Log In

Reviews

Review: Terminator: The Sarah Connor Chronicles – Earthlings Welcome Here

Pin it

Terminator: The Sarah Connor Chronicles - Earthlings Welcome HereSérie: Terminator: The Sarah Connor Chronicles
Episódio: Earthlings Welcome Here
Temporada:
Número do Episódio: 22 (2×13)
Data de Exibição nos EUA: 15/12/2008
Data de Exibição no Brasil: 10/3/2009
Emissora no Brasil: Warner

O monólogo de Sarah está de volta! Acho que é a melhor coisa que Sarah faz na série…

Depois da breve pausa da semana passada, voltamos à Sarah e sua obsessão com os três pontos. Eu já perguntei isso uma vez, mas insisto: com tantos nomes na parede, por que Sarah insiste nos três pontos? E ela atira para todos os lados! Surgiram três pontos em algum lugar, lá está Sarah Connor investigando. E a vítima da vez são as convenções ufológicas. E ‘coincidentemente’, dentre tantas convenções, ela vai visitar justamente a que a levará diretamente para o seu objetivo, ou pelo menos é o que pareceu.

Confesso que gostei bem mais desse episódio na segunda vez que assisti do que da primeira. Talvez porque tive tempo de digerir as atitudes da Sarah e sua luta constante para achar o equilíbrio entre a jovem inocente que foi e a soldado enlouquecida que chegou a abdicar do filho e a ser internada em uma instituição mental. E também porque eu sabia onde o episódio estaria me levando e isso fez alguma diferença na minha capacidade de observação.

Mais alguém ficou em dúvida se Eileen/Abraham/Allan é homem ou mulher na vida real? Juro que não sabia se era ator ou atriz, demorei um tempão até chegar a alguma conclusão.

Entretanto, o que importa de fato dessa busca de Sarah é que as coisas parecem fazer sentido. Os três pontos podem ser apenas marcas de um pobre moribundo na parede, mas a verdade é que eles estão nos conduzindo a importantes descobertas. Algumas semanas atrás nós vimos que a triangulação do tempo é feito através de três pontos no espaço. Essa semana nos foi apresentado projetos de naves que tem em suas estruturas os três pontos arredondados bem delimitados. Unido à informação de Eileen sobre o metal desconhecido (coltan?) e super resistente, há de se imaginar que finalmente Sarah encontrou a pista correta.

E é claro, a morte de Alan/Eileen e o tiro que Sarah levou ao final nos deixa com a pulga atrás da orelha coçando ainda mais. Resta-nos saber se a nave que Sarah avistou é real ou fruto de sua imaginação delirante (o que também é muito possível).

Em outro ponto da história, a interação de Ellison com Catherine e John Henry continua. Engraçado que eu gosto muito mais do Dillahunt como John Henry do que como Cromartie. Ele tem cara de uma inteligência artificial em desenvolvimento e portanto meio estranho e assustador, mas definitivamente não tinha cacife para um Exterminador mortal e implacável.

Entretanto, Ellison em si eu acho muito chato. Não sei o que Weaver vê de tão especial nesse ex-agente. Como um homem de fé ele me parece bobão demais. Como ex-agente, ele me parece muito ansioso em se deixar enganar. Mesmo assim estou curiosa tanto com as intenções de Catherine quanto com o destino desse aprendizado incomum de John Henry. Onde isso vai nos levar?

Mas o que me chocou nesse episódio foi a atitude de Riley. Eu realmente não esperava que ela fosse suicida. Gostei bastante dos flashbacks dela e de Jesse. Interessante a reação diferente das duas ao voltar ao passado. Riley parecia encantada, enquanto Jesse demonstrava tédio, como se estivesse acostumada a tudo isso. Qual o motivo da reação tão diferente das duas? Será por Jesse ser um soldado e estar em uma missão (que ainda não sabemos qual é)? Será por Jesse já ter experimentado o mundo pré-Apocalipse e Riley não? Para a garota, tudo aquilo era novidade, um mundo de conto de fadas. Achei bem legal a forma como ela se maravilhava com tudo.

Também gostei de como introduziram Riley na vida de John ao mostrar a cena do colégio. Ela esteve orbitando o garoto bem antes de fazer parte do cotidiano dele. E foi curioso como a discussão entre Jesse e Riley acabou refletindo nas atitudes da garota com John.

O que levou a loura a cortar os pulsos? Foi a atitude indiferente de Jesse, enquanto o carinho que a garota tem pela mulher mais velha é evidente? Foi a pressão por estar vivendo num mundo que ela sabe que irá acabar em breve? Já há algum tempo Riley tem mostrado sinais depressivos, então pode ser isso. Ou foi a conversa com Cameron, que embora parecesse inocente, vinha carregada de tensão e significado? Inclusive, não deve ser fácil para Riley fazer de conta que não sabe que Cameron é uma máquina. A ciborgue, enquanto se pensa que é uma jovem humana é simplesmente estranha (candidata perfeita a psicopata), mas com a ciência de que ela é uma máquina, toda a sua esquisitice toma novos ares e ela aparenta bem assustadora.

