatizei bem mais com ele lá do que na pele de Garret Dillahunt. Diga-se de passagem, sinto pena do pobre Geoge Lazlo, que morreu simplesmente por ter as medidas físicas corretas. No final das contas não posso reclamar muito de ser baixinha e fora do biótipo de uma exterminadora.

Terminator: The Sarah Connor Chronicles - Heavy MetalO que me irrita um pouco nesse arco do FBI/Cromartie é a forma como os supostos agentes do bureau são desleixados em suas buscas. Posso não ser a maior simpatizante do agente Ellison (principalmente porque sua obsessão acabará levando-o mais cedo ou mais tarde até o trio fugitivo mais uma vez), mas toda a sua investigação faz sentido. Ou isso, ou eu é que ando muito mal acostumada com as séries de FBI, perícia forense e afins, porque sinceramente, a forma como todos os outros agentes descartam as provas contundentes do agente Ellison me tira do sério. Com exceção da teoria bizarra (porém verdadeira) de alguém sofrendo uma cirurgia plástica sem anestesia e se recuperando em dois dias, que foi um tiro no próprio pé, venhamos e convenhamos, todo o restante era pertinente.

E quem se importa se o sangue de George Lazlo não foi encontrado no consultório? A gravação de segurança o colocava no local do crime no dia e hora do acontecido. Ele é um suspeito. Fim de história. O sangue anormal é um elo entre os seis crimes, mesmo que não haja ainda uma explicação para ele. Pode ser motivo de mil e uma teorias, mas não de um descaso em massa do FBI. Fiquei até com vergonha de sonhar com o FBI nas épocas de Mulder e Scully…

O tal agente Stewart é um poço de arrogância, e a colega de Ellison é preguiçosa demais. Com uma agência como essa para cuidar dos EUA, Deus tenha piedade da América!

No próximo episódio, um novo personagem para balançar a vida não tão pacata do trio. E só por curiosidade, alguém mais gosta tanto da abertura como eu?

Séries citadas:

Michele Reis Martins, a Mica, é advogada e mantém o blog Esperando o Esperado. Fã de Arquivo X, Highlander, Buffy, Doctor Who e sci fi em geral.

13 Comments

  1. missthing

    Oi Mica,

    Ótimo review, como sempre! ;)

    Essa transformação do John está natural e bem feita, foi engraçado ver no final do episódio o John tentando agir naturalmente pra Sarah, e ao ficar sozinho no quarto deixar adrenalina baixar e o medo tomar conta dele. Passou a impressão de que somente após tudo acontecer, e longe da mãe, ele realmente percebeu a dimensão do que será seu papel no futuro. Foi engraçado ver as mãos dele tremendo de medo e a Sarah fingindo que acredita que ele não se abalou!

    Tô ficando cada vez mais viciada nessa série, que chegue a próxima terça logooooo

  2. Darth Cesar

    Mica, teve um momento que pensei que o agente/jovem/ativo/fdp fosse um exterminador… mas acho que daí é muita viagem minha. Foi muito bom mesmo ver as expressões da Sarah em relação ao filho, um misto de orgulho e estranheza, afinal ver o futuro se concretizando diante dos olhos deve ser muito esquisito.
    Estou gostando do John, mas estou achando exagerado essa culpa dele pela menina suicida, quem ele pensa que é? O Clark? O que ele iria fazer, Mandar a Cameron? Ele estava no térreo e a guria lá em cima, ia chegar lá como? E como diz o Galvão, chegar é uma coisa! Convencer ela a não pular é outra.

    Agora, que sadismo do pessoal hein?! Pra que deixar o mané em campo minado, aquela foi de gelar a espinha! rrssss

  3. Paulo Fiaes

    esse ep foi mto bom
    lembro que a série teve um episodio piloto mto bom, depois o segundo e terceiro ficaram mais centrado nas historias, q deixou o povo com um pé atrás, mas a partir desse a série tem uma sequencia de eps maravilhosos.
    e gosto mto do ator q interpreta john connor, melhor john connor até agora( o do terceiro filme foi deploravel), claro q esse status deve ser roubado qndo o quarto filme começar, pq christian bale é um dos mais fodões q existe na atualidade.
    outra coisa, quero saber como a série vai fazer o paralelo com o quarto filme, tendo em vista que eles ja ignoraram completamente o terceiro filme. e o quarto filme começa com as guerras, ou seja, usando o final do terceiro filme. uma coisa é certa, pelo q li, tanto a série como o terceiro filme e a nova trilogia estão nas mãos dos mesmos roteiristas, logo, eles devem ter alguma historia interligando tudo. só espero q n faça merda. terminator era uma das melhores historias da ficção cientifica, e tpo, tinha universo pra explorar bem mais, mas ao mesmo tinha encerrado de maneira excelente no segundo filme. vamos ver no que dá.

    e Mica, excelente review, e antes q vc desconfie, n falo pq sou seu amigo, o texto está otimo mesmo
    parabéns!

