Log In

Reviews

Review: Terminator: The Sarah Connor Chronicles – Desert Cantos

Pin it

Terminator: The Sarah Connor Chronicles Série: Terminator: The Sarah Connor Chronicles
Episódio: Desert Cantos
Temporada:
Número do Episódio: 24 (2×15)
Data de Exibição nos EUA: 20/2/2009
Data de Exibição no Brasil: 29/3/2009
Emissora no Brasil: Warner

Desert Cantos foi mais um episódio de reflexão, e definitivamente não foi ruim, embora eu não reclamaria se tivesse um pouquinho mais de agitação aqui e acolá.

Depois da explosão da fábrica e da experiência de Sarah tentando extrair a bala de sua perna, o grupo decide investigar os familiares dos trabalhadores que morreram.

Embora eu tenha gostado das investigações, é um pouco forçado que Sarah e John tenham escolhido as pessoas certas para conseguir informação logo de primeira. Sim, pois apesar da escolha de Sarah ter sido mais ou menos natural, a de John foi com certeza uma ajudinha descarada do roteiro. Em que outra situação uma garota adolescente sentada em um banco acabaria levando o futuro salvador da humanidade à informação exata que ele precisava?

Sarah esteve apática o episódio inteiro, mas dá para entender. Nós temos a tendência de esquecer esse fato, mas até Earthlings Welcome Here Sarah nunca havia matado alguém. A primeira vez que assisti esse episódio pensei que ela olhava insistentemente para a foto de Winston por lembrar do tiro que ele lhe deu, mas não. Depois de refletir, percebi que ela não conseguia deixar para lá o tal homem, não porque ele a tivesse atacado, mas sim porque ela não esquecia o fato de que foi a responsável pela morte dele. E ficou ainda pior depois de conhecer a esposa inocente do suposto segurança.

Um pouco forçado que a esposa tenha entregado a chave do depósito a uma qualquer que conheceu no velório, mas deixo passar porque fiquei curiosa em saber de quem era aquele sangue todo. Terá Winston sobrevivido ou era sangue do garoto Mike que eles mataram recentemente?

E já que eu toquei no assunto Mike, se não fosse tão absurda a aproximação de John e Zoe, eu diria que esta parte da história foi bem interessante. Quer dizer que o pai da garota não morreu e ainda surrupiou a tal nave vista por Sarah dois episódios atrás? A pergunta é: a mando de quem? Não parece ter sido de Weaver, já que a Exterminadora enviou Walsh exatamente para eliminá-lo, sem sucesso. Ou McCarthy pode estar trabalhando sozinho também. Atualmente não descarto nenhuma possibilidade.

Terminator: The Sarah Connor Chronicles - Desert CantosE por que aquelas vacas apareciam mortas naquela região? E quem desaparecia com elas no dia seguinte? Isso ainda vai dar pano pra manga. Algo me diz que Catherine Weaver não é o único outro lado da moeda que a série vai nos apresentar.

O interessante é que Jesse e Riley não apareceram e eu só fui perceber quando comecei a fazer anotações para escrever a resenha. Não é que eu não goste das duas, mas gosto ainda mais quando a família disfuncional trabalha sozinha.

Três coisas que preciso mencionar antes de acabar:

1) Entendo o motivo de John tirar Henry da direção do carro, mas por que o garoto seguiu sem contestar as instruções de Zoe para irem a um lugar nada a ver com o funeral?

2) Brilhante terem feito Cameron ser a pessoa a perceber que Zoe estava escondendo algo. Como ela não é humana e passa muito tempo nos estudando, foi a única que refletiu na estranheza das atitudes da garota. Inclusive, gostei muitíssimo da menção de como Derek reagiria se fosse a foto de Kyle ali.

3) Me pergunto o que Ellison faz quando não está jogando conversa fora com a Catherine ou com John Henry. A sensação que eu tenho é que ele é praticamente um peso morto, completamente inútil.

E o próximo episódio é o último das introspecções de Sarah. E cá entre nós, eu o adorei.

Séries citadas:

Michele Reis Martins, a Mica, é advogada e mantém o blog Esperando o Esperado. Fã de Arquivo X, Highlander, Buffy, Doctor Who e sci fi em geral.

7 Comments

  1. Jhoseph de Lima

    Gostei muito desse episódio… assim como você, Mica, também gosto de ver a “Família Terminator”, e já fazia algum tempo que os 4 não interegiam dessa forma,

    também gostei da volta sa Savannah, que andava meio sumida.

    Pena que com a maratona Fringe esse deve ter sido o último episódio que eu vejo na Warner, afinal meia-noite de sábado pra domingo é dose.

  2. Luciano Cavalcante

    Mica, uma das coisas de que mais gosto em TSCC, e que ficou mais patente nesse segundo ano, é algo de que gostei muito em outra série de ficção cinetífica, Battlestar Galactica: os acontecimentos, se não deixam suas marcas na carne, deixam na alma, e ninguém sai por ai como se, por exemplo, matar uma pessoa, não fosse algo trágico para os dois lados.

  3. Juninho

    Legal o que Mica disse sobre o episodio,”episodio de reflexão”,sempre busquei um nome para esses episodios de Terminator e nunca pensei nesse,e os primeiros episodios da série desde a volta do hiato serão assim,parados,porém não reclamo porque Terminator nos prende independente de ter ação ou não.

    Também gosto de ver a familia reunida (se é que podemos chamar de familia),e foi engraçado a cena que John conversa com a garota no banco e Cameron observa os dois,logo a garota questiona John se ele conhece a garota estranha que está encarando ela,rsrsrs,Cameron sempre observando de um modo que até assusta quem está de fora.

    Mas até então não temos nada de concreto,somente duvidas e misterios que Terminator é exper em trazer para nós,vamos esperar!

  4. Paulo

    Epa!!!

    Meia noite de sábado para domingo????

    Não era a Warner que apregoava que Terminator era a série mais vista no Brasil??? E como é que sai de terça para domingo (e não passa por causa da maratona de Fringe), e agora mais essa mudança???

    Parei com a Warner…

  5. Milton

    Perceberam que no episódio a Sarah anda normalmente como se não tivesse levado tiro nenhum na perna?
    É estranho o fato dela ficar tão sentida daquele modo com a morte de alguém, no segundo filme ela já é um personagem muito forte, na cabeça dela qualquer um que encontre pela frente já está morto e o único objetivo e salvar o filho.
    E aquele enfermeiro do segundo filme não morreu quando ela escapou?

  6. Mica

    Que eu saiba, Milton, a Sarah nunca matou alguém antes. Uma coisa é alguém morrer no meio da coisa toda, outra é ela atirar e matar alguém. O John passou a temporada toda praticamente fazendo as pazes consigo mesmo e o fato de ter matado Sarkissian, Sarah também está em choque. Ela é bem mais preparada, visto que sua inocência em termos já se foi há muito tempo, mas lá no fundo ela sentiu que algo rompeu dentro de si. É normal. Mas acho que ela se recupera antes do John.
    Também senti que a perna dela melhorou rápido demais. Quanto tempo será que passou entre um episódio e outro? Alguns dias mas menos de uma semana, né?

  7. ELAINE

    Adoro TSCC e a Warner, mais uma vez, não tem respeito com a gente. Faltam tão pouco para acabar a temporada. Por que não deixar esta série em um horário justo? Ela passa tanto filme repedito, porque não deixar em algum dia às 23 horas? Quem assina tv a cabo quer série e não filme repetido que vemos toda hora na tv aberta. Temos que fazer alguma coisa. O canalzinho meia boca.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account