Log In

Reviews

Review: Stargate Atlantis – Vegas

Pin it

Stargate Atlantis - VegasSérie: Stargate Atlantis
Episódio: Vegas
Temporada:
Número do Episódio: 99 (5×19)
Data de Exibição nos EUA: 2/1/2009
Data de Exibição no Brasil: 7/1/2010
Emissora no Brasil: FX

Vegas foi o patinho feio desta quinta temporada: um episódio em que o conflito com os wraiths e sua obstinada busca pela localização da Terra são retomados, em uma história que pode causar estranheza entre os fãs pela diferença no estilo adotado para a trama. Mas ao final não há como negar que este foi mais um ótimo episódio nesta quinta e (infelizmente) última temporada, pelo menos por dois motivos que para mim são fundamentais.

Primeiro porque retomou e caminha para a conclusão de sua premissa original, o que me fez recordar de Rising II quando a rainha wraith tenta a todo custo extrair do coronel Summer a localização da Terra e de The Siege I, quando Bob, o wraith capturado em Atlantis lança sua derradeira ameaça ao então Major Sheppard:

Eu lhe digo isso: não importa para onde fujam, nós os encontraremos. Assim como certamente encontraremos a Terra. E quando conseguirmos, vamos nos fartar!

Nada mais apropriado do que finalmente os wraiths terem encontrado a localização do planeta, ainda que seja em uma realidade alternativa, porque ao final não restou qualquer dúvida de por qual universo o sinal enviado pelo wraith de Vegas será captado.

Segundo porque, assim como The Shrine foi o episódio de David Hewlett, Vegas foi o episódio de Joe Flanigan. E não me refiro ao que o personagem representa na série, porque Tao of Rodney, pode dizer mais de Mckay do que The Shrine e Common Ground ou outros tantos mais, podem refletir mais quem era o John Sheppard de Atlantis. Mas o ator que até então tinha interpretações corretas, conseguiu se superar em Vegas.

Stargate Atlantis - VegasJoe Flanigan conseguiu expor o íntimo de John Sheppard dando ao personagem de Vegas uma aura de filme noir à la Humphrey Bogart, algo entre O Falcão Maltes, à Beira do Abismo e Casablanca. A performance de Flanigan encaixou como uma luva em um episódio que se passa entre a poeira do deserto e cassinos, com direito à mesa de pôquer repleta de gangsters.

A modernidade de Vegas ficou por conta da trilha sonora com “The Beautiful People”, “Sympathy For The Devil” e composições de Joel Goldsmith. E ao final, “Solitary Man” foi simplesmente perfeita. Nada melhor que o último verso da música para definir o personagem, porque o detetive de Vegas talvez seja uma parte significativa do coronel. Uma parte que o verniz de Atlantis não deixa transparecer.

Gosto de pensar que na realidade de Vegas, John Sheppard encontrou sua dimensão humana e realizou, finalmente, o destino trágico dos heróis mortais.

Séries citadas:

Historiadora e professora não praticante. Adora uma boa história, seja ela escrita ou encenada. Atualmente, em seu coração, dividem espaço Person of Interest e Once Upon a Time. A Guerra dos Tronos? Prefere o livro.

12 Comments

  1. Vinícius

    Ótimo review como sempre, queria saber se na sua opinião se vale a pena ver SGU, quais as semelhanças com SGA, pq eu num curtia muito SG SG-1.

  2. claudia matos veloso

    eu naõ gostei de sgu naõ vi nada que me atraice sou muito mais sg1 e atlantes quanto á vegas achei bacana porem estranho

  3. Luciano Cavalcante

    Vinicius, semelhanças entre SGA e SGU? Quase nenhuma, exceto o fundo comum – Antigos, Stargate, O´Neil. De resto, SGU é mais parecido com Battlestar Galactica, a versão atual, pois alí o Universo existe só para comentar o carater dos personagens, como a guerra com os Cylons só existia para dizer da alma do pessoal em BSG. è estranho, no começo, mas eu estou gostando. è quase, Não-Ficção Científica.