  4. Mica

    Gente, obrigada ^_^. Estava com medo que tivesse filosofado demais, hehehe.
    Darth Cesar, eu ia comentar sobre o campo minado, mas esqueci O.O. Poxa, tinha necessidade de deixar o pobre coitado lá? Tudo bem que ele tinha colaborado com a máquina do futuro, mas ele não fez nada tão aterrador assim para praticamente condená-lo a morte (a menos que seja um homem extremamente sortudo, vá saber!).

    Posso fazer um comentário que eu sei que o povo não vai concordar? A cara de triste da Lena Headey me irrita um pouco. Eu gosto dela, não me entendam mal, mas ela está sempre triste, mesmo quando está feliz. É algo nos olhos dela. Coisa louca…

    Espero ansiosa por T4. Amo o Christian Bale e não posso contar os minutos para vê-lo como John na tela grande ^_^. Pena que será só no 4, né? :-(

    Sobre a cronologia de T3, TSCC e T4, bom, com o salto no tempo o John do futuro impede a morte da Sarah por câncer o que automaticamente muda os acontecimentos de T3. Só não lembro de uma coisa: ele sobrevive ao final de T3? (vixe! Assisti só uma vez e nunca consegui reassistir).

  5. Mica

    Ah!!!! Esqueci de comentar o negócio da suicida que o Darth Cesar falou. Eu também ia falar sobre o assunto no review, mas descobri que minha filosofia toda acabou não deixando espaço para o suicídio da pobre coitada ;-/
    Confesso que a raiva toda do John me deixou irritada, e ainda mais a culpa que ele jogou sobre a Cameron. Nem sonhando ele teria conseguido chegar até o telhado antes dela se jogar, e apenas acabaria se expondo à toa. Mas acho que a culpa e raiva que ele sente é pela sua impotência diante da situação. Muitas vezes não conseguimos fazer nada, mas o fato de sabermos que tentamos faz toda a diferença para nosso caráter. Tentar salvá-la o levaria mais próximo daquela pessoa que ele deve ser. Quero dizer, como John se tornará um homem capaz de liderar uma multidão e de arriscar a vida a cada instante pela sobrevivência da humanidade, se ele sequer pode tentar salvar uma simples garotinha atormentada por medo de ser exposto?
    Eu não gostei da trama da suicida, não gostei da reação dele, mas entendi o significado do acontecido para a decisão dele de tomar uma atitude em sua própria vida.

  6. Paulo Fiaes

    Mica

    ele sobrevive no T3, Arnold leva ele e a personagem de clarie danes(q vai ser esposa dele no futuro) para um lugar q os protegeriam do ataque, sobre cristian bale e T4, como assim ele só vai participar do T4? eu sei q john connor n vai ser o personagem principal, mas acho q ele vai está na nova trilogia, ou não?

  7. Mica

    ah, sei lá, eu ouvi dizer que ele iria participar só de T4, mas posso estar enganada, pois ouvi isso láááá no início da escalação dos atores. Confesso que não estou tão por dentro assim das novidades do filme.

  8. Andrea

    Mica, estou chegando a este site e adorei as resenhas de todos que li até agora, parabéns! Misturar comentários com a sinopse é muito atrativo, e depois de ler Orkut, é até esquisito ver gente escrevendo tão bem na Net heheh

    Mas sobre a série, estou adorando, uma das mais empolgantes que já vi! Só que fiquei irritada com duas coisas importantes: no epi que a Sarah janta com aquele rapaz, o John esculacha a mãe porque ela não perguntou detalhes técnicos de banda, ip, etc; peraí, o garoto aprende 10 anos de TI em uma semana de colégio???
    E outra, que o Maurício Navate já apontou: a Cameron ‘emburreceu’ na ‘atitude humana’?? Como ela enganou o John, cheia de fofura e talz e agora voltou a ser robótica?? Reboot? :D
    Um abraço a todos!