Terminator: The Sarah Connor Chronicles - Earthlings Welcome HereEnfim, não sei qual o motivo de Riley ter cortado os pulsos, mas sei que isso irá mexer com os ânimos de John e provavelmente seu relacionamento com Cameron. E com a mãe machucada no deserto e a namorada morrendo nos seus braços, qual será a reação do jovem Connor? Eu aceito qualquer coisa, mas por favor, não façam John odiar Cameron.

E esse foi o último episódio que a Warner passou durante a semana. O próximo, The Good Wound, irá ao ar no domingo, dia 22/03, inaugurando o novo horário de Terminator: The Sarah Connor Chronicles. Nos Estados Unidos este foi o episódio que trazia a série de volta do hiato. Fiquei meses agoniada com o trailer que foi bombástico. Não sei se para vocês o domingo é melhor ou pior do que a terça-feira. Eu particularmente preferia a terça, mas a verdade é que daria um jeito de assistir Terminator mesmo que fosse às 3 horas da madrugada de qualquer dia.

Séries citadas:

Michele Reis Martins, a Mica, é advogada e mantém o blog Esperando o Esperado. Fã de Arquivo X, Highlander, Buffy, Doctor Who e sci fi em geral.

9 Comments

  1. Pedro

    Eu fiquei Mica..he, he. Eileen/Abraham/Allan me fez lembrar um personagem do Agente 86, Gertrudes/Geraldo. Ora era uma, ora outro dependendo do enquadramento.

  2. Juninho

    Gosto de Terminator pela forma como as historias são reveladas,mesmo que demore um pouco,a série nos faz ficar com a pulga atrás da orelha,e nos faz querer assistir varios episodios na sequência,sem se entediar com a demora das respostas,até hoje me pergunto qual é a da Cameron.

    Os três pontos da Sarah parece uma porta pra varias coisas,e é bem interessante,embora as vezes irritante essa loucura da Sarah,esse comportamento define muito bem a personagem,também podera,era uma jovem garçonete,que tinha uma vida normal,que saiu totalmente fora do rumo quando um Homem vindo do futuro salva ela de uma maquina,e diz que ela é a Mãe do Homem que vai ser a salvação da humanidade;Por isso que a coitada é xaropinha.

    Legal mostrar como a Riley e a Jesse vieram do futuro,e foi bem bacana ver como a garota se encantA com esse mundo,a cena que ela toma banho na agua limpa,e a carinha dela de encanto,foi bem legal,tem alguns episodios que gosto dela,já outros…

    Tenho a mesma opinião que a Mica sobre o John Henry,gosto mais dele do que do Cromartie,não me lembro se algum episodio explicou a origem do nome do John Henry,mas é engraçado saber que ele é a primeira (digamos assim)maquina a ser feita no passado e ter o mesmo nome do John(Connor),será que tem alguma semelhança?

    E pra terminar meu comentario:

    “Eu aceito qualquer coisa, mas por favor, não façam John odiar Cameron”[2]

  3. Juninho,

    Eles explicam sim. Nos EUA existe uma história, lenda, conto, ou sei lá, que fala num homem que desafio as máquinas, John Henri. Em sua luta por manter o emprego ele prova que é melhor do que uma máquina. E sózinho com seu martelo perfura uma montanha (ou algo assim).

    Sobre a Riley… ainda tenho dúvidas… muitas dúvidas, tipo, será que ela cortar os pulsos não foi exatamente o que a Jesse pediu pra fazer o Jonh ficar com raiva da Cameron? Será que a Riley fez isso porque não está de acordo com o plano da Jesse? Ou será que foi somente depressão mesmo?

    Outra questão, porque a Jesse quer separar Camaron de John, será que a Robô no futuro é uma influência negativa para o John? Ou será o oposto?

    Enfim… muitas dúvidas.

  4. Andrea

    Não, não fui eu que cortei os pulsos da Bipolar Riley; uns cascudos depois do episódio em que ela rouba o isqueiro do marginalzinho já tava bom. Coitado do John, armam para ele até na questão de garotas… Mas muito interessante.

    Sério agora: coitada/o da Priscilla, Rainha do Deserto! A obsessão de Sarah causou a morte dela/e, da psicóloga e do guarda… Espero que dêem a chance à atriz de mostrar algum remorso em uma bela cena, pq (acho) na série ela não matava sem motivo. Só achei forçadinho aquelas sondas ets com 3 pontos, mas haja abdução pra tratar do balaço na coxa da Sarah.

    John hates Cameron -NOT (3)!!! Mas esta é justo a (aparente) missão de Jesse e Riley! Se John mantiver a (aham) amizade com Cam, a Jesse vai surtar. Logo quem, cujo submarino era guiado por um ‘metal’… quem sabe o T800 (era esse, não?) tb surtou e ela faz parte de um grupo que vê em todos os andróides uma ‘influência nefasta’?

    AH! Pelo trailer afinal Catherine vai botar pra cortar!! Vamos ver se o Ellis se toca e fica mais espertinho com sua chefe!

  5. Mica

    O Winston foi a primeira pessoa que a Sarah matou. Ela com certeza vai sentir isso. Quanto à Eileen/Allan, já acho que ela vai enxergar como dano colateral.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account