  4. Fernando dos Santos

    “Ótimo review como sempre”(2)

    E ótimo episódio também.Eu estava com um pé atrás em relação à Vegas, pensava que seria uma bomba ou na melhor das hipóteses um divertido porém descartável episódio cômico parodiando uma obra famosa(no caso a série CSI).
    No entanto, para minha tranquilidade e satisfação não foi nada disso.O episódio na verdade faz uma bela homenagem a CSI recriando com fidelidade o clima lugúbre e tenso da famosa série policial.Os produtores de Atlantis devem ser fãs de carteirinha de CSI.
    Eu também achei que o Joe Flanigan teve aqui uma de suas melhores performances nesses cinco anos.Não o considero um grande ator mas ele mostrou que com roteiro e direção corretos pode ter desempenho acima da média.A grande cena do episódio pra mim também foi a heróica morte do Shepard alternativo, numa missão kamikaze ao som de Jhonny Cash.

  5. Fernando dos Santos

    Quanto a Universe, concordo com o Luciano Cavalcante.A grande referência da série parece ser mesmo Battlestar Galactica.Aliás quando começaram a divulgar os primeiros trailers na internet eu já desconfiava que Universe seguiria essa trilha.
    Eu tenho acompanhado no Sci Fi do Brasil e também estou gostando até o momento.Lembrando que hoje a noite a emissora volta a exibir inéditos.

  6. João da Silva

    Ótimo episódio. Foi um bom uso de um universo paralelo. Apesar disso, acho que o Wraith nunca conseguiria ter sucesso no plano dele.

  7. Vinícius

    BSG foi uma ótima série acho que vou baixar SGU quando acabar SGA.(Especialmente se tiver alguma number six genérica, rs)

  8. João da Silva

    Não tem Number Six em SGU, mas tem Chloe Armstrong (Elyse Levesque).

  9. Regina Monteiro

    Vinícius e Fernando, obrigado.

    Vinicius
    Sobre SGU posso te dar a minha opinião e a do meu filho de 20 anos.
    Para mim SGU é um grande equívoco. Até agora, de dez episódios exibidos nos EUA, somente se salvam Justice e uma cena de Light. Eu escrevi uma preview que saiu aqui no teleséries, se puder dê uma olhadinha.
    Porém, meu filho de 20 anos, que assitia comigo Atlantis, sem muito entusiasmo, gosta de SGU e não perde um episódio. Destaquei a idade porque uma das justificativas para o novo formato adotado pela franquia, seria atrair a faixa etária 18 a 35 anos.
    Então nada melhor do que você dar uma conferida e avaliar.

  10. Fernando dos Santos

    Eu acho que SGU divide opiniões por ser uma série com abordagem extremamente diferente de SG-1 e Atlantis.O humor e a leveza que marcavam essas duas foram deixados de lado para dar lugar a um clima mais sombrio e o ritmo mais acelerado das duas primeiras foi substituído por um tom mais pausado e contemplativo.
    O resultado final é tão diferente que chega a dar impressão que são outros realizadores que estão por trás das câmeras.No entanto os produtores,roteiristas e diretores são de maneira geral veteranos da franquia.
    Eu como disse antes, estou gostando dessa nova abordagem mas acho compreensível que uma parcela do publico não goste e prefira aquele estilo que consagrou SG-1 e Atlantis.O público americano aprovou a nova série e ela já teve sua renovação anunciada pela emissora, garantindo uma segunda temporada.

  11. João da Silva

    Eu também estou gostando de SGU, apesar de que a série é muito diferente das outras duas.

  12. Regina Monteiro

    Quando Atlantis foi cancelada os produtores tinham uma opção: ou mais uma temporada de Atlantis e uma temporada de SGU ou duas temporadas de SGU. Optaram por duas de SGU, então a renovação da série já era esperada.
    Quanto à audiência, eu continuo achando cedo para saber se SGU passou no crivo do público. Certo mesmo é que aumentou a audiência entre o úblico alvo. O aumento de audiência na faixa etária desejada foi suficiente? Continuará sendo suficiente? Fato é que uma boa parcela deste público ainda é de fãs remanescentes das séries anteriores da franquia e este público continua cada vez mais descontente; digamos que estão em compasso de espera para ver se a coisa melhora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account