  9. Darth Cesar

    informação retirada do site Cinema em Cena.

    Christian Bale assinou para participar de três filmes – 21/05/2008 09:20

    A presença de Christian Bale nos próximos filmes da franquia Exterminador do Futuro está garantida. O executivo da Halcyon, Victor Kubicek, comentou que o ator assinou para trabalhar em três longas.
    “Ele foi a nossa primeira opção para viver John Connor, mas com os filmes do Batman não tínhamos muita certeza se ele gostaria de participar de outra franquia”, disse Kubicek à BBC, completando que “felizmente, ele adorou o roteiro e ainda assinou para trabalhar em todas as três produções”.
    O longa chega aos cinemas em maio do próximo ano.

  10. Thiago

    Eu gostei da série e não estou entendendo as críticas que ela vinha recebendo. Tem ação e é o que quero. E é Exterminador, cara! XD John no galpão com um terminator em stand-by vlw o episódio e compensou os furos do núcleo fedaral da história

    Vlw pela review, Mica. Eu queria ter visto o epi passado pra entender a situação da suicida, mas… nhá. Quanto ao Cromartie original, ele realmente era muito bom. E eu não vou com a cara desse ator; o personagem q ele fez em ER, ex de Sam, é um dos piores da série.

  11. Mica

    Eu estava tentando lembrar qual era a série que mais me lembrava do cara….era ER. Thanks Thiago, hehehehe.
    Também não entendo a crítica do povo. Eu acho que a dose ação/desenvolvimento psicológico está muito equilibrada. É claro que não tem aquela correria louca que vemos nos filmes, mas poxa, os filmes falam de momentos nas vidas de Sara e John ao serem perseguidos por exterminadores, e a série fala da criação do caráter e capacidade de John ao decorrer da sua vida (no caso, dos seus 16 anos). Não tem como ser uma explosão de ação como nos filmes, pq acabaria se tornando irreal e sem conteúdo.

    Quanto ao CB, Darth, eu tinha lido essa notícia, mas com minha memória de peixe, tinha esquecido. Desculpem.

    Que bom que gostou das resenhas, Andrea. Devo dizer que tenho o maior orgulho dos meus amigos do Teleséries, porque o povo aqui escreve super bem, sempre se preocupando em mostrar qualidade para quem lê. Confesso que fiquei morrendo de medo quando comecei a escrever, porque tenho a maior admiração pelo trabalho dos amigos ‘resenhistas’.
    Mas ainda sobre o episódio, eu fiquei com o pé atrás pelas duas coisas que você apontou, Andréa. Eu até comentei que o John sabe demais sobre computação para quem ficou 8 anos no limbo. Mas vai ver que o guri é uma espécie de geniozinho em informática, sei lá.
    E a Cameron, bom, eu acho que a bola fora foi no primeiro episódio. O problema é que depois de feito não tinha mais como consertar. O tom que a Summer Glau deu à Cameron a partir do segundo episódio está muito mais de acordo com o que eu espero da personagem.

  12. Maurício Navate

    Mica, chovendo no molhado, sua resenha está legal.
    E Andrea, é isso aí! Tinha LINUX na Cameron no ep. 1 e instalaram WINDOWS VISTA a partir do 2. Fim de papo! :)

    Meu, já desisti de dar bola pra opinião de americano. Os caras cancelam um monte de séries boas (em especial as de ficção científica), e ao mesmo tempo, continuam a ver lixos imbecis como os que passam de terça a noite na Sony. O único problema é que são essas opiniões que fazem com que séries como Moonlight, Invasion, Enterprise e tantas outras sejam canceladas. Só espero que essa série do Terminator não seja cancelada devido a esse sentimento “o que é legal e inteligente nós americanos não entendemos e cancelamos”.

  13. Marcio

    o John esculacha a mãe porque ela não perguntou detalhes técnicos de banda, ip, etc; peraí, o garoto aprende 10 anos de TI em uma semana de colégio???

    Isso tudo já existia antes mesmo deles pularem no tempo. Lembra no segundo filme, que ele roubava caixas eletrônicos? Lidar com computadores era o “forte” dele